A Marca do Mal

Tanto a besta quanto a sua imagem(a) compartilham um dogma que: as mantêm fortemente unidas; submete os homens aos seus enganos e, se opõe ao selo de Deus – o sábado do quarto mandamento(b). Dentre os diversos erros disseminados por elas, somente o ensino da observância dominical conserva estas peculiaridades reunidas, tornando-a a marca ou a principal distinção das organizações que retêm este falso “dia do Senhor”(c). Esse ponto doutrinário demonstra a tentativa prepotente de usurpar a autoridade de Deus e de desviar a verdadeira adoração destinada a Ele.

A Bíblia em toda a sua extensão ensina que unicamente o sétimo dia da semana foi santificado e abençoado por Deus; e destina-se a atender exclusivamente aos Seus propósitos. Porém, o homem em busca de satisfazer seus interesses particulares confronta constantemente as orientações do seu Criador (Romanos 8:5-9). Deus nunca modificou qualquer mandamento do Decálogo e muito menos concedeu autoridade para que alguém assim procedesse. Apesar disso, a “besta e a sua imagem” proclamam com soberba que o domingo substituiu o sábado na lei de Deus, e conclamam que esta heresia seja obedecida.

A terceira mensagem angélica adverte quanto a aceitação deste falso dia de descanso dizendo: “Se alguém adora a besta e a sua imagem e recebe a sua marca na fronte ou sobre a mão, também esse beberá do vinho da cólera de Deus, preparado, sem mistura, do cálice da Sua ira, e será atormentado com fogo e enxofre, diante dos santos anjos e na presença do Cordeiro.” (Apocalipse 14:9-10).

A “marca” ou “sinal” da besta não é um chip, um código de barra, um símbolo místico ou o número 666 fixado no corpo. Estas fantasiosas especulações não são sustentadas pela Bíblia. Receber a “marca da besta” (a marca do sistema religioso apostatado) indica que a pessoa através de suas próprias convicções(de forma consciente – “na fronte”), ou, motivada pela conveniência de sua vida (de suas ações – “sobre a mão”) reconhece que a “besta e sua imagem” possuem autoridade em substituir o sétimo dia da semana descrito no quarto mandamento, pelo primeiro dia. Aceitar essa mudança é consequentemente render à elas obediência e adoração. Ressaltando que, ninguém receberá essa marca sem antes conhecer plenamente as verdades sobre estas questões; mas aquele que, embora ciente deste assunto, resolve seguir o falso dia de descanso.

“Quando essa questão for claramente colocada diante do mundo, aqueles que rejeitam o memorial divino da Criação – o sábado bíblico – escolhendo adorar e honrar o domingo – mesmo depois de ter pleno e cabal conhecimento de que este não é o dia apontado por Deus para a adoração – receberão a ‘marca da besta’. Esta é a marca da rebelião; a besta afirma(d) que o fato de ela haver alterado o dia de adoração é uma prova de sua autoridade em modificar a lei de Deus.”1

Este conflito terá seu auge quando as igrejas protestantes que defendem a guarda dominical, lideradas pela Igreja de Roma (ICAR), exigirem que o Estado utilize seu poder para fazer valer de forma obrigatória a observância do domingo mediante lei civil, com punição aos infratores (Apocalipse 13:11-18). Assim como já ocorrera no passado(e).

Nunca houve uma terceira opção e não haverá nos eventos finais deste mundo. “Até quando coxeareis entre dois pensamentos? Se o Senhor é Deus, segui-O; se é Baal, segui-o.” (I Reis 18:21). Assim como o remanescente fiel consolida sua lealdade a Deus e recebe o Seu selo (Apocalipse 7:2-3), em contraposição existem os que firmam-se na “besta e na sua imagem” e recebem o seu respectivo selo. O foco desta questão é a fidelidade para com a vontade de Deus expressa claramente em Sua lei (Êxodo 20:3-17 cfMateus 19:16-19Lucas 16:17), sobretudo no quarto mandamento, o centro do conflito final (Apocalipse 14:7cf Êxodo 20:11Apocalipse 14:12). No momento em que Lúcifer se tornou Satanás, este idealizou obter para si mesmo obediência e adoração das criaturas de Deus, e nos últimos momentos que lhe resta fará isto com todo empenho auxiliado por seus agentes.2


