Respostas à Objeções

Para ter acesso as respostas, basta clicar sobre os links abaixo. Esta sessão será sempre atualizada.

Sessão 01 – A LEI

Objeção 01: Os Adventistas citam muito o AT como prova de suas Doutrinas, especialmente a Lei e o Sábado. Já os cristãos encontram suas orientações e doutrinas no NT. (RESPOSTA)

Objeção 02: Os adventistas procuram provar que existem duas leis descritas na Bíblia, uma moral, e outra cerimonial. Mas há apenas uma lei. (RESPOSTA)

Objeção 03: Os Dez Mandamentos não Existiam antes da época de Moisés. (RESPOSTA)

Objeção 04: “O próprio texto da lei Sinática prova que ele foi projetado apenas para os judeus. Os Dez Mandamentos são apresentados assim: ‘Eu sou o SENHOR, teu Deus, que te tirei da terra do Egito, da casa da servidão.” (Êxodo 20:2). Para quem é que o texto se aplica? Apenas para a nação israelita, é claro. “Veja também Deuteronômio 4:8, Romanos 9:4, e passagens semelhantes, que mencionam expressamente que a lei foi dada apenas para os israelitas. (RESPOSTA)

Objeção 05: A Bíblia diz que os Dez Mandamentos são a aliança que Deus fez com Israel no Sinai, isto é, a antiga aliança. (Veja Deut. 4:13) Esta aliança foi abolida, e nós vivemos sob a nova aliança. Portanto, não temos nada a fazer com os Dez Mandamentos. (Aguarde, em breve estaremos postando a Resposta a esta objeção)

Outras Objeções

01. Os Adventistas julgam ser a única Igreja Verdadeira (RESPOSTA)

02. Adventistas: um “grupo aberrante”?
(RESPOSTA)

3. Clóvis e seu uso desonesto de Ellen White – Parte 1
(RESPOSTA)

4. Clóvis e seu uso desonesto de Ellen White – Parte 2
(RESPOSTA)

5. Clóvis e seu uso desonesto de Ellen White – Parte 3
(RESPOSTA)

31 respostas para Respostas à Objeções

  1. DEMISSON ELÓI P. PAIVA disse:

    A PAZ DO SENHOR!

    AMEI ESTE BLOG. É DE GRANDE IMPORTÂNCIA. ACREDITO QUE TENHO A RESPOSTA SOBRE: AS DUAS LEIS.

    SOU CRENTE EM DEUS, CONGREGO EM UMA IGREJA PENTECOSTAL, MAS SOU SABATISTA E AMO OS MANDAMENTOS DO NOSSO DEUS E PROCURO OBEDECÊ-LO. CONHEÇO PARTE DA HISTÓRIA DO ADVENTISMO, DESDE A FUNDAÇÃO. SOU UM PESQUISADOR DA BÍBLIA, GOSTARIA MUITO DE APRENDER MAIS SOBRE OS MANDAMENTOS E PRINCIPALMENTE – O SÁBADO. QUERO ESTAR PREPARADO PARA DEFENDER A PALAVRA DE DEUS DAQUELES QUE GUARDAM O DOMINGO. DEUS OS ABENÇOE.

    EVANGELISTA: IR. ELÓI.

  2. Sérgio disse:

    Que DEUS abençõe a todos

    A minha resposta é seguidade uma pergunta bem objetiva:
    Podem me dar alguma passagem da Bíblia onde se é ordenado aos gentios convertidos ao cristianismo, no Novo Testamento, a obrigatoriedade da observância do sábado? Simplesmente dêem-me o capítulo e o versículo. Ficarei muito agradecido, já que todos os mandamentos do decálogo são repetidos no N.T. menos a repetição do 4º, pq será? É uma pergunta que fica no ar. AAAAA não esuqçam de dar o texto da repetição do 4º mandamento com O ”TEXTO” pq interpretações pessoais não adiantará.
    Aguardo

    Abraços
    Uma NOVA criatura convertido ao cristianismo Sérgio

  3. Seventh Day disse:

    Podem me dar alguma passagem da Bíblia onde se é ordenado aos gentios convertidos ao cristianismo, no Novo Testamento, a obrigatoriedade da observância do sábado?

    Mostrando indisfarçável aversão pela lei divina, alguns citam Romanos 2:14, isolando a expressão “os gentios que não tem lei”, para concluir erroneamente que a lei só fora dada a Israel, e que os gentios não precisam de lei. Ora, a Bíblia diz justamente o contrário, e preferimos crer nela. Em Isaías 56, por exemplo, lemos as grandes promessas feitas por Deus aos gentios que se unissem ao Seu concerto e guardassem o Sábado.

    Note-se que o capítulo se refere à dispensação cristã, quando “a salvação está prestes a vir e a justiça a manifestar-se”. Leia Números 15:15. E Gálatas 3:29, afirma que os cristãos são descendentes de Abraão e herdeiros conforme a promessa.

    A Escritura também não diz que Deus o é dos gentios? – “E porventura Deus somente dos judeus? E não o é também dos gentios? Também dos gentios, certamente.” (Romanos 3:29). No entanto, esse Deus, reiteradamente é denominado “Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó”. Todas as bênçãos divinas foram transferidas para o gentilismo: o concerto, a lei, o evangelho, tudo, em fim. Somos o Israel espiritual.

    Para compreender realmente Romanos 2:14, leiamos o verso 11 ao 16, e veremos que o apóstolo faz interessantes afirmações.

    1.ª – Que Deus não faz distinção de homens (pois só tem um padrão de julgamento: a Sua santa Lei. Sejam judeus ou gentios).

    2.ª – Que os que pecaram, mesmo não conhecendo a lei, perecerão. Notem bem: perecerão (porque o salário do pecado é a morte). Não se diz que se salvam pela consciência da lei.

    3.ª – Que os que pecaram, conhecendo a lei, por ela serão julgados. (Logo, não foi abolida porque será norma de julgamento). Paulo diz isso em sentido genérico, não restrito aos judeus. E os que forem julgados por ela, sendo achados em falta, necessariamente serão condenados, pois a transgrediram.

    4.ª – O verso 13 estabelece um cortejo entre os que “ouvem” e os que “praticam” os preceitos divinos. (compare com Tiago 1:22 a 26). E o apóstolo conclui que somente os últimos, os praticantes alcançam a justificação, e isto porque a sua fé os levou a obedecerem ao padrão do Céu.

