Auxílio para o errante

Irmãos, se alguém for surpreendido nalguma falta, vós, que sois espirituais, corrigi-o com espírito de brandura; e guarda-te para que não sejas também tentado. Gálatas 6:1.

Aí está uma orientação especial para lidar brandamente com os que são surpreendidos em alguma falta. “Surpreendido” precisa ter sua inteira significação. … Ser levado ao pecado sem se aperceber — não pretendendo pecar, mas pecando por falta de vigilância e de oração, não discernindo a tentação de Satanás e assim caindo-lhe no laço — é muito diverso daquele que planeja deliberadamente entrar em tentação e planeja um curso de pecado. … Medidas mais eficazes são necessárias para contrapor-se ao pecado premeditado, mas o apóstolo dirige o tratamento a ser dado aos que são vencidos ou surpreendidos pela tentação. … Corrigi-lo no espírito de brandura, guardando-se a si mesmo para não ser também tentado. Fé e reprovações serão necessárias, e bondoso conselho e súplicas a Deus, para levá-los a ver seu perigo e pecado. A palavra original é ajustar, como um osso deslocado; portanto os esforços devem ser feitos para os ajustar, e fazê-los cair em si mesmos, convencendo-os de seu pecado e erro. … Não deve haver triunfo na queda de um irmão. Mas, com mansidão, no temor de Deus, por amor de sua alma, procurai salvá-lo do pecado.

Quando os homens têm de nadar contra a corrente, há um peso de ondas que os impele para trás. Estenda-se aí uma mão, como a do Irmão mais velho a Pedro prestes a afogar-se. … Nenhuma ocasião seja dada ao que se supõe haver errado, por parte dos irmãos, para que fique desanimado, mas sinta ele o forte aperto de mão compassivamente compreensiva; ouça ele murmurar: “Oremos”. O Espírito Santo dará a ambos rica experiência. É a oração que une os corações. É a oração ao Grande Médico para curar a alma, que trará a bênção de Deus. A oração nos une uns aos outros e a Deus. A oração traz Jesus ao nosso lado, e dá nova força e renovada graça à alma desfalecida, perplexa, para vencer o mundo, a carne e o diabo. A oração desvia os ataques de Satanás.

Ellen G. White, Nossa Alta Vocação, pág. 172.

Sobre Blog Sétimo Dia

“SOLO CHRISTO”, “SOLA GRATIA”, “SOLA FIDE”, “SOLA SCRIPTURA” (salvação somente em Cristo, somente devido à graça de Deus, somente pela instrumentalidade da fé, somente com base na Escritura)
Esse post foi publicado em Nossa Alta Vocação e marcado . Guardar link permanente.

Uma resposta para Auxílio para o errante

  1. Gilvan disse:

    Se estivermos ligados a cristo, constantemente manifestaremos piedosa simpatia e tolerância para com aqueles que estão lutando com toda a capacidade que Deus lhes deu para levar seus fardos, da mesma forma que nós nos esforçamos para levar os fardos que nos são designados. Testemunhos. Para ministros Vol. III Pág. 495
    Os cristãos verdadeiros não exultarão em expor as faltas e deficiências de outros. Afastar-se-ão da vileza e deformidade, para fixar a mente naquilo que é atraente e amável. T.S, v 2 pág. 23

    Havendo feito tudo quanto podeis para salvar um irmão, deixai de afligir-vos e prossegui calmamente com os outros deveres urgentes. Aquilo não vos pertence mais, porém a Deus. T.S, v 2 pág. 117
    “Ao tratar com os membros da igreja que erram, os filhos de Deus devem seguir cuidadosamente as instruções dadas pelo Salvador no capítulo 18 de Mateus.” – Testemunhos Seletos, vol. 3, pág. 200.
    “‘Se teu irmão pecar, disse Cristo, ‘vai, e repreende-o entre ti e ele só’. Mat. 18:15. Não faleis aos outros da ofensa. Uma pessoa fica a saber, depois outra, e ainda outra, e a notícia continua a espalhar-se e o mal a crescer, até que toda a igreja sofrerá. Resolve o caso ‘entre ti e ele só’. É este o plano divino. Testemunhos Seletos, vol. 3, pág. 200
    “Seja qual for a natureza da ofensa, ela não impede que se adote o mesmo plano divino para dirimir mal-entendidos e ofensas. Falar a sós e no espírito de Cristo com a pessoa que praticou a falta bastará, às vezes, para remover a dificuldade. Ide ter com a pessoa que cometeu a falta e, com o coração cheio do amor e da simpatia de Cristo, buscai reconciliar–vos com ela. Arrazoai com ela com calma e mansidão. Não vos exprimais em termos violentos. Falai-lhe em tom que apele para o bom senso, lembrando as palavras: ‘Aquele que fizer converter do erro do seu caminho um pecador, salvará da morte uma alma, e cobrirá uma multidão de pecados’. Tiago 5:20.
    “Levai ao vosso irmão o remédio que cure o mal-estar da desavença. Fazei quanto esteja ao vosso alcance para levantá-lo. Por amor da paz e da unidade da igreja, considerai um privilégio, se não um dever, o fazer isso. Se ele vos ouvir, tereis ganho um amigo. Testemunhos Seletos, vol. 3, pág. 201
    “‘Se não te ouvir, leva ainda contigo um ou dois, para que pela boca de duas ou três testemunhas toda a palavra seja confirmada’. Mat. 18:16. Tomai convosco irmãos espirituais, e falai acerca da falta com o que estiver em erro. É possível que ceda ao apelo desses irmãos. Vendo o seu acordo no assunto, talvez se persuada. Testemunhos Seletos, vol. 3, pág. 202
    “E, se não as escutar”, que se deverá fazer então? Deverão alguns poucos, em reunião de comissão tomar a responsabilidade de excluir o irmão? “Se não as escutar”, continua dizendo Jesus, “dize-o à igreja.” Mat. 18:17. Deixai que a igreja decida o caso de seus membros. Se também não escutar a igreja, considera-o como um gentio e publicano.” Mat. 18:17. Se não atender à igreja, se rejeitar os esforços feitos para reconquistá-lo, é a igreja que deve tomar a si a responsabilidade de excluí-lo de sua comunhão. Seu nome deverá então ser riscado do livro. Testemunhos Seletos, vol. 3, pág. 202