a. A expressão “imagem da besta” refere-se ao sistema religioso que atuará segundo os mesmos princípios da “besta” descrita em Apocalipse 13:1-8. E, assim como esta utilizava o poder político do(s) Estado(s) para impor suas doutrinas, igualmente ocorrerá com a sua “imagem”. Acesse: Babilônia Denuncia II

b. Acesse: O Selo de Deus

c. Acesse: O “dia do SENHOR”

d. Acesse: Do Sábado para o Domingo

e. Acesse: Série: O Sétimo Dia

1Nisto Cremos. (2003). 7.ª ed., São Paulo: CPB, cap. 12, p. 231.

2. Efésios 6:11-12; I João 2:1-4 cf João 8:44; II Tessalonicenses 2:3-4 cf Isaías 14:13-14, Ezequiel 28:12-18, Apocalipse 12:17. Acesse: A Lei de Deus – Adulterada

IASDonLine

Sobre Blog Sétimo Dia

“SOLO CHRISTO”, “SOLA GRATIA”, “SOLA FIDE”, “SOLA SCRIPTURA” (salvação somente em Cristo, somente devido à graça de Deus, somente pela instrumentalidade da fé, somente com base na Escritura)
Esse post foi publicado em Terceira Mensagem e marcado , . Guardar link permanente.

3 respostas para A Marca do Mal

  1. irmão leitor disse:

    “Deus nunca modificou qualquer mandamento do Decálogo…”

    A Lei de Deus, por causa do pecado, foi expressa em forma de dez mandamentos. Essa era a linguagem própria para o caídos seres humanos. Mas a Lei de Deus sempre existiu! Prova é que Lúcifer e Adão foram considerados transgressores! Transgressores do quê?

    Essa Lei de Deus é tão preciosa, tão imutável, que, por não poder mudá-la, Cristo aqui veio, e a obedeceu. Se fosse possível qualquer alteração, bastava ter perdoado Satanás, e também Adão, e evitaria-se o sacrifício de Jesus!

    E porque Jesus, como segundo Adão, a ela foi obediente, foi considerado provado e vitorioso, e o Pai pôde aceitar Seu sacrifício. Como tinha vida em Si, a deu em favor da humanidade caída.

    Tal sacrifício prova que a Lei de Deus é eterna, imutável, imexível.
    Não obedecê-la, mesmo que na linguagem do Decálogo, é rebelião contra o governo Divino.

  2. o que ira acontecer com as pessoas que guarda o domingo, pra onde irãõ pelo meu conhecimento a maoria dos pastoeres estudaram teologia porque eles reculsão,encinar o velho testamento ignorando o sabado quem e pastor naõ pode encinar a palavra de deus errada,sera que deus vai escruir essas pessoas que seguem, de ser salva eu ja fui em varias igreja varias denominasoes vejo tanta fé nas pessoas que ali se encontram, eu tenho visto isso em todos os lugares,eu fui criado dentro do evangelho dentro agreja adiventista,eu sei que e errado o que faço passei a ser um filho de deus, so pra deus converso com ele todos os dias,as minhas oraçoes e so de agradecimento,porque eu naõ acredito mas em pastores,eu acho muito bonito quando os irmãõ dis a paz no senhor irmãõ, ali vejo que ten um irmaõ em cristo falando comigo, eu respondo no mesmo tom a paz no senhor irmaõ, que deus nos proteja de todos que quer fazer o mau com os servos de deus,amem

  3. Jeferson disse:

    Tendo ciencia de que Lucifer era um anjo de 5a grandeza e que no céu não havia outro anjo que se igualasse a ele, se Deus o criou puro e perfeito assim como os anjos inferiores.
    Me vem a seguinte pergunta. De onde originou-se a inveja de Lucifer, se ele so conhecia a pureza, a perfeição e o amor?? Os anjos são portadores do livre arbitrio??

Deixe seu comentário. Tudo o que pedimos é que se mantenha uma cultura de respeito. Isto significa não fazer ataques pessoais, não usar palavrões, e por favor manter o diálogo sobre o tema postado.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s