Trindade: 10 Perguntas Para Quem NÃO Crê

1. Se Jesus era menor do que Deus, como pode também ser “O mesmo ontem, hoje e para sempre” (Hebreus 13:8)?

2. Já que o Senhor não dará a Sua glória a nenhum outro ser (Isaías 42:8; 48:11) como pôde o Senhor Jesus pedir ao Pai: “Glorifica-Me contigo mesmo com a glória que Eu tive junto de Ti, antes que houvesse mundo” (João 17:5). E como pôde Pedro atribuir-lhe glória, que só deveria ser atribuída a Deus (II Pedro 3:8)?

3. Jeová Se refere a Si mesmo como tendo sido traspassado (Zacarias 12:1 e 10), mas como em Apocalipse 1:7 todos verão a Cristo como Aquele que foi traspassado?

4. Como podem tanto Jesus como Jeová revelar-Se com a mesma designação, “Eu sou” (Êxodo 3:14; João 8:58; 18:5, 6 e 8)?

5. Jeová é o primeiro e o último (Isaías 41:5; 55:6; 48:12), mas o mesmo qualificativo é atribuído a Jesus: Apocalipse. 1:11-17; 2:8; 22:13. Como pode haver dois primeiros e dois últimos?

6. Como explicam que Isaías 6:1:1-10 apresenta a visão do profeta que claramente se refere a Jeová, sentado no Seu alto e sublime trono, mas João 12:36-41 aplica a passagem a Jesus e Paulo informa que quem disse aquelas palavras a Isaías foi o Espírito Santo (Atos 28:25-27)?

7. Pode Jesus ser adorado não sendo Deus (Mateus 2:2, 8, 11; 14:33; 15:25; 20:20; 28:9, 17; Marcos 5:6; Lucas 24:52; João 9:38) quando Deus mesmo manda os anjos adorá-lO: Hebreus 1:6?

8. Se Jesus Cristo não é Deus, por que não corrigiu Tomé quando este a Ele se referiu dizendo: “Meu Senhor e meu Deus” (João 20:28)?

9. Como explicar que Cristo foi ressuscitado pelo Pai (Atos 10:40; 13:30), por Seu próprio poder (João 10: 17, 18) e pelo Espírito Santo (Romanos 8:11)?

10. Se o Espírito Santo não é uma divina pessoa, por que Se dirige a Si mesmo com um pronome pessoal em Atos 13:2 e 4?

Fiquem com Deus – Triúno!

Prof. Azenilto G. Brito
Ministério Sola Scriptura
Bessemer, Ala., EUA

Sobre Blog Sétimo Dia

“SOLO CHRISTO”, “SOLA GRATIA”, “SOLA FIDE”, “SOLA SCRIPTURA” (salvação somente em Cristo, somente devido à graça de Deus, somente pela instrumentalidade da fé, somente com base na Escritura)
Esse post foi publicado em Trindade e marcado . Guardar link permanente.

41 respostas para Trindade: 10 Perguntas Para Quem NÃO Crê

  1. Eder Clóvis Soares disse:

    Os IASD perderam o senso e estão crendo em doutrinas pagãs da ICAR.

    Quero fazer uma poderação e gostaria que todos os IASD sinceros refletissem e me afirmem que verdadeiramente a trindade existe depois de lerem I Coríntios 15:15-28
    que segue logo abaixo:

    “A palavra hebraica mais comum, usada para designar D-us no Velho Testamento é “Elohim”, sendo um substantivo plural. “No princípio, criou Deus o céu e a terra.” (Gên 1:1). “Elohim” não é o nome pessoal de Deus; simplesmente refere-se à Sua Divindade, Sua posição em relação às criaturas, significando originalmente “O Forte”.

    Não existe trindade, existe apenas o Pai que é D-us e o filho do Pai (YHWH) que é Yeshua, e o “espirito santo” é a forma com que D-us e Seu filho se manifestam ao homem, portanto não é um ser pessoal como o Pai e o Filho.