    5.ª – Os versos 14 à 16 em conjunto revelam que ninguém escapa ao julgamento de Deus, que julgará os segredos dos homens. Não escaparão nem mesmo os que não tendo lei, julgam a praticar “as coisas que são da lei” sob o tríplice testemunho do coração, da consciência e do pensamento.

    Note-se a que alusão a “gentios” é motivada pelo contraste que Paulo estabelece na impenitência dos judeus. A tese forçada de que a lei não é necessária aos gentios, encontra o seu desmentido especialmente nos versos 12 e 13. É só ler com atenção e entendimento.

    Milton C. Wilcox faz judicioso comentário deste assunto, que reproduzimos:

    “A lei divina é uma só. O pagão que a tinha, ou supunha tê-la em sua capacidade, certamente julgava-se bem com a consciência mesmo nos tempos em que podia ter uma multidão de esposas. Àquele tempo ele podia praticar outras coisas que as próprias convenções da época não permitiriam – e que a luz da Palavra de Deus sem dúvida condenaria – tal como se deu com Abraão e Jacó. Mas sentiam-se bem com a consciência. A lei escrita em seus corações de início não constituía um conhecimento completo, senão um princípio de agir correto. Assim se expressa Deus em II Crônicas 16:9: “Os olhos do Senhor passam por toda a Terra para mostrar-Se forte com aqueles cujo coração é perfeito para com Ele.” – Milton C. Wilcox, Guestions Answered, pág. 96.

    Isto é o que Deus requer – afeição perfeita, perfeito coração. A força “propulsora” do homem é a sua afeição, seu amor, mesmo que seu conhecimento seja pouco.

    Mesmo que se manifeste apenas um raio de luz do trono de Deus, este raio de luz domina a sua vida, e o homem que se submete a ele é aceito por Deus. Mesmo tendo um conhecimento parcial da verdade, vive ele de acordo com a luz que possui.

    O pagão que tem pequena luz, sem dúvida submete-se a toda luz, quando esta lhe for revelada, e alegremente submeter-se-á aos mandamentos divinos. Para ele é somente questão de revelação para confirmar o que já está no coração. E este amor é abonado pelo Mestre para ‘obediência da lei’.

    Porém aquele que tem o conhecimento da Lei de Deus, expressa nos dez mandamentos, e ainda se submete ao pecado, por pequeno que seja, repele a luz. Se persistir nessa prática, será rejeitado por Deus.

    Concluir que os gentios não precisam de lei, seria admitir que eles não pecam, não precisam de revelação, não precisam de Deus. E se os gentios que não conheceram a lei, dispensam-na e se julgam pela consciência – como querem alguns – também, pelo mesmo raciocínio, os gentios que não conhecem o evangelho podem dispensá-lo pelas mesmas razões. Por aí se vê a debilidade do argumento.

    Nada, absolutamente nada prova que a lei fora dada exclusivamente os judeus, mas o que a Bíblia claramente revela é que Deus de modo especial honrou a Israel fazendo daquele nação Seu povo escolhido e depositário de Sua lei. (Romanos 9:4). Era objetivo de Deus que Israel tornasse conhecida a Sua vontade expressa na lei, a todas as demais nações. Leia ainda Deuteronômio 4:6 a 8; Romanos 3:1 e 2. E quando os gentios aceitaram a religião de Israel, também se sujeitaram à Lei de Deus. (Números 15:15 e 16; Isaías 56:6 a 8).

    Deus proferiu Sua lei santa, no monte Sinai, ao seu redor estavam os judeus. Também ao redor de Cristo, no sermão do Monte, só havia judeus… Mas as bênçãos da Lei e do Evangelho se estenderam aos gentios. Graças a Deus, pelo Seu Dom inefável!

    Por onde se vê a citação de Romanos 2:14 saiu às avessas, porque Paulo prova justamente o contrário, a validade da lei e sua extensão aos gentios. Dizem que “pregar a lei ao povo remido é um insulto e uma ofensa à igreja de Deus”! Calma, gente. Então que grandes insultadores foram Cristo, Paulo Tiago e João!!! E Wesley, Moody, Barnes, Clarke e outros. E Taylor, que disse ser “uma bênção se cada púlpito trovejasse a voz divina ao Decálogo, porque a lei é o aio que conduz a Cristo”? E os milhões de cristãos obedientes ao divino padrão? – O nosso zelo nos leva afirma: insultadores, na verdade, são os que desprezam a Lei de Deus, pisam os seus preceitos, ou os que negam deliberadamente. Examine-se cada um a si mesmo.

    Simplesmente dêem-me o capítulo e o versículo. Ficarei muito agradecido, já que todos os mandamentos do decálogo são repetidos no N.T. menos a repetição do 4º, pq será?

    Esta é uma alegação já totalmente desmoralizada, sem nenhum nexo. Primeiro, que o objetivo do Novo Testamento não é repetir mandamentos do Velho para os revalidar. Ademais, não há repetição ipsis literis de mandamentos tais como de não confeccionar imagens de esculturas, nem mesmo há proibição de utilizar em atos de culto imagens de santos da Igreja (o Novo Testamento fala de “ídolos” e isso se refere a divindades pagãs, pois naquele tempo nem se tinha o costume de utilizar tais imagens, como os católicos e ortodoxos advogam hoje).

    Também não há qualquer referência direta, só indireta, ao preceito de não proferir o nome de Deus em vão. E nenhuma menção de proibição clara, direta, objetiva, contra a consulta aos mortos.

    Sobre o sábado, Jesus não só confirmou seu estabelecimento na criação do mundo, portanto tendo caráter universal (Mar. 2:27), como isso é, para desconsolo dos anti-sabatistas, reconhecido pelos três grandes nomes do Movimento Protestante (Calvino, Lutero, Wesley) e pelas mais representativas confissões de fé, credos, declarações doutrinárias das Igrejas históricas do Protestantismo. O fato de que o reinterpretam para equivocadamente aplicá-lo ao domingo não altera as bases ideológicas da questão.

    PERGUNTA PARA RETRIBUIÇÃO: O fato de não haver no Novo Testamento qualquer proibição clara, objetiva, específica, de não se confeccionar imagens de escultura, não utilizá-las para os santos da Igreja, não dizer o nome de Deus em vão e não consultar os mortos significa que os cristãos podem praticar todas essas coisas mencionadas?
    Deus o abençoe !

