A Bíblia Ensina a Guarda do Domingo? O que Dizem as Igrejas?

—> Assembléia De Deus

    “A falta de probidade intelectual neste assunto é deveras deplorável, mas que deverá pensar o estudante confiado a respeito desta afirmação em que o sábado judaico é identificado com o domingo cristão: — ‘Depois da ressurreição de nosso Senhor, passou-se a observar o primeiro dia da semana, em vez do sétimo, como sábado, em comemoração de Sua ressurreição dos mortos’? Temos ouvido muito acerca de ficções lícitas, aqui porém temos uma ficção religiosa que ultrapassa as mais ousadas ficções lícitas… Que o sábado judaico e o domingo cristão são dois dias diferentes, está suficientemente comprovado pelo fato de que durante um longo tempo depois da morte de Jesus os cristãos observaram ambos os dias, não lhes ocorrendo confundir esses dois dias, tão pouco como a nós o confundir o natal com a festa de 4 de julho. (…) O primeiro era observado no sétimo dia, e na manhã seguinte os cristãos celebravam uma reunião simples, entregando-se depois aos diversos cuidados e prazeres do dia, como soíam fazer num outro dia qualquer.” — Extraído de “The Forum”, por J. W. Chadwick, vol. 14, p. 543–544.

Um dicionário teológico, preparado pelo teólogo Dr. Charles Buck, afirma:

    “Sábado, na língua Hebraica, significa ‘cessar’, e é o sétimo dia da semana… e devemos confessar que não há lei alguma, no Novo Testamento, com relação ao primeiro dia.” — P. 403, art. “O Sábado”.

—> Igreja Presbiteriana

Em seu livro “The Ten Commandments”, diz o presbiteriano Dr. R. W. Dale:

    “Está claro que, embora guardemos o domingo rigorosa ou devotamente, não estamos observando o sábado. (…) O sábado foi instituído por uma ordem específica e divina. Não podemos apoiar-nos em nenhuma ordem dessa natureza relacionada com a obrigação de guardar o domingo. (…) Não há, no Novo Testamento, uma única sentença indicando que estamos sujeitos a qualquer penalidade por violação à suposta santidade do domingo. No repouso dominical, não entra a lei divina.” — P. 127–129. Grifos acrescentados.

Na obra “Theology Explained and Defended”, do presbiteriano Timothy Dwight, lemos:

    “O Sábado cristão (domingo) não se encontra nas Escrituras, e não era chamado ‘o sábado’ pela igreja primitiva.” — Ed. de 1818, vol. 4, nº 107, p. 49. Grifos acrescentados.

O Dr. William D. Killen, teólogo presbiteriano de renome, afirma:

    “No intervalo entre os dias dos apóstolos e a (suposta) conversão de Constantino, a comunidade cristã mudou de aspecto… Ritos e cerimônias, das quais nem Paulo nem Pedro jamais ouviram, entraram sub-repticiamente em uso e depois reclamaram o direito de serem consideradas instituições divinas. Funções para as quais os primitivos discípulos não podiam encontrar nenhum lugar, e títulos que para eles teriam sido completamente ininteligíveis, começaram a reclamar atenção a ser chamados apostólicos.” — D. D., “The Ancient Church”, Prefácio da ed. original, p. 16.

O Dr. N. Summerbell, autor presbiteriano, faz esta declaração em sua obra “History of the Christians”:

    “Ela (a Igreja Católica) subverteu o quarto mandamento, dispensando o sábado da palavra de Deus e substituindo-o pelo domingo, como dia santificado.” — P. 418. Grifos acrescentados.

—> Igreja Batista

O Rev. Joseph Judson Taylor, famoso ministro da Igreja Batista, faz esta declaração em “The Sabbath Question”:

    “Neste ponto (o sábado) o ensinamento da Palavra tem sido admitido em todas as gerações.” “Nenhuma vez os discípulos aplicaram a lei sabática ao primeiro dia da semana. Esta loucura realizou-se num tempo posterior. Nem pretendiam que o primeiro dia suplantasse o sétimo.” — P. 17 e 41. Grifos acrescentados.

O Dr. Edward T. Hiscox, autor do Manual Batista, fez perante um grupo de ministros, na “Convenção Ministerial Batista”, em New York, no dia 13 de novembro de 1893, a seguinte declaração:

    “Havia e há um mandamento para santificar-se o Sábado, mas esse Sábado não era o domingo. Sem impedimento pode-se dizer, com mostras de triunfo, que o sábado foi transferido do sétimo ao primeiro dia, com todos os seus deveres, privilégios e santidades. Com ardente ansiedade, buscando informações sobre este assunto que tenho estudado durante muitos anos, pergunto: onde pode encontrar-se o arquivo desta transação? Não no Novo Testamento, absolutamente não. Não há evidência bíblica quanto à mudança do sábado do sétimo para o primeiro dia da semana. “Desejo dizer que esta questão do sábado, deste ponto de vista, é o problema mais grave e desconcertante relacionado com as instituições cristãs, que presentemente chama a atenção dos cristãos; e a única razão por que o mundo cristão tem permanecido satisfeito com a convicção de que alguma ocasião, no começo da história cristã, foi feita uma mudança. (…) “Parece-me inexplicável que Jesus, durante três anos de discussões com Seus discípulos, em muitas oportunidades conversando com eles sobre o sábado, abrangendo seus vários aspectos, livrando-o de todo seu falso brilho (supertições farisaicas), nunca aludiu à transferência desse dia; nem tampouco, durante os quarenta dias após Sua ressurreição, o insinuou. Também, tanto quanto sabemos, o Espírito Santo que lhes foi dado para recordar todas as coisas que Ele lhes havia dito, não tratou deste assunto. Também não o fizeram os inspirados apóstolos, ao pregarem o evangelho, estabeleceram igrejas, aconselharem e instruírem as já estabelecidas, discutirem ou tratarem desse assunto. “É claro que sei perfeitamente ter o domingo entrado em uso, como dia religioso, na história da Igreja cristã… Mas é lamentável que tenha vindo com uma marca do paganismo e batizado com o nome de ‘dia do Sol’, então adotado e santificado pela apostasia papal e vindo como um legado sagrado ao protestantismo.” — Grifos acrescentados.

