Desmascarando o CACP

A finalidade do CACP (Centro Apologético Cristão de Pesquisas), não é estudar as visões doutrinárias discordantes, mas atacá-las, distorcendo fatos e informações sobre as crenças que pretendem atacar, fazendo com que a maioria das vezes, ao acharem que estão refutando, na verdade estão atacando o fato corrompido que eles mesmos atribuíram, dessa forma fazendo parecer que seus opositores foram desmentidos. Falta-lhes o Principal, profundo conhecimento e aplicação do “Assim diz o Senhor”. Segue abaixo uma série de artigos que refutam as  distorções e enganos disseminados por este Instituto que se alega cristão, contra os adventistas.

……………………………………………………………………………………………………….

• Respostas do Jornalista Leadro Quadros:

1. Ellen White, A Profetiza que não falhou parte 01, 02 e 03

2. Mais Mentiras e Desonestidade Intelectual Apresentadas pelo CACP e pelo ICP

3. Resposta ao Pastor Natanael Rinaldi, do Instituto Cristão de Pesquisas

4. Biografia de EGW relatada pela própria igreja e distorcida por Natanael Rinaldi.

5. Mais respostas ao pastor Natanael Rinaldi

6. Respostas ao pastor Helder Nozima, parte 01, parte 02, parte 03.

7. Os Críticos de Ellen White são Desinformados e Desatualizados – Parte 01

8. Os Críticos de Ellen White são Desinformados e Desatualizados – Parte 02

• Respostas do Adventismo em Foco

1. Um Bode para Jesus, e outro Bode paraAzazel

2. A Expiação de Jesus e a Expiação de Satanás

3. O que Realmente a Cristandade diz sobre a Lei e o Sábado

4. O Falso Lema Propaganda do CACP


 

• Respostas do Prof. Azenilto Brito

1. A Refinada “Educação” e “espírito cristão” de João Flavio “Apologeta” do CACP !

2. Sofisma ou Falácia? Devolvendo

3. Sofisma ou Falácia? Devolvendo a Pergunta II

4. 10 Perguntas a João Favio Martinez diretor do CACP

5. Nossa Réplica ao arrazoado do Vice-Diretor do CACP sobre sua defesa do domingo

6. Replicando a Doutrina da Vida após a Morte do CACP

7. Afinal que Sentido tem a Palavra “Alma”?

• Outras Réplicas

1. Desmascarando o CACP: O Verdadeiro Caráter do Centro Apologético Cristão de Pesquisas e do Instituto Cristão de Pesquisas ICP

2. CACP: E Sua Engenhosa Fábrica de Fabricar Mentiras Contra os Adventistas do Sétimo Dia

3. Refutando as “Observações” Totalmente Descontextualizadas de Natanael Rinaldi e João Flavio Martinez do CACP

4. Prof.João Flavio Martinez do CACP, vaziamente refuta 20 questões adventistas (Parte 01)

5. Prof.João Flavio Martinez do CACP, vaziamente refuta 20 questões adventistas (Parte 02)

6. 10 Perguntas que os Adventistas devem Responder (Respondidas)

7. CACP está entre os Piores Sites Apologéticos do Brasil

8. A “Qualidade” do CACP !

9. Flavio Martinez do CACP pego em flagrante MENTINDO !

Anúncios

74 respostas para Desmascarando o CACP

  1. Ivarli Lopes disse:

    Toda vez que vejo um absurdo desse, de alguem que perde um tempo para falar asneiras contra uma Profetiza de Deus, me sinto mas revigorado e firme de que estou no caminho certo, de outra forma, como o inimigo se preocuparia tanto em difamar alguém que só fez o bem para tantos?
    Talvez ele tenha mais interesse que, o evangelho do Reino de Deus não seja pregado, pois assim viria o fim e consequentimente o seu fim. Amigo Rinaldi diga não ao inimigo e volte para o Deus verdadeiro, aquele mesmo que ama você e que deu o Seu filho para morrer por nós, esse mesmo Deus inspirou uma mulher para falar o bem e fazer somente o bem, não tente destruir o bem, isso é coisa do inimigo e não de amigo, não se deixe enganar, procure ler a biblia e conhece-la, voce faria bem melhor a outras pessoas, em vez de ficar tentando destruir o que é bom, não julgue, o resto voce ja deve saber, se não, pesquisa na Biblia.
    Fique com Deus.

  2. Joana Olher da Silva disse:

    sou Adeventista do Sétimo Dia batizada há 28 anos, e no decorrer de todo este tempo enquanto Adventista fui atacada, ora por ensinar e defender os escritos de nossa Profetiza Ellen G.White, ora porque usava calças compridas, ora porque cortava os cabelos. Porque para os assembleianos na bíblia estava escrito que mulher não podia cortar os cabelos, e segundo eles na bíblia estava escrito também que a mulher não podia usar calças compridas.
    Pergunto agora aos assembleianos porque as mulheres assembleianas hoje podem usar calças compridas? Porque as mulheres assembleianas agoram podem cortar os cabelos?
    Eu mesmo lhes responderei, é que seus líderes tiveram que admitir diante de DEUS e dos homens que nós mulheres adventistas nunca desrespeitamos os escritos bíblicos, e que tais proibições do uso da calça comprida por mulheres assim como as mulheres cortarem o cabelo eram doutrinas de homens e não divina.
    E assim como durante décadas os líderes assembleianos se equivocaram sobre o que estava de fato escrito na bíblia e tiveram que admitir isto, espero que em breve admitam que a PROFETIZA ELLEN G. WHITE FOI INSPIRADA POR DEUS.
    Porque cortar ou não cortar os cabelos, usar ou não usar calças compridas não implicam em salvar-se ou não; mas não guardar os mandamentos de DEUS implica em perdição,
    Apoc. 14:12 “AQUI ESTÁ A PACIÊNCIA DOS SANTOS, OS QUE GUARDAM OS MANDAMENTOS DE DEUS E FÉ DE JESUS”.
    Que o Espirito Santo de Deus abra os nossos corações para que ouçamos a sua voz, antes que a porta da graça se feche.
    Que DEUS nos abençoe.

  3. Camila disse:

    Um artigo muito bom e útil, pois eu estava vendo alguns artigos do Rinaldi e encontrei uma apostilas com respostas para discutir com os adventistas!

    A volta de Jesus está cada dia mais próxima e as profecias estão se cumprindo rapidamentente. Notemos que Cristo nos alertou a respeito dos falsos profetas e o Rinaldi não passa de um deles, um homem sendo usado por Satanás, infelizmente.
    Devemos orar por ele e por todas as pessoas que estão sendo enganadas, que os olhos deles sejam abertos!

    Grande abraço a todos.

  4. Paz seja com todos em Cristo.

    Sinceramente. Os adventistas ainda não conseguiram ver quantos equivocos existem em EGW em relação a tal “doutrina do Santuário” e 2300 TM. Por que será? Talves porque é duro para eles enxergarem que 1844 continua deixando um rastro de decepção e equivoco como herança de Guilherme Muller no meio deles, somente que agora ninguem tem como ver com os olhos uma suposta “passagem de Jesus do SAnto Lugar para o Santissimo lá no céu”, sendo assim é mais facil de enganar. O livro de Hebreus é muito enfatico em dizer que Jesus como SUMO SACERDOTE já na sua ascenção entrou na presença de Deus (Shekinah) no Santissimo. E agora, devemos seguir a Biblia ou escritos de uma profetisa do Sec 19? Quanto a observância do 4º Mandamento o ´sabado, esta correto, sim os cristãos devem observá-lo, mas quem disse que isso é revelação exclusiva de Adventista esta muito equivocado, porque os genuinos cristãos bem antes de 1844 já pbservavam o sábado. Tem a questão também da Trindade que é muito comprometedora no meio adventista, pois tal dogma de Fé é tão herético como a observancia do domingo. A Trindade estabeleceu na igreja após a morte dos apostolos (Esses Batizavam em Nome de Jesus At 2:38). Tertuliano em 168DC foi quem pela primeira vez usou o termo latino Trinitade e depois no Concilio de Niceia a Mandato de Constantino I esta doutrina serviu para cimentar a aliança entre a Igreja Apostata e o imperio Romano e hoje muitas igrejas protestantes e inclusive o Adventismo após 1980 adotaram essa confissão de fé Católica conhecida por Trindade. Esta na hora dos adventistas despertarem para a verdade e separar a mentira da verdade.

  5. João Ubaldo disse:

    Um ano atrás, o sr. João Flávio Martinez, diretor do CACP, publicou o seguinte video no youtube, intitulado “Heresias”. Nesse video ele fala sobre o tema da salvação, comparando a Bíblia com o que supostamente ele diz se o ensino de outras denominções.

    Devido às distorções, foi feita um video-resposta que refutava completamente este docuemntário.

    Mas com uma tremenda cara-de-pau, este que se diz apologista ameaçou de processo ao irmão que colocou a resposta no youtube! Impressionante como o sr. Martinez quer de todo modo ter monopólio, não permitindo a livre expressão e o acesso de infromação! Se ele tem convicção do que está falando, por que se preocuparia com o video-resposta? Por que ele teria que ameaçar de processo o irmão que ousou se levantar contra o que ele diz? O que ele diz não está correto, segundo sua convicção? Então por que ele teve tanto medo?

    Porque sabe que está errado! Sabe que está distorcendo informações! Sabe que está mentindo sobre o ensinamento das outras denominações! Sabe só está criando preconceito nas pessoas! Sabe que está fazendo a obra de Satanás!

    Infelizmente a pessoa que fez o video-resposta teve que tirá-la do ar sob ameaça de ser processada. A resposta podia ser encontrada no seguinte endereço, o qual agora só aparece o anúncio de que o video foi removido:

    Mas a verdade não pode ser silenciada ou as próprias pedras clamarão!!! A verdade sempre prevalece, em nome de Jesus! Graças a Deus esse video não foi perdido! Foi recolocado no youtube por um irmão da Espanha, onde o CACP não pode usar da jurisdição para silenciar a verdade!

    Veja a resposta que refuta completamente o video “Heresias” do sr. João Fávio Mentirez no youtube:

    Agora quero ver essa informação sair do ar! Quero ver o CACP ameaçar de processo o cara lá na Espanha! rsrsrs

  6. Bastos disse:

    Para o apologetas do CACP o mais importante é a fonte de renda!

    Eles vivem de igreja em igreja fazendo palestras e estas custam CARO e além das palestras eles vendem livros e apostilas, tudo em nome de livrar os membros destas igrejas das seitas.

    Enquanto isso nossas igrejas, por eles denominadas de seitas, estão crescendo entre os incrédulos e somam constantemente conversos vindos dessas igrejas evangélicas pentecostais.

    Porque eles não conseguem nos deter?

    Porque crescemos e avançamos a obra no sentido de iluminar o mundo enquanto eles estão cada vez mais se voltando para dentro de si…

    Porque eles nâo fazem palestras para nâo cristãos?

    Não precisam responder, os fatos respondem e nos dão ganho de causa.

    Cada evangélico que vai a um desses institutos de apologia corre o sério risco de conhecer a verdade e se tornar adventista. Mesmo o mais humilde leitor pode perceber que há lobos em pele de ovelha nesse meio, e o que eles escrevem não condiz com o assim diz o Senhor.

  7. Elisa disse:

    Como ser um colaborador do CACP???
    Ajude o CACP a continuar pregando o evangelho aos adeptos das seitas… Precisamos de você…
    “Cada Um contribua segundo propôs no seu Coração” II COR. 9:7

    Para contribuir é muito fácil – clique em um dos valores abaixo e gere o Boleto Bancário para pagar em qualquer agência até o vencimento:

    Para contribuir com R$ 30,00 (Trinta Reais) Clique aqui para Imprimir o Boleto

    Para contribuir com R$ 50,00 (Cinqüenta Reais)

    Clique aqui para Imprimir o Boleto

    eles me enviaram um email dizendo exatamente isso.

    tem esperto que vende , e tem tolo que compra…
    fazer o que né!

  8. Evanildo Carvalho disse:

    Estes mentirosos mandaram-me um email muito mau educado em nome de Dalton Gerty, q disse que os adventistas não são irmãos da igreja.

    Quando os irmãos evangélicos viram que não poderiam resistir criaram esse “instituto” que, longe de pregar a Palavra se dedica a atacar os asd…

    Interessante: Para se manterem, O CACP dão pálestras atacando a crença alheia!!!

    Seus hipócritas, vocês estão mercadejando a Palavra!!!!

    Desafio qualquer um desse instituto a sentar-se ao meu lado e estudarmos a Palavra. Atacar pela net é facil! Tecla de computador não revida!!!!!!

  9. Lucas Marin disse:

    Sinceramente, não sei qual é a “ofensa” mal educada na qual se refere…
    Eu por exemplo, penso ter debatido educadamente, mas mesmo assim meu comentário foi ignorado.
    Não tenho nenhuma ligação direta com o CACP, nem ao menos gastei algum centavo com eles.

    Mas, vejo que há pessoas, tanto em comentários, como em trechos da Bíblia (Palavra de Deus), indo além do que está escrito.

    1 Coríntios 4:6 E eu, irmãos, apliquei essas coisas, por semelhança, a mim e a Apolo, por amor de vós, para que, em nós, aprendais a não ir além do que está escrito, não vos ensoberbecendo a favor de um contra outro.

    Se humilhar é dificil, aceitar que foi contra os princípios da Palavra de Deus, masi ainda;
    Por isso tento me analisar e analisar os que amo em verdade, para ver se estamos ainda de acordo com a genuína Palavra de Deus e o Verdadeiro Evangelho de Cristo, que nos foi deixado, para que não nos desviemos e entremos por caminhos estranhos a Palavra de Deus, que, por contrariar a Palavra de Deus, acabam por contrariar a natureza do próprio Deus e, por conseguinte, negar a Deus!

    Toda honra e glória pertence a Deus e quem tenta conscientemente tomar glória para si, se auto entitulando o “profeta mais excelente”, ou o “sucessor de Cristo”, ou algo do tipo que foque honra e glória a um homem ou aos homens, certamente não é amigo de Deus, nem demonstra amor a Deus, amando-o sobre todas as coisas, tornando também impossível o amor verdadeiro ao próximo.

    O verdadeiro profeta não contradiz a Cristo, nem tampouco intenciona tomar glória para si e, se assim o faz, é digno de repreensão e precisa de arrependimento, pois perverte o sentido para o qual Deus o chamou: glorificação do Evangelho de Cristo.
    Se ainda outro Evangelho for anunciado, seja por quem for, que difere do Evangelho de Cristo, mesmo que tenha “pontos em comum”, os pontos em que difere causa estranhesa e traz a confusão e a não glória de Cristo.

    O Senhor não mudou a natureza de suas Palavras, ainda são as mesmas!
    É difícil eu pretender adicionar escritos meu a Palavra de Deus, como que o que eu escrevesse, mesmo inspirado por Deus, fosse equivalente ao que foi deixado pelos apóstolos inspirados por Deus. Mesmo que isso fosse possível, de forma alguma meus escritos poderiam contrariar a natureza da Palavra inspirada por Deus, natureza da Palavra de Deus encontrada na Bíblia, e que visa a glória de Deus e a edificação da Igreja e não a glória de homens.

    A Paz do Senhor Jesus esteja convosco!

  10. Lucas Marin disse:

    Obrigado pela justificativa e educação.
    Qual os fatos, em sua visão, provenientes da previsão da volta de Cristo, segundo o que é conhecido tradicionalmente como de autoria de Ellen White (não lembro o ano)? Ellen chegou a se deculpar pelo equívoco? Como foi isso?

    Grato pela atenção!

  11. ASDBRASIL disse:

    Evanildo,

    Acho que o ponto em comum entre CACP e seus adeptos é justamente a falta de educação e grosserias.

    Tanto que já recebi neste blog comentários “impublicáveis” dos adeptos da “seita” CACP…ou seja, tais comentários estavam repletos de ofensas e palavrões.

    Por esta razão, não abrimos mais neste blog espaço para os seguidores CACPetistas se manifestarem..justamente pela má educação e falta de espírito cristão dos mesmos.

  12. Lucas Marin disse:

    A Igreja Adventista possui ou tem casos de batismo no Espírito Santo, falam “línguas estranhas” (termo mais conhecido)? Existem dons do Espírito Santo como : dom de variedade de línguas, dom de interpretação, dom de profecia (Palavra diretamente entregue por Deus através do mensageiro/profeta usado pelo Espírito Santo) e outros dons espirituais? Qual a opinião a respeito?

    Só a título de curiosidade, sem ofensas ou tendências…

  13. ASDBRASIL disse:

    Olá Lucas,

    Recebemos diariamente neste tópico comentários repletamente destituídos do espírito cristão, ofensas e palaverados chulos dos adeptos do CACP.