    A lei não tem só o sábado, como o “não matarás”, “honra a teu pai e tua mãe”, “não adulterarás”, “não cobiçarás”. Assim que discriminam claramente o mandamento do sábado para alegar que os que o cumprem se põem “sob a lei”. Vamos, então, raciocinar um pouco: sendo que os sabatistas respeitam o preceito do sábado, junto com os demais NOVE de entre os DEZ Mandamentos, então com isso se põem sob a lei em uma proporção de 100%. Os anti-sabatistas admitem que NOVE de entre os DEZ mandamentos devem ser obedecidos, com isso se põem sob a lei em 90%!

    Pode-se ver que a diferença, enfim, afinal de contas, não é tão grande. . .

    MAIS UMA PERGUNTA PARA RETRIBUIÇÃO: Quando Paulo em Gálatas 5:16-21 contrasta os que estão sob a lei com os que são guiados pelo Espírito, indicando que os primeiros são os que praticam os pecados todos enumerados nos vs. 19-21, os últimos os que produzem aqueles frutos de obediência a Deus (vs. 22), com isso está dizendo que “sob a lei” nesse caso significa obedecê-la ou violá-la?

    Deus o abençoe !

  4. Joel Oliveira disse:

    O apóstolo Tiago é claro com relação aos dez mandamentos, quando afirma: “Aquele que tropeçar em um só ponto, torna-se culpado de todos”, logo, os que transgridem o santo sábado, torna-se trangressor de toda lei, e isso vale também para os adventistas, pois muitos aceitam o sábado como dia santo, porém, o transgride do mesmo jeito com atitudes contrárias ao que o Altíssimo determinou para esse dia.

    Aproveito para fazer uma pergunta.

    Em Atos 24:14 o Apóstolo Paulo afirma servir ao Deus de seus pais, sendo os pais de Paulo, Judeus, e sabendo que os Judeus até os dias de hoje adoram o único Deus,ou seja, o Pai do Messias. Devemos então adorar o Dues de Paulo (dos Judeus) ou o Deus trino católico?

  5. Seventh Day disse:

    Olá Joel, irmão em Cristo,

    Não gostaria de adentrar na questão da trindade por ser controversa.

    Certos elementos se tornarão claros, e outros permanecerão um mistério, pois “as coisas encobertas pertencem ao Senhor nosso Deus; porém as reveladas nos pertencem a nós e a nossos filhos para sempre, para que cumpramos todas as palavras desta lei” (Dt 29.29). Onde não temos uma palavra clara das Escrituras o silêncio é ouro. Escreveu Ellen White: “Há muitos mistérios que não busco compreender nem explicar; eles são muito elevados para mim e para vocês. Em alguns desses pontos, o silêncio é ouro”.

    se alguém pudesse explicar totalmente a natureza de Deus, Ele deixaria de ser Deus. Já pensou nisso? Em Isaías 45.15 diz: “Verdadeiramente Tu és Deus misterioso, ó Deus de Israel, ó Salvador.” Em Romanos 11.33-34 diz: “Ó profundidade da riqueza, tanto da sabedoria como do conhecimento de Deus! Quão insondáveis são os Seus juízos e quão inescrutáveis os Seus caminhos. Quem, pois conheceu a mente do Senhor? Ou quem foi o Seu conselheiro?”. Avançar ao encontro do que é oculto e misterioso, é laborar no campo minado por Lúcifer. Não compensa! Veja o cisma que esse assunto causou entre os adventistas, compensa ver irmãos discutindo como que em pé de guerra sobre esse assunto? Deus tem se agradado disto? Creio que não.

    Amo meus irmãos adventistas, tendo eles uma compreensão trinitariana de Deus ou não, não quero que por conta de divergências em questões interpretativas, esse amor seja de forma alguma arranhado.

    Você citou atos 24:14, para afirmar que até hoje os judeus adoram ao Deus de seus pais…isso pode ser correto ou não, depende da maneira como co-relacionamos alguns outros fatos…Hoje também os judeus como os judeus daquele tempo continuam rejeitando a Cristo como Messias, se quando veio a plenitude dos tempos eles não puderam reconhecer em Cristo, o cordeiro morto desde a fundação do mundo, como podemos afirmar com certeza que estes estavam adorando ao Deus verdadeiro? uma vez que não o puderam reconhecer e ainda negaram o verbo manifesto em carne? São apenas questões…

    Deus o abençoe !

  6. Pingback: Resposta aos Críticos: Os Dez Mandamentos Não Existiam antes do tempo de Moisés. « SÉTIMO DIA

  7. Pingback: Resposta aos Críticos: A Lei foi Dada somente para os Judeus? « SÉTIMO DIA

  8. Lia disse:

    aqueles que não acreditam na lei escrita pelo PRÓPRIO dedo de DEUS, me expliquem então o significado dessas passagens bíblicas (TODAS colocando-as em seu devido contexto) SEM FUGIR DO ASSUNTO:

    “”20 visto que ninguém será justificado diante dele por obras da lei, em razão de que pela lei vem o pleno conhecimento do pecado.
    (…)
    28 Concluímos, pois, que o homem é justificado pela fé, independentemente das obras da lei.
    (…)
    31 Anulamos, pois, a lei pela fé? Não, de maneira nenhuma! Antes, confirmamos a lei.”

  9. denilson disse:

    sobre a pergunta do sérgio, Lucas responde em atos 13 42 a44: lemos “…e os gentios pediram para que Paulo lhes falasse no sábado seguinte…” Quem havia lhes ordenado a ir adorar a Deus no sábado? será que o irmão sérgio sabe responder? em seguinda, “…e no sábado seguinte quase toda a cidade se reuniu para ouvir Paulo…”. A escritura que os gentios possuiam era a mesma que Paulo pregava, o velho testamento. Os gentios obedeciam a santidade do sábado como estava nas escrituras.

  10. samuel disse:

    GOSTARIA DE COMENTAR ÀQUELES QUE ACHAM QUE OS ADVENTISTAS FALAM DE MAIS SOBRE O SÁBADO E ESQUECEM DE PREGAR SOBRE O AMOR, JESUS, SUAS CURAS, SEU MINISTERIO DE SALVAÇÃO, GRAÇA ETC…; POR ESTAR NO CENTRO DA LEI DE DEUS, QUALQUER ASSUNTO SOBRE SALVAÇÃO, CURA, REDENÇÃO, MESSIAS, GRAÇA, PASSA PELO SÁBADO DO MANDAMENTO. QUEREM VER?