Três dias depois o “The Watchman Examiner” (órgão batista de New York) fez menção desse discurso, descrevendo o intenso interesse manifestado pelos ministros presentes, e a discussão que se seguiu a sua apresentação:

    “As Escrituras não denominam, em nenhum lugar, ao primeiro dia da semana como sábado… Não há autorização bíblica para fazê-lo, nem por lógica, ou por alguma obrigação bíblica.” — Grifos acrescentados.

E por fim, o Dr. John Dowling, que por vários anos foi pastor de uma igreja batista na cidade de New York, afirma o seguinte em sua obra “History of Romanism”:

    “A Bíblia e a Bíblia somente!’ Não tem nenhuma importância, na opinião de um protestante genuíno, quão cedo uma doutrina se tenha originado, se ela não é encontrada na Bíblia. (…) Portanto, se uma doutrina for proposta para ser por ele aceita, pergunta ela: ‘Encontra-se ela na Palavra de Inspirada? Foi ela ensinada por nosso Senhor Jesus Cristo e Seus apóstolos?’ Se eles nada sabiam a seu respeito, não lhe importa se ela é encontrada na pasta bolorenta de algum antigo visionário do terceiro ou quarto século, ou se brota da imaginação fértil de algum moderno visionário do século dezenove; se não for encontrada nas Sagradas Escrituras, não apresenta ela nenhuma reivindicação válida para ser aceita como artigo de seu credo religioso. (…) Aquele que aceita uma doutrina sequer (o domingo), baseada na simples autoridade da tradição, tenha ele o nome que tiver, ao assim proceder, desce da rocha do protestantismo, transpõe a linha que separa o protestantismo do papado e não pode apresentar nenhuma razão válida porque não aceita todas as doutrinas e cerimônias mais antigas do romanismo, com base na mesma autoridade.” — 13ª ed., p. 67–68.

O domingo encontra-se na Palavra Inspirada? Foi o domingo ensinado por nosso Senhor Jesus Cristo e Seus apóstolos? Se a guarda do domingo “não for encontrada nas escrituras, não apresenta nenhuma reivindicação válida para ser aceita”. Do contrário, no caso, a afirmação “A Bíblia e a Bíblia somente!” está sendo descartada por essa doutrina que “transpõe a linha que separa o protestantismo do papado”.

—> Igreja Luterana

O Dr. H. Gunkel, da Igreja Luterana, em “Zum religionsgesch. Verstaendnis des N.T.”, diz:

    “A admissão do domingo pelos cristãos primitivos é… um sintoma muito importante de que a igreja primitiva foi diretamente influenciada por um sentimento que não se originou no evangelho, nem no Antigo Testamento, mas em um sistema religioso desconhecido para ela.” — P. 76. Grifos acrescentados.

George Sverdrup, numa entrevista para o jornal luterano “A New Day”:

    “Como não foi possível produzir um só lugar nas Sagradas Escrituras que testifique que o Senhor mesmo ou os apóstolos ordenaram uma transferência do sábado para o domingo, então não era fácil responder à pergunta: ‘Quem transferiu o sábado e quem tem autoridade de fazê-lo?’

Carlstadt, um dos primeiros reformadores e amigo íntimo de Lutero, tentou trazer a reforma do sábado do sétimo dia naquela época:

    “Carlstadt defendeu a divina autoridade do sábado do Velho Testamento.” — Dr. Barnes Sears, “Life of Luther” (Vida de Lutero), p. 147.

E Martinho Lutero, em seu “Agaist the Celestial Prophets”, declara:

    “Em verdade, se Carlstadt escrevesse mais acerca do sábado, o domingo logo teria que lhe ceder o lugar, e o sábado ser santificado.” — Citado em “Life of Martin Luther in Pictures”, p. 147.

O ensino oficial da Igreja Luterana, em seu “Confisson de Foi d’Augsburg” (Confissão de Fé de Augsburgo), assim declara:

    “A observância do Dia do Senhor (domingo) não assenta em nenhum mandamento de Deus, mas sim na autoridade da Igreja. (…) “Eles (os Católicos) alegam que o sábado foi mudado para o domingo, o dia do Senhor, contrariamente o Decálogo; como é evidente, não existe exemplo algum de maior jactância do que a mudança do sábado. Grande, dizem eles, é o poder e autoridade da Igreja (Católica), visto haver omitido um preceito do decálogo, alterando os mesmos.” — Em “Augsburg Confession of Faith”, art. XXVIII. Ver Philip Schaff, “The Creeds of Christendom” (ed. 4), vol. 3, p. 63 e 64, tradução da parte 2, art. 7, “Do Poder Eclesiástico”, da Confissão de Fé de Augsburgo. (O artigo 28 da Confissão é o art. 7 da parte 2). Citado em “Cox’s Sabbath Manual”, p. 287. Grifos acrescentados.