    Por esta razão, não aceitaremos mais neste espaço comentários dos adeptos deste centro apologético que prega o ódio e o preconceito religioso. Sejam agora os comentários educados ou não. Sempre estivemos abertos a críticas e zelamos pela liberdade de manifestações de idéias, mesmo que contrárias as nossas crenças…Coisa que não acontece ao inverso, pois o CACP, não publica os inúmeros textos que os adventistas encaminham em réplica aos artigos por eles escritos. Ou seja a nós não é dado o direito a réplicas, pois temem que nossa réplica abra os olhops as pessoas. Também aqui neste espaço, não daremos mais liberdade a quem quer que seja atacar nossa fé.

    Nós adventistas do sétimo dia, temos nossa consciência tranquila, pois ao contrário dos que afirmam sem conhecimento de causa os que julgam conhecer nossa religião mais do que nós mesmos, afirmando que nós colocamos os escritos de Ellen White acima da Bíblia, nós afirmamos que isso não é verdade.

    Embora Ellen White afirmasse ser inspirada, nunca declarou que seus escritos tinham a mesma função das Escrituras.

    De fato, durante todos os longos anos de seu ministério, nunca deixou de afirmar ser a Bíblia sua única fonte de crença e orientação para a vida cristã; ela via seus escritos como um guia, ou uma “luz menor” para ajudar as pessoas a compreenderem o valor das verdades bíblicas. Em seu primeiro livro, publicado em 1851, ela escreveu esse comentário importante:

    “Recomendo-vos, caro leitor, a Palavra de Deus como regra de vossa fé e prática. Por essa Palavra seremos julgados. Nela, Deus prometeu dar visões nos ‘últimos dias’ [referindo-se ao seu ministério profético]; não para uma nova regra de fé, mas para conforto do Seu povo e para corrigir os que se desviam da verdade bíblica.”

    Em 1911, ela esclareceu ainda mais a relação entre seus escritos e a Bíblia: “O Espírito [referindo-se aos dons espirituais dados à igreja e, em particular, ao dom de profecia a ela concedido] não foi dado – nem nunca o poderia ser – a fim de sobrepor-Se à Escritura; pois esta explicitamente declara ser ela mesma a norma pela qual todo ensino e experiência devem ser aferidos.”

    Em 1874, um dos pioneiros de nossa igreja, George I. Butler, resumiu sua compreensão sobre o assunto, num artigo da The Advent Review and Sabbath Herald (Revista Adventista e Arauto do Sábado). Ele declarou: “Eles [os escritos de Ellen White] nos conduzem às Escrituras como a grande fonte de instrução verdadeira e ao exemplo de Cristo como o padrão verdadeiro. Eles nunca pretenderam tomar o lugar da Bíblia, mas, simplesmente, ser um dos dons espirituais dados à igreja por seu divino Senhor e como tal, deve ter seu próprio valor.”

    Os adventistas do sétimo dia hoje continuam a ser grandemente beneficiados pelos escritos de Ellen White como fonte de conselhos inspirados para o viver diário no tempo do fim, e por seu convite, para fazer da Bíblia a única fonte de nossas crenças cristãs.

    Mais uma vez retifico, neste espaço não mais permitiremos, pelos motivos supracitados nenhum comentário contra nossa fé. Este é um espaço de réplica aos artigos repletos de ódio religioso escritos pelo CACP contra os adventistas do sétimo dia, uma vez que os mesmos “apologetas” não nos dão o direito a réplica no site deles. Utilizamos este espaço para publicar nossas réplicas.

    Que a graça de Jesus, o amor de Deus o Pai e a comunhão do Espírito habite em todos nós !

  14. ASDBRASIL disse:

    Olá Lucas,
    Vc se refere ao desapontamento de 1844.

    Nossos oponentes fazem desesperados esforços para mostrar que alguns grandes erros e equívocos estavam ligados à obra após a passagem de 1844, esperando assim
    arruinar a crença adventista. Já houve mais tinta gasta neste assunto em seus vãos esforços do que quase em qualquer outro.

    Queres ler críticas sobre isso..vá aos sites do CACP, ICP e muitos outros na internet…Falam bobagens, descontextualizam textos..fazem uma repleta balbúrdia na gana de desmascarar o movimento adventista e taxar-nos de SEITA.

    Não foi de ELLEN WHITE ao contrário do que MUITOS erroneamente afirmam por aí a mensagem para a volta de Cristo em 1844…Mas de Guilherme Miller !

    A IGREJA ADVENTISTA DO 7º DIA surgiu após o desapontamento de 1844. É absurdo chamar o povo de 1844 de adventistas do sétimo dia, visto q nem sonhavam em guardar o sábado, entre outras doutrinas, e pertenciam a várias denominações diferentes. Os próprios reformadores cometeram uma série de equivocos no processo da reforma. Com os precursores não seria diferente.

    Aconselho antes de sairem por aí dizendo que foi Ellen White quem profetizou a volta de Cristo em 1844 que se informem melhor a respeito. Miller marcou uma data para a volta de Cristo. Quando a data passou, muita gente desistiu da fé. Outros reavivaram seu interesse por profecia e fundaram o adventismo. Ou seja, Miller não foi um dos fundadores mas contribuiu para o surgimento do movimento.

    Saiba mais sobre o movimento Milerita assistindo a esses dois vídeos:

    O Movimento Milerita – Parte – 1 / 2

    O Movimento Milerita – Parte – 2 / 2

    A ênfase da doutrina adventista é o retorno de Jesus Cristo e sua missão é a pregação dessa mensagem a todo o mundo.

    Para saber mais sobre 1844 e quem na realidade estava lá quando Ele não veio acesse o link.

    http://www.osantuario.com.br/ano1844.php

    Fique com Deus !

  15. ASDBRASIL disse:

    Olá Lucas..

    não não cremos nesse dom de linguas do tipo “siricantalanas bandas” !

    A resposta para sua pergunta encontra-se neste link:

    https://setimodia.wordpress.com/2008/06/15/batismo-e-dons-do-espirito/

    Caso tenha dúvidas sobre nossas doutrinas, mantemos um site chamado adventismo em foco, com uma sessão para os internautas perguntarem o que quiserem sobre nossas doutrinas ou quaisquer dúvidas bíblicas.

    Portanto, qualquer dúvida ou crítica que tiver com relação a doutrina adventista, favor acessar:

    http://adventismoemfoco.wordpress.com/pergunte-aqui/

    Deus o abençoe !

  16. Evanildo disse:

    Puxa, não seria tão importante se todos os oponentes do adventismo se portassem como o Lucas, que, ao invés de xingar, ofender, caluniar etc se limitrasse a, com espírito de cristão verdadeiro e servo de Deus, questionasse, perguntasse, e assentasse, perguntando,criticando se for o caso, mas permitindo que o indagado pudesse responder com liberdade, se desarmando… Apesar de tudo, as pessoas tem o direito de questionar, mas também prescisam ter a percepção de ouvir. Cada um professa a religião que quiser, mas ao se questionar a fé de outra vertente, o cristão, principalmente, necessita basear-se no exemplo de Jesus.
    O mau exemplo deixado pelo CACP, ICP e congêneres é motivo de vergonha para todos os irmãos pentecostais, que, diga-se de passagem, estão, aos poucos, sendo doutrinados para este tipo de abordagem. Tenho família pentecostal e transit constantemente entre eles. Sei do que estou falando!!!!!

  17. Aderaldo disse:

    Esses membros do cacp critica os adventista mas quando perguntados,dão umas respostas vazias ou muitas vezes, não respondem nada …desistem e saem sem responder nada.

  18. Saulo disse:

    Esse pessoal do CACP são meramente vendedores de apostilas. Querem ser os donos da verdade. Coitados

  19. JORGE disse:

    conversei via telefone com o pastor João Flavio do CACP e o mesmo me informou a fonte de sua afirmação, “A salvação das almas dependem dos escritos de EGW”.
    Primeiros Escritos, pag 258. Dê uma olhada e nos confirme se tal declaração existe ou se foi deturpada intencionalmente pelo pastor João Flávio.

    Grato,

    Jorge.

  20. Seventh Day disse:

    Olá Jorge,

    O João Flavio Martinez é completamente ignorante com relação ao que escreve sobre os adventistas. Por essa mesma razão , não publica as muitas respostas enviadas pelos adventistas em resposta as mentiras que maldosamente inventa.

    Essa frase que ele citou simplesmente NÃO EXISTE no livro de EGW. EGW nunca afirmou isso em nenhum de seus escritos…mas antes afirmou categoricamente como eu já havia respondido anteriormente ao Lucas em resposta anterior, neste mesmo fórum.

    Em seu primeiro livro, publicado em 1851, ela escreveu esse comentário importante:

    “Recomendo-vos, caro leitor, a Palavra de Deus como regra de vossa fé e prática. Por essa Palavra seremos julgados. Nela, Deus prometeu dar visões nos ‘últimos dias’ [referindo-se ao seu ministério profético]; não para uma nova regra de fé, mas para conforto do Seu povo e para corrigir os que se desviam da verdade bíblica.”

    Em 1911, ela esclareceu ainda mais a relação entre seus escritos e a Bíblia: “O Espírito [referindo-se aos dons espirituais dados à igreja e, em particular, ao dom de profecia a ela concedido] não foi dado – nem nunca o poderia ser – a fim de sobrepor-Se à Escritura; pois esta explicitamente declara ser ela mesma a norma pela qual todo ensino e experiência devem ser aferidos.”

    Em 1874, um dos pioneiros de nossa igreja, George I. Butler, resumiu sua compreensão sobre o assunto, num artigo da The Advent Review and Sabbath Herald (Revista Adventista e Arauto do Sábado). Ele declarou: “Eles [os escritos de Ellen White] nos conduzem às Escrituras como a grande fonte de instrução verdadeira e ao exemplo de Cristo como o padrão verdadeiro. Eles nunca pretenderam tomar o lugar da Bíblia, mas, simplesmente, ser um dos dons espirituais dados à igreja por seu divino Senhor e como tal, deve ter seu próprio valor.”

    Talvez você não tenha lido as respostas neste fórum dada ao Lucas com os textos que citei logo acima, e por isso tenha telefonado ao Sr. Martinez.

    Bom, vamos tentar entender o que uma mente perturbada e nutrida por um ódio que vem do pai da mentira, a saber Satanás, tenta fazer para enganar e levar muitas pessoas atrás de seus devaneios.

    A frase que ele citou a sua maneira MENTIROSA, ele tirou deste parágrafo do Livro Primeiros escritos de EGW pág 258.

    “Foram-me mostrados três degraus — a primeira, a segunda e a terceira mensagens angélicas. Disse o meu anjo assistente: ‘Ai de quem mover um bloco ou mexer num alfinete dessas mensagens. A verdadeira compreensão dessas mensagens é de vital importância. O destino das almas depende da maneira em que são elas recebidas.’ De novo fui conduzida às três mensagens angélicas, e vi a que alto preço havia o povo de Deus adquirido a sua experiência.” —Primeiros Escritos, págs. 258 e 259.

    O Texto acima se refere a visões que ela teve das três mensagens angélicas contidas no livro de Apocalipse…se você não sabe, o livro de Apocalipse, contém três mensagens angélicas para a Humanidade. Quando EGW diz que nenhum alfinete deve ser movido dessas mensagens, se refere as 3 mensagens angélicas de Apocalipse e NÃO DE SEUS ESCRITOS, como MALICIOSAMENTE, PERVERSAMENTE o sr João Flavio Martinez do CACP tenta fazer as pessoas crerem. O destino das almas das pessoas, ou seja, salvação ou perdição, depende da maneira como as pessoas aceitam ou não as mensagens de Deus contidas na BÍBLIA SAGRADA.

    Quer saber quais são as TRÊS MENSAGENS ANGÉLICAS? Leia apocalipse 14:6-13…

    Fique com Deus !

  21. Sou ex membro da Assembléia de Deus, e estou conhecendo a igreja adventista do sétimo dia através de um amigo do trabalho. Tenho estudado a bíblia com ele, e estou muito satisfeito, pois coisas wue antes eu não compreendia agora são claras como a luz do sol. Porém gostaria de saber sobre as acusações de plágio contra Ellen White q li no site CACP, se são verdadeiras.
    Muito obrigado,
    Julio Cesar

  22. Seventh Day disse:

    Olá Julio Cesar,

    Como eu costumo dizer, praticamente TODAS as acusações que são feitas contra os Adventistas e suas crenças já foram amplamente respondidas.

    Por falta de interesse, má fé ou preconceito cego, alguns preferem ignorar esta realidade e continuar “batendo nas mesmas teclas” de sempre. A Revista Adventista, a Lição da Escola Sabatina, as publicações doutrinárias oficiais, os sites mantidos pela Organização, etc., estão abarrotados de esclarecimentos sobre os diversos pontos controversos da fé Adventista. Só não vê quem não quer…

    Um dos já surrados questionamentos que vez ou outra retorna à baila é o que diz que Ellen White usou textos de outros autores para preparar suas obras, o que caracterizaria a prática de PLÁGIO por parte dela.

    Até que ponto isto é verdade?

    Vejamos o que pode ser facilmente encontrado no site oficial do Centro White aqui do Brasil (está vendo como praticamente TUDO já foi amplamente respondido?!)…

    Ellen White frequentemente fazia uso de fontes literárias para comunicar suas mensagens. Na Introdução de um dos seus livros mais populares ela escreveu:

    “Em alguns casos em que algum historiador agrupou os fatos de tal modo a proporcionar, em breve, uma visão compreensiva do assunto, ou resumiu convenientemente os pormenores, suas palavras foram citadas textualmente; nalguns outros casos, porém, não se nomeou o autor, visto como as transcrições não são feitas com o propósito de citar aquele escritor como autoridade, mas porque sua declaração provê uma apresentação do assunto, pronta e positiva. Narrando a experiência e perspectivas dos que levam avante a obra da Reforma em nosso próprio tempo, fez-se uso semelhante de suas obras publicadas” (O Grande Conflito, pp. 13 e 14).

    O uso de outros autores por Ellen White não era limitado a material histórico ou geográfico, mas incluía outras áreas de conhecimento. As pesquisas verificaram que ela enriquecia seus escritos com expressões colhidas de suas leituras de maneira mais extensa do que se tinha conhecimento, embora o total que foi documentado até o momento é uma pequena porcentagem (menos de 2 por cento) quando comparado com sua produção literária total.

    Em 1980 [ou seja, há quase 30 anos a Igreja já respondia a estas acusações] o Dr. Fred Veltman , naquela época diretor do Departamento de Religião do Pacific Union College, empreendeu uma análise detalhada do uso de fontes literárias por Ellen White em seu livro O Desejado de Todas as Nações , um estudo que levou oito anos para ser completado. As cópias do relatório completo de 2.561 páginas foram distribuídas às bibliotecas das faculdades e universidades adventistas em todo o mundo. O relatório completo, incluindo seu sumário de 100 páginas, também está disponível on-line no website dos Arquivos da Associação Geral. Procure “Life of Christ Research Project” dentro de “Categories” no link http://archives.gc.adventist.org/ast/archives. [clique aqui]

    Os críticos acusaram Ellen White de plágio porque ela incluiu tais seleções de outros autores em seus escritos. Mas o mero uso da linguagem de outro não constitui roubo literário, como observou o advogado Vincent L. Ramik , especialista em casos envolvendo patente, marca registrada, e direitos autorais. Depois de pesquisar cerca de 1.000 casos sobre direitos autorais na história da justiça americana, Ramik escreveu um parecer legal de 27 páginas no qual ele concluiu que “Ellen White não foi uma plagiarista, e seus trabalhos não constituíram infração de direitos autorais/pirataria”. Ramik salienta vários fatores que os críticos dos escritos de Ellen White deixaram de levar em consideração ao acusá-la de roubo ou fraude literária.

    1) As citações escolhidas por ela “permaneceram dentro dos limites legais de ‘uso legítimo'”.

    2) “Ellen White usou os escritos de outros; mas da maneira em que ela os usou, ela os tornou singularmente seus” – adaptando as citações a sua própria estrutura literária.

    3) Ellen White insistia com seus leitores que adquirissem alguns dos próprios livros dos quais ela fez uso – demonstrando que ela não tentou ocultar o fato de ter usado fontes literárias, e que ela não teve intenção de defraudar ou suplantar as obras de qualquer outro autor.

    Ellen White “não copiou por atacado nem indiscriminadamente. O que ela selecionou ou não selecionou, e como alterou o que selecionou” revela que ela usou fontes literárias para “ampliar ou declarar mais energicamente seus próprios temas transcendentes; ela foi mestra, e não escrava, de suas fontes” (Herbert E. Douglas, Mensageira do Senhor, p. 461).