    QUE DIA JESUS O MESSIAS TINHA POR COSTUME IR À IGREJA? LUC 4:16, DIZ QUE ERA O SÁBADO.

    QUE DIA SEUS SEGUIDORES TINHAM POR COSTUME ESTAR NA IGREJA? LUCAS DIZ NO LIVRO DOS ATOS QUE ERA AOS SÁBADOS.

    QUE DIA AS PESSOAS IAM BUSCAR CURA PARA SUAS DEFICIENCIAS? OS QUATRO EVANGELISTAS AFIRMAM: “…E ERA SÁBADO”

    OS HEBREUS DEVIAM SANTIFICAR O SÁBADO POIS ELE REPRESENTAVA LIBERTAÇÃO DA ESCRAVIDÃO NO EGITO. OS ADVENTISTAS CONTINUAM A SANTIFICAR O SÁBADO EM COMEMORAÇÃO PELA LIBERTAÇÃO DA PENA DO PECADO ATRAVÉS DA MORTE DE JESUS E SUA DISPOSIÇÃO EM NOS PERDOAR OS PECADOS.

    POR FIM, A BÍBLIA ENSINA QUE O DESCANSO DO SÁBADO AQUI NA TERRA É UM PRELUDIO DO DESCANSO ETERNO ONDE ADORAREMOS AO CRIADOR A CADA SÁBADO NA NOVA TERRA “…QUE HEI DE FAZER, DIZ O SENHOR”.

  11. carlos roberto disse:

    ficha de leitura

  12. fabiano disse:

    joel eu queria te diser q o Deus de paulo era o Deus trino visto q o mesmo é mostrado na biblia desde os tempos remotos. desde geneses Deus tem se revelado trino. disse ele façamos o homem. será q o homem é imagem de alguem alem de Deus? tabem disse deçamos. la na comfusao das linguas. disse a isaias quem haverá de ir por nós? paulo disse graça e paz da parte de Deus e do senhor jesus cristo. seria estranho, para nao diser burrisse de paulo, diser isso se jesus fosse jeová. seria o mesmo q diser a respeito do presidente lula, um abraço para o presidente e tabem para o senhor lula, nao acha? logo paulo q era um grade intelectual nao ia cometer tamaha barberajem. quando jesus disse eu e o pai somos um, estava se referindo a uniao, assim como disse q o homem quando casa se torna uma só carne com a sua mulher, e quanto ao batismo ser em nome de jesus, pesqueise e aprenda o q sigunifica em nome de jesus eu acho q vc nao sabe o q quer diser essa frase. vou te dar so uma dica, em nome de jesus e falando o nome de jesus nao sao a mesma coisa.sao duas coisas diferentes.

  13. EVANDRO CUNHA disse:

    A QUESTÃO HOJE NO MUNDO É UM EVANGELHO DE PROPERIDADE E DESOBEDIENCIA A DEUS E SEUS MANDAMENTOS POIS A BIBLIA NAO FOI FEITA PARA SER QUESTIONADA E SIM ACEITA POIS TODOS AQUELES QUE QUESTIONAM É PORQUE ESTÃO NO PECADO E NAO QUEREM DEIXAR POIS O PECADO É A TRANSGREÇÃO DA LEI DE DEUS. O PROPRIO JESUS DISSE PARA NÓS GUARDARMOS OS SEUS MANDAMENTOS, MAS EU GUARDO OS MANDAMENTOS NÃO PARA SER SALVO MAS POR AMOR A CRISTO EU GUARDO PORQUE JA FUI SALVO. AGORA VAMOS VERCOMO DEVE ANDAR UM SALVO………………………..! IRMAOS A GRAÇA E A LEI ANDAO JUNTOS.
    POIS OS 4 MANDAMENTOS MOSTRA QUEM É DEUS E OS 6 MOSTRA O CARÁTER DE DEUS. AMEM.

  14. EVANDRO CUNHA disse:

    A QUESTÃO HOJE NO MUNDO É DE DESOBEDIÊCIA A DEUS E A SEUS MANDAMENTOS POIS A BÍBLIA NAO FOI FEITA PARA SER QUESTIONADA E SIM ACEITA. E A LEI DE DEUS NÃO SALVA NINGUEM, SÓ JESUS SALVA. MAS A LEI TEM UMA FUNÇÃO MUITO IMPORTANTE QUE É NOS MOSTRAR ONDE ESTAMOS ERRANDO (PECANDO CONTRA DEUS) E AGORA ELA A LEI ME LEVA ATÉ JESUS E JESUS ME PERDOA. JESUS HOJE É NOSSO ADVOGADO MAS UM DIA ELE VIRÁ COMO JUIZ. QUE POSSAMOS SER OBEDIENTES A DEUS. AMEM.

  15. Luís Tavares disse:

    Gostei do blog…só não entendo uma coisa… aqueles que pedem esclarecimentos, porque não replicam…

  16. jrmao2010 disse:

    Para reflexão…
    Jesus mostra que na sua volta, muitos que efetuavam milagres, expulsavam demônios em nome de Jesus, são rejeitados pelo próprio Jesus! por que será? Analisemos um trecho do texto de Mateus 7:

    “…Então, lhes direi explicitamente: nunca vos conheci. Apartai-vos de mim vós que praticais a INIQUIDADE” (verso 23)

    Um detalhe interessante: a palavra INIQUIDADE vem do grego ANOMIAN que significa desrespeito a lei! Assim como em 1º João 3:4

    Jesus portanto está dizendo:

    “…Então, lhes direi explicitamente: nunca vos conheci. Apartai-vos de mim vós que DESRESPEITAM A LEI”

  17. Bem, vejo que há uma objeção que ainda não foi respondida, trata-se de: “Objeção 05: A Bíblia diz que os Dez Mandamentos são a aliança que Deus fez com Israel no Sinai, isto é, a antiga aliança. (Veja Deut. 4:13) Esta aliança foi abolida, e nós vivemos sob a nova aliança. Portanto, não temos nada a fazer com os Dez Mandamentos. (Aguarde, em breve estaremos postando a Resposta a esta objeção)”. Gostaria de saber como faço para contribuir tecendo alguns argumentos que ajudam a refutar essa falácia. O blog SÉTIMO DIA já se mostrou competente quanto à refutação de tais sofismas. Esperarei a réplica e caso queira acrescentar algo, como faço?