O Dr. Philip Schaff, teólogo e historiador eclesiástico, declara sobre a “Confissão de Augsburg”:

    “A Confissão de Augsburgo foi a primeira e a mais famosa das confissões de fé evangélica. Ela expressou clara e totalmente, de forma sistemática, os principais artigos de fé pelos quais se batiam Lutero e seus companheiros havia já treze anos, desde o protesto levantado contra o tráfico das indulgências. Pelos seus méritos intrínsecos e suas origens históricas, ela tomou-se o principal padrão doutrinário da Igreja Luterana. (…) Excluindo-se o prefácio e o epílogo, a Confissão consiste de duas partes, uma positiva e dogmática, outra negativa e um tanto polêmica, ou melhor, apologética. A primeira refere-se principalmente a doutrinas, a segunda a cerimônias e instituições. A primeira parte apresenta em vinte e um artigos… as doutrinas defendidas pelos evangélicos luteranos. A segunda parte rejeita em sete artigos os abusos de Roma que foram considerados mais objetáveis e que foram realmente corrigidos pelas igrejas luteranas.” — Em “History of the Christian Church”, vol. 7, p. 707–713. Philip Schaff foi presidente da comissão revisora da Bíblia em Inglês e editor da versão americana da Enciclopédia de J. Herzog. (J. N. Andrews e L. R. Corandi, “The History of the Sabbath”. p. 836).

—> Igreja Metodista

O Dr. Harris Franklin Rall faz esta declaração no “Christian Advocate”:

    “Vejamos a questão do Domingo… não há nenhuma passagem dizendo aos cristãos para observarem este dia.” — 2 de julho de 1942.

No “Theological Compendium Improved”, do Rev. Amos Binneyas, ocorrem estas afirmações:

    “É certo não haver um mandamento positivo para o batismo infantil… Tampouco há algum para guardar como santo o primeiro dia da semana. Muitos crêem que Cristo mudou o sábado. Mas, em Suas próprias palavras, vemos que não veio com este propósito. Aqueles que crêem que Jesus mudou sábado baseiam-se apenas numa suposição.” — Ed. de 1902, p. 180-181. Grifos acrescentados.

—> Igreja Congregacional

O Dr. Layman Abbot, congregacionalista, faz esta declaração no “Christian Union”:

    “A noção atual, de que Cristo e Seus apóstolos, autoritariamente, substituíram o sétimo dia pelo primeiro dia, é absolutamente sem autoridade no Novo Testamento.” — 26 de junho de 1890. “Não existe na Bíblia mandamento que requeira de nós a observância do primeiro dia da semana como sendo o sábado cristão.” — Extraído de “Mode and Subjects of Baptism”, de Fowler.

—> Igreja Anglicana/Episcopal

No “Manual of Christian Doctrine”, dos anglicanos ou episcopais, ocorre esta pergunta e resposta:

    “Há algum mandamento no Novo Testamento, que permita mudar o dia do Sábado para o Domingo? — Nenhum.” — P. 127.

O Dr. Peter Heylyn, no seu livro “History of the Sabbath”, declara:

    “Recorrei a quem quiserdes, sejam os pais primitivos ou os autores modernos, não encontrareis nenhum dia do Senhor (domingo) instituído por qualquer ordenação apostólica, nenhum movimento sabático iniciado por eles com relação ao primeiro dia da semana.” — Ed. de 1636, parte 11, cap. 1, par. 10, p. 28.

Em sua obra “Examination of the Six Texts”, na qual o Dr. William Domville estuda profundamente seis textos bíblicos sob os quais foi construído o argumento do domingo como dia do Senhor, ele declara francamente:

    “Nenhum dos escritores eclesiásticos dos primeiros séculos atribui a origem do domingo a Cristo ou aos apóstolos. (…) Séculos da era cristã passaram-se antes que o domingo fosse (geralmente) observado pela igreja cristã em caráter do sábado. A História não nos fornece uma única prova de que fosse (oficialmente) observado como tal antes do edito dominical de Constantino, em 321 AD.” — P. 291.

O grande teólogo e historiador alemão de Heidelberg, Dr. Johann August Wilhelm Neander, em cuja obra de tal mérito que lhe valeu o título de “príncipe dos historiadores da Igreja”, declara francamente:

    “A oposição ao judaísmo introduziu a festividade particular do domingo, muito cedo, realmente, em substituição do sábado. (…) A festa do domingo, como todas as outras festividades, foi sempre uma ordenança simplesmente humana, e estava longe das cogitações dos apóstolos estabelecer a este respeito uma ordem divina – longe deles e da primitiva igreja apostólica, transferir para o domingo as leis do sábado. Talvez no fim do segundo século, começou a surgir uma falsa aplicação dessa espécie, pois a esse tempo os homens consideravam pecado o trabalho aos domingos.” — Em “The History of Christian Religion and Church”, p. 186, trad. de John Rose da 1ª ed. alemã, B. D., Filadélfia: James M. Campbell & C.º, 1843. Grifos acrescentados.

—> Igreja Católica

O Rev. Isaac Williams, escreve o seguinte em seus “Plain Sermons on the Catechism”:

    “Onde se nos diz nas Escrituras que devemos observar o primeiro dia? É-nos mandado guardar o sétimo; mas em nenhum lugar nos é ordenado guardar o primeiro dia. (…) A razão pela qual santificamos o primeiro dia da semana em lugar do sétimo é a mesma que nos leva a observar muitas outras coisas: não porque a Bíblia, mas porque a Igreja (Católica) o ordena.” — Vol. 1, p. 334 e 336. Grifos acrescentados.