    Fonte: Centro White

    Mais Informações:

    Artigo da Revista Adventista, Junho 1982
    Artigo de William Fagal, Diretor do White Estate na Andrews University

    “… Crede no SENHOR, vosso Deus, e estareis seguros; crede nos Seus profetas e prosperareis” (2Crôn. 20:20).

    Para mim, este é o maior argumento em favor do ministério de Ellen White, pois a partir do momento em que passaram a dar “crença” ao seus escritos, a Igreja prosperou assustadoramente, e os que dão ouvidos às divinas orientações também prosperam!

    Deus o abençoe !

  23. Matheus disse:

    CACP são os PIORES !

    Só sabem proliferar ódio e preconceito baseados em argumentos pobres e MENTIROSOS !

    O que o CACP desconhece, ou prefere omitir é que destacados eruditos evangélicos têm reconhecido a Igreja Adventista do Sétimo Dia como uma denominação genuinamente cristã.

    Podem ser mencionados, por exemplo, o presbiteriano Donald G. Barnhouse, o batista Walter R. Martin e o anglicano Geoffrey J. Paxton. Também o “Relatório das Conversações Bilaterais entre a Federação Mundial Luterana e a Igreja Adventista do Sétimo Dia”, ocorridas entre 1994 e 1998, sugere que os luteranos “não tratem a Igreja Adventista do Sétimo Dia como uma seita, mas como uma igreja livre e uma comunhão mundial cristã”.

    Mas, a despeito disso, evangélicos brasileiros de tendência fundamentalista continuam insistindo que os adventistas devem ser considerados uma “seita” herética e não cristã.

    O termo “seita” é geralmente um rótulo apologético e pejorativo, usado por líderes religiosos como um mecanismo de autodefesa, destinado a inibir as pessoas de se relacionarem com pretensos hereges. Em relação aos adventistas, diferentes justificativas têm sido sugeridas para considerá-los como sectários. Uma das mais comuns é a alegação de que os adventistas advogam algumas doutrinas distintivas (como a observância do sábado, a inconsciência dos mortos, a destruição final dos ímpios, o juízo investigativo pré-advento) não compartilhadas pela maioria dos cristãos.

    Por trás dessa alegação está a teoria de que uma doutrina, para ser verdadeira, deve ser aceita pelo consenso da maioria dos cristãos, especialmente dos evangélicos. Embora devamos respeitar a opinião de outros, pois “na multidão de conselheiros há segurança” (Pv 11:14; ver 15:22), nem sempre a maioria está correta. Mais importante do que um mero consenso doutrinário é certificarmo-nos de que as doutrinas que advogamos são realmente bíblicas. Toda vez que o consenso da maioria se opõe ao claro ensinamento bíblico, o cristão deve assumir a postura apostólica de que “antes, importa obedecer a Deus do que aos homens” (At 5:29).

    A simples alegação de que determinado grupo de professos cristãos deva ser considerado como “seita” não significa muito, pois até mesmo os primeiros cristãos foram considerados pelos judeus como uma “seita” (Atos 24:14: “Mas confesso-te isto que, conforme aquele caminho que chamam SEITA, assim sirvo ao Deus de nossos pais, crendo tudo quanto está escrito na LEI e nos profetas”. e Atos 28:22 : “No entanto bem quiséramos ouvir de ti o que sentes; porque, quanto a esta SEITA, notório nos é que em toda a parte se fala contra ela”.).

    A questão básica não é tanto saber o que os apologetas modernos dizem, de forma preconceituosa, a respeito das “seitas”, mas o que diz a própria Bíblia sobre os ensinos desses grupos religiosos (ver Mateus 7:21-23: “Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus.Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitas maravilhas?E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniqüidade”.).

    Em relação aos adventistas, o melhor seria consultar a sua mais importante e representativa exposição doutrinária, encontrada na obra Nisto Cremos: 27 Ensinos Bíblicos dos Adventistas do Sétimo Dia (Tatuí, SP: Casa Publicadora Brasileira, 1989), e analisar criticamente os seus ensinos à luz da Bíblia.

    À semelhança dos bereanos, devemos sempre examinar as Escrituras “para ver se as coisas” são realmente como as pessoas alegam ser (At 17:11: “Ora, estes foram mais nobres do que os que estavam em Tessalônica, porque de bom grado receberam a palavra, examinando cada dia nas Escrituras se estas coisas eram assim”).

  24. CARLOS FERNANDES disse:

    Há alguns anos atrás um Pastor Batista me convidou para provar a ele que o Sábado ainda estava em vigor e fizemos uma reunião na casa de um irmão adventista de quem o Pr. era muito amigo. Percebi que a sua intenção era provar para aquela familia que ele gostava muito que eles estavam errados. Pois sim, fomos e eu pedi a ele que abrisse o estudo fazendo a oração(ele se espantou) pois disse que achava que os adventistas eram grosseiros e jamais deixariam ele orar, pois bem, continuamos e quando comecei a citar textos do velho testamento sobre o sábado ele me parou e disse que aqueles textos NÃO SERVIAM pois o Velho testamento não tem mais validade para doutrina alguma na atualidade. Pensei: E agora? Senti que o Espírito me conduziu a partir dali, mostrei a ele ISAIAS 40:8, e dai vários textos foram aparecendo em minha mente(não tinha programado fora o sabado) e apresentei a ele Joao 17:17 e mostrei que Jesus chamou a palavra de Deus de VERDADE e disse-lhe que naquele momento NÃO existia NOVO TESTAMENTO…e que quando Paulo escreveu aos Gálatas dizendo que mesmo que um anjo descesse do céu para anunciar outro evangelho, também ainda NÃO HAVIA O NOVO TESTAMENTO…estavam falando do Velho Testamento…
    Depois de muitos textos…ele me parou e disse: ” Certo! Pode parar já me convenci quanto a veracidade e validade do Velho Testamento”… e me pediu para falar do sábado.
    Quando terminei ele me disse que estava certo que ” nada podemos contra a verdade senão em favor da verdade” e fizemos juntos uma oração e ele saiu um pouco desapontado e me perguntou: ” Mas meu ministério foi profetizado por uma irmã e aconteceu, o que poderia fazer agora?” Disse-lhe que estava em suas mãos…ele foi embora…
    Queridos são muitos os lobos devoradores enganando as Igrejas…eu disse aquele Pastor…: “Cuidado! Você estará pregando para milhares de pessoas! Pregue a VERDADE!!!”

    Que Deus possa abençoar a todos que não entendem o Adventistmo…eu mesmo era Assembleiano e expulsei de minha casa um jovem amigo que desejava dar estudos biblicos…hoje ele é Pastor, Pastor Amorim e sempre se alegra de me ver quando ficamos juntos nos cultos…

    Deus quer iluminar a todos, pois a mensagem final fala que nós devemos levar a VERDADE para todos…

    Um abraço em Cristo.

  25. Nobres irmãos a paz esteja convosco, eu admirei muito o trabalho vosso, em refutar a verdade com histórias, eu gostaria de debater com o caro irmão CARLOS FERNANDES, no forum de um dos nossos irmãos adventistas e todos que tem a luz divina, vão lá e vejamos qual é a verdade absoluta da bíblia sagrada.
    http//adventista.forumbrasil.net

    Deus seja louvado.

  26. hebert disse:

    gostaria de uma explicaçao de vcs a respeito do versículo 11 do segundo cap. do livro de Oséias. ,muito obrigado! fique na paz.

  27. Seventh Day disse:

    Caro Irmão Hebert,

    Diz Oséias 2:11: “Farei cessar todo o seu gozo, as suas Festas de Lua Nova, os seus sábados e todas as suas solenidades”. Deus não estava abolindo a guarda do Sábado, dia que Ele estabeleceu para que santificássemos (Êxodo 20:8-11). Certa vez o profeta Neemias repreendeu os israelitas por não guardarem o Sábado (Neemias 13:17) e por ordem de Deus restabeleceu a guarda do mesmo (Neemias 10:31; Neemias 13:15-22). Como Deus iria abolir o sábado, se Ele mesmo pediu para que o povo fosse instruído a santificar este dia? Para entender este texto de Oséias, vamos usar outro que algumas pessoas também tem deturpado o sentido: Isaías 1:13. “Não continueis a trazer ofertas vãs; o incenso é para mim abominação, e também as Festas da Lua Nova, os sábados, e a convocação das congregações; não posso suportar iniqüidade associada ao ajuntamento solene”. (Isaías 1:13). Existe uma ciência responsável pela interpretação do versículo Bíblico, chamada de “Hermenêutica”, que estabeleceu alguns princípios para a interpretação dos textos, e um deles é examinar o “Contexto Externo” e o “Contexto Interno”. Analisar o “contexto externo” seria analisar o que o autor queria dizer, quando escreveu a quem escreveu e o porque escreveu. “Contexto interno” seria ler os versos que vem antes e depois do texto que queremos estudar. Portanto, não devemos tirar conclusões precipitadas sem analisar o contexto do verso, pois estaríamos forçando a Bíblia a dizer o que “não disse”. Em Isaías diz: “Não continueis a trazer ofertas vãs; o incenso para mim é abominação, e também as ofertas de lua nova, os sábados, e a convocação das congregações; não posso suportar a iniqüidade “associada” ao ajuntamento solene”. Aqui, Deus não está dizendo que iria abolir este mandamento ou que o povo de Israel não tinha mais espírito religioso por observar o Sábado. O Senhor está dizendo apenas que não suportava mais ver eles “MISTURAREM” a guarda do Sábado (neste texto mais especificamente os dias sagrados) com a iniqüidade, assim como ele não toleraria a guarda de qualquer outro mandamento, se estivesse associado ao pecado. Para Deus, não basta obedecer apenas “exteriormente”, mas sim de “coração” como é ordenado no Novo Concerto. (Jeremias 31:33; Hebreus 8:10). Nossa vida deve ser repleta de boas obras demonstrando, assim, uma verdadeira conversão. A reclamação de Deus não era jamais por eles guardarem o Sábado, pois o próprio criador lhes deu esta ordem! (Êxodo 31:13), mas sim por misturarem os mandamentos de Deus com a iniqüidade que praticavam! (examinando o contexto, você poderá ver que a iniqüidade praticada pelo povo era: idolatria, bebedices e muita maldade – Ver capítulo 2, 5, 8, etc.) Com o verso de Oséias é mesma coisa. Deus não estava abolindo a guarda do Sábado, mas dizendo que iria fazer cessar as festividades do povo de Israel, seus sábados cerimoniais, porque eles estavam desobedecendo a Deus. Se lermos um pouco mais abaixo do verso, veremos que povo estava queimando incenso aos baalins (verso 13); o povo estava sendo infiel, adorando outros deuses. Ao dizer que iria “cessar o gozo e os Sábados”, Deus estava profetizando que iria permitir que o castigo viesse a eles, ou seja, iriam ser escravizados e não mais poderiam comemorar suas festas. Deus não estava falando que o Sábado não era mais importante. Ele apenas estava falando que devido aos muitos pecados do “povo que guardava o Sábado”, esse povo não continuaria mais a existir como nação!! Deus faria cessar as festas que ocorriam nos Sábados festivos da nação, porque a nação tinha pecado muito, e seriam levados para o cativeiro. É algo parecido com uma diretora que avisou aos alunos bagunceiros que iria cancelar os jogos de futebol, porque eles estavam fazendo muita bagunça. Claramente pode ser visto que o problema não estava no jogo de bola, em si mesmo, mas nas atitudes irresponsáveis dos alunos. Assim também Deus avisou através do profeta Oséias que as festividades do povo Judeu teriam um fim (não para sempre, mas temporariamente) até que eles mudassem de procedimento e parassem de viver “na igreja” mas praticando todo tipo de pecado.

    Fique com Deus !

  28. hebert disse:

    Gostaria de saber se vcs , se somente os adventistas vão para o céu?

  29. Seventh Day disse:

    Hebert,

    Sua pergunta é totalmente falaciosa e imbuída de de uma falsa impressão a respeito dos adventistas. A porta para o céu é estreita, engana-se e muito os que pensam o contrário, e saem pregando que haverá salvação sem obediência. Jesus mesmo nos disse, quem o ama guarda seus mandamentos, está você fazendo a vontade dEle?

  30. Seventh Day disse:

    A Propósito Hebert,

    Vc nos pediu explicações sobre Oséias 2:11, o qual nos prontificamos em explicar-lhe aqui mesmo. Resta alguma dúvida ainda?

    Att.

  31. hebert disse:

    porque ja vem com pedras nas mãos ? me respondendo com ironia, sei que se eu perguntar para outros eles tambem me responderão puxando para o lado deles ,perguntei a respeito da salvação, porque tenho um amigo adventista e ele me disse que não.Que tambem outros vão, só que eu não entrei em detalhes com ele por isso eu perguntei para vcs .Eu sou um amante de conhecer tudo o que se refere aDeus . te agradeço por ter respondido as minhas perguntas e fique na paz do Senhor Jesus .Amem!!!

  32. hebert disse:

    Meu amado irmão ,gostaria de saber a sua visão a respeito de: COL.2. :eu entendi que em Oséiasfoi uma profecia ,e tambem que os sabados citados não são dias de festas pois tambem dias de festas são citados separadamente. Obrigado .

  33. Seventh Day disse:

    strong>Olá Hebert,
    Desculpe-me, mas a ironia costumaz não vem da parte de nós adventistas. Você qdo perguntou se somente os adventistas seriam salvos, usou, “talvez” mesmo que sem a intenção, da ironia de praxe dos nossos opositores, querendo dizer que somente os que guardam a Lei serão salvos, não ensinamos isso, guardamos os 10 mandamentos pois em nenhum lugar das escrituras nos foi autorizado quebrarmos ou abolirmos qualquer um deles, temos prazer em obedecer Aquele que nos criou.

  34. Seventh Day disse:

    Olá Hebert,

    Segue conforme solicitado a explicação de Colossenses 2…

    Colossenses 2
    14 tendo cancelado o escrito de dívida, que era contra nós e que constava de ordenanças, o qual nos era prejudicial, removeu-o inteiramente, encravando-o na cruz;
    15 e, despojando os principados e as potestades, publicamente os expôs ao desprezo, triunfando deles na cruz.
    16 Ninguém, pois, vos julgue por causa de comida e bebida, ou dia de festa, ou lua nova, ou sábados,
    17 porque tudo isso tem sido sombra das coisas que haviam de vir; porém o corpo é de Cristo.

    A incompreensão tão comum do sentido do texto de Col. 2:14-17, empregado como verdadeiro “samba anti-sabático de uma nota só” por tantos anti-sabatistas é a falha de considerar a contextuação da passagem porque infelizmente as pessoas preconceituosas vão à Bíblia já com seus pressupostos definidos, em lugar de irem à Palavra de Deus com mente aberta para captar dela a real intenção do seu ensino à luz da contextuação histórica e literária. Como diz aquele dito comum entre crentes, “um texto fora do contexto é puro pretexto”. Essa declaração se aplica como uma luva nas interpretações que comumente se dão a tal texto, como se verá na exposição abaixo:

    PENSAMENTO-CHAVE: “Os anti-sabatistas são muito bons na obra de DESTRUIR, mas nada de melhor têm para oferecer no lugar da coisa destruída”.

    O primeiro problema nesse tópico [que trata do texto de Col. 2:14-17 com o intuito de desqualificar o mandamento do sábado] é que não se toma uma passagem da Bíblia isoladamente para daí formar-se doutrinas. Isso é típico de católicos, com Mateus 16:18 (Pedro supostamente nomeado primeiro papa), espíritas, com o episódio da aparição de um suposto espírito de Samuel a Saul, dos mórmons, com o texto isolado e pouco claro de 1 Cor. 15:29, para defender o batismo pelos mortos. . .

    Os temas da Bíblia devem ser entendidos levando-se em conta o TEOR GLOBAL de seu ensino, e não tomando-se passagens aparentemente “favoráveis”, esquecendo-se de ver o conjunto todo do que trata o autor, e a própria contextuação imediata da passagem.

    E se os próprios evangélicos em geral admitem que é bom ter um dia regular de descanso, e que Jesus confirmou isso ao dizer que “o sábado foi feito por causa do homem”, citar esta passagem do modo distorcido como fazem é uma NEGAÇÃO TOTAL do próprio princípio de um dia de descanso. E esse princípio de que o sábado foi feito por causa do homem, na criação do mundo, é o que tradicionalmente os cristãos entendem há séculos, como se percebe nas suas clássicas Confissões de Fé, Credos, Catecismos e Declarações Doutrinárias, além de ensino de grandes mestres nesse meio, não excluindo Lutero, Calvino e Wesley.