    Vejamos que quando Yeshua esteve aqui ele foi ressusitado pelo Pai, porque D-us não morre Ele é eterno, assim só o Filho em forma humana poderia morrer, não sendo Ele D-us. Também vemos que Yeshua depois de concluída totalmente a obra da salvação se despojará de todo o poder que recebeu do Pai (I Cor. 15:24-28). Ver o texto de I Coríntios 15:15-28 que segue abaixo:

    I Coríntios 15:15-28
    15 E assim somos também considerados como falsas testemunhas de Deus, pois testificamos de Deus, que ressuscitou a Cristo, ao qual, porém, não ressuscitou, se, na verdade, os mortos não ressuscitam.
    16 Porque, se os mortos não ressuscitam, também Cristo não ressuscitou.
    17 E, se Cristo não ressuscitou, é vã a vossa fé, e ainda permaneceis nos vossos pecados.
    18 E também os que dormiram em Cristo estão perdidos.
    19 Se esperamos em Cristo só nesta vida, somos os mais miseráveis de todos os homens.
    20 Mas de fato Cristo ressuscitou dentre os mortos, e foi feito as primícias dos que dormem.
    21 Porque assim como a morte veio por um homem, também a ressurreição dos mortos veio por um homem.
    22 Porque, assim como todos morrem em Adão, assim também todos serão vivificados em Cristo.
    23 Mas cada um por sua ordem: Cristo as primícias, depois os que são de Cristo, na sua vinda.
    24 Depois virá o fim, quando tiver entregado o reino a Deus, ao Pai, e quando houver aniquilado todo o império, e toda a potestade e força.
    25 Porque convém que reine até que haja posto a todos os inimigos debaixo de seus pés.
    26 Ora, o último inimigo que há de ser aniquilado é a morte.
    27 Porque todas as coisas sujeitou debaixo de seus pés. Mas, quando diz que todas as coisas lhe estão sujeitas, claro está que se excetua aquele que lhe sujeitou todas as coisas.
    28 E, quando todas as coisas lhe estiverem sujeitas, então também o mesmo Filho se sujeitará àquele que todas as coisas lhe sujeitou, para que Deus seja tudo em todos.

    Espero ter contribuído.

    Eder”

  2. Enoque A. O. Junior disse:

    Acabei de ler o texto de 1Coríntios 15:15-28 e continuo totalmente convicto na trindade, essas histórias de que o Espírito Santo é uma emanação, que é doutrina da ICAR e etc, nunca mexeu com a minha fé, e nem vai, pois acredito piamente na bíblia. Sei que a palavra “trindade” não está lá, mas a doutrina sim ( assim como a palavra milênio não está, mas a doutrina está).

    Me despeço com um texto : “A graça do Senhor Jesus Cristo, e o amor de Deus, e a comunhão do Espírito Santo sejam com todos vós”

    Amén

  3. Eder Clóvis Soares disse:

    Caro Enoque, que “deus” é este que depois de cumprir sua missão irá se sujeitar a outro “deus”???

    25 Porque convém que reine até que haja posto a todos os inimigos debaixo de seus pés.
    26 Ora, o último inimigo que há de ser aniquilado é a morte.
    27 Porque todas as coisas sujeitou debaixo de seus pés. Mas, quando diz que todas as coisas lhe estão sujeitas, claro está que se excetua aquele que lhe sujeitou todas as coisas.
    28 E, quando todas as coisas lhe estiverem sujeitas, então também o mesmo Filho se sujeitará àquele que todas as coisas lhe sujeitou, para que Deus seja tudo em todos.

  4. Stephan Max disse:

    Gostaria de dizer a meu irmão de fé Eder Clóvis Soares com todo apreço por sua sinceridade que nem mesmo a própia ICAR possue a mesma posição que a IASD sobre a Tríplice Divindade. I Coríntios 15:15-28 demaneira alguma me convence contra a existência da Divindade. Cristo se submeteu ao Pai pelo mesmo motivo que se batizou sem haver pecado e que passava noites orando mesmo sendo Todo-Poderoso;
    “Que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus,
    Mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens;
    E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz”.
    Filipenses 2:6-8

    Creio píamente que nosso irmão Eder é um sincero estudioso da Bíblia e, cortezmente tambêm o convido a postar respostas ás 10 perguntas deste post com base bíblica.