O Cardeal James Gibbons, em “The Faith of Our Fathers”, diz o seguinte:

    “Podereis ler a Bíblia do Gênesis ao Apocalipse, e não encontrareis uma só linha a autorizar a santificação do Domingo. As Escrituras exaltam a observância religiosa do sábado, dia que nós nunca santificamos.” — Ed. de 1892, p. 111. Grifos acrescentados.

O cônego Eyton, em sua obra “Ten Commandments”, assim se expressa:

    “Não existe nenhuma palavra, nenhuma alusão, no Novo Testamento, acerca da abstinência do trabalho no domingo. (…) Nenhuma lei divina entra no repouso do domingo. (…) A observância da quarta-feira de cinza ou quaresma tem exatamente a mesma base que a observância do domingo.” — P. 62, 63 e 65. Grifos acrescentados. “A observância do domingo (…) não só não tem fundamento na Bíblia, mas está em contradição com a letra da Bíblia, que prescreve o descanso do sábado. “Foi a Igreja Católica que, por autoridade de Jesus Cristo, transferiu esse descanso para o domingo, em memória da ressurreição de nosso Senhor: de modo que a observância do domingo pelos protestantes é uma homenagem que prestam, independentemente de sua vontade, à autoridade da Igreja.” — Extraído de “Monitor Paroquial”, 26 de agosto de 1926, Socorro, SP, ano I, nº. 8. Grifos acrescentados.

Diz o Pe. Dubois em sua obra “O Biblismo”:

    “A Bíblia manda santificar o Sábado, não o domingo; Jesus e os apóstolos guardaram o Sábado. Foi a tradição católica que, honrando a ressurreição do Redentor, ocorrida no domingo, aboliu a observância do Sábado.” — P. 106. Grifos acrescentados.

Finalmente, vemos na Carta Apostólica “Dies Domini” (Dia do Senhor) de 1998, o Papa João Paulo II reconhece que Jesus nunca quebrou ou anulou o Sábado, mas foi a Igreja Católica quem alterou a solenidade do dia de descanso do sétimo para o primeiro da semana. Em suma, vários concílios foram realizados, nos primeiros séculos, e em quase todos os concílios o sábado era rebaixado um pouco mais, enquanto o domingo era exaltado gradualmente. O domingo foi transformado em festividade em honra da ressurreição de Cristo: nos primeiro séculos, atos religiosos eram nele realizados; era, porém, considerado como dia de recreação, sendo o sábado ainda observado como dia santo. O Papa ainda afirma que o sábado é obrigatório para os que não aceitam a soberania católica e dizem ter a Bíblia como única regra de fé (os protestantes). Essa carta papal se encontra no web site oficial do Vaticano. Para visualizá-la, clique aqui: http://www.vatican.va/holy_father/john_paul_ii/apost_letters/documents/hf_jp-ii_apl_05071998_dies-domini_po.html (acessado em 17/03/2007).

—> Outras denominações

Alexander Campbell, o fundador da denominação chamada “Igreja de Cristo”, que no Brasil é conhecida como “Discípulos de Cristo”, admitiu o seguinte:

    “Não há testemunho, em todos os oráculos do Céu, que o sábado foi mudado, ou que o dia do Senhor (domingo) veio em seu lugar.” — Em “The Reporter”, 8 de outubro de 1921.

Alexander Campbell também confessou:

    “Eu não creio que o Dia do Senhor… tenha sido transferido do sétimo para o primeiro dia da semana.” — Em “Washington Reporter”.

O Dr. H. D. Lucas, da chamada “Igreja de Cristo” (ou “Discípulos de Cristo”, no Brasil) faz esta confissão no “Christian Oracle”:

    “Não há autoridade bíblica designando o primeiro como dia do Senhor.” — 23 de janeiro de 1890.

Sobre o domingo não ter sido considerado como dia de repouso nos primeiros séculos, existe esta declaração no “Smith and Cheetham’s Dictionary of Christian Antiquities”:

    “A idéia de uma substituição convencional, por autoridade apostólica, do sábado pelo domingo, e a transferência para ele, mesmo numa forma espiritualizada, da obrigação sabática indicada ao ser promulgado o quarto mandamento, não têm base alguma, seja nas Escrituras Sagradas, seja na antiguidade cristã. (…) Esta idéia, depois incorporada no título do ‘sábado cristão’, e confirmada nos primeiros séculos do cristianismo.” — Art. “O Sábado”, p. 1823.

_________________ “Escute as minhas palavras e preste atenção em tudo o que vou dizer… “Darei a minha opinião com franqueza; as minhas palavras serão sinceras, vindas do coração.” (Jó 33:1,3).

Por Marllington Klabin Will

Fonte: Adventismo em Foco

About these ads

Sobre Blog Sétimo Dia

“SOLO CHRISTO”, “SOLA GRATIA”, “SOLA FIDE”, “SOLA SCRIPTURA” (salvação somente em Cristo, somente devido à graça de Deus, somente pela instrumentalidade da fé, somente com base na Escritura)
Esse post foi publicado em A Lei de Deus e Temas Relacionados e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

36 respostas para A Bíblia Ensina a Guarda do Domingo? O que Dizem as Igrejas?

  1. Autamiro Filho disse:

    Muito bom! Pena que as pessoas estão com o coração muito duro e não consegem ver a verdade na palavra do senhor. Por isso ficam procurando o que não tem só para melhor satisfazer o seu ego.