    Note-se que no texto aludido Paulo não diz nada que com o suposto “fim do sábado” algo diferente toma o seu lugar. Ou seja, estão fazendo Paulo eliminar o próprio princípio do dia de repouso. Os anti-sabatistas são muito bons na obra de DESTRUIR, mas nada de melhor têm para oferecer no lugar da coisa destruída.

    “Havendo riscado a cédula que era contra nós nas suas ordenanças, a qual de alguma maneira nos era contrária, e a tirou do meio de nós, cravando-a na cruz. E, despojando os principados e potestades, os expôs publicamente e deles triunfou em si mesmo. Portanto, ninguém vos julgue pelo comer, ou pelo beber, ou por causa dos dias de festa, ou da lua nova, ou dos sábados, que são sombras das coisas futuras, mas o corpo é de Cristo. Ninguém vos domine a seu bel-prazer com pretexto de humildade e culto dos anjos, envolvendo-se em coisas que não viu; estando debalde inchado na sua carnal compreensão, e não ligado à cabeça, da qual todo o corpo, provido e organizado pelas juntas e ligaduras, vai crescendo em aumento de Deus. Se, pois, estais mortos com Cristo quanto aos rudimentos do mundo, por que vos carregam ainda de ordenanças, como se vivêsseis no mundo, tais como: Não toques, não proves, não manuseies? As quais coisas todas perecem pelo uso, segundo os preceitos e doutrinas dos homens; as quais têm, na verdade, alguma aparência de sabedoria, em devoção voluntária, humildade, e em disciplina do corpo, mas não são de valor algum senão para a satisfação da carne”. (Col. 2:14-21).

    Mas por que Paulo iria fazer isso? Por que não é mais importante, válido e benéfico dedicar-se um dia regularmente ao Senhor? Se foi feito “por causa do homem” (independentemente de ser o 7o ou o 1o. dia da semana) estão fazendo Paulo ACABAR COM O PRINCÍPIO inteiramente!

    Notem que ele NÃO DIZ, que em lugar do sábado, guarde-se o domingo. E ele também NÃO DIZ que NÃO É para guardar o sábado, e sim que não se deixassem julgar por outros [quanto a sua prática de observância sabática]. Mas que tal examinar todo o contexto? Alguém disse que a devida consideração do contexto de uma passagem cobre uma multidão de pecados interpretativos:

    Notem uma série de fatos sobre este texto, como ressaltados em vários estudos a respeito pelo erudito adventista, Dr. Samuele Bacchiocchi:

    As tentativas de ler em Colossenses 2:14, seja a lei cerimonial ou tanto a lei moral ou a lei cerimonial, não tem fundamento por pelo menos duas razões: Primeiro, porque na epístola inteira a palavra lei-nomos, nem sequer aparece. Em segundo lugar, porque essas interpretações se desviam do argumento imediato, do vs. 13, que tem objetivo de provar quão completo é o perdão divino. A eliminação da lei moral ou cerimonial não propiciaria aos cristãos a divina segurança do perdão. A culpa não é removida pela destruição de códigos legais. Isso apenas deixaria a humanidade sem princípios morais.

    O Sentido do Registro Que Era Contra Nós

    Outro exemplo é o termo cheirographon (“registro escrito à mão”) que só ocorre em Colossenses 2:14. O termo tem sido interpretado historicamente como referência, seja à lei cerimonial ou à lei moral, que supostamente foram pregadas na cruz. Isto é errado, pois estudos recentes do emprego do termo em literatura apocalíptica e rabínica têm demonstrado que era empregado para denotar “o livro de registro dos pecados” ou um “certificado de débito de pecado”, mas não a lei moral ou cerimonial. Esse sentido se encaixa bem no contexto imediato onde Paulo discute a extensão do perdão divino (v. 13). Também é apoiado pela cláusula “e este ele retirou do meio” (Col. 2:14-VKJ). “O meio” era a posição ao centro do tribunal ou assembléia pela testemunha de acusação. No contexto de Colossenses, a testemunha de acusação é o “livro de registro de pecados” que Deus em Cristo apagou e removeu do tribunal.

    Por essa ousada metáfora, Paulo afirma quão completo é o perdão de Deus. Mediante Cristo, Deus “cancelou”, “pôs e parte”, e “pregou na cruz” “o registro escrito de nossos pecados que por causa dos regulamentos eram contra nós”. A base legal do registro de pecados eram os “estatutos”, ou “regulamentos” (tois dogmasin), mas o que Deus destruiu na cruz não foi a base legal (lei) para que fiquemos embaraçados no pecado, mas o registro escrito de nossos pecados.

    Para aliviar as ansiedades daqueles leitores que crêem que o “documento escrito” que foi pregado na cruz era a lei cerimonial, vale declarar que não há dúvida de que a lei cerimonial foi pregada na cruz, mas não é isso que Colossenses 2:14 ensina. Reitere-se que o termo “lei-nomos” não ocorre uma única vez em toda a epístola de Colossenses, porque a questão teológica abordada por Paulo não é o abuso da lei mosaica como em Gálatas, mas uma filosofia gnóstica que ensinava salvação mediante a mediação dos anjos e “rudimentos do mundo” (Col. 2:8). Paulo desafia essa ((( teoria ))) reassegurando aos crentes colossenses que não há razão para buscarem a ajuda de mediadores inferiores, uma vez que Cristo propiciou completa redenção e perdão.

    Interpretação de Teólogos de Várias Confissões

    Recorde-se que a interpretação “tradicional” de Colossenses 2:16-17 (de que se refere a leis cerimoniais, e que a menção aos sábados não inclui o mandamento do dia de repouso semanal), não é só dos adventistas. Adam Clarke, Jamieson, Fausset and Brown, Albert Barnes, Charles Hodge e outros eruditos evangélicos entendiam que o texto não se refere ao sábado semanal, e sim aos cerimoniais. Isso se dá porque esses autores percebem o dilema de desfazer o princípio do sábado, ou dia de repouso, levando Paulo a anular o que Cristo declarou sobre ter sido feito “por causa do homem”. Isso afetaria o próprio domingo, pois se o dia de repouso era mero cerimonial, sombra de Cristo, então com o findar de toda a “cédula de ordenanças” iria de embrulho esse princípio de dedicar ao Senhor todo um dia de adoração. pois Paulo nada fala sobre substituição de um dia por outro.

    Portanto, a interpretação clássica de Col. 2:16, 17, segundo teólogos adventistas e outros, não está fora de propósito quando se percebe que o princípio do sábado é uma sombra da salvação em Cristo. Paulo não diz para não guardá-lo, apenas para que ninguém julgasse o seu semelhante pela forma de observá-lo, sem as restrições dos hereges colossenses.

    Para ilustrar a extensão do perdão de Deus, que é realmente o tema da discussão paulina, o Apóstolo emprega duas metáforas. Primeiro, a metáfora da circuncisão, depois a do livro de registro dos pecados. Mediante a metáfora da circuncisão ilustra a experiência de “despojamento do corpo da carne” pelo sepultamento com Cristo no batismo, e ressurreição para uma nova vida (vs. 11, 12).

    Ele menciona também a “incircuncisão” como uma metáfora de sua prévia condição pecaminosa, ou seja, “mortos pelas vossas transgressões e pela incircuncisão da vossa carne” (vs. 13). Esse uso alegórico da circuncisão/incircuncisão pode parecer para alguns como referente à lei de Moisés, mas se há algo na metáfora a ser condenado, não é a circuncisão, e sim a incircuncisão.

    O que muitos perdem de vista é a ligação íntima entre os vs. 13 e 14. Observe-se que o vs. 13 encerra com a afirmação de perdão de “todos os vossos delitos”. O vs. 14 é construído sobre o 13 com a explicação e expansão da medida do perdão divino. O verso se inicia com o aoristo particípio exaleithas-”tendo cancelado,” que objetiva dizer-nos o que significa o perdão de Cristo de nossos pecados. Isso Cristo executou pregando na cruz, não um código de leis, mas o cheirographon, esse relatório de débito devido ao pecado, então desfeito pelo perdão, não pela abolição da lei.

    O Real Problema dos Cristãos de Colossos

    O erudito adventista mostra adicionalmente que o argumento de que a referência de Paulo a “dias de festa”, “luas novas” e “sábados” (2:16), que são “sombra das coisas que haviam de vir” (vs. 17) . . . não indica realmente que Paulo está discutindo a lei de Moisés pregada na cruz. Paulo não está falando nada contra as observâncias dessas práticas, e sim contra quem quer que passe julgamento sobre o comer, beber e observar os tempos sagrados.

    Deve-se notar o fato de que o juiz que passa julgamento não é Paulo, mas os falsos mestres colossenses que impõem “ordenanças” (2:20) sobre como observar essas práticas a fim de se atingir “rigor ascético”. No verso 22 ele fala que tais ordenanças são “preceitos e doutrinas dos homens” que “com o uso se destroem”. Portanto, dificilmente ele iria referir-se às leis dadas por intermédio de Moisés como “doutrinas dos homens”.

    Ele cita um erudito evangélico, Prof. De Lacey, que corretamente comenta sobre Col. 2:16: “o juiz provavelmente seria um homem de tendências ascéticas que objeta ao comer e beber dos colossenses. O modo mais natural de entender-se o restante da passagem não é que ele também imponha um ritual de dias festivos, mas que faz objeção a certos elementos de tal observância” (p. 182). Presumivelmente o “juiz” desejava que a comunidade observasse essas práticas numa forma mais ascética (“rigor ascético”–2:23, 21), ou, para deixar em termos mais claros: menos festa e mais jejum.

    Por advertir contra o direito dos falsos mestres “passarem julgamento” sobre como observar os festivais, Paulo está desafiando não a validade dos festivais como tais, mas a autoridade dos falsos mestres de “julgar”, ou seja, legislar a respeito da modalidade de suas mencionadas práticas, que incluem a guarda do sábado.

      Para expressar doutro modo, o que Paulo está condenando não são as práticas em si, mas a perversão promovidas pelos falsos mestres.

    Como Entender a Questão da “Sombra”

    Finalmente, a questão das “sombra” é assim discutido por Bacchiocchi: Col 2:17 declara que “tudo isso tem sido sombra das coisas que haviam de vir, porém o corpo é de Cristo”. Isto tem sido interpretado à luz de Heb 8:5 e 10:1 numa conclusão de que em ambos os casos a referência é à lei de Moises. Esta interpretação, contudo, ignora os respectivos contextos de ditas passagens. Em Hebreus o termo “sombra-skia” é empregado para estabelecer uma correspondência vertical entre o santuário celeste e o terrestre, sendo o terestre uma “sombra” ou “tipo” do celeste.

    Em Col. 2:17, contudo, o que antecede a “sombra” não parece absolutamente claro. O texto declara “tudo isso tem sido sombra das cousas que haviam de vir, porém o corpo é de Cristo” (Col 2:17). A que o pronome relativo “tudo isso” (ha em grego) se refere? Acaso faz referência às cinco práticas mencionadas no verso anterior, ou às “ordenanças (dogmata) concernentes a essas práticas promovidas pelos falsos mestres?

    Note-se primeiramente, que no vs. 16 Paulo não está advertindo contra os méritos ou deméritos da lei mosaica concernente a alimentos e festivais, mas contra as “ordenanças” a respeito dessas práticas, advogadas pelos falsos mestres. Destarte, é mais plausível admitir que as “ordenanças”, antes que as práticas mesmas, sejam o que antecede “tudo isso”.

    Em segundo lugar, nos versos que se seguem imediatamente, Paulo prossegue sua advertência contra os ensinos enganosos, declarando, por exemplo, “Ninguém se faça árbitro contra vós outros, pretextando humildade. . .” (2:18). “Por que . . . vos sujeitais a ordenanças: Não manuseies isto, não proves aquilo, não toques aquiloutro” (2:20-21)?

    Uma vez que o que precede e o que se segue a esse pronome relativo “isto tudo” trata com as “ordenanças” da filosofia colossense, concluímos que é o último item que Paulo descreve como “sombra das coisas que haviam de vir” (2:17).

    Presumivelmente, os proponentes da “filosofia” colossense mantinham que suas “ordenanças” representavam uma cópia que capacitasse o crente a ter acesso à realidade (“plenitude”). Em tal caso, Paulo está fazendo o argumento deles voltar contra eles ao declarar que suas ordenanças “têm sido sombra das coisas que haviam de vir; porém o corpo é de Cristo” (2:17). Ao dar ênfase ao fato de que Cristo é o “corpo” e “cabeça” (2:17, 19), Paulo indica que qualquer “sombra” lançada pelas ordenanças não tem valor significativo.

    Conclui-se que o que Paulo designa como “sombra” não é a lei mosaica ou o sábado, mas os ensinos enganosos da “filosofia” colossense que promovia práticas dietéticas e observância de tempos sagrados como meios auxiliares para a salvação. Então, parece que há duas “palavras-chave” nessa discussão: a) o sentido de cheirographon-escrito de dívidas, e b) de “sombra”. Sobre o primeiro termo, já discuti o suficiente para demonstrar que o sentido não é nenhum código de leis, pois estas não são CONTRA os filhos de Deus, mas os pecados registrados no escrito de dívidas. Aí, sim, faz sentido ser CONTRA nós.

    Deve-se notar que o verbo no original grego está no tempo presente–”são (estin) sombra”, NÃO no passado. Muitos evangélicos alteram o verbo para o passado como sendo “eram sombras”, ou, como consta de certas versões bíblicas, “têm sido sombra”, a fim de apoiarem sua alegação de que sua função havia cessado inteiramente com a vinda de Cristo. Todavia, esse verbo no tempo presente significa que, refira-se o “tudo isso” às cinco práticas mencionadas no verso anterior ou às “ordenanças” concernentes a essas práticas promovidas pelos falsos mestres, Paulo não está pondo em disputa sua legitimidade, mas situando-as em sua apropriada perspectiva com Cristo, por meio do contraste “sombra-realidade”.

    Qualquer dúvida adicional, sinta-se a vontade para nos questionar,

    Att.

  35. Eraldo Santos disse:

    Conheço o CACP. Não passa de um grupo de pseudo-teólogos que se consideram os donos da verdade em matéria de doutrina.

    Qualquer pesquisador da verdade encontra na palavra de Deus material suficiente para jogar por terra a falácia que eles pregam contra a Igreja Adventista do 7º Dia.

  36. João Batista de Jesus disse:

    Um convite, e la fui eu fazer uma visita a igreja X do meu amigo (X POR QUESTÃO DE éTICA).1.Ao entoarem cânticos ao SENHOR, veio o comentário: Os irmãos estão iguais aos Adventistas muito quietinhos…2. Após uma linda oração de quase 5 minutos veio outro comentário: Gritem! Batam palmas não vão se comparar aos Adventistas…3. Fizeram comentários a uma certa Igreja Y, (Y pela mesma questão do X), só pedem dinheiro e fazem fogueiras, vale de sal e etc…todavia antes de terminar o culto veio o ataque: dinheiro pra isso e dinheiro para aquilo levanta a mão pra isso e levanta mão? e o Bingo começou!!! No final a figura de Jesus ficou só para uns poucos minutos…Se A CACP fosse criada na época do SENHOR, com certeza levaria chicotada DELE! E a História do comércio no Templo se repete Infelizmente!! QUE O SENHOR TENHA ISERICÓRDIA!

  37. Pingback: Mais Mentiras e Desonestidade Intelectual Apresentadas pelo CACP e pelo ICP « SÉTIMO DIA

  38. José Maria disse:

    Que coisa mais feia, crentes atacando os outros. Jesus mandou orar até pelos inimigos. Se quando atacados revidamos, nos tornamos piores do que aqueles que nos atacam. Gálatas 5:19-21 fala sobre as obras da carne, as quais são: porfias, contendas,… e os que tais coisas praticam NÃO HERDARÃO O REINO DE DEUS, seja de que igreja forem. Chamaram Jesus de Belzebú, o príncipe dos demônios, mas o mestre continuava amando a humanidade.
    Quão distante estamos do Reino de Deus!
    “Pai, eu dei-lhes a glória que tu a mim me deste, para que eles sejam um, assim como tu és um em mim”. Um novo mandamento vos dou: que vos ameis uns aos outros, assim como eu também vos amei.

    Cristãos com ódio no coração, não existem. Isso tudo é obra de Satanás que só quer matar, roubar e destruir.

    Vamos mostrar que somos cristãos? Deixemos essa discussão de lado.

    A paz de Cristo seja com todos.
    pr Videira

  39. José disse:

    Quanto ao uso reiterado do vocábulo ¨seita¨ por parte de
    alguns,é um atestado de incompetência,desespero,falta de argumentos,visto que não dispõem de argumentos sólidos que contestem a validade das doutrinas da IASD, só lhes resta, então, apelar para a ofensa e a desqualificação.

