O que é oração, exatamente?

Orar é comunicar-se com Deus. Toda vez que oramos, entramos em contato com Deus de um jeito profundo e transformador.

Quando enfrentamos situações desanimadoras em nossos relacionamentos, negócios, trabalho, finanças, saúde, emoções ou filhos, orar ao Deus de toda esperança pode mudar a situação. Quando lutamos, por exemplo, contra sonhos não realizados, vida insatisfeita, falta de clareza mental ou dor emocional, temos acesso ao Deus que pode tratar cada área de nossas vidas e transformar cada uma delas de modo a nos tornar completos. Ele deseja estender sua mão e nos tocar, mas primeiro temos de elevar nosso coração a ele e tocá-lo em oração. Quando oramos, dizemos: “Sei que és real, Senhor, e quero passar um tempo contigo”.

Orar é louvar e adorar a Deus pelo que Ele é. Isso tira o foco de nós mesmos e o coloca em Deus. É a forma de colocar Deus em primeiro lugar em nossos corações e de permitir que Ele tenha pleno acesso a nossas vidas. Existem dois aspectos na oração: a amizade e a parceria.

A amizade na oração acontece quando nos achegamos a Deus na intimidade de um relacionamento. A parceria se dá quando assumimos a responsabilidade de ser parceiros com Ele para ver seu poder renovadamente aplicado em nossas circunstâncias. Adoração, louvor, honra e exaltação são partes importantes da amizade com Deus, mas são também meios da parceria com Ele a fim de rejeitar as trevas. Quando oramos, dizemos: “Senhor, tu és maravilhoso, grande, Todo-Poderoso, o Deus e Criador de todas as coisas. Eu o exalto sobre todas as coisas e o adoro por quem tu és”.

Orar é dizer a Deus que o amamos e o adoramos. É achegar-nos humildemente a Deus e falar com ele do jeito como falaríamos com alguém a quem muito amamos. Orar é dizer a Deus como somos gratos por Ele nos ter amado antes mesmo que soubéssemos de Sua existência. Quando oramos, dizemos: “Eu te amo, Senhor, e agradeço por me amares”.

Orar é dizer a Deus que precisamos dEle. Se não oramos, isso implica que pensamos poder lidar com a situação por nossa conta. Mas a verdade é que ninguém é capaz de resolver tudo sozinho. Precisamos de Deus para tudo. Precisamos de Deus para nos salvar, curar, libertar, restaurar, redimir, livrar, guiar, proteger, para erguer-nos acima de nossas limitações e mover-nos dentro dos planos e propósitos que Ele tem para nós. Não podemos chegar lá sem Ele. Quando oramos, dizemos: “Não posso viver sem ti, Senhor. Se o Senhor não intervier em minha vida, nada de bom me acontecerá”.

Orar é tornar nossos pedidos conhecidos de Deus. É compartilhar com Ele tudo o que está em nosso coração, sabendo que Ele se importa com todas as nossas questões, cada uma delas. Deus promete dar tudo de que precisamos, mas ainda temos de pedir. Assim como Ele nos instrui a pedir por nosso pão diário, também devemos nos achegar a Ele e pedir qualquer outra coisa de que precisarmos.

Orar não é nosso último recurso, ao qual recorremos quando todas as outras coisas falham, um golpe no escuro ou um exercício de pensamento positivo na tentativa de nos sentirmos melhores. A oração muda as coisas. Mas temos de falar com Deus sobre o que precisa ser mudado. Orar é reconhecer que, mesmo que nos pareça impossível o que estamos pedindo, para Deus todas as coisas são possíveis (Mt 19:26). Quando oramos, dizemos: “Senhor, eu tenho tais necessidades. Sei que o Senhor se importa com elas e ouvirá minhas petições”.