  18. Xarles disse:

    Para os que argumentam que o mandamento do sábado é exclusividade dos Judeus tenho uma pergunta: por que Deus estabeleceu o sábado na criação da terra (Genêsis 2:1-3) sendo que nesse tempo o povo judeu ainda nem existia ( que incoerência não é verdade?) e por que Jesus disse em Marco 2:27 que o sábado foi estabelecido por causa do HOMEM como se referindo a toda a humanidade e não somente a nação de Israel.

    Para os que argumentam que a Lei (Dez Mandamentos) não existiam antes do Sinai e que no novo testamento não temos nada que ver com Lei gostaria de perguntar: que Lei observou o patriarca Abraão em Genêsis 26:5? e que Lei Deus escreve em nosso coração no novo testamento de acordo com Jeremias 31:33 e Hebreus 8:10? será que Abraão guardou uma Lei que não existia? será também que Deus no novo testamento escreve em nosso coração uma lei que foi abolida? (incoerência não é verdade?)
    Os verdadeiros cristãos sabem que somos salvos pela graça de Deus mediante a fé em Cristo, mas como pessoas que amam ao Senhor Jesus (João 14:15) não rejeitam nenhum dos Dez Mandamentos de Deus (Apocalipse 14:12, Mateus 19:17-19).
    Que Deus abençoe a cada um de nós em nossa caminhada cristã.

  19. Fabiano disse:

    Para quem crê nenhuma explicação se faz necessária!
    Para quem não crê nenhuma explicação será suficiente!
    Pensem nisso antes de questionar um cristão que obedece a Deus…

  20. JKakaroto disse:

    Fugindo um pouco do assunto, gostaria de saber se vc publicaria o famoso livro de niccolici, O livro do Pecado no seu blog. Eu scaneei uma copia e fiz pdf e estou querendo espalhar ele pela net. obrigado!

  21. JKakaroto,

    Do que se trata este livro? Nunca ouvi falar deste livro nem deste autor.
    Envie o pdf em meu e-mail blog.setimodia@gmail.com para eu analisar o conteúdo.

  22. JKakaroto disse:

    Ele relata a historia da reforma adventista, um dos fundadores que escreveu. Ele é muito procurado pois ele revela coisas feias da reforma naquele tempo, mostrando mais ainda que não era pra se fazer esse tipo de reforma. Vou mandar no seu email.

  23. Olá JKakaroto,

    Assim que vc enviar o pdf em meu e-mail> blog.setimodia@gmail.com >Vou vou fazer o upload no 4shared e adicionar este livro a nossa biblioteca virtual:
    https://setimodia.wordpress.com/downloads-2/biblioteca-virtual-adventista-3/

    Vc teria como scanear e converter em pdf o livro Resposta à Objeções do Francis Nicols?

    Obrigada!

  24. Queria demonstrar uma grande satisfação ao site “Sétimo Dia” por mostrar a verdade acima de qualquer critica por parte daqueles que ainda não á conhecem ou não á aceitam.

  25. Desculpe a demora em relação ao Livro do Pecado, estou com um problema para fazer o PDF, e estou editando as paginas uma a uma no photoshop.

  26. Oi Jonas,
    Tudo bem. Qdo estiver ok é só nos avisar.
    abraços.

  27. Olá Jonas,

    Obrigada por upar o vídeo. Já o adicionei a nossa biblioteca virtual:
    https://setimodia.wordpress.com/downloads-2/biblioteca-virtual-adventista-3/

    abraços:)

  28. Heitor Amorim disse:

    Provérbios 9:9, diz: “Dá ao sábio e ele se tornará ainda mais sábio. Transmite conhecimento a alguém justo e ele aumentará em erudição.”

    A lei não é apenas os 10 mandamentos! A lei tinha pelo menos uns 600 estatutos.

    Esse código de leis, chamado de Lei mosaica, ou simplesmente de “a Lei”, era “santo, e justo, e bom”. (Romanos 7:12) Promovia virtudes tais como bondade, honestidade, boa moral e prestimosidade. (Êxodo 23:4, 5; Levítico 19:14; Deuteronômio 15:13-15; 22:10, 22) A Lei também motivava os judeus a amarem uns aos outros. (Levítico 19:18) Além disso, eles não deviam misturar-se com os gentios, nem se casar com mulheres gentias que não se haviam sujeitado à Lei. (Deuteronômio 7:3, 4) A Lei mosaica, como “muro” de separação entre judeus e gentios, impedia que o povo de Deus se contaminasse com idéias e práticas pagãs. — Efésios 2:14, 15; João 18:28.

    Os 10 mandamentos eram o núcleo da Lei. Todavia, era obrigatório que judeus cumprissem os outros estatutos.

    Os judeus observavam algumas festividades, tais como:

    1 – Festividade dos Pães Não Fermentados (Lucas 2:41; Levítico 23:5, 6)
    2 – Festividade das Semanas(Nos dias de Jesus, chamada de Pentecostes) (Levítico 23:15, 16)
    3 – Festividade do Recolhimento ou Festividade das Barracas.(Levítico 23:34)

    Outra coisa que os judeus observavam e que foi equiparada a observancia do sábado foi:

    A Observancia da Lua Nova

    A ordem de Deus a Israel era que, em cada lua nova, que marcava o início dos meses lunares do calendário judaico, se tocassem trombetas sobre as suas ofertas queimadas e os seus sacrifícios de participação em comum. (Núm 10:10) Nestes dias deviam ser oferecidos sacrifícios especiais, além do contínuo sacrifício diário. A oferta da lua nova devia consistir em uma oferta queimada de dois novilhos, um carneiro e sete cordeiros de um ano, com as correspondentes ofertas de cereal e de vinho, bem como um cabritinho para uma oferta pelo pecado. — Núm 28:11-15.

    Isto é tudo o que foi ordenado no Pentateuco a respeito da sua observância, mas a observância da lua nova desenvolveu-se com o tempo, tornando-se uma importante festividade nacional. Em Isaías 1:13, 14, é colocada ao lado dos sábados e das épocas festivas. Pelo menos no tempo dos profetas posteriores, nos dias da lua nova o povo não se empenhava em negócios, conforme indicado em Amós 8:5. Isto era mais do que as Escrituras exigiam para os dias de lua nova. Mesmo assim, conforme mostram os últimos dois textos citados, a observância da lua nova pelos judeus, naquele tempo, já se tornara mero formalismo, odioso aos olhos de Jeová.