    E como a istória da raposa:a raposa ia andando pela estrada quando de longe sentiu o cheiro agradável de uvas maduras,assim ela entrou no parreiral cheio de uvas maduras,mas como a raposinha é bem pequena não pode alcançar as uva maduras.O que ela fez?Proferiu a famosa frase:estão verdes(engana que eu gosto,digo eu).

    Assim também agem os inimigos da verdade: eles sabem
    que a IASD não é seita,e tal como a raposinha preferem o
    engano,como Lúcufer,os fariseus…etc e tantos outros prefe
    riram.

    Tem mais:o presidente americano Ronald Reagan dizia
    que os comunistas russos mentiam e depois acreditavam em suas próprias mentiras.Com esses inimigos, ocorre o mesmo.

  40. Alessandro disse:

    José Maria

    Jesus nunca respondeu com grosseria ou com violência àqueles que o acusaram, mas nunca, repito, NUNCA deixou uma só acusação sem resposta, nunca se calou diante das injustiças proferidas contra Ele (veja o versículo inteiro, onde chamaram Jesus de Belzebu, você verá uma resposta que só poderia ser de Deus: uma reprovação acompanhada de um convite ao arrependimento)… Ele nunca ficou calado diante de uma acusação!

    Paulo, quando estava diante daqueles que o acusavam de participar de uma seita, foi categórico: “Porém confesso-te que, segundo o Caminho, a que chamam seita, assim eu sirvo ao Deus de nossos pais, acreditando em todas as coisas que estejam de acordo com a lei e nos escritos dos profetas, tendo esperança em Deus, como também estes a têm, de que haverá ressurreição, tanto de justos como de injustos” (Atos 24:14-15).
    A Igreja Verdadeira, sendo acusada de SEITA! Paulo deu de ombros para estes homens? Não! antes, deu razão de tudo aquilo que cria, apontando a lei e os profetas como sua regra de fé e prática…

    A história se repete nos dias de hoje, a Igreja Verdadeira continua sendo chamada de seita… e, assim como nos tempos de Paulo e Jesus, devemos sim dar razão de nossa fé, tomando a Bíblia como regra de fé e prática…

    Agora, se com a palavra “revidar” você acha que nós estamos respondendo à altura dos apologéticos, está muito enganado…procure qualquer adventista que trocou e-mail com esses “apologetas”, e você verá as palavras de baixo calão que só mesmo um hipócrita poderia dizer, enquanto a Igreja de Deus insiste em ser educada e tomar a Bíblia como palavra final…

    Não é por nada não, mas sabe o que o seu texto realmente diz?

    “Adventistas, fiquem quietinhos enquanto o CACP destrói a imagem de vocês…”

    “Agora, pois, ó Senhor, olha para ameaças deles, e concede aos teus servos que falem com toda a ousadia a tua palavra.” Atos 4:29

  41. mario antonio disse:

    Na bíblia Deus disse que a maldade do homem se multiplicara, então decide destruir todos os humanos, animais, répteis e aves, Ele planeja afogar todos. a pergunta é quanto aos homens maus seria justiça serem afogados pelo diluvio, mas, e as crianças e animais, o que eles tinham a ver com a maldade do homem? porque morreram no dilúvio?

  42. eduardo disse:

    O cacp, assim como a iasd estão mais preocupados em atacar outras denominações e pregar suas questões doutrinárias (igrejismo) do que pregar o evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo.

  43. Jean Patrik disse:

    Paz do Senhor para todos!!!

    Acabei de ler um livro que tem por título “Igreja adventistas a Igreja de vidro”.

    É de um ex. adventista que descobre a verdade estundando sozinho Rm. 14..

    O que vocês tem a dizer sobre esse livro que compromete tanto as doutrinas dos adventista?

  44. Seventh Day disse:

    Caro Jean,

    Ubaldo Torres de Araújo foi adventista por muitos anos e. Publicou sim o livro “Igreja de Vidro”.

    Só que você deve saber umas coisinhas, que o pessoal do CACP sabe, mas omite do grande público, por serem uns verdadeiros pseudo-cristãos, cujo único intuito é desmoralizar os adventistas do sétimo dia.

    (1) Este senhor foi demitido da revista apologética (q era evangélica) por que a resposta elaborada pelo Dr. Timm (adventista) e assinada por Tércio Sarli, à série “Contradições nos Escritos de Ellen White” destruiu os argumentos dele. A Igreja Adventista conseguiu um direito de resposta e isso custou o emprego de Ubaldo. Tanto que ele foi pedir trabalho na Casa Publicadora Brasileira! (Antes, implorou a um de nossos líderes para que a resposta não fosse publicada), interessante não?

    (2) A esposa dele se manteve fiel na Igreja Adventista e disse que não concordava com o marido (que não a convenceu!)
    Na verdade, Ubaldo Torres foi desmoralizado pela revista que o demitiu e pelas verdades que não pôde refutar, quando as autoridades de Jundiaí deram aos Adventistas o direito de resposta!

    Quanto ao livro de Ubaldo, o conheço e inclusive sei da história dele e o que a esposa do mesmo disse a respeito da apostasia e revolta dele (que não tinha a ver com doutrinas, mas, havia questões pessoais em jogo). Espero que o senhor informe tais coisas aos que querem continuar usando tal livro para desmerecer aos adventistas.

    Deus o abençoe !

  45. Jean Patrik disse:

    Paz do Senhor para todos!!!

    Gostaria muito de ver as refutações que desmoralizou o Sr° Ubaldo. Assim, os argumentos dos colegas ficará mais evidente, e dessa forma analizaremos os tais argumentos.

    Sobre a esposa dele ter continuado na Adventista, não vejo problema nenhum, a escolha foi dela, e ele foi muito sabio em não proibi-la.
    “A salvação é individual.”

    Aguardando.

  46. Seventh Day disse:

    Jean Patrick,

    Os argumentos já ficaram mais do que evidentes na época do ocorrido e ficaram registrados na história, não precisamos trazer a baila novamente os fatos, que desconhecidos de boa parte dos nossos opositores os quais “ingênuos”, ou não amantes da verdade preferem seguir as chucrisses do pessoal do CACP, e usam o referido autor e seu livro na tentativa frustrada de quererem tentar desmoralizar a igreja adventista. Quanto as refutações, basta você ir em busca do exemplar da revista citada onde os adventistas desbancaram as “teses” do Sr. Ubaldo. Pq não pede o exemplar para seus mestres do CACP?

    PS: Qual será sua nova acusação, caro irmão? Ficamos no aguardo, mas não espere que lhe daremos respostas mastigadas (como no caso o artigo de mão beijada com as respostas ao Sr.Ubaldo, que custaram até mesmo seu emprego), para nos acusar, vocês não consultam a veracidade dos fatos, então nos reservamos o direito de depois de termos esclarescido certas questões, fazer com que vcs pesquisem e encontrem de fato a verdade por si mesmos.

    Deus o abençoe !

  47. Seventh Day disse:

    Caro Jean,

    Para facilitar seu trabalho. Peça uma cópia do referido artigo diretamente para quem o escreveu, o Pastor Alberto Timm (Seminário Adventista Latino Americano de Teologia). Para contacta-lo, entre no site http://www.portaladventista.org/portal/quem-somos/8-nossa-administracao

    depois clique na aba contato, e escreva sua mensagem para ele.

    http://www.portaladventista.org/portal/contato

    Deus o abençoe !

  48. Jean Patrik disse:

    Glória a Deus!!!!
    risos!

    Já enviei o email para o pastor Alberto.
    Confesso que está ficando emocionante esse debate.

    Me parece que o CACP está dando muito trabalho para vocês, as vezes me parece que vocês saem da graça “risos” ou seja, ficam nervosos, quer um conselho, seja equilibrado querido pois a sua reação pode denúnciar muitas coisas.

    Se o que vocês defendem é verdade não irá por em risco as suas doutrinas, que para nós são heréticas.

    Estou conversando com uma menina que é adventista, e depois de conversar com ela, a mesma ficou um pouco abalada ou abismada com o que falei. Confesso que estou preoculpado com ela, pois pode abala-la na fé que ela tem SEGUNDO as DOUTRINAS ADVENTISTAS.

    Confesso que estou preoculpadissimo com ela, mas infelizmente não posso dize-la para continuar seguindo tal doutrina. EU NÃO DISSE QUE IRIA MANDA-LA DEIXAR A IGREJA, que fique bem claro isso.

    Um abrasço!!!

  49. Seventh Day disse:

    Jean Patrick,

    O CACP não nos dá trabalho, nos dá é PENA ! Não se preocupe, não estamos nervosos, apenas nos damos o direito de sacudir os pós das sandálias para essa gente. Para nós também as doutrinas dos que defendem a imortalidade da alma, o inferno eterno torturando os ímpios pela eternidade, arrebatamento secreto, que de secreto não tem é nada também a consideramos heréticas portanto…

    Meu caro, não é de nosso interesse entrar em debate, não temos tempo para isso, nossa preocupação felizmente é superior a intrigas e porfias. Se a tal menina for adventista, saberá pesquisar por ela mesma onde está a verdade, não sei pq citaste a mesma aqui…as pessoas tem o livre arbítrio de exercerem a própria fé da maneira que desejarem, se a mesma abandonar a igreja adventista está no direito dela, não temos aqui o intuito de ficarmos numa rixa, de quantos prosélitos fazemos todos os dias de outras religiões…como já disse antes, não temos tempo e não é esse o espírito que opera em nós.

    As doutrinas bíblicas que defendemos nunca serão banidas da vida daqueles que amam a Bíblia e a volta de Jesus. Portanto, se o senhor assim como o CACP sonha com o fim da igreja adventista, a qual vocês acusam de ser uma seita perigosa, a qual está presente em mais 200 países do mundo com 16 milhões membros (e quase 60 Casas Publicadoras espalhando o evangelho eterno), sua frustração, como a deles será muito grande !

    Deus o abençoe !

  50. juarez vieira disse:

    Graça e paz da parete do Senhor e salvador Jesus Cristo, eu gostaria de obter uma resposta de minha curiosidade da opinião dos Adventistas do Setimo Dia a respeito das doutrinas ensinadas pelo Apostolo Paulo, ou seja, as doutrinas deste Apóstolo são inspiradas por Deus ou não são? Obrigado pela atenção espero resposta.

  51. Seventh Day disse:

    Caro Juarez,

    O Apóstolo Paulo como todos os demais escritores bíblicos foi SIM isnpirado pelo Espírito Santo. Temos aqui no blog diversos artigos sobre as epístolas Paulinas, mas, imagino que ao perguntar isso aqui neste post sobre o CACP, talvez você pelo fato dos adventistas defenderem como válidos os 10 mandamentos da Lei de Deus, os quais nunca foram abolidos, mas abolidos foram os ritos cerimoniais, a lei dos sacrifícios que apontavam para Cristo e foram cravados estes sim na cruz pelo nosso Senhor Jesus Cristo, talvez por isso, tenha vindo até aqui querer dar início a um debate sobre a vigência da Lei. Já lhe adianto que NÃO temos interesse em entrar em debate. Recentemente, aqui no blog no post O Sábado através dos séculos, tivemos o desprazer de aturar a ironia e falta de respeito de um irmãozinho da Assembléia de Deus, que nos perguntava coisas, nos fez perder precioso tempo respondendo, e teve o disparate de depois de dias de debate, dizer que não perdia tempo lendo o que lhe escrevíamos. Como ele, a maioria dos que defendem o CACP, cegos em seus entendimentos, não lêem o que lhes escrevemos, mesmo qdo respondemos ponto a ponto do que nos é perguntado, como bem dito por um de nossosleitores do blog, são como crianças rebeldes que gritam para serem ouvidas, mas tampam os ouvidos para não ouvirem. Disso tudo, chegamos a conclusão que não entraremos mais em debates por aqui. Caso desejem debater as doutrinas adventistas, procurem as comunidades adventistas no orkut, a maior com mais de 75 mil membros.

    Portanto caro irmão, não irei lhe responder mais do que isso sobre as doutrinas de Paulo, se quiser pesquise em nosso blog e verás que em tudo concordamos com este apóstolo do evangelho. Não concordamos sim, com as interpretações daqueles que pisam a Lei de Deus e ensinam outros a fazerem o mesmo.

    “enquanto o céu e a terra durarem, nada será tirado da Lei – nem a menor letra, nem qualquer acento. E assim será até o fim de todas as coisas” (Mateus 5:18 )

    “Aquele, pois, que violar um destes mandamentos, posto que dos menores, e assim ensinar aos homens, será considerado mínimo no reino dos céus…” (Mateus 5:19).

    Recomendo a leitura, se tivesse lido somente esses, não viria aqui com a astúcia de um fariseu fazendo uma pergunta como essa, se nós adventistas acreditamos que as doutrinas de Paulo são ou não inspiradas. Cremos em toda a Bíblia Sagrada como inspirada !

    https://setimodia.wordpress.com/2010/01/07/40-perguntas-aos-adventistas-respondidas-e-retribuidas/
    https://setimodia.wordpress.com/2009/10/07/a-lei-de-deus-aos-romanos/
    https://setimodia.wordpress.com/2009/10/07/a-lei-de-deus-aos-galatas/
    https://setimodia.wordpress.com/2010/02/12/protestantes-e-catolicos-testemunham-sobre-os-10-mandamentos/
    https://setimodia.wordpress.com/2010/02/11/suas-duvidas-sobre-a-lei-de-deus-respondidas/

    Deus o abençoe !