Orar é servir a Deus do jeito dEle. Não consiste simplesmente em ter nossas necessidades atendidas, embora isso seja parte importante da oração. O plano de Deus é governar a Terra por meio de sua autoridade delegada, no que estamos incluídos — nós os que acreditamos nEle. Deus deseja fazer-nos conectar Seu reino aos assuntos terrenos. Deus tem algo para cada um de nós realizar, e isso começa com a oração.

Se pensarmos que ter um futuro no céu é tudo o que Cristo tem a nos dar, viveremos uma existência espiritualmente imatura, direcionada para o céu, porém sem qualquer preocupação com a Terra.

As pessoas precisam compreender a razão por que Deus não faz tudo por Sua própria iniciativa. Isso remonta ao tempo em que Deus deu ao homem a responsabilidade de governar sobre tudo o que há na Terra (Gn 1:26-28). Ele mandou que tudo fosse determinado por opção humana. ‘Os céus são os céus do SENHOR, mas a terra, deu-a ele aos filhos dos homens’ (Sl 115:16). Mas isso funciona apenas quando o homem se mantém em total relação com Deus. A vontade, as obras e o poder de Deus não fluem simplesmente, sem convite, para o cenário terreno. O Senhor transmitiu a Seu povo a responsabilidade de convidar para este mundo a presença do reino. Isso não quer dizer que Deus não possa fazer alguma coisa sem nós, e sim,  que Ele não o fará sem nós”.

Algumas pessoas acreditam que Deus fará qualquer coisa que quiser, não importa o que aconteça, então para que orar? Mas a verdade é que há coisas que Deus não fará na Terra, a não ser como resposta de oração.

Há pessoas que não gostam dessa idéia porque não querem ter essa responsabilidade. Só querem que Deus faça o que Ele vai realizar mesmo. Mas Deus deseja que Seus filhos e filhas cresçam, e aguarda para se mover no momento e no lugar onde o convidarem. Isso é o que Ele
deseja fazer! Seu decreto é bem claro em relação a essa questão. Mas precisamos ser esclarecidos sobre isto também: essa ênfase não minimiza a soberania de Deus. O poder é todo dEle! Porém, essa visão da soberania de Deus pode abranger a vontade dEle em envolver Seus filhos no avanço de seus propósitos redentores. O soberano e Todo-Poderoso Deus decretou que o que acontecesse na Terra seria realizado mediante a ação de pessoas dispostas a se submeter a Sua vontade e a invocar Sua presença e Seu poder.”

Isso explica por que a Terra está na desordem em que está. Deus delegou tudo ao homem, e nós temos colhido o que plantamos. Deus determinou, e decidiu manter, este decreto soberano: Ele trabalha na Terra em resposta a nossas orações. E nós negligenciamos a oração.

A boa notícia é que nunca é tarde para plantar as sementes da oração e obter uma colheita que não seja o pecado e a morte que temos produzido no mundo. Podemos convidar o poder de Deus para entrar em situações específicas agora mesmo. Quando oramos, dizemos: “Senhor, quero ser um instrumento Teu através do qual possas fazer o que quiseres neste planeta. Ajuda-me a orar de acordo com a Tua vontade, para que Tua vontade seja feita na Terra.”

Isto é o que significa orar: “Venha o teu reino, faça-se a Tua vontade”.

Stormie Omartian – O Poder de Orar Juntos, págs 39 à 41.

Sobre Blog Sétimo Dia

“SOLO CHRISTO”, “SOLA GRATIA”, “SOLA FIDE”, “SOLA SCRIPTURA” (salvação somente em Cristo, somente devido à graça de Deus, somente pela instrumentalidade da fé, somente com base na Escritura)
Esse post foi publicado em Cristianismo Prático, Oração e marcado , . Guardar link permanente.

Deixe seu comentário. Tudo o que pedimos é que se mantenha uma cultura de respeito. Isto significa não fazer ataques pessoais, não usar palavrões, e por favor manter o diálogo sobre o tema postado.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s