    O dia da lua nova era um dia especial para as pessoas se reunirem e festejarem. Isto se vê no argumento de Saul, quando Davi não compareceu à mesa de Saul no dia da lua nova. Saul disse a si mesmo: “Aconteceu alguma coisa, de modo que não está limpo, por não ter sido purificado.” (1Sa 20:5, 18, 24, 26) Embora se pudessem realizar certos tipos de trabalho neste dia, que não podiam ser realizados no sábado, era encarado como dia para a consideração de assuntos espirituais. O povo reunia-se em congresso (Is 1:13; 66:23; Sal 81:3; Ez 46:3), ou visitava profetas ou homens de Deus. — 2Rs 4:23.
    A observância do dia da lua nova não envolvia a adoração da lua, conforme era praticada por algumas nações pagãs, nem tinha qualquer relação com a astrologia. — Jz 8:21; 2Rs 23:5; Jó 31:26-28.

    Isaías escreveu sobre um tempo futuro em que toda a carne se ajuntaria para se curvar diante de Jeová nos dias da lua nova. (Is 66:23) Na profecia de Ezequiel, durante o tempo do exílio em Babilônia, quando ele recebeu a visão de um templo, Jeová disse-lhe: “Quanto ao portão do pátio interno, que dá para o leste, deve continuar fechado pelos seis dias de trabalho e deve ser aberto no dia de sábado, e deve ser aberto no dia da lua nova. E o povo da terra tem de curvar-se à entrada daquele portão, perante Jeová, nos sábados e nas luas novas.” — Ez 46:1, 3.

    Isto posto, devemos nos perguntar: Hoje, eu devo guardar apenas o sábado? E a Lua Nova? E as festividades? E os sacrificios?

    A Lei mosaica era para vigorar em caráter temporário. Escrevendo a irmãos na fé, o apóstolo Paulo a descreveu como “tutor, conduzindo a Cristo”. (Gálatas 3:24) Na antiguidade, o tutor acompanhava as crianças na ida e na volta à escola. Normalmente ele não era o instrutor; apenas levava as crianças ao instrutor. De modo similar, a Lei mosaica se destinava a levar a Cristo os judeus que temiam a Deus. Jesus prometeu estar com os seus seguidores “todos os dias, até à terminação do sistema de coisas”. (Mateus 28:20) Assim, depois da formação da congregação cristã, o “tutor” — a Lei — não tinha mais finalidade. (Romanos 10:4; Gálatas 3:25) Mas alguns cristãos judeus não compreenderam logo essa verdade vital. Em resultado disso, continuaram a observar particularidades da Lei, mesmo depois da ressurreição de Jesus. Outros, porém, ajustaram seu modo de pensar. Assim, deram um excelente exemplo para nós hoje em dia. Vejamos em que sentido

    Em 36 EC, o apóstolo cristão Pedro teve uma notável visão. Naquela ocasião, uma voz celestial o mandou abater e comer aves e animais considerados impuros sob a Lei. Pedro ficou chocado! Nunca tinha ‘comido nada aviltado e impuro’. Mas a voz lhe mandou: “Pára de chamar de aviltadas as coisas que Deus purificou.” (Atos 10:9-15) Pedro, em vez de se apegar rigidamente à Lei, ajustou seu conceito. Isso o levou a uma espantosa descoberta referente aos propósitos de Deus

    Aconteceu o seguinte. Três homens foram à casa em que Pedro estava para pedir que fosse com eles à casa dum devoto gentio, incircunciso, de nome Cornélio. Pedro convidou esses homens a entrarem na casa e os hospedou. Tendo compreendido o significado dessa visão, Pedro os acompanhou no dia seguinte à casa de Cornélio. Ali, Pedro deu um testemunho cabal a respeito de Jesus Cristo. Naquela ocasião, Pedro disse: “Certamente percebo que Deus não é parcial, mas, em cada nação, o homem que o teme e que faz a justiça lhe é aceitável.” Não só Cornélio, mas também os seus parentes e amigos íntimos passaram a ter fé em Jesus, e “caiu o espírito santo sobre todos os que ouviam a palavra”. Reconhecendo a mão de Jeová nesse assunto, Pedro “mandou que fossem batizados no nome de Jesus Cristo”. — Atos 10:17-48.

    O que habilitou Pedro a chegar à conclusão de que gentios que não haviam se sujeitado à Lei mosaica podiam então se tornar seguidores de Jesus Cristo? Discernimento espiritual. Visto que Deus lhe mostrara que aprovava gentios incircuncisos, derramando sobre eles o seu espírito, Pedro discerniu que eles podiam ser aceitos para o batismo. Ao mesmo tempo, Pedro aparentemente se deu conta de que Deus não esperava que os cristãos gentios observassem a Lei de Moisés como condição para o batismo. Se você tivesse vivido lá naquele tempo, teria estado tão disposto como Pedro a reajustar seu modo de pensar?

    Depois de sair da casa de Cornélio, Pedro foi a Jerusalém. A congregação ali já sabia que gentios incircuncisos haviam ‘recebido a palavra de Deus’, e alguns discípulos judeus estavam perturbados com isso. (Atos 11:1-3) Embora reconhecessem que gentios podiam tornar-se seguidores de Jesus, “os patrocinadores da circuncisão” insistiam em que essas pessoas das nações não-judaicas tinham de cumprir a Lei para serem salvas. Por outro lado, em regiões predominantemente gentias, onde havia poucos cristãos judeus, a circuncisão não era necessariamente uma questão polêmica. Os dois pontos de vista persistiram por uns 13 anos. (1 Coríntios 1:10) Que prova isso deve ter sido para aqueles primeiros cristãos — especialmente para os gentios que moravam em regiões judaicas! Será que também esta sendo uma provação para os que sinceramente amam a Deus e sua santa palavra?

    A situação ficou crítica em 49 EC, quando cristãos de Jerusalém chegaram à Antioquia, da Síria, onde Paulo pregava. Começaram a ensinar que os conversos gentios tinham de ser circuncidados segundo a Lei. Houve muita discussão e disputa entre eles, com Paulo e Barnabé. Se a questão não fosse resolvida, alguns cristãos, quer de origem judia quer gentia, forçosamente tropeçariam. De modo que se providenciou que Paulo e alguns outros fossem a Jerusalém e pedissem a um alguns apostolos e anciãos cristão para resolver a questão de uma vez por todas. — Atos 15:1, 2, 24.
    Nesta reunião esse grupo de cristãos ungidos fizeram uma análise de todos os apectos da Lei mosaíca… o que devia ou não ser cumprido pelos cristãos.