    Com apreço,

    Stephan Max

  5. Eder Clóvis Soares disse:

    10 Respostas para os que Acreditam na Trindade
    I Parte
    Fui solicitado que respondesse a 10 perguntas lançadas na NET em alguns sites, com o propósito de confundir aqueles que estão questionando a verdade acerca da doutrina católica “A TRINDADE”. Doutrina aceita e ensinada em quase todas as denominações inclusive pela atual IASD. As perguntas que seguem destacadas pela cor vermelha, foram Elaboradas por um trinitariano conhecido como prof. Azenilton Brito. Esta é a primeira parte do Assim diz o Senhor, como resposta, para que as dúvidas levantadas em virtude das capciosas perguntas, sejam imediatamente desfeitas. Vamos para o que “ASSIM DIZ O SENHOR”.
    1. Se Jesus era menor do que Deus, como pode também ser “o mesmo ontem, hoje e para sempre” (Heb. 13:8)?

    Resposta: João 14:28 “Ouvistes que eu vos disse: vou e volto para junto de vós. Se me amásseis, alegrar-vos-íeis de que eu vá para o Pai, pois o Pai é maior do que eu.”

    Esta pergunta deveria ser feita não para nós os não trinitarianos, mas ao próprio Cristo, pois, foi Ele mesmo que disse ser menor do que o Pai, e nós, apenas concordamos com suas palavras. Não ficamos tentando remendar ou desmentir as palavras de Jesus ou dos apóstolos que igualmente concordaram com as afirmações de Cristo. Veja nos versos abaixo o de acordo dos discípulos com as palavras do próprio Jesus. O Assim diz o Senhor.

    João 13:16 “Em verdade, em verdade vos digo que o servo não é maior do que seu senhor, nem o enviado, maior do que aquele que o enviou.”

    Jesus disse que veio para servir, portanto Ele é um servo e para isso foi Ele enviado. Ele é chamado de servo até nos profetas. Is. 49: 13, etc.

    1 Coríntios 11:3 “Quero, entretanto, que saibais ser Cristo o cabeça de todo homem, e o homem, o cabeça da mulher, e Deus, o cabeça de Cristo.”

    1 Coríntios 15:28 “Quando, porém, todas as coisas lhe estiverem sujeitas, então, o próprio Filho também se sujeitará àquele que todas as coisas lhe sujeitou, para que Deus seja tudo em todos.”

    Embora o texto de hebreus (13:8) claramente denote uma referencia a personalidade de Jesus, isto é, a forma como Ele age, pensa e sente, podemos facilmente admitir que, mesmo se o texto estivesse falando de sua condição existencialista, (no tempo) ainda assim, isto não mudaria a posição de Jesus em relação ao Pai, pois o verso não diz que Jesus é igual ao Pai. Jesus assim como o Pai, não muda. Ele é imutável no caráter, na personalidade, na forma de agir e pensar. Assim como o próprio Pai também não muda e a prova disto é o verso a seguir.

    Malaquias 3:6 Porque eu, o SENHOR, não mudo; por isso, vós, ó filhos de Jacó, não sois consumidos.

    Com toda certeza nós podemos afirmar que a resposta para a pergunta acima é tão simples quanto é o próprio Senhor Jesus. Ele pode ser o mesmo ontem, hoje e para sempre, na mesma condição em que sempre esteve, ou seja, na condição de Filho de Deus. Nesta condição, Jesus é o mesmo ontem, hoje e será para sempre, um Filho. Nunca Jesus deixou de ser um Filho. Esta foi a sua condição antes, agora e assim se manterá por toda a eternidade.

    O autor da carta aos hebreus claramente nos assegura isto. Heb. 1: 5-6

    “Pois a qual dos anjos disse jamais: Tu és meu Filho, eu hoje te gerei? E outra vez: Eu lhe serei Pai, e ele me será Filho? E, novamente, ao introduzir o Primogênito no mundo, diz: E todos os anjos de Deus o adorem.”

    Ontem, hoje e sempre significa que Jesus também não muda. Isto nada tem haver quanto a sua posição perante o Pai. Isso tem relação quanto à imutabilidade de seu caráter. Mas basta perguntarmos à bíblia quem foi Jesus (Ontem), quem é Jesus (Hoje) e quem será Jesus (Sempre) e veremos que será desnecessário colocar todos os versos bíblicos que revelam esta condição única (Unigênito).