    Nenhum oficial de igreja deve aconselhar, nenhuma comissão recomendar e igreja alguma votar a eliminação dos livros do nome de alguém que haja cometido falta, sem que as instruções de Cristo a esse respeito sejam fielmente cumpridas. Se essas instruções houverem sido observadas, a igreja está limpa diante de Deus. Testemunhos Seletos, vol. 3, pág. 202
    E mesmo que não se arrependa e venha a ser excluída da igreja, os servos de Deus têm o dever de com ela tentar esforços, buscando induzi-la ao arrependimento. Se se render à influência do Espírito de Deus, dando prova de arrependimento, confessando o pecado e a ele renunciando, por mais grave que seja, deve merecer o perdão e ser de novo recebida na igreja. Testemunhos Seletos, vol. 3, pág. 203
    Deus mostra-nos que, quando o Seu povo se encontra em pecado, devem-se tomar imediatamente medidas positivas para tirar esse pecado do meio deles, a fim de que o Seu desagrado não fique sobre todos. Se, porém, os pecados do povo são passados por alto por aqueles que se acham em posições de responsabilidade, o desagrado de Deus estará sobre eles, e o Seu povo, como um corpo, será responsável por esses pecados. Testemunhos Seletos, vol. 1, pág. 334
    Quando alguém tendo sido testemunha de um pecado, e contudo, não o revelar, levará a sua iniqüidade Levitico 5:1
    Caso haja erros claros entre o Seu povo, e os servos de Deus passem adiante, indiferentes a isso, estão por assim dizer apoiando e justificando o pecador, e são igualmente culpados, incorrendo tão certo como ele no desagrado de Deus; pois serão tidos como responsáveis pelos pecados do culpado. Os que passaram por alto esses erros têm sido considerados pelo povo muito amáveis e simpáticos, simplesmente porque negligenciaram o desempenho de um claro dever escriturístico. T.S, vol. 1, pág. 335

    Os pastores e leigos desagradam a Deus, permitindo a indivíduos falar-lhes acerca dos erros e defeitos de seus irmãos. Não deveriam atender a essas informações, mas sim inquirir: Acaso fizeste como manda o Salvador? Foste ter com o teu ofensor, advertindo-o de suas faltas entre ti e ele só? E recusou ouvir-te? Tomaste contigo, depois de orar sobre o caso, duas ou três testemunhas, buscando convencê-lo com ternura, humildade e mansidão, e com o coração palpitante de simpatia por ele?
    Se as ordens de Cristo, no tocante à norma a seguir em tais casos, foram estritamente obedecidas, ainda há um terceiro passo a dar – dize-o à igreja e deixa que ela trate do caso de acordo com as Escrituras. Se ela, pois, decidir excluir o ofensor por sua impenitência, Deus lhe aprovará a decisão. Se, porém, o caso não foi tratado desse modo, fecha os ouvidos a todas as queixas e recusa-te a aceitar qualquer opróbrio contra o teu semelhante. Se houvesse irmãos que energicamente assim procedessem, as línguas más em breve se calariam, porque não encontrariam ambiente favorável para sua obra de se morderem e devorarem uns aos outros. T.S, v 2 pág. 260

Deixe seu comentário. Tudo o que pedimos é que se mantenha uma cultura de respeito. Isto significa não fazer ataques pessoais, não usar palavrões, e por favor manter o diálogo sobre o tema postado.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s