    Numa reunião que foi realizada, alguns parecem ter argumentado a favor da circuncisão, ao passo que outros expressaram o conceito contrário. Mas a emoção não prevaleceu. Depois de muita disputa, os apóstolos Pedro e Paulo descreveram os sinais realizados por Jeová entre os incircuncisos. Explicaram que Deus havia derramado espírito santo sobre gentios incircuncisos. Perguntaram, em outras palavras: ‘É correto a congregação cristã rejeitar aqueles que Deus aceita?’ O discípulo Tiago leu então uma passagem das Escrituras, que ajudou todos os presentes a discernir a vontade de Jeová sobre o assunto. — Atos 15:4-17.

    Toda a atenção se voltou então para aqueles irmãos. Decidiriam a favor da circuncisão, influenciados pela sua formação judaica? Não. Aqueles homens fiéis estavam decididos a seguir as Escrituras e a orientação do espírito santo de Deus. Depois de ouvir todos os testemunhos pertinentes, os apostolos concordaram por unanimidade que não era preciso que os cristãos gentios fossem circuncidados e se sujeitassem à Lei mosaica. Quando essa informação chegou aos irmãos, eles ficaram muito contentes, e as congregações começaram a “aumentar em número, dia a dia”. Esses cristãos, que se submeteram à clara orientação teocrática, foram abençoados com uma sólida resposta das Escrituras. (Atos 15:19-23, 28, 29; 16:1-5) Mas ainda faltava responder a uma pergunta importante.

    Os apostolos indicaram claramente que os cristãos gentios não precisavam ser circuncidados. Mas que dizer dos cristãos judeus? A decisão dos apostolos não havia tratado especificamente desse aspecto da questão.

    Alguns cristãos judeus, “zelosos da Lei”, continuaram a circuncidar seus filhos e a cumprir certos aspectos da Lei. (Atos 21:20) Outros iam além disso, insistindo até mesmo que era necessário que os cristãos judeus cumprissem a Lei para ser salvos. Neste respeito, estavam categoricamente errados. Por exemplo, como podia um cristão oferecer um animal como sacrifício pela remissão de pecados? O sacrifício de Cristo tornara tais ofertas obsoletas. Que dizer do requisito da Lei, de que os judeus evitassem a associação achegada com gentios? Teria sido muito difícil para zelosos evangelizadores cristãos acatar essas restrições e ainda assim cumprir a comissão de ensinar aos gentios tudo o que Jesus havia ensinado. (Mateus 28:19, 20; Atos 1:8; 10:28) Não há evidência de que esse assunto tenha sido esclarecido numa reunião dos apostolos. Mesmo assim, a congregação não ficou sem ajuda.

    Houve orientação, em cartas inspiradas adicionais, escritas pelos apóstolos. Por exemplo, o apóstolo Paulo enviou uma forte mensagem a judeus e a gentios que moravam em Roma. Na sua carta a eles, explicou que o verdadeiro judeu “é aquele que o é no íntimo, e a sua circuncisão é a do coração, por espírito”. (Romanos 2:28, 29) Na mesma carta, Paulo usou uma ilustração para provar que os cristãos não estavam mais sob a Lei. Argumentou que uma mulher não podia estar casada com dois homens ao mesmo tempo. Mas, se seu marido falecesse, estaria livre para se casar de novo. Paulo aplicou então esta ilustração, mostrando que os cristãos ungidos não podiam estar sujeitos à Lei mosaica e ao mesmo tempo pertencer a Cristo. Tinham de estar “mortos para com a Lei”, para poder estar em união com Cristo. — Romanos 7:1-5.

    O raciocínio de Paulo a respeito da Lei era incontestável. Então, como é que alguns cristãos judeus não entenderam o ponto em questão? Em primeiro lugar, faltava-lhes discernimento espiritual. Por exemplo, eles negligenciavam absorver o sólido alimento espiritual. (Hebreus 5:11-14) Eram também irregulares na assistência às reuniões cristãs. (Hebreus 10:23-25) Outro motivo de alguns não entenderem o ponto em questão talvez estivesse relacionado com a natureza da própria Lei. Ela girava em torno de coisas que podiam ser vistas, sentidas e tocadas, tais como o templo e o sacerdócio. Era mais fácil para alguém com falta de espiritualidade aceitar a Lei do que adotar os princípios mais profundos do cristianismo, que giravam em torno de realidades não vistas. — 2 Coríntios 4:18.

    Ainda outro motivo pelo qual certos professos cristãos estavam ansiosos para observar a Lei foi especificado por Paulo na sua carta aos gálatas. Ele explicou que esses homens queriam ser considerados respeitáveis, como membros duma religião tradicional. Em vez de se destacarem como cristãos na comunidade, estavam dispostos a fazer quase qualquer concessão para não serem encarados como diferentes. Estavam mais interessados em obter a aprovação de homens do que a de Deus. — Gálatas 6:12.

    Cristãos discernidores, que estudaram cuidadosamente os escritos inspirados de Paulo e de outros, tiraram as conclusões certas quanto à Lei. No entanto, foi só no ano 70 EC que o conceito correto sobre a Lei mosaica se tornou inconfundivelmente claro para todos os cristãos judeus. Isso aconteceu quando Deus permitiu que Jerusalém, seu templo e os registros pertencentes ao seu sacerdócio fossem destruídos, impossibilitando assim que alguém observasse todos os aspectos da Lei.

    Significa isso que, uma vez que os cristãos não estão sob os Dez Mandamentos, não precisam obedecer a lei alguma? De modo algum. Jesus instituiu um “novo pacto”, baseado no sacrifício melhor de sua própria vida humana perfeita. Os cristãos vêm a estar sob este novo pacto e estão sujeitos às leis cristãs. (Hebreus 8:7-13; Lucas 22:20) Muitas dessas leis foram tiradas da lei de Moisés. Isso não é inesperado ou incomum. Algo similar muitas vezes acontece quando um novo governo assume o controle do país. A constituição sob o antigo governo talvez seja cancelada e substituída, mas a nova constituição talvez conserve muitas das leis da antiga. De modo similar, o pacto da Lei acabou, mas muitas de suas leis e princípios básicos foram adotados no cristianismo.

