Os Santos do mês de Junho: Antonio, João Batista e Pedro

Os santos intercedem mesmo por nós? Algumas pessoas perguntam se a intercessão dos santos é uma realidade. A Igreja Católica Apostólica Romana sempre acreditou que as pessoas, que morreram, tendo a vida santificada, vão imediatamente para o céu. Eles se baseiam no livro apócrifo (não canônico ) ou seja, não inspirado de II Macabeus 15:11-15 onde diz assim:

“Narrou-lhes ainda uma visão digna de fé uma espécie de visão que os cumulou de alegria. Eis o que vira: Onias, que foi sumo sacerdote, homem nobre e bom, modesto em seu aspecto, de caráter ameno, distinto em sua linguagem e exercitado desde menino na prática de todas as virtudes, com as mãos levantadas, orava por todo o povo judeu. Em seguida havia aparecido do mesmo modo um homem com os cabelos todos brancos, de aparência muito venerável, e nimbado por uma admirável e magnífica majestade. Então, tomando a palavra, disse-lhe Onias: Eis o amigo de seus irmãos, aquele que reza muito pelo povo e pela cidade santa, Jeremias, o profeta de Deus. E Jeremias, estendendo a mão, entregou a Judas uma espada de ouro, e, ao dar-lhe, disse: Toma esta santa espada que Deus te concede e com a qual esmagarás os inimigos.”

O povo judeu estava em guerra contra os gentios na época em que era liderado por Judas Macabeus, e para levantar o ânimo dos guerreiros, Judas contou-lhes a visão que teve, na qual Onias, sacerdote já falecido e Jeremias, intercediam por eles. Mas os mortos intercedem?

SANTO ANTÔNIO – 13 de Junho. Quem foi este homem? Antônio, também chamado Fernando, nasceu em Lisboa em 15 de agosto de 1195, em uma família rica. Ainda moço, em 1231 faleceu em Pádua na Itália. Aos 15 anos entrou para o Convento de Santa Cruz de Coimbra. Foi admitido na ordem dos irmãos menores de São Francisco, onde ordenou-se sacerdote. Logo depois partiu para missões contra os infiéis, no Marrocos. Lecionou teologia nas universidades italianas de Bolonha e Pádua e nas universidades francesas de Toulouse, Mont-Pellier e Puen-en-Velay, adquirindo reputação de orador sacro. Descoberto o seu dom de orador, passou a pregar a palavra de Deus. Ficaram célebres os sermões pregados em Forli, Provença, Languedoc e Paris. Dentro da Ordem Franciscana, liderou um grupo que se insurgiu contra os abrandamentos introduzidos na regra pelo superior. Entre seus escritos, figura uma coleção de sermões para domingos e dias santificados a igreja Romana.

Foi canonizado pelo papa Gregório IX em 30 de maio de 1232. É o patrono de Portugal e de Pádua. É atribuída a ele a frase: “Cessem as palavras, falem as obras”.

Os portugueses Católicos levaram para o Brasil, a devoção de Santo Antônio. A devoção à Santo Antônio de Lisboa, foi introduzida em Pernambuco em 1550. O santo familiar, o desvendador de pedidos e protetor de casamento. Em Portugal, aparece também, como o protetor dos taverneiros e dos varejistas em geral.

SÃO JOÃO – 24 de Junho. Quem foi este homem? Não podemos confundir João; o Batista, com João; o Evangelista, autor do quarto evangelho, Apocalipse e das 3 cartas que levam o seu nome. O Evangelista era filho de Maria e de Zebedeu, o Batista era filho de Isabel e Zacarias. Seu nascimento e missão foram anunciados pelo Anjo Gabriel. Filho do sacerdote Zacarias e de Isabel, prima de Maria, mãe de Jesus, nasceu na cidade de Judá. Na circuncisão recebeu, por inspiração divina, o nome de João. Era seis meses mais velho que Jesus, mas iniciou sua pregação pública, à beira do rio Jordão, alguns anos antes de Cristo dar início à sua própria missão. Chamaram-no Batista pela importância que, em seu ministério, emprestou ao batismo. E também o precursor porque pregou antes de Cristo, anunciando-o.

Segundo os evangelhos, João alertava o povo para aproximação da vinda do Messias e insistia na pregação de arrependimento para essa vinda. Praticava o ritual de purificação que era o batismo por imersão nas águas, significando mudança interior de vida. Sua missão termina com o encarceramento na fortaleza de Maquerunte, onde foi degolado por ordem de Herodes Antipas, a pedido de sua enteada Salomé. Sua figura está ligada ao sacramento do batismo. Dos três santos festejados no mês de junho pela igreja Romana, João teve o poder de dar ao mês seu nome e qualificar de “juninas”, as festas realizadas no decorrer dos seus trinta dias.

SÃO PEDRO – 29 de Junho. Quem foi esse homem? Pedro, nasceu na Galiléia, onde exerceu o ofício de pescador em sociedade com seu irmão André. Sempre em evidência nos evangelhos, Pedro, um dos doze apóstolos de Cristo, também é conhecido por Simão, Simão Pedro e Simão Barjona, filho de João ou Jonas.