  2. kleber disse:

    Ola Irmaos…. para mim todos os dias São do Senhor
    Jesus disse em Mateus 12:8 poque o Filho do Homem ATÉ do sábado é Senho.

    medite em Romanos 14:1 a 12….

    porem os que guardao qualquer que seja o dia… para mim faz bem porque o faz para o Senhor…..

    seria bom se guardacemos a este mandamento.
    AMARAS A TEU PROXIMO COMO A TI MESMO.

    Que Deus abençoe a todos vcs meu queridos

    SALMO 133:1.3
    1 Oh! Quao bom e quao suave é que os irmao vivam em uniao!
    2 É como o óleo prescioso sobre a cabeça, que desce a barba , a barba de Ara, e que desce à orla das suas vestes
    3 Como o orvalho do Hermom, que desce sobre os montes de SIao, poque ali o SENHOR ordena a bençao e a vida para sempre.

    Deus abençoe irmaos

  3. ALEXANDRE PROENÇA disse:

    Nao confundamos,LEI MOSAICA, A TORA,com CRISTIANISMO,pois para nos os catolicos,todos os dias sao do SENHOR,o domingo e um dia especial na liturgia,por causa da RESSURREIÇAO DE CRISTO,mas o CATOLICISMO,nasceu do JUDAISMO,sao nossos PAIS e tem todo o nosso respeito,a LEI DE MOISES mora no nosso coraçao,faz parte da nossa liturgia,mas o DOMINGO nunca substituiu o SABADO SAGRADO DOS ISRAELITAS,quem ensinar isso esta errado e nao esta de acordo com o CATOLICISMO.

  4. Samuel disse:

    Adorei esse site vou indicar para meus amigos, o conteúdo é parecido com o do http://www.contradicoesbiblicas.com.br

  5. Antonio carlos disse:

    Duas Alianças fora feita com o homen antes do pecado O casamento e o Sabado tem duvida?

  6. sales disse:

    Jesus não mandou ninguém guardar o Sábado ou o Domingo para ser salvo, mas vigiar porque Ele virá como ” o ladrão “. ” Segui a Paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o SENHOR “. Sou assembleiano e não estou preocupado nem com o sábado nem com o domingo, mas em santificar, todos os dias, a minha vida na presença de Deus.

  7. RUI FREITAS CASTRO disse:

    Respondento Alexandre Proença: as leis de moises foram cravadas na cruz, não tem valor nunhum para nos, e o sabado comesa a ser quardado testo começo da biblia, teste que a criação comesou. la em GÊNESIS cap:2 ver 1e2 dis tudo. e depois em ÊXODO cap: 20 ver ao 17, esta lei foi escrita com o dedo de DEUS. E A DE MOISES foi feita por ele, não tem valor, para nos hoje, ou melhor deste que o véu do santuario foi rascado de fora a fora quando JESUS MOREU NA CRUZ.

  8. Isabela Moreira Clemente disse:

    Sou Adventista do Sétimo dia e creio que este é o verdadeiro dia de guarda,pois,Deus criou o mundo em séis dias e descançou no Sábado e o SANTIFICOU e o próprio JESUS guardou o sábado sendo Ele o próprio Senhor do sábado.
    Os dez mandamentos nos ordena a santificação do sábado,e se amamos a DEUS devemos guarda os seus mandamentos.

  9. Isabela Moreira Clemente disse:

    Lembra-te do dia de sábado para o SANTIFICAR!!!
    Deus crios os céus e a terra em séis dias e descançou e abençõu o dia de sábado como dia SANTO.sou Adventista do Séimo Dia e creio nos dez mandamentos que também nos ordena a guarda do sábado como dia santo,Jesus guardou o sábado,Ele morreu na sexte-feira,descançou no sabado e ressucitou no domingo.Jesus é o Senhor do sábado,poir isso devemos guarda esse dia,porque DEUS assim ordenou essa é uma ordem DIVINA e não uma ordem humana.O sábado é o verdaeiro dia de duarda!!!

  10. Rosileia Veras disse:

    Não sou de nenhuma denominação,mas guardo o sabado pois está claro é mandamento e não podemos obedecer só um mais todos os dez…que o senhor abençõe a todos.

  11. keila barbosa disse:

    Sou batista, nós não seguimos as leis de moisés, nós seguimos a CRISTO, nós nos alegramos no domingo pois foi no primeiro dia da semana que ele ressucitou. Como diz em Mateus 28:1- No findar do sábado, ao entrar o primeiro dia da semana, Maria Madalena e outra Maria foram ver o sepulcro. E no decorrer do capitulo observamos que foi nesse dia que ele ressucitou! Por isso eu adoro O JESUS o Cristo que ressurgiu dentre os mortos. O apostolo Paulo dentre outros nas suas viagens não manda que quardem o sábado. No julgamento nos céus os que seguem as leis vão ser julgado pela lei e o que segue a graça vai ser julgado pela graça. Porque pela graça sois salvos, isso não vem de vós e dom de DEUS. NÃO SIGAM A LEI E SIM A JESUS CRISTO NOSSO SENHOR.

  12. Pingback: Alemanha Reafirma Lei Dominical « SÉTIMO DIA

  13. Sou bispo católico da Congregação dos Padres Missionários de Jesus, Provincia do Rio de Janeiro, Brasil e informo a quem interessar possa, que a Igreja Católica é mais sincera em termo de dogmas, quando sancionou num prolatar de sentenças religiosas, através do imperador Constantino, a guarda do Domingo como Dia do Senhor. Sendo tal dia encampado nas doutrinas dos protestantes em geral como filhos da Igreja Católica e obedientes as tradições da patristica e escolásticas, sendo que neste particular todos os protestantes estão de parabéns, por seguirem o chefe da Igreja Católica, o Santo Padre, o Papa. Ora se os protestantes em geral lessem Exodo 20 e cressem de fato na Bíblia como Palavra de Desus, guardariam o Santo Sábado como assim fazem os Adventistas do Sétimo Dia. Dom.Francisco Alves Feitoza-Bispo Provincial do Rio de Janeiro.