    Leia os dez mandamentos e compare-os com as seguintes leis e ensinamentos cristãos:

    A)“É a Jeová, teu Deus, que tens de adorar.” (Mateus 4:10; 1 Coríntios 10:20-22)
    B)“Guardai-vos dos ídolos.” (1 João 5:21; 1 Coríntios 10:14)
    C)“Nosso Pai nos céus, santificado [não tratado dum modo fútil] seja o teu nome.” (Mateus 6:9)
    D)“Filhos, sede obedientes aos vossos pais.” (Efésios 6:1, 2)

    E a Bíblia torna claro que:

    A) o assassinato,
    B) o adultério,
    C) o roubo (Efésios 4:25, 28),
    D) a mentira
    E) a cobiça também são contrários à lei cristã.
    — Apocalipse 21:8; 1 João 3:15; Hebreus 13:4; 1 Tessalonicenses 4:3-7; ; 1 Coríntios 6:9-11; Lucas 12:15; Colossenses 3:5.

    De modo que os cristãos são instados a ‘cumprir a lei do Cristo’, em vez de guardarem os Dez Mandamentos. (Gálatas 6:2) Jesus deu muitos mandamentos e muitas instruções, e, pela nossa obediência a tais, obedecemos à sua lei ou a cumprimos. Em especial, Jesus acentuou a importância do amor. (Mateus 22:36-40; João 13:34, 35) Sim, amar os outros é uma lei cristã. É a base da inteira lei de Moisés, como diz a Bíblia: “Pois a Lei inteira está cumprida numa só expressão, a saber: ‘Tens de amar o teu próximo como a ti mesmo.’” — Gálatas 5:13, 14; Romanos 13:8-10.

    Embora os cristãos não estejam sob a ordem de guardar um sábado semanal, aprendemos algo desse arranjo. Os israelitas descansavam dum modo literal, mas os cristãos devem descansar dum modo espiritual. Como? Por causa da fé e obediência os verdadeiros cristãos deixam de praticar obras egoístas. Estas obras egoístas incluem os empenhos de estabelecer a sua própria justiça. (Hebreus 4:10) Este descanso espiritual é observado não apenas num dia por semana, mas em todos os sete dias. O requisito da lei do sábado literal, de reservar um dia para interesses espirituais, protegia os israelitas contra usarem egoistamente todo o seu tempo no empenho em prol de sua própria vantagem material. Aplicar este princípio todo dia dum modo espiritual é uma proteção ainda mais eficaz contra o materialismo.

    A lei dada por meio de Moisés, com os seus Dez Mandamentos, era um conjunto de leis justas da parte de Deus. E, embora não estejamos sob tal lei hoje, os princípios divinos por trás dela ainda são de grande valor para nós. Por estudá-los e aplicá-los aumentaremos em apreço pelo grande Legislador, Jeová Deus. Mas, devemos estudar e aplicar em nossa vida especialmente as leis e os ensinos cristãos. O amor a Jeová nos moverá a obedecer a tudo o que ele agora requer de nós. — 1 João 5:3.

  29. Adriel Lima disse:

    Já vi muita gente dizer que o sábado semanal simbolizava o descanso que se cumpriu em Cristo. E que após a sua morte, os que o aceitaram pela fé entraram no seu descanso, e que agora estamos desobrigados de guardar o sétimo dia da semana. E utilizam o seguinte texto:
    Hebreus 4:10 – Porque aquele que entrou no seu repouso, ele próprio repousou de suas obras, como Deus das suas.
    Hebreus 4:11 – Procuremos, pois, entrar naquele repouso, para que ninguém caia no mesmo exemplo de desobediência.

    Para embasar a crença de que o sábado foi abolido, equivalem-se de Colossenses 2:16 e Oseias 2:11. (Quanto a esses dois textos não preciso de esclarecimentos, concordo que o sábado a que se referem é o cerimonial)

    E utilizam a seguinte passagem para confirmar que em Jesus encontramos o nosso descanso:

    “VENHAM A MIM, todos os que estão cansados e sobrecarregados, e EU LHES DAREI DESCANSO… APRENDAM DE MIM, pois sou manso e humilde de coração, e vocês encontrarão DESCANSO PARA AS SUAS ALMAS”. Mateus 11:28, 29.

    Afinal de contas o descanso do sábado se cumpriu em Jesus, ele é o nosso descanso? De modo que não precisamos mais guardar dias? Eu creio que não, mas gostaria de um auxilio para entender Hebreus 4.

  30. Adriel,

    “VENHAM A MIM, todos os que estão cansados e sobrecarregados, e EU LHES DAREI DESCANSO… APRENDAM DE MIM, pois sou manso e humilde de coração, e vocês encontrarão DESCANSO PARA AS SUAS ALMAS”. Mateus 11:28, 29.

    As pessoas estavam cansadas e sobrecarregadas com o jugo que os farizeus e escribas colocavam sobre elas através de uma religião repleta de formalidades e ordens a serem cumpridas para alcançarem favor diante de Deus. Jesus veio para fazer as pessoas se libertarem deste jugo (da salvação pelas obras) e buscarem em Cristo alívio, descanso para suas almas. Cristo as aliviou do jugo de crerem que a salvação se daria através das muitas regras de uma religião formal as quais não conseguiam cumprir fazendo-as aceitar a salvação que Ele lhes oferecia se cressem nEle como redentor e salvador.

    Lembrando que o sábado da Santa Lei de Deus não é um jugo, mas deleitável! Assim como toda a Santa Lei de deus!

    Diz a crônica sagrada: “E abençoou Deus o dia sétimo, e o santificou; porque nele descansou de toda a Sua obra, que Deus criara e fizera.” Portanto, a instituição do sábado, como monumento histórico, tem as suas raízes na própria origem da Terra.

    Deus quer que os que O amam deixem seus trabalhos comuns durante as horas do sábado e que o consagrem ao descanso físico, ao culto divino, à meditação, às obras de caridade e ao exercício espiritual. Os que assim fizerem, desfrutarão a santidade que Deus comunicou ao sábado. Não o considerarão um dever penoso, mas uma experiência deleitável. A obediência que se origina no amor, levar-nos-á a usufruir a felicidade de Cristo, a qual O levou a sentenciar: “Deleito-me em fazer a Tua vontade, ó Deus meu; sim, a Tua lei está dentro do meu coração” (Sl 40:8).

    Recomendo a você leitura do artigo:

    Qual é o Descanso de Hebreus 4:9?

Deixe seu comentário. Tudo o que pedimos é que se mantenha uma cultura de respeito. Isto significa não fazer ataques pessoais, não usar palavrões, e por favor manter o diálogo sobre o tema postado.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s