  52. De: Pr. Natan Fernandes –
    Por: Diácono Everaldo
    A razão é que, por todos os lugares, os membros das Igrejas têm uma forma de entender a Bíblia, que nem sempre se encaixa naquilo que ensinam os seus líderes — pastores, professores, evangelistas e escritores.
    Por isso, chamamos a atenção para o conselho bíblico, que diz: “Lembrai-vos dos vossos pastores, que vos falaram a palavra de Deus. … Obedecei a vossos pastores, e sujeitai-vos a eles; porque velam por vossas almas, como aqueles que hão de dar conta delas” (Hebreus 13:7, 17).
    Se o conselho bíblico é que as ovelhas devem lembrar-se e sujeitar-se aos seus pastores, QUANDO ELES ENSINAM A PALAVRA DE DEUS, nada mais correto do que saber o que ensinam alguns pastores.
    Por exemplo, o que ensinam os líderes religiosos da Igreja Evangélica Assembléia de Deus, a respeito de assuntos que falam da obediência? O que dizem a respeito da Lei de Deus? E sobre o sábado? O que eles deixaram registrado, para a sadia orientação de seus rebanhos? Vamos conferir:
    A ÉTICA CRISTÃ E OS DEZ MANDAMENTOS.
    Texto Áureo: (Mateus 5:17-18) compare com Rom.8:3-4.
    VERDADE PRÁTICA: Jesus não cancelou os DEZ MANDAMENTOS. Em Sua doutrina, Ele deu-lhes um caráter notadamente espiritual e abrangente, valorizando mais o interior do homem, sem desmerecer seu exterior. Ler Rom.7:14.
    LEITURA BÍBLICA EM CLASSE: Mat. 5:17-21; 5:19 compare com Deut.4:6; Mat.5:21 compare com Tia.2:10-12.
    LEITURA DIÁRIA: Segunda – Deut.4:6, 5 – Sabedoria nos Mandamentos.
    Terça: Ecles.12:13-14 e João 15:10 – O dever de todo homem.
    Quarta: Deut.4:1 e João 14:21 – Cumprir a Lei do Senhor para viver.
    Quinta: Rom.7:12 – A Lei é santa e boa.
    Sexta: Rom.13:9-10. Amar – o resumo da Lei.
    Sábado: Tia.4:11 e Rom.2:12-13 – Juiz da Lei. Julgando a Lei sem cumpri-la.
    COMENTÁRIO.
    INTRODUÇÃO. Jesus declarou enfaticamente no Sermão do Monte que não veio descumprir a Lei e, sim, cumpri-la, e o fez, de forma plena em relação ao que o povo de Israel praticava na antiga aliança. Assim, podemos ver que a ética cristã tem por base o Decálogo (dez palavras), no que concerne a seu aspecto espiritual e moral, e posta em prática através do amor e da graça de Deus. A ética procedente dos DEZ MANDAMENTOS tem seu apogeu na ética cristã, no ensino e na vida de Cristo, como nos mostram os Evangelhos.
    I. JESUS VALORIZOU OS DEZ MANDAMENTOS.
    1. Uma questão fundamental. Um jovem judeu aproximou-se de Jesus e perguntou-lhe: “Bom Mestre, que farei para conseguir a vida eterna?” (Mat.19:16). A pergunta do rapaz reflete o desejo consciente ou inconsciente de todas as pessoas. O jovem pensava que podia fazer por si mesmo alguma coisa, alguma boa obra, para assim, ser salvo. E entendia que a salvação dependia de seu esforço pessoal.
    2. A resposta inquietadora de Jesus. Deixando de lado o lisonjeiro tratamento do jovem, Jesus lhe respondeu: “Por que me chamas bom? Não há bom senão um só, que é Deus. Se queres, porém, entrar na vida, guarda os Mandamentos” (Mat.19:17). Jesus sabia que estava diante de um moço educado sob as regras éticas do judaísmo, em que a prática de atos exteriores era mais importante do que o ser e o sentir espiritual; o formal era mais valioso do que o real; o exterior era mais valioso do que o interior.
    3. A guarda dos Mandamentos. Indagado pelo jovem sobre quais mandamentos para se entrar na vida, “Jesus disse: Não matarás, não cometerás adultério, não furtarás, não dirás falso testemunho, honra teu pai e tua mãe, e amarás o teu próximo como a ti mesmo” (Mat.19:18-19). O moço disse que cumpria tudo desde a sua mocidade. Jesus, conhecendo seu coração, ordenou-lhe que vendesse o que tinha para dar aos pobres. Diante desse mandato, o jovem saiu triste e decepcionado. O moço não era um tão terrível pecador, mas não estava disposto a abrir mão da sua fortuna para cumprir o “amarás o teu próximo como a ti mesmo”. Jesus começou por Êxodo 20:13 e terminou com Levítico 19:18. À luz da ética cristã, o que importa não é só o não fazer, mas o praticar o que é justo e reto, movido pelo amor e de acordo com a vontade de Deus.
    4. O cumprimento da Lei. No sermão da Montanha, Jesus foi categórico ao afirmar que não veio para revogar a Lei, mas para cumpri-la (Mateus 5:17-19). Com tal expressão, Jesus quis mostrar que, não obstante ter Ele instaurado uma nova aliança, o essencial do Decálogo não estava ab-rogado. Tão somente, Ele trouxe uma nova maneira de cumprir a Lei, valorizando o interior, muito mais do que o exterior. Tal entendimento é fundamental para a consistência e solidez da ética cristã (Hebr.10:16).
    II. UM NOVO SENTIDO PARA O DECÁLOGO.
    1. Não matarás. (Êxodo 20:13)
    a) No Antigo Testamento. O sexto Mandamento da Lei de Moisés (?) (de Deus, não?) proibia tirar a vida de uma pessoa. Em Mateus 5:21, Jesus disse: “Ouvistes que foi dito aos antigos: Não mataras; mas qualquer que matar será réu de juízo”. O matar em Êxodo 20:13 refere-se, no original, a matar de modo premeditado, deliberado e doloroso.
    b) Na ética de Cristo. “Eu, porém, vos digo que qualquer que, sem motivo, se encolerizar contra seu irmão será réu de juízo, e qualquer que chamar a seu irmão de raca será réu do Sinédrio; e qualquer que lhe chamar de louco será réu do fogo do inferno” (Mateus 5:21-22). Na ética de Cristo, a prevenção é mais importante que a correção. Ele condena, não apenas o ato de matar, mas as causas que levaram ao crime: a ira, a cólera e a agressão verbal, entre outras. No Antigo Testamento, só era condenado quem matasse (?) No Novo, é condenado quem se encoleriza ou maltrata seu irmão. Veremos outras implicações éticas em lições posteriores. A reconciliação é o remédio para a ira. (Mateus 5:22-26)
    2. Não adulterarás. (Êxodo 20:14 e Deut.5:18) O sétimo Mandamento visava valorizar e proteger a família e o casamento, livrando dos males funestos e destruidores da infidelidade conjugal, bem como para defender a pureza sexual.
    a) No Antigo Testamento. “Ouvistes que foi dito aos antigos: Não cometerás adultério” (Mateus 5:27). O adultério só era realmente condenado se ocorresse a conjunção carnal.
    b) Na ética de Cristo. “Eu, porém, vos digo que qualquer que atentar numa mulher para cobiçá-la já em seu coração cometeu adultério com ela” (Mateus 5:28). A exigência agora é muito maior, porque parte dos motivos, e não apenas do ato. Cristo não apenas condena o ato, mas os pensamentos impuros, as fantasias sexuais, envolvendo uma pessoa que não é a cônjuge do transgressor. É condenado o “adultério mental”. O décimo Mandamento abrange esse pecado (Êxodo 20:17 e Deut.5:21).
    3. O divórcio. (Deut.24:1) O homem podia desquitar-se ou divorciar-se de sua esposa por motivos os mais diversos, mesmo que não houvesse infidelidade.
    a) No Antigo Testamento. “Também foi dito: qualquer que deixar sua mulher, que lhe dê carta de desquite” (Mateus 5:31). O marido podia repudiar sua mulher, caso não achasse “graça em seus olhos”, ou por “achar nela coisa feia”, e a mandava embora de casa.
    b) Na ética de Cristo. “Eu, porém, vos digo que qualquer que repudiar sua mulher, a não ser por causa de prostituição, faz que ela cometa adultério; e qualquer que casar com a repudiada comete adultério” (Mat.5:32). Na vigência da lei, o homem podia deixar sua mulher por qualquer motivo (Mat.19:3); a partir de Cristo, só a infidelidade (em suas diversas formas) justifica a separação, caso não haja perdão do cônjuge ofendido. Em nossos tempos, tal caso piora em relação à mulher como transgressora, como se o homem não fosse igualmente transgressor.
    4. Não tomar o nome do Senhor em vão. (Êxo.20:7 e Lev.19:12). Era o terceiro Mandamento que proibia o homem jurar falsamente em nome do Senhor.
    a) No Antigo Testamento. “Outrossim, ouvistes que foi dito aos antigos: Não perjurarás, mas cumprirás teus juramentos ao Senhor” (Mat.5:33).
    b) Na ética de Cristo. “Eu, porém, vos digo que, de maneira nenhuma jureis, nem pelo céu, porque é o trono de Deus, nem pela terra, porque é o escabelo de seus pés, nem por Jerusalém, porque é a cidade do grande Rei, nem jurarás pela tua cabeça, porque não podes tornar um cabelo branco ou preto. Seja, porém, o vosso falar; Sim, sim; não, não, porque o que passa disso é de procedência maligna” (Mat.5:34-37). Com Cristo, a integridade no falar é mais importante do que fazer juramentos formais.
    5. Olho por olho, e dente por dente. (Êxo.21:24) A “pena de Talião” funcionava no Antigo Testamento.
    a) No Antigo Testamento. “Ouvistes que foi dito: Olho por olho, e dente por dente. (Mat.5:38)
    b) Ética de Cristo. “Eu, porém, vos digo que não resistais ao mal; mas, se qualquer te bater na face direita, oferece-lhes também a outra; e ao que quiser pleitear contigo e tirar-te a vestimenta, larga-lhe também a capa; e, se qualquer te obrigar a caminhar uma milha, vai com ele duas” (Mat.5:39-41). A conduta cristã é, no Novo Testamento, mais exigente do que era no Antigo. Dar a outra face a quem lhe bater, mesmo no sentido figurado, não é comportamento comum ou fácil de praticar, mesmo pelo mais santo dos crentes. Só com a graça de Deus (cf.a minha graça te basta) e o poder do Espírito Santo é possível cumprir esse preceito ético. Isso ocorre com freqüência em tempos de perseguição à Igreja (ou até mesmo de irmãos de outras denominações). Numa época como a atual em que há um endeusamento dos direitos humanos, um crente precisa ter um acurado discernimento espiritual se vier a perseguição.
    6. O amor ao próximo. A lei mandava amar o próximo (Lev.19:18). Mas os religiosos acrescentavam à lei: “Aborrecerás o teu próximo”; algo que Deus nunca ordenou.
    a) No Antigo Testamento. “Ouvistes que foi dito: Amarás o teu próximo e aborrecerás o teu inimigo” (Mat.5:43). O próximo eram só os judeus, suas famílias e suas autoridades; o inimigo, os gentios.
    b) Na ética de Cristo. “Eu, porém, vos digo: Amai a vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem para que sejais filhos do Pai que está nos céus; porque faz que o sol se levante sobre maus e bons e a chuva desça sobre justos e injustos” (Mat.5:44-45). Esta visão engrandece o conceito do amor, sendo também um verdadeiro teste para o cristão em todos os tempos. O Mestre não admite o sentimento do ódio, nem mesmo a um inimigo. Deus ama a todos (João 3:16); devemos fazê-lo também para sermos seus filhos. Ver I Pedro 2:23.
    CONCLUSÃO. Nesta lição, vemos que os princípios espirituais e morais do Decálogo integram-se às leis do reino de Cristo, expostas no Sermão do Monte. Os antigos cumpriam os Mandamentos e estatutos, em Israel, de modo formal e frio; se, para os homicidas havia condenação, os que odiavam ficavam impunes. Contudo, nosso Senhor Jesus deu aos Mandamentos um sentido muito mais elevado (espiritual), aprofundando e ampliando o seu entendimento, – mas ele não anulou nenhum dos seus preceitos, – tornando-os instrumentos da justiça, bondade e amor de Deus. (Lições Bíblicas – Jovens e Adultos, Antônio Gilberto. 3º trimestre de 2002. Ética Cristã, Confrontando as questões morais, págs.8-12 – CPAD). Agora vamos às perguntas:
    (1) O Que é a Lei de Deus? O Que São os Dez Mandamentos?
    O Pr. Carlo Johansson, assembleiano, responde da seguinte maneira:
    “A lei é a vontade de Deus, no Decálogo.”— Síntese Bíblica do Velho Testamento, pág. 48.
    Já o Pr. Harold J. Brokke, também pentecostal, afirma isto:
    “A lei é uma parte vital do governo divino no mundo em nossos dias… a santa lei de Deus é um pré-requisito divino para uma experiência mais profunda da graça.”
    — Prosperidade Pela Obediência, pág. 10.

    Por sua vez, o Pr. Myer Pearlman, pentecostal, professor de muitos pastores, inclusive do Pr. N. Lawrence Olson, que foi por muitos anos o orador do Programa de Rádio A Voz das Assembléias de Deus, assim se expressou:
    “Os mandamentos representam a expressão décupla da vontade de Jeová e a norma pela qual governa os Seus súditos.” — Através da Bíblia, pág. 27.
    Conforme foi visto acima, estes pastores pentecostais têm a Lei de Deus, os Dez Mandamentos, numa alta estima. E o conselho bíblico é que se deve obedecer aos pastores que falam a PALAVRA DE DEUS.
    Apenas os que falam a sua própria palavra, é que não devem ser atendidos. Especialmente, aqueles que usam sua própria palavra, mas dizem que é a palavra de Deus, enganosamente. Esses devem ser confrontados e combatidos com a “Espada do Espírito”.
    (2) Para que Serve a Lei, os Dez Mandamentos?
    Já citado, o Pr. Harold J. Brokke dá vária respostas a essa pergunta. Ele diz:
    “Nós não podemos compreender a salvação sem entender a lei de Deus…. Deus revela Sua vontade, no tocante ao procedimento do homem, por meio dos mandamentos que lhe apresenta…. O propósito da lei é fazer com que os homens sintam sua necessidade de Jesus Cristo e do Seu evangelho de perdão…. Pela lei vem o conhecimento do pecado. Os homens precisam buscar a Deus, reconhecendo-se pecadores, ou seja, criaturas que sabem ter desobedecido à lei e o governo de Deus, reconhecendo-se verdadeiros inimigos do próprio Deus pelo desrespeito às Suas leis.” — Obra Citada, págs. 14, 15,16 e 17.
    Tendo consciência da necessidade do homem com relação ao cuidado e proteção de Deus, o Pr. Myer Pearlman, atrás referido, escreveu:
    “Os mandamentos de Deus são cercas, por assim dizer, que impedem ao homem entrar em território perigoso e dessa maneira sofrer prejuízo para sua alma.”
    — Conhecendo as Doutrinas da Bíblia, pág. 91.
    Concordando de que a lei de Deus é para o benefício do homem, o Pr. Carlos Johansson declarou o seguinte:
    “O decálogo — o fundamento do pacto e o mais essencial da lei, como também a condição para vida e felicidade.” — Ob. Cit., pág. 116.
    Resumindo o que eles disseram: a lei de Deus serve: a) para compreendermos a salvação; b) para revelar a vontade de Deus; c) para fazer os homens sentirem necessidade de Cristo; d) para saber o que é o pecado; e) para ser como cerca protetora do perigo; f) como condição de vida e felicidade.
    Todas estas coisas são muito boas razões para um cristão obedecer a Deus!
    Além de tudo, estão de acordo com a palavra de Deus.
    (3) Desde Quando Existem os Dez Mandamentos, a Lei de Deus?
    Pr. Carlo Johansson:
    “O decálogo – o fundamento do pacto e o mais essencial da lei, como também a condição para vida e felicidade”. — Síntese Bíblica do Velho Testamento, pág. 116.
    Também da Assembléia de Deus, o Pr. Orlando Spencer Boyer, comentarista, escritor, pastor, professor e autor de muitos livros, registrou estas palavras sobre o Decálogo:
    “Não se deve pensar que não existia nada destes mandamentos antes de Moisés. Foram escritos nas mentes e nas consciências dos homens desde o princípio.”
    — Pequena Enciclopédia Bíblica, pág. 198.
    (4) Precisamos de Outra Lei, Além do Decálogo, Para Nos Indicar o Que é o Pecado?
    Quem responde muito bem a esta pergunta, também, é o Pr. Orlando S. Boyer, quando diz:
    “Não há pecado que não é condenado por um dos Dez Mandamentos.”
    — Loc. Cit., pág. 198.
    (5) Existe a Lei Moral e a Lei Cerimonial?
    Mais uma vez o Pr. Boyer nos apresenta aquilo que tem aprendido de Deus, em anos de estudo da Palavra:
    “Algumas pessoas dão ênfase à distinção entre mandamentos ‘morais’ e mandamentos ‘cerimoniais’. As exigências ‘morais’ são aquelas que em si mesmas são justas e nunca podem ser revogadas. Ao contrário, as leis ‘cerimoniais’ são aquelas sobre observâncias, sobre o cumprimento de certos ritos, por exemplo: os mandamentos acerca dos holocaustos e o incenso…. As leis ‘cerimoniais’ podem ser abrogadas na mudança de dispensação, mas não as leis ‘morais’. É certo que existe tal distinção.” — Marcos: O Evangelho do Senhor, págs. 38 e 39.
    E o Pr. Antonio Gilberto, também da Assembléia de Deus, confirma:
    “A parte moral da lei é eterna e universal”. — Manual da Escola Dominical, pág. 86
    E eis um comentário bíblico muito usado nos meios pentecostais, com sua clara definição: “Se Jesus não veio abolir a lei, todas as leis do AT ainda se aplicam a nós hoje? É preciso lembrar que havia três categorias de leis: a cerimonial, a civil e a moral.
    (1) A lei cerimonial diz respeito especificamente à adoração por parte de Israel (Levítico 1: 2, 3). Seu propósito primário era apontar adiante, para Cristo, portanto, não seria mais necessária depois da morte e ressurreição de Jesus. Mesmo não estando mais ligados à lei cerimonial, os princípios que constituem a base da adoração — amar e adorar a Deus Santo — ainda se aplicam. Jesus foi frequentemente acusado pelos fariseus de violar a lei cerimonial.
    (2) A lei civil se aplicava à vida cotidiana em Israel (Deuteronômio 24:10, 11). Pelo fato de a sociedade e a cultura modernas serem tão radicalmente diferentes das daquele tempo, esse código como um todo não pode ser seguido. Mas os princípios éticos contidos nos mandamentos são atemporais, e devem guiar nossa conduta. Jesus demonstrou estes princípios por meio de sua vida exemplar.
    (3) A lei moral (como os Dez Mandamentos) é a ordem direta de Deus, exige uma obediência total (Êxodo 20:13), pois revela sua natureza e vontade. Assim, ainda é aplicável em nossos dias. Jesus obedeceu completamente à lei moral”. — Bíblia de Estudo e Aplicação Pessoal, Almeida. (CPAD—Casa Publicadora das Assembleias de Deus).
    (6) A que Tipo de Lei o Apóstolo Paulo Se Refere em Colossenses 2:16?
    O Pr. Myer Pearlman responde, apropriadamente, a esta questão, quando escreve:
    “A sua relação com a lei cerimonial (vers. 15,16). As festas, os dias santos e outras observâncias cerimoniais judaicas não passam de símbolos e figuras representando Cristo. Agora, desde que Cristo cumpriu os símbolos, os mesmos tornam-se desnecessários.” — Através da Bíblia, pág. 293.
    (7) E o Sábado do Quarto Mandamento, Qual a Sua Origem?
    Num livro preparado pela Casa Publicadora das Assembléias de Deus (CPAD), para tirar algumas dúvidas sobre certos assuntos, intitulado A Bíblia Responde, nós lemos esta declaração:
    “O observador mais acurado vai perceber que o sábado não é um mandamento originado na lei mosaica (Gên. 2:3), ainda que mais tarde a ela incorporado.” — A Bíblia Responde, pág. 123.
    Depois dele, quem responde a esta pergunta é o Pr. Carlo Johansson. Ele escreveu estas palavras:
    “O sábado tem a sua origem na criação, Gên. 2:1-3.” — Síntese Bíblica do Velho Testamento, pág. 42.
    O Pr. Myer Pearlman, estudioso e dedicado, completa o que foi dito acima, da seguinte maneira:
    “O Grande Arquiteto do Universo completou em seis dias Sua obra da criação, e descansou no sétimo dia…. No sétimo dia Ele descansou, dando ao homem um exemplo, trabalhando seis dias e descansando no sétimo.” — Através da Bíblia, págs. 14 e 15.
    Conclusão: A origem do sábado, ao contrário do que ensinam alguns cristãos desinformados, não é a doação da Lei dos Dez Mandamentos, no Monte Sinai. Conforme os estudiosos da Bíblia, da Igreja Evangélica Assembléia de Deus, foi na SEMANA DA CRIAÇÃO. Seis dias de trabalho, e o sétimo para o descanso e culto.
    (8) Há Razões Para Descansarmos no Sábado?
    O Pr. Harold J. Brokke é bastante enfático, e categórico, ao dar uma resposta a esta questão. Ele proclama “em alto e bom som”:
    “É possível que alguém imagina que a transgressão desse quarto mandamento é menos grave do que a transgressão dos outros nove. A verdade, porém, é que quem se dispõe a transgredir o quarto mandamento já tem no coração a inclinação de transgredir um ou mais dos outros mandamentos….
    “Por que deve o homem guardar o sábado do Senhor? Porque é justo! Segue-se aqui o mesmo princípio de não furtar porque não é justo.” — Prosperidade Pela Obediência, págs. 58 e 59.
    (9) Contra o Quê Jesus Se Levantou Com Relação ao Sábado?
    Alguns cristãos pensam que Jesus combateu o sábado do quarto mandamento. Será que foi isso mesmo?
    A Casa Publicadora das Assembléias de Deus (CPAD) publicou um livro, comentando, brevemente, toda a Bíblia. Nele nós encontramos:
    “O zelo dos fariseus não era pela Lei de Deus, mas das suas próprias tradições. Tinham tornado o dia de descanso em um dia cheio de preceitos e exigências absurdas. Jesus deliberadamente pisou-as, e estabeleceu o princípio de que ‘é lícito fazer bem no sábado’(v.9).” — S. E. McNair, A Bíblia Explicada, pág. 355.
    Comentando sobre Mateus, capítulo 12, o Pr. Myer Pearlman escreveu isto:
    “O capítulo 12 registra a oposição dos fariseus a Jesus. Seus motivos para opor-se a Ele eram os seguintes: Sua origem humilde; Sua associação com os pecadores; e a Sua oposição às tradições. O capítulo 12 descreve a oposição vinda pela última razão mencionada.” — Através da Bíblia, pág. 193.
    (10) Que Tipo de Trabalho Jesus e Seu Pai Fazem no Sábado?
    Outra vez, o Pr. Myer Pearlman! Ele escreveu um comentário do Evangelho de João. Vejamos o que ele disse sobre João 5:15-20 (que é o texto preferido de que muitos crentes usam para tentar “provar” que Jesus “trabalhou” no sábado):
    “‘Mas Ele [Jesus] lhes disse: Meu Pai trabalha até agora, e Eu trabalho também’. Noutras palavras, Deus trabalha no sábado, sustentando o universo, comunicando vida, abençoando os homens, respondendo as orações.”
    — João — “Ouro Para Te Enriquecer”, pág. 59.
    (11) Como o Cristão Demonstra o Seu Amor a Deus?
    Referindo-se a 1 João 2:2-6 e 5:2 e 3, o mesmo Pr. Pearlman escreveu, apropriadamente, estas palavras:
    “O nosso amor a Deus encontra a sua manifestação na observância de Seus mandamentos…. Obediência aos mandamentos de Deus em imitação de Cristo…. Assim sendo, ele [o apóstolo João] ordena aos homens que dêem prova do seu conhecimento de Deus. Para saberem de certo se têm ou não o conhecimento de Deus, a prova é simples — guardam os mandamentos de Deus?”
    — Através da Bíblia, págs. 344 e 341.
    Isso está perfeitamente de acordo com as palavras do Senhor Jesus, em João 14:15 e 21, que diz:
    “Se Me amardes, guardareis os Meus mandamentos…. Aquele que tem os Meus mandamentos e os guarda esse é o que Me ama; e aquele que Me ama será amado de Meu Pai, e Eu o amarei, e Me manifestarei a ele.”
    (12) Diante de Tudo o Que Foi Apresentado, Qual Deve Ser a Posição de Cada Ovelha do Rebanho da Assembléia de Deus?
    O que nos diz a Palavra de Deus?
    “Aquele, pois, que sabe fazer o bem e não o faz, comete pecado” (Tiago 4:17).
    A Bíblia Viva registra este texto da seguinte maneira:
    “Lembrem-se também de que, saber o que deve ser feito e não fazer, é pecado.”
    (13) Como Cristão Sincero, Nascido de Novo, Qual Vai Ser a Minha Resposta ao Senhor?
    ~ :: :: :: :: :: :: :: :: :: :: :: :: :: :: :: :: :: :: :: :: :: :: :: :: :: :: :: :: :: :: :: :: :: :: :: :: ~
    “Buscai no livro do Senhor, e lede.”
    *Isaías 34:16*