  14. adriane disse:

    JESUS VEIO PRA COMPRIR NÃO PRA BOLIR
    matheus 5:17-20
    Pensem Nisto,E Fiquem Atentos A Lei Dominical,Para O
    Propio Bem De Vocês.
    Amém !

  15. José Alexandre disse:

    Jesus veio a este mundo para ensinar e comprir a lei.
    não para abolir como muitos falam .

  16. Bianca Cristina disse:

    Amigo, sabe…
    A história nos relata que o primeiro dia da semana era guardada pelos romanos como dia do sol. Eles adoravam o sol neste dia. No seculo IV o imperador Constantino colocou um decreto em vigor, fazendo o primeiro dia da semana, o domingo, como dia de descanço e todos deveriam descançar inclusive os comerciantes e não deveriam trabalhar. A partir daí foi um passo para católicos e outras religiões adotarem o domingo como dia sagrado já que convinha a todos da época.

    E DEus então criou o mundo em seis dias e no sétimo dia descançou e santificou-o (Genesis 2 :1 a 3).

    Vc observou que Deus “Santificou” o dia sétimo (sábado)? Nossa, santificar é tornar santo. Vc já parou pra pensar nisso?
    E nos 10 mandamentos colocou este.
    “Lembra-te do dia de Sábado, para o santificar, seis dias trabalharás e farás toda a tua obra. Mas o sétimo dia é o Sábado do Senhor, teu Deus; não farás nenhum trabalho, nem tu, nem o teu filho, nem a tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal, nem o forasteiro das tuas portas para dentro; porque, em seis dias fez o Senhor os céus e a terra, e o mar e tudo o que neles há e, ao sétimo dia descansou; por isso, o Senhor abençoou o dia de sábado e o santificou” (Ex 20.8-11)

  17. nathanael disse:

    é claro que ninguém é salvo porque guarda sábado ou domingo , mas não podemos confundir o domingo com o sábado. e nem o sabado com a lei de moises , o sábado está escrito na lei de Deus com seu próprio dedo. ninguém é obrigado a guardo o sabado,vc só quarda em onrra a Deus , se vc quise adora a Deus em um dia Especial esse dia é o sabado do senhor é claro que todo dia é dia de adorar o senhor mas vou te dar um exemplo, vc que trabalhar de segunda a sábado vai ter como adorar o senhor tadas a horas de todos esses dias que vc trabalha?acho que não!porque se vc trabalha não pode desviar sua atenção do trabalho. por que o senhor fez o sabado pra gente adorar ele o sabado inteiro sem se preocupar com trabalho sem se preocupar com nada.e por isso .. não pra mim me justificar .. no dia do julgamento..

  18. Carlos Roberto da Silva disse:

    A todos os desatentos, ou a todos aqueles que ao estudarem a bíblia deixam passar desapercebido os versículos bíblicos do livro de Mateus capítulo 5 versículos 17, 18, 19 e 20. (Mateuas-5:17-20).
    Nesses versículos encontramos a prova da qual muitos cristãos dizem que Jesus ao ser cruscíficado aboliu as leis do decálogo. Trazendo para si a responsabilidade de futuramente ter que responsabilizar-se por seus atos insignificantes. Os quais passam a evangelizar e ensinar pessoas desinformadas as quais passam a acreditar em tais mentiras.

  19. Deus diz se me ama guardaras os meus mandamento .
    Eu que não quero ficar guardanto os mandamento dos homens ou seja as leis dos homens ,pra quem entende segunda feira quer dizer :segundo ,terça feira terceiro ,quarda -feira quadro quinta- feira quinto o resto vc ja sabe né?Me prove que na bliblia tem algo que fala que sabádo não e o dia do senhor.
    Devemos servir o senhor e todos os dias ,se ele deixou o sábado como o dia do descanso devemos agradecer e servi ao DEUS dono de todas as coisas.

  20. Jorge Pereira Chaves disse:

    comentário deletado!

  21. Jose Pedro da Silva disse:

    eu concordo com a amiga Celma;que Deus Abençoe,eu tambem gostaria de saber porque muitos Pastores pregam contra as imagens que a igreja catolica adoram e guardam o domingo em vez de guardar o Santo Sabado do Senhor Deus sendo que foi atraves de um escumungado falso cristão Imperador Costantino e seus papados mudaram o sabado para o domingo.Vamos refletir na palavra de Deus e parar de atacar os irmãos Adventistas e vamos obedecer aos mandamentos de Deus.Eu não sou da igreja Adventista sou da Assembleia de Deus;mais eu leio e observo o que eu leio. Amem?

  22. silvana disse:

    vamos apenas ler a biblia e guarda conforme os nossos coracao.

