Educação da língua

Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, mas só a que for boa para promover a edificação, para que dê graça aos que a ouvem. Efésios 4:29.

O apóstolo, vendo a tendência que havia, de abusar do dom da fala, dá instruções quanto ao seu uso. “Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe”, diz ele, “mas só a que for boa para promover a edificação.” Palavra “torpe” aqui quer dizer qualquer palavra que dê impressão deprimente aos princípios santos e à religião pura, qualquer comunicação que ofusque a doutrina de Cristo, e apague da mente a verdadeira simpatia e amor. Inclui sugestões impuras, que, a menos que se lhes resista instantaneamente, levam a grave pecado. Sobre cada um se impõe o dever de impedir o caminho às comunicações corruptas.

É propósito de Deus que apareça em Seus filhos a glória de Cristo. Em todos os Seus ensinamentos, Cristo apresentou princípios puros, inadulterados. Ele não pecou, nem em Seus lábios se achou engano. Constantemente deles fluíam verdades santas, enobrecedoras. Falava como nunca homem algum falou, com uma ênfase que comovia o coração. … A palavra nunca esmorecia em Seus lábios. Com destemor expunha a hipocrisia de sacerdotes e príncipes, fariseus e saduceus.

A grande responsabilidade que envolve o dom da fala é plenamente revelada na Palavra de Deus. “Por tuas palavras serás justificado e por tuas palavras serás condenado” (Mateus 12:37), declarou Cristo. E o salmista pergunta: “Senhor, quem habitará no Teu tabernáculo? quem morará no Teu santo monte? Aquele que anda em sinceridade, e pratica a justiça, e fala verazmente segundo o seu coração; aquele que não difama com a sua língua, nem faz mal ao seu próximo, nem aceita nenhuma afronta contra o seu próximo.” Salmos 15:1-3.

Cultivai uma atitude mental devota, e educai a língua de modo que fale palavras retas, que abençoem em vez de desanimar. … Falai da bondade, da misericórdia e do amor de Deus. Removei todas as palavras de incredulidade, e tudo que é barato e comum. Sejam sadias as palavras, que não possam ser condenadas, e a paz de Deus por certo virá ao coração.

Ellen G. White, Nos Lugares Celestiais, pág. 177.

Anúncios

Sobre Blog Sétimo Dia

“SOLO CHRISTO”, “SOLA GRATIA”, “SOLA FIDE”, “SOLA SCRIPTURA” (salvação somente em Cristo, somente devido à graça de Deus, somente pela instrumentalidade da fé, somente com base na Escritura)
Esse post foi publicado em Nos Lugares Celestiais e marcado . Guardar link permanente.

Uma resposta para Educação da língua

  1. muito bom MESMO, creio que uma das dificuldades maiores do ser humano na natureza pecaminosa é de frear a língua quando necessário, principalmente dentro do santuário de Deus. Tantos hoje deixam de voltar para Jesus por causa de fofocas e intrigas, e quantos preferem estar no mundo porque dizem que é a mesma coisa em relação a fofocas. Isso é uma triste realidade. Não podemos ser os donos da verdade, mas podemos fazer com que essa verdade se espalhe em cada coração para que isso não se repita tão constantemente… :)

Deixe seu comentário. Tudo o que pedimos é que se mantenha uma cultura de respeito. Isto significa não fazer ataques pessoais, não usar palavrões, e por favor manter o diálogo sobre o tema postado.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s