    Certo texto de um “teólogo” do tal CACP critica os adventistas sobre o entendimento de que esses 10 Mandamentos são uma lei especial, diversa das leis cerimoniais todas. Entre as tolices teológicas do que o indivíduo alega, percebe-se primeiro o DESCONHECIMENTO da parte dele que quem ensina isso não são SÓ os adventistas, como também TODOS os documentos cristãos protestantes e comentaristas bíblicos clássicos do maior respeito ao longo dos séculos. Aliás, para desconsolo do tal, que é da Igreja Assembleia de Deus, a CPAD (Casa Publicadora das Assembleias de Deus) publicou uma obra de grande repercussão não só entre assembleianos, como entre demais crentes, que diz a certa altura:

    As leis foram designadas para guiar todas as pessoas a um estilo de vida saudável, justo e voltado para Deus. Seu propósito é apontar o pecado e mostrar a maneira correta de lidar com ele. Os dez mandamentos se aplicam hoje assim como se aplicavam há três mil anos, pois proclamam um estilo de vida estabelecido por Deus. São a perfeita expressão da pessoa de Deus e como ele deseja como o povo viva. — Op. Cit., pág. 237.

    E ainda alegam que em vez de 10 Mandamentos seriam só “10 palavras”, dando a entender que Deus realmente só pronunciou 10 palavras como uma espécie de “código”, que daí Moisés depois teria reinterpretado ao escrever o conteúdo de tais 10 palavras nos registros em rolos. E, pior ainda, alegam que FOI MOISÉS QUEM ESCREVEU O TEXTO NAS TÁBUAS DE PEDRA, ou seja–as tais “10 palavras”, com base no texto de Êxo. 34:28.

    Ou seja, é O PRIMEIRO ARQUIVO ZIPADO DA HISTÓRIA, só 10 palavras “mágicas”. Será que Moisés utilizou os mesmos óculos “Urim/Tumim” com que Joseph Smith traduziu as placas de ouro?!

    O texto de Êxo. 34:28 é realmente curioso:

    “E esteve ali com o SENHOR quarenta dias e quarenta noites; não comeu pão, nem bebeu água, e escreveu nas tábuas as palavras da aliança, os dez mandamentos”.

    Claro que, pelo contexto e TEOR GLOBAL do ensino bíblico o sentido é que quem escreveu os 10 Mandamentos foi Deus. No original não havia recurso de pontos, vírgulas e o autor às vezes escreve coisas que parecem sem nexo ao nosso estilo, mas se há uma dificuldade nesta passagem, há uma regra bíblica segundo a qual um texto de difícil interpretação se esclarece por outro mais fácil de entender.

    Então, vejamos como Deuteronômio, ESCRITO DEPOIS DE ÊXODO, coloca as coisas nos devidos lugares:

    “Naquele mesmo tempo me disse o Senhor: Alisa duas tábuas de pedra, como as primeiras, e sobe a mim ao monte, e faze-te uma arca de madeira; E naquelas tábuas escreverei as palavras que estavam nas primeiras tábuas, que quebraste, e as porás na arca. Assim, fiz uma arca de madeira de acácia, e alisei duas tábuas de pedra, como as primeiras; e subi ao monte com as duas tábuas na minha mão. Então escreveu nas tábuas, conforme à primeira escritura, os dez mandamentos, que o SENHOR vos falara no dia da assembléia, no monte, do meio do fogo; e o SENHOR mas deu a mim”. Deu. 10:1-4.

    Alguma dúvida ainda sobre QUEM escreveu o texto dos 10 Mandamentos sobre as tábuas de pedra? Mesmo porque, como é que Moisés iria registrar sobre tábuas de pedra sejam 10 palavras ou o texto completo do Decálogo? Até hoje esse pessoal está me devendo explicação sobre isso.

    E a fixação sobre UM SENTIDO do termo hebraico para “palavra” (דּבר-dâbâr) é claramente sofística, pois o reputadíssimo Dicionario de Hebraico de Strong apresenta uma grande gama de sentidos para tal termo, como conselho, decreto, mandamento, pronunciamento, mensagem, oráculo, fala, notícias, etc., etc.

    Os tradutores nos mais diferentes idiomas SEMPRE interpretaram o texto de Deu. 4:13 como referência a “dez mandamentos”. Será que estiveram todos errados?
    Em Êxodo 34 Deus faz um comentário diretamente a Moisés reiterando o que antes havia proclamado. Não está Se dirigindo a todo o povo reunido.

    Basta notar a ambientação, o cenário, o contexto todo. Nos comentários de Deus, inclusive prometendo expulsar os inimigos, temos uma ampla exposição divina do plano que tinha para Israel, e nisso se incluem os mandamentos específicos do Decálogo.

    Mas uma coisa não substitui nem anula outra. Como na “repetição da lei”, como é o sentido de Deuteronômio, vemos que ao proclamar os 10 Mandamentos solenemente, Ele “nada acrescentou” (Deu. 5:22). Então, não há o que comentar a respeito.

    E como em Deu. 10:1-4 claramente O MESMO que foi proclamado é registrado nas tábuas de pedra POR DEUS MESMO, então toda essa sofistaria querendo desqualificar o Decálogo visa, claramente a só UM de seus preceitos.

    Toda essa prosopopeia dos que querem impugnar o entendimento de serem os 10 Mandamentos uma lei especial, base moral absoluta da lei divina universal, fazem isso por que motivo mesmo? O que os incomoda tanto nos 10 Mandamentos?

    Seria a regra de não ter outros deuses?
    Seria a regra de não ter usar imagens de escultura em atos de culto?
    Seria a regra de não falar o nome de Deus em vão?
    Seria a regra de dever-se respeitar os pais?
    Seria a regra de não matar?
    Seria a regra de não adulterar?
    Seria a regra de não furtar?
    Seria a regra de não dar falso testemunho contra o próximo?
    Seria a regra de não cobiçar as coisa e cônjuge do próximo?

    Claro que não. Toda essa sofismaria como mencionei (do “erudito” do CACP) visa tão-somente desqualificar o Decálogo POR CAUSA DO MANDAMENTO DO SÁBADO.

    É a famosa “teologia herodiana” em ação. Explico–assim como Herodes queria livrar-se de um só bebê na terra da Judéia, mas para garantir isso mandou matar todos os pequeninos ali, esse pessoal quer livrar-se SÓ do “inconveniente” mandamento do sábado, daí que tentam desqualificar TODO o Decálogo.

    Só que depois não sabem o que melhor colocar no lugar. . .
    Citei um sofista do tal CACP querendo “provar” que nem eram 10 Mandamentos, e sim “10 palavras” que Deus teria escrito como uma espécie de “arquivo zipado”. Daí, Moisés as teria decodificado (talvez usando os mesmos óculos com os quais Joseph Smith traduziu as placas de ouro) e registrado, ELE MESMO, nas tábuas de pedra.

    Agora, ele não explica como Moisés poderia escrever sobre pedra. Será que tinha, além dos óculos especiais, uma caneta também especial que talhava a pedra na forma das letras hebraicas? Tudo isso para DESQUALIFICAR os 10 Mandamentos e sem dúvida nenhuma com o único objetivo de desqualificar o sábado, pois esse pessoal não descarta nenhum dos demais NOVE preceitos do mesmo Decálogo.

    Querem com isso “provar” que as leis são todas iguais, e que os 10 Mandamentos não são nenhuma regra especial, sendo tudo abolido na cruz para dar espaço para uma nova e revolucionária legislação “cristã”, que seria a “Lei de Cristo”.

    Só que, para desconsolo desse indivíduo, que cita os adventistas como se fossem uns bobocas em crer nisso, TODOS os cristãos sempre creram assim, como está registrado nos seus documentos confessionais de séculos de existência.

    E para maior desconsolo ainda, a própria Igreja do tal–Igr. Assembléia de Deus–se põe a falar sobre isso numa obra de grande difusão entre assembleianos e outros crentes, confirmando que os 10 Mandamentos são tão válidos e vigentes hoje, quanto eram há 3.000 anos. . . E ainda defende serem a LEI MORAL de Deus, coisa que o tal não aceita de jeito nenhum. . .

    Apoc.12:17 – Nosso Senhor n/ disse q. Satanás estaria irado contras as igrejas que falam línguas estranhas ou contra as que efetuam curas maravilhosas, mas ele está irado justamente contra os que guardam os Mandamentos de Deus. Apesar de que o Senhor e o Espírito continuam atuando e exercendo o Seu poder no meio dela, ou seja, no meio do restante de Sua descendência!
    Um abraço por Jesus, nosso Senhor.

  53. roberto disse:

    um dia eu ouvia na radio estes membros cacp,ele usaram um texto de e,g.white que ela estava no céu e ouviu o dia,a hora que jesus ia voltar.isto é verdade e se for voces podem me explicar,antes de tudo eu creio nos livros de egw,mas tenho duvida a este texto?

  54. Douglas Lima disse:

    O CACP diz que a Ellen prega o racismo, eu não creio nisso, mas quero a prova de que isso é mentira.

  55. Seventh Day disse:

    Olá Douglas,

    Racismo
    Uma das maiores “virtudes” do Pr. Natanael Rinaldi é escrever bobagens. E, acusar Ellen White de racismo beira o ridículo quando conhecemos a dedicação dela em ajudar financeiramente pessoas de todas as raças. Analisemos o outro texto que ele distorceu:
    “Mas há uma objeção ao casamento da raça branca com a preta. Todos devem considerar que não têm o direito de trazer à sua prole aquilo que a coloca em desvantagem; não têm o direito de lhe dar como patrimônio hereditário uma condição que os sujeitariam a uma vida de humilhação. Os filhos desses casamentos mistos têm um sentimento de amargura para com os pais que lhes deram essa herança para toda a vida”. – Mensagens Escolhidas, vol.2, págs. 343 e 344.
    O conselho que ela deu no sentido de não haver casamento entre brancos e negros, precisa ser entendido à luz da sociedade e da cultura do século passado, particularmente nos EUA.
    Naquele país o racismo era enorme. Vemos que homens como Martin Luther King e outros tiveram que lutar bravamente para desfazer o preconceito racial.
    Entendendo a cultura da sociedade de sua época, Ellen White, expressou algo incontestável: “que os filhos de uniões mistas sofreriam muito”. Devido a isso ela mencionou que recebeu no início de seu ministério “orientação do Senhor” de que os pais não tinham o direito de dar aos filhos esta herança de humilhações.
    Felizmente a sociedade mudou para melhor neste aspecto de segregação racial. Hoje os filhos de casamentos mistos não são mais objeto de tanta discriminação.
    Precisamos lembrar que os escritos de qualquer pessoa, sejam dos escritores bíblicos, seja de Ellen White, precisam ser estudados no contexto em que eles foram produzidos. Se não fizermos isto estaremos sendo injustos com a pessoa que não está presente para defender-se.
    Um apelo de sua pena, em 1891, seguido em 1895 e 1896 por artigos publicados na Review and Herald, estimulou os esforços educacionais e evangelísticos em favor dos negros e deu origem a uma obra na qual seu próprio filho, Tiago Edson, tomou parte ativa. Ele produziu um livro que seria usado para (1) levantar fundos (2) ensinar analfabetos a ler e (3) ensinar as verdades bíblicas em linguagem simples. Ele fazia uso de um barco (Morning Star) para evangelizar os descendentes dos escravos.
    White estava interessada no desenvolvimento de esforços missionários que produzisse eficientes resultados em comunidades brancas e negras e enviou aos obreiros desse campo muitas mensagens de conselho e ânimo. Além disso, ela salientou de modo claro que “O nome do negro está escrito no livro da vida, junto do nome do branco. Todos são um em Cristo. O nascimento, a posição, nacionalidade ou cor não podem elevar nem degradar os homens. O caráter é que faz o homem. Se um pele-vermelha, um chinês ou africano rende o coração a Deus em obediência e fé, Jesus não o ama menos por causa de sua cor. Chama-lhe Seu irmão muito amado.” . Além disso, afirmou que os que “menosprezam um irmão por causa de sua cor estão menosprezando a Cristo”
    Como Rinaldi poderá continuar sustentando as acusações dele? A honestidade intelectual e o temor a Deus deveriam motivá-lo a rever os próprios conceitos e a reconhecer que assim como a Bíblia, Ellen White sempre respeitou os negros. Prova disso está no fato de que nossos irmãos, quando se deparam com os escritos dela, nunca se sentiram ofendidos.
    Será que os membros do Instituto “Cristão” de Pesquisas (ICP) e do Centro Apologético “Cristão” de Pesquisas (CACP) sabem mais do que os adventistas negros a forma como Ellen White os considerava?
    (Extraído do site Na Mira da Verdade).