  23. Laurindo Cakoyi disse:

    Deus orientou a Caim que oferecesse sacrifício animal porque ñ há remissão dos pecados sem derramamento de sangue.
    mas Caim achou melhor oferecer o que lhe apetecia pensando que seria a mesma. e a sua oferta não foi aceite.
    Do mesmo jeito acontece connosco a bíblia é muito clara em dizer lembra-te do dia sábado para o santificar 6 dias trabalharas e faras toda obra mas o 7º dia é o dia do senhor teu Deus não faras nenhum trabalho e que “este dia sirva de sinal entre mim e vocês”
    ainda assim continuamos a adorar no domingo pensando ser a mesma coisa?
    não vamos voltar cometer os erros que os nossos antepassados cometeram no passado. pelo contrário devemos aprender com eles.
    não devemos nos deixar levar pela maioria porque a maioria pode estar errada.

  24. gustavo dias disse:

    na biblia nao dis nada do domingo

  25. Rose Pintor disse:

    O Apóstolo Paulo, grande líder cristão do primeiro século, se converteu aproximadamente seis anos após a ressurreição e foi o próprio Jesus que falou com ele no caminho de Damasco. Será que Jesus esqueceu de dizer para ele que o dia de guarda havia mudado para o domingo após a sua ressurrreição? Pois qual era o dia que o apóstolo observava? (Leia Atos 9: 1 – 15, Atos 17: 1 e 2) E o que disse o apóstolo Tiago de tão relevante? (Leia Tiago 2: 10 – 12). Amados, não obedecemos para ser salvos, mas salvos pela graça, obedecemos em amor! Que o Espírito Santo o guie em toda a verdade. PAZ!

  26. Galhardo disse:

    Resta um repouso para o povo de Deus. “Temamos”, do verbo “temer”( transitivo) ter medo,(transitivo direto) ter medo, ter medo de. Portanto, q, tendo-nos sido deixada a promessa de entrar no seu descanso(sabático), suceda parecer q algum de vós tenha falhado.”(Hebreus 4.1) Será q algum de nós falhamos e não viemos “temer” em guardar o sábado?”…Pois tbm a nós foram anunciadas as boas-novas…”(verso 2). Que boas novas? A guarda do sábado. Mas por que não guardaram as boas-novas(sábado)? R. “…Visto não ser acompanhada pela fé, naqueles q a ouviram.”(verso 2). E quem guardou as boas novas(sábado)?.R. Ora, nós(remanescente), q temos crido, entramos no descanso[sábado]…”(Verso 3). Quem não entrarão no meu descanso eterno?R. Assim jurei na minha ira q não entrarão no meu descanso[eterno]. Contudo as suas obras foram acabadas desdes a fundação do mundo.”(verso 3). Os que não guarda o descanso semanal sabático, não poderão descansar no descanso eterno. Por que? “Pois em certo lugar disse ele assim do sétimo dia: E descansou Deus, no sétimo dia, de todas as suas obras.”Verso 4). Então é porque Deus descansou? Sim! Quer q nós descansemos tbm. ” Será q eu tenho chance? R. “Visto restar q alguns entrem nele, e q aqueles a quem primeiro foram pregadas as boas-novas não entraram por causa da desobediência.”(Verso 6). Ah, então eu tenho uma chance! Basta entrar no descanso sabático. Porém aqueles q não ouviram não irão entrar no descanso eterno.(verso 5). Davi manda entrar neste descanso e não endurecer o coração.(verso 7); “Ora, se Josué lhes houvesse dado descanso, não teria falado depois disso de outro dia. Portanto resta ainda um repouso para o povo de Deus.”(Hebreus 4.9). A pergunta q fica é: Você é povo de Deus? Se a resposta for sim, terei eu que entrar neste repouso? A decisão é somente sua.

  27. Fabiana disse:

    Jesus curou em dia de Sábado, os discipulos dele colheram em dia de sábado, O sábado foi feito para o Homem e não para o Homem para o sábado.

    Palavras do Apóstolo Paulo:
    ” QUE NINGUÉM VOS JULGUE POR CAUSA DOS DIAS DE FESTA, OU DA LUA NOVA, OU POR CAUSA DOS SÁBADOS” (Colossensens 2:16)

    O que liberta o ser humano do poder do pecado e lhe outorga uma nova vida é o estar em Cristo (2 Co 5.17), e não a guarda do sábado.

    Em outra obra, Patriarcas e Profetas, a senhora White asseverou: “o sábado é um sinal do poder de Cristo para nos fazer santos. E é dado a todos quantos Cristo santifica. Como sinal de Seu poder santificador, o sábado é dado a todos quantos, por meio de Cristo, se tornam parte do Israel de Deus” (citado no Tratado de Teologia Adventista do Sétimo Dia, Casa Publicadora Brasileira, p.591).

    Nesse caso, os cristãos que não guardam o sábado não podem ser verdadeiramente santos? Não são mais o sangue de Jesus, a Palavra de Deus e o Espírito Santo que nos santificam?

    Jesus disse que os verdadeiros adoradores adoram o Pai em espírito e em verdade (Jo 4.23,24). Mas a senhora White acrescentou: “os adoradores de Deus se distinguirão especialmente pelo respeito ao quarto mandamento — dado o fato de ser este o sinal de Seu poder criador, e testemunha de Seu direito à reverência e homenagem do homem” (O Grande Conflito, p.445).

    Finalmente, a “profetisa” Ellen G. White disse, com base em Apocalipse 11.19, que os dez mandamentos estão guardados dentro da arca, no Céu, e que a guarda do sábado jamais foi abolida. E acrescenta: “Não puderam achar nas Escrituras prova alguma de que o quarto mandamento tivesse sido abolido, ou de que o sábado fora mudado” (O Grande Conflito, p.433). Ora, o Decálogo faz parte da lei mosaica. E esta foi, sim, abolida, após a manifestação em carne do Senhor Jesus e sua obra expiatória (Jo 1.14-17; Lc 16.16; Rm 10.4; Cl 2.14-16).