Sabe-se que foi casado porque viveu com a sogra em Cafarnaum. Jesus, certa vez, viu as margens do lago Genesaré aquele rude pescador queimado do sol, de mãos calejadas e grosseiras, e lhe disse: – “Segue-me e farei de ti um pescador de homens.” Apesar da negação de Jesus, Pedro deixou um grande legado ao Cristianismo. De acordo com a narrativa evangélica, era espontâneo, leal e generoso, de iniciativas ardentes e raciocínio rápido, ao mesmo tempo em que era precipitado e um tanto medroso. Pedro reconheceu a Divindade de Jesus, junto aos apóstolos, mas, depois O negou três vezes.

É incontestável sua liderança no início da vida cristã. Tanto é assim que é mencionado 23 vezes no evangelho de Marcos, 24 no de Mateus, que o exalta mais do que qualquer outro, 27 no de Lucas; e 39 no de João. No Novo Testamento é citado 182 vezes.

Quando chefe da comunidade cristã em Jerusalém, após a morte de Cristo, Pedro foi preso algumas vezes. Em 67 d.C, o apóstolo Pedro foi arrastado ao tribunal militar, ouviram a enumeração de seus crimes e foi condenado. Pedro foi arrastado, e sua cruz à frente, para um lugar no alto de uma colina em Roma, e de acordo com a tradição Católica, foi onde está a Basílica de São Pedro no Vaticano, ali pregado na cruz. Persiste a tradição de que foi crucificado, a seu pedido,de cabeça para baixo, sob a alegação de que era indigno de morrer como Cristo morreu.

De acordo com a Bíblia quem são os santos e o que eles fazem? A palavra santo vem do grego “hagios”, que significa, consagrado a Deus, sagrado, piedoso. É quase sempre usada no plural, santos. Veja alguns textos: “Senhor, de muito tenho ouvido a respeito desse homem, quantos males tem feito aos teus santos em Jerusalém” Atos 9:13. “Passando Pedro por toda parte, desceu também aos santos que habitavam em Lida” Atos 9:32. “…encerrei muitos dos santos nas prisões…” Atos 26:10.

A idéia da palavra santo é de um grupo de pessoas escolhidas para o Senhor e o Seu Reino. Há três referências relacionadas ao caráter piedoso dos santos; “…que a recebais no Senhor como convém aos santos…” Romanos 16:2. “…com vistas ao aperfeiçoamento dos santos para o desempenho no seu serviço, para a edificação do corpo de Cristo” Efésios 4:12. “Mas a impudicícia e toda sorte de impurezas ou cobiça nem sequer se nomeiem entre vós, como convém a santos” Efésios 5:3.

Portanto, nos termos das Escrituras, os santos são o corpo de Cristo, os cristãos, a Igreja. Todos os cristãos são considerados santos. Em I Coríntios 1:2 diz claramente: “…à igreja de Deus que está em Corinto, aos santificados em Cristo Jesus, chamados para ser santos…” As palavras, santificados e santos têm a mesma origem grega. Os cristãos são santos pela virtude da sua comunhão com Jesus Cristo. Os cristãos são chamados a serem santos, para cada vez mais permitirem que a sua vida diária se aproxime da sua posição em Cristo. Essa é a descrição e o chamado bíblico dos santos.

Como o entendimento Católico Romano dos santos se compara com o ensinamento bíblico? De forma distorcida. Na teologia Católica, os santos estão no céu. Na Bíblia, os santos estão na terra. No ensinamento Católico, uma pessoa não se torna um santo a menos que seja beatificada e canonizada pelo papa ou por um bispo destacado. Na Bíblia, todo aquele que recebe a Jesus Cristo pela fé é um santo. Na prática católica, os santos são reverenciados, recebem orações e, em alguns casos, são adorados. Na Bíblia, os santos são chamados a reverenciar, adorar e orar apenas a Deus.

De acordo com a Bíblia onde estão Antonio, João e Pedro? Estão na sepultura aguardando a ressurreição. Se estiverem salvos, serão ressuscitados quando Jesus retornar. Se estiverem perdidos, ressuscitarão após os 1000 anos.

Convido a todos para festejarmos o reino dos céus com hinos de louvor e adoração, em vez de seguir a tradição junina sem nehum fundamento bíblico.

Que Deus ilumine as nossas mentes.

Fonte: Luís Carlos Fonseca – Temas Bíblicos

Para saber mais sobre o que acontece ao ser humano após a morte leia os artigos:

• Depois da Morte
• Pode um Morto dar conselho?
• Estão os mortos realmente mortos?
• Sem temor do além-túmulo
• Três Coisas que Você Deve Saber Sobre a Morte
• Para Onde Vão os que Morrem?

Sobre Blog Sétimo Dia

“SOLO CHRISTO”, “SOLA GRATIA”, “SOLA FIDE”, “SOLA SCRIPTURA” (salvação somente em Cristo, somente devido à graça de Deus, somente pela instrumentalidade da fé, somente com base na Escritura)
Esse post foi publicado em Festas Juninas e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Deixe seu comentário. Tudo o que pedimos é que se mantenha uma cultura de respeito. Isto significa não fazer ataques pessoais, não usar palavrões, e por favor manter o diálogo sobre o tema postado.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s