    Leia Também:
    http://prgilsonmedeiros.blogspot.com/2007/11/ellen-white-era-racista.html

    Deus o abençoe !

  56. cacp disse:

    Olá :

    Sou um ex-integrante do movimento CACP. COnheço muito sobre eles, e principalmente como estão agora.

    Gostaria que alguém deste site entrasse em contato comigo, para publicar coisas que vocês não sabem.

    Grato

  57. Seventh Day disse:

    Olá Amigo,

    Apesar do CACP ser um site de ataque não de edificação espiritual de ninguém, não queremos nós perder tempo precioso falando dessa gente. Deus está no comando de tudo, Ele o Senhor, sabe como lidar com o ser humano.

    Ainda que o CACP diga que nós adventistas não somos cristãos, ainda que espalhem inverdades a respeito da igreja adventista e não nos considerem como irmãos alertando a cristandade a se afastarem de nós e a não nos considerar irmãos, ainda assim, rogo ao Deus Onipotente, que deles tenha misericórdia, e que eles sejam usados para edificarem vidas, não fomentarem o ódio e o preconceito na mente das pessoas.

    Paz de Cristo !

  58. cacp disse:

    Google.

    Por favor, vão no GOOGLE e digitem CACP.

    Percebam quem é o 2o. link que ele tras.

    Abs

  59. Seventh Day disse:

    Olá Amigo,

    O segundo link é de um site adventista chamado Alto Clamor, e o terceiro link é do nosso Blog Sétimo dia.

    Mas não entend, o que vc quer dizer com isso?

    Eu agradeço a Deus, por nos dar o direito de resposta a essa gente, e da mesma forma que muitos acessam as páginas do CACP e se defrontam com suas mentiras, muitos outros, também vão a nossos blogs para conhecer a verdade e se desvencilham das redes dessa gente perniciosa do CACP. Tanto que nossa seção Desmascarando o CACP é uma das mais acessadas de nosso BLOG. Canso de receber comentários cheios de malignidade, injúrias, raiva, ódio…mas resolvi que não publicarei nada dos que aqui vem pra defender esse pseudo centro apologético. Então quando vejo um comentário desses, nem leio, já mando diretamente para a lixeira.

    Agora se vc tem algo a dizer dessa gente, procure o Prof. Azenilto Brito, que é o adventista que mais replicou as inverdades desse bando de mentirosos.

    Para entrar em contato com ele, acesse o link abaixo:

    http://www.azenilto.com/id2.html

    Deus te abençoe !

  60. DR. ANTHONY MOHAMMAD disse:

    Preconceito esta infelizmente cravado no coração ate mesmo de sacerdotes e lideres religiosos que deveriam pregar a paz e a união .

    Vejamos abaixo a matéria pastor de nome João Flávio Martinez que se sucedeu no estado da Paraiba.

    Matéria do Jornal da Paraíba

    Fala sobre a Palestra do Prof. João Flávio Martinez

    O pastor João Flávio Martinez, (SJ Rio Preto – SP), durante palestra realizada na manhã de ontem, no Tabernáculo Bíblico do Parque do Povo, em Campina Grande, sobre o tema: “O que está por trás do terrorismo islâmico”, criticou a postura dos líderes muçulmanos, que usam as populações analfabetas como massa de manobra. Ele se referiu, entre outras questões, aos grupos terroristas, que na sua opinião são totalmente alienados e influenciados pela religião islâmica.

    Durante a palestra, o pastor João Flávio exibiu as imagens da charge de Maomé (na verdade as charges não foram exibidas em consideração ao pedido do sheik Jihad), que causaram protestos e violência em algumas partes do mundo e disse não considerar o material tão afrontoso. “Afronta mesmo é um muçulmano em nome de Deus metralhar, em frente das câmeras, uma pessoa que foi ali, reconstruir o Iraque. Contra isso a gente não vê os líderes muçulmanos se manifestarem”.

    Sobre a rejeição dos muçulmanos em relação às charges,
    FRANCINETE SILVA (Jornalista)

    Infelizmente este senhor que se diz sacerdote cristão deveria saber um pouco mais do seu livro sagrado que o diz : “ Não julgais para que não seja julgado” Palavras do Mestre Jesus e Profeta do Amor.

    A sua critica em relação aos lideres não se pode generalizar todos os lideres e muçulmanos , e trata los como analfabetos , pois pessoas que não possui estudos se encontram em qualquer outra religião ate mesmo como também constatamos na religião evangélica.

    O pastor e também Professor pois assim se apresenta deveria saber que muitos lideres islâmicos não são a favor de matanças humanas isso prova a falta de conhecimento no tema que ele se propôs a abordar , sendo ainda mais jocosa da parte do mesmo exibir as charges que isso a nível mundial trouxe tantos problemas, sabendo das leis internas de uma religião não podemos desafia La ou agredi La pois estamos nos excedendo nas nossas palavras e somos continuadores de uma faixa de guerra no qual o próprio mestre e profeta do amor Jesus disse que quando lhe atacarem com um tapa na face responda lhe dando o outro lado da mesma , pois quem vive pela espada morre pela espada.

    Temos tantos problemas isso a nível de inúmeras religiões , os sacerdotes e lideres devem caminhar as pessoas para um caminho de entendimento e paz entre si , no qual esta e a missão.

    O senhor João Flávio Martinez tem seu direito de concordar ou discordar mas com dados acadêmicos e religiosos , quando nos propomos a elaborar uma palestra ainda mais tratando de um tema tão polemico devemos ter cuidado com certas atitudes e palavras , devemos ter embasamento e apresentarmos os lados positivos e negativos da mesma , pois vemos em questão crista a falta de reuniões abordando temas como homossexualidade , desunião das suas próprias ordens evangélicas , pedofilia e outros temas que necessita de um cuidado maior em relação a religião evangélica e outros segmentos.

    Todos como evangélicos , espíritas , muçulmanos e judeus querem a paz e são da paz , aceitar o próximo e aceitar a DEUS.

    Dr. Anthony Mohammad – PRECONCEITO CHEGA JÁ!

    Teologo , pesquisador de assuntos semitas, palestrante , poeta menbro da ACLAC – academia de letras do estado do RIO, Embaixador da paz pelo pacto global da ONU , Oficial da patrulha aérea missão de paz ONU.

  61. Seventh Day disse:

    DR. ANTHONY MOHAMMAD,

    Que fique aqui registrado para todos a sua indignação. Esse Senhor João Flavio Martinez precisa de orações. É completamente desequilibrado ao manifestar seus achismos e pior de tudo manipulador e ocultador de verdades, as quais teme que sejam expostas pois colocam por terra as muitas mentiras das quais ele sobrevive vendendo apostilinhas para os incautos.

    As-Salamu Alaikum !

  62. Andrea Lima de Andrade disse:

    Querida irmã Joana , também questiono”antigo”costume das Ass.Deus,sou membro dela e até hoje queria saber porque de tantas proibições.Hoje em dia já não é como antes,as mulheres cortam seus cabelos,pintam suas unhas,seus trajes são diferentes.Enfim,nãp estou criticando brutalmente a igreja que pertenço,apenascomentano,pois,parece que com esta mudança Deus também mudou.Muitos são os que falam isso hoje.Grata. Andrea/Guarulhos.S.P.

  63. alexandre rodrigues disse:

    Sou assembleiano e sei que dentro de nossa denominação e de outras, existem pessoas que são contra adventistas… mas muitas destas pessoas agem desta forma, por que líderes irresponsáveis sobem aos púlpitos despreparados e acabam formando opnião de forma desastrosa. Eu mesmo tinha um certo pré-conceito de adventistas, mas hoje, conhecendo melhor, convivendo e tendo acessso a material de estudo, posso ver que muitos “mitos” não são verdadeiros. Fico muito triste com certas atitudes de irmãos… pois demonstram pouco crescimento espiritual e amor. Paz do Senhor para todos e que Deus nos abençoe!

  64. Assim como foi insano Lúcifer achar que estava com a razão, e, aos pocos começar a distorcer tudo o que Deus disse (para sua própria perdição), assim também é insano distorcer as palavras da BÍBLIA e acusar a outros de também estarem fazendo isso. Eu não consigo ver lógica nisso. Por que as pessoas colaboram para a sua própria perdição? Que lucro há nisso? Talvez alguns, cegados pelo ambiente e tipo de pessoas que os cercam não consigam usar seu raciocínio devidamente, sufocados por palavras de acusações e afronta a Deus e a seus filhos. Quando digo seus filhos, não me refiro apenas aos adventistas, é claro. O problema é, todo mundo pode usar o livre arbítrio que Deus lhe deu para discordar da opinião de outros. Mas não se pode atacar e agredir outro ser humano, seja quem for, ainda que intelectualmente, sem estar transgredindo os dez mandamentos, o que, automaticamente, o coloca do lado “escuro” da situação… “Pelos seus frutos os conhecereis…”

  65. matheus disse:

    Não sou de Adventista mais concordo com vcs o CAPC não estuda as doutrinas das igrejas mais fikam julgando e dizendo q as igrejas são seitas e maovimentos contraditorios e defamam as igrejas e falam um monte de mentiras. eu entri e me entristeceu o meu coraçao quando eu vi uns artigoas deles falando mal da igreja q eu vo a cacp acha q e Deus para julgar
    NÃO SOMOS SEITA SOMOS A IGREJA DE CRISTO!!

  66. jrmao2010 disse:

    Video mostrando a distorção biblica de João Flávio Martinez para atacar adventistas…Na sequencia vem a devida refutação: http://youtu.be/kIe3PR5FR5c

  67. jrmao2010 disse:

    Segue mais um video de João Flávio Martinez para distorcer os textos biblicos e atacar os adventistas: http://youtu.be/ju0mGxy7bdM

  68. jrmao2010 disse:

    Postei esses videos para nossa reflexão…é claro que muitas igrejas tem divergências teológicas, mas nem por isso, devemos “atacar para convencer” e sim ” mostrar para converter”…Se pessoas não concordam com a doutrina adventista, por exemplo, usem a biblia (contextualizada) para suas refutações…MAs ao analisarmos dezenas de videos (como esses) e dezenas de artigos e debates da CACP, notamos que o principal objetivo é atacar a igreja adventista, dentre outras e distorcer os escritos da Sra.White (veja todas as refutações no site http://www.namiradaverdade.com.br) e tal comportamento não pode ser de Deus, pois Cristo disse: “Amarás a teu próximo com a ti mesmo..” Mat.22:39

  69. cicero roberto disse:

    gostaria também de realçar aqui que eles sim são do inimigo e os adventistas do setimo dia são o povo de Deus, estão sendo perseguidos mas o próprio Jesus disse tende bom ânimo eu vecí o mundo,
    irmãos vamos ter bom ânimo tb porque vencerremos com Cristo, eu estou feliz que estão nos perseguindo mais uma profecia de Cristo se cumpre e assim o Senhor voltará em breve. fiquem com Deus.

  70. Maria de Lourdes Carlos disse:

    O que é CACP? não sei , não quero saber, por que dar importancia a algo que não tem nenhuma importancia, sou adventista do 7º dia com muita alegria no coração, pois faço parte daqules que temem a DEUS e dai-lhe glória, e que guardam os mandementos de DEUS e a fé em Jesus, isto me basta. a minha igreja é o meu orgulho, pois nunca pregou nada contrário a isto. então porque responder aos ereges contrários aos ensinamentos bíblicos, devemos mesmo é orar por eles.
    lourdes

  71. Rauly disse:

    O CACP está para os ASD, assim como a Cleuza está para mim! Assim entenderão o que é um inimigo! Vocês dão importância demais ao CACP, e eu dou importância demais a Cleuza! Que tal ignorarmos o CACP e a Cleuza? Assim viveremos felizes de verdade!

  72. Rauly disse:

    Como é dificil aos ASD esquecerem o CACP, então resolvi investigar o que de tão alarmante o CACP diz sobre a IASD. Parece que o CACP ficou do lado da Ex ASD chamada JEANINE SAUTRON. É lamentável tudo isso!

  73. O CACP deve saber o que é seita coisa que eles não fazem saiu na Revista Veja que um cientista americano fez estudo durante 6 anos,à luz da Bíblia,para definir SEITA e,segundo a mensagem bíblica,ele disse:SEITA são todas as religiões,porque estão em oposição.A maioria das religiões são SEITAS,porque estão em oposição,contra a mensagem da Bíblia,isto é,contra a verdade,e a Igreja Adventista,está contra,em oposição a mentira e na prática da verdade.

  74. Eduardo do Nascimento Oliveira disse:

    Olá. Sou Cristão, recém batizado na Igreja Adventista do Sétimo Dia.
    A maioria das críticas e ataques feitos pelo CACP não possui fundamento bíblico, mas percebe-se uma postura raivosa e incômoda por parte de seus escritores.
    Contudo, uma coisa me incomoda: a preocupação de alguns irmãos em defender Ellen G White.
    A maioria dos ataques da CACP e de outros sites são direcionados aos ensinos da Sra. Ellen White e à aceitação da mesma como profetiza.
    Mas, no entanto, não podemos esquecer da nossa fé, que está baseada em Jesus Cristo como Salvador e no seu sacrifício por nós.
    Também tenho notado em alguns irmãos da IASD um certo legalismo com relação às práticas de outras denominações e até mesmo com relação a outros irmãos da IASD.
    Este legalismo, bem como esta preocupação com os ataques de alguns sites à Ellen White devem ser evitados.
    Claro que nunca devemos deixar de professar a verdade que aprendemos na Bíblia, que a Lei de Deus está valendo e que seus filhos devem obedecê-la. Isto é fato provado pelas próprias Escrituras Sagradas.
    Contudo, lembremo-nos que não somos salvos por causa de obras, nem tampouco por causa da nossa obediência aos mandamentos da Lei de Deus.
    Somos pecadores, sempre fomos, e nosso salário deveria estar definido, não fosse o sacrifício de Jesus na cruz do calvário.
    Tenho notado dentro da igreja uma preocupação excessiva com a guarda dos mandamentos, as vezes em detrimento da entrega e confiança em Deus e em Jesus Cristo.
    Nossa salvação vem da Graça de Deus, mediante nossa fé em Cristo Jesus. Guardamos seus mandamentos porque a fé em Jesus nos transforma em filhos obedientes ao único e verdadeiro Deus, e não o contrário.
    Somente por obras não podemos ser salvos, pois para os homens é impossível a salvação.
    “Pela Graça sois salvos mediante a fé, e isto não vem de vós, é dom de Deus.”
    Devemos dedicar nosso tempo em professar nossa fé em Jesus Cristo, em anunciar sua breve vinda, e em perseverarmos na fé e no amor ao nosso Deus, sendo obedientes como devem ser os filhos.
    Mas não nos esqueçamos nunca: nossa salvação vem de Deus, por meio de Cristo Jesus, de Graça, mediante nossa fé.
    Que Deus abençoe a todos.
    Amém.

Deixe seu comentário. Tudo o que pedimos é que se mantenha uma cultura de respeito. Isto significa não fazer ataques pessoais, não usar palavrões, e por favor manter o diálogo sobre o tema postado.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s