    Bom se vocês adventistas querem seguir a lei de Móises, então sigam, mas falta muito pra vocês ainda:

    Já que Jesus não mudou nada na lei pra vocês, vocês deveriam:

    – Circuncidar seus filhos
    – Apedrejar as mulheres adúlteras
    – Não comer comidas imundas etc…

    Vocês deveriam ser judeus e não cristãos!!

    Que Deus nos guarde da sabadolatria e de todas as formas de idolatria (Gl 5.20; 1 Co 5.11; 10.7,14; 1 Jo 5.21). E que observemos o primeiro e grande mandamento apresentado pelo Senhor Jesus: “Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento” (Mt 22.37).

  28. ISAIAS 66:22,23 alguem me explica esses versos

  29. Alexandre Teixeira disse:

    Acredito que não há necessidade de comentários. Mas, só uma análise.
    – Se vc pegar duas pessoas que nunca foram doutrinadas, que nunca tenham ouvido falar nada sobre evangelho ou bíblia, crente, nada. E se vc colocasse estas pessoas para estudarem a bíblia durante um determinado tempo e depois perguntasse a elas baseados no que elas leram: Qual é o dia santo? Que dia devemos separar para adoração ao Deus? Deus tem um dia? Existe algum dia na semana que foi abençoado e santificado? Qual é o dia do Deus de Israel (que todos os crentes dizem servi-lo)?
    Na opinião de vocês, o que eles responderiam?
    Por favor sejam sinceros em suas respostas.

  30. Daniel K disse:

    Não sei a razão para tanta discussão. As coisas são bem simples! Ou vc segue a bíblia ou não! Podemos formular centenas de teorias, dogmas ou doutrinas; nada vai mudar o que está escrito na bíblia. O que devemos fazer, como cristãos, é estudá-la.

  31. Oswaldo disse:

    Prestem atenção no comentário do bispo católico Francisco, à luz de Apocalipse 13, e “voilá”!

  32. Junior Oliveira disse:

    Me desculpa mas é muito pretexto para não querer ser fiel a Deus. Textos e mais textos totalmente fora dos seus devidos contextos e refutados diversas vezes.

    Aos que são contra o sábado ( e assim são contra os 10 mandamentos de Deus), no último livro escrito na bíblia ( escrito na mesma época do evangelho de João) o Apocalipse fala de um grupo de pessoas que foram perseverantes, o que é ser perseverante? É embora muitas pessoas digam coisas (ou desculpas) para não aderirem alguma causa você continuou firme em suas ideia, ou nesse caso continuou firme a palavra de Deus.

    Esse grupo de pessoas segundo a palavra de Deus eram “santos” e eles tinham 2 características, vamos aos texto:
    “Aqui está a perseverança dos santos, os que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus.” (Apo.14:12)
    Estranho não é? afinal os 10 mandamentos não tinham sido abolidos? Mas Deus diz que a perseverança de seu povo é guardar os mandamentos, e tem que ser os 10 viu? (Tg. 2:10)

    Quer saber mais sobre esse povo? Leia: Apocalipse 12:17 e depois Apocalipse 19:10.

    Fiquem com Deus irmãos.

  33. Ivan disse:

    Amo a Deus e a nosso Senhor Jesus Cristo por isso eu faço de tudo para guardar os 10 Mandamentos, e acredito no Santo Sábado do Senho e aguardo a volta de Jesus

    Fiquem com a Paz do Senhor .

    Amém

  34. sergio da silva nogueira disse:

    o sabado foi um presente de Deus para o homem,nao existe um so verso na biblia que de razao para o homem deixar de guadar o santo sabado.

  35. larissa disse:

    ora eu sou adventista….do setimo dia e o dia de guarda o senhor, é no sabádo DEUS descançou no sexto dia na sexta feira e guandou o sabádo algumas pessoas dizem que é o domingo mais…não é jesus esta voltando é alma que foi salva vai ficar com o outro

  36. Gisele Vicgor disse:

    FICO TRISTE EM VER TANTOS “EVANGÉLICOS” QUE LÊEM A BÍBLIA POR PARTES E PREFEREM MANTER COSTUMES E SEGUIR LEIS DOS HOMES….
    AO RUI FREITAS SE VOCÊ MESMO DIZ E ESTA ESCRITO QUE FOI DEUS QUEM ESCREVEU OS DEZ MANDAMENTOS,MAS QUANDO JESUS MORREU NÃO TEM MAIS VALOR.
    NÃO É DIGNO DE CONFIANÇA….NÃO SE ESQUEÇA QUE DEUS MESMO DISSE QUE ELE NÃO MUDA.
    AMADOS JESUS QUE DISSE:

    ñ cuideis q vim destruir a lei ou os profetas: não vim ab-rogar, mas cumprir.
    Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, nem um jota ou um til se omitirá da lei, sem que tudo seja cumprido.
    Qualquer, pois, que violar um destes mandamentos, por menor que seja, e assim ensinar aos homens, será chamado o menor no reino dos céus; aquele, porém, que os cumprir e ensinar será chamado grande no reino dos céus.
    Mateus 5:17-19

    FOCA NA BIBLIA IRMÃO NÃO NAS PLACAS E COSTUMES DE SUA IGREJA.

Deixe seu comentário. Tudo o que pedimos é que se mantenha uma cultura de respeito. Isto significa não fazer ataques pessoais, não usar palavrões, e por favor manter o diálogo sobre o tema postado.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s