    Deus é sempre tratado como alguém que esta acima de tudo e de todos, este titulo é atribuído pelas pessoas a determinadas coisas ou pessoas exatamente por estarem nesta condição de superioridade. Sendo assim, como é que Jesus trata e chama o Pai, não apenas de Pai, mas também de Seu Deus? Como Jesus pode ser um Deus e ter pra Si mesmo um outro Deus? Se Ele é também um Deus na mesma condição de igualdade, como pode tratar uma outra pessoa chamando-a de Deus, sendo que na lei está escrito “Não terás outros deuses diante de MIM”? Foi Jesus um transgressor da lei tornando-se um pecador como nós?

    Veja os seguintes versos.

    Efésios 1:17 “… para que o Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai da glória, vos conceda espírito de sabedoria e de revelação no pleno conhecimento dele”,

    1 Pedro 1:3 “Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que, segundo a sua muita misericórdia, nos regenerou para uma viva esperança, mediante a ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos”,

    Apocalipse 3:2 “Sê vigilante e consolida o resto que estava para morrer, porque não tenho achado íntegras as tuas obras na presença do meu Deus”.

    Apocalipse 3:12 “Ao vencedor, fá-lo-ei coluna no santuário do meu Deus, e daí jamais sairá; gravarei também sobre ele o nome do meu Deus, o nome da cidade do meu Deus, a nova Jerusalém que desce do céu, vinda da parte do meu Deus, e o meu novo nome”.

    Finalizando esta resposta para primeira das 10 perguntas, reitero as perguntas anteriores, e paras estas sim, ainda não encontrei respostas que satisfaçam: “Como é que um “Deus” (Jesus) em toda plenitude e a acepção da palavra, (conforme acreditam e ensinam os trinitarianos) pode ter um outro Deus, (O Pai) sobre si mesmo, sujeitando-se a Ele (o Pai) como servo enviado no passado, no presente e no futuro por toda eternidade? Porque Ele (Cristo) chama seu Pai de “MEU DEUS”, transgredindo assim o primeiro mandamento da “sua própria lei” que diz: Não terás outros deuses diante de MIM?

    Veja que nesta primeira pergunta não se apresenta uma visão ou prova da existência de uma trindade. A questão é a igualdade entre o Pai e o Filho, porém o Espírito nem é mencionado. Porque? Analise você mesmo.

    2. Já que o Senhor não dará a Sua glória a nenhum outro ser (Isaías 42:8; 48:11) como pôde o Senhor Jesus pedir ao Pai: “Glorifica-Me contigo mesmo com a glória que Eu tive junto de Ti, antes que houvesse mundo” (João 17:5). E como pôde Pedro atribuir-lhe glória, que só deveria ser atribuída a Deus (2 Pedro 3:8)?

    Resposta: Primeiro é importante observar que Jesus “pede” ao Pai que o glorifique. Se Jesus pede é porque está desprovido, porque ninguém em sã consciência pede o que já tem ou pede algo de que não necessita. Isto já coloca Jesus numa condição menor que o Pai, o que reforça ainda mais suas palavras afirmando ser menor do que o Pai. (lembrando que o autor das 10 perguntas citou o texto que diz ser Jesus o mesmo ontem, hoje e sempre, “vede a 1º pergunta já respondida”; assim Jesus nunca deixou de ser igual ao Pai, o que coloca o autor das perguntas numa grande contradição)

    Segundo precisamos saber o significado da palavra glória, para se possível tentar descobrir qual é a gloria que o texto citado esta se referindo.

    Glória
    do Lat. Glória
    s. f. fama, reputação ilustre; celebridade adquirida por grande mérito;

    fig. brilho, magnificência, esplendor; bem-aventurança; ufania, orgulho; auréola de santos;

    Diante das definições a cerca da palavra glória, qual seria a glória que o Senhor não daria a nenhum outro? Mesmo sem se importar com este mérito agora, vejamos o seguinte;

    Embora o texto de João 17: 5, diga que Jesus possuía uma glória anterior a criação do mundo junto ao Pai, todavia, onde é que está implícito ou explicito que esta glória era igual ou a mesma que a glória do Pai? Analise os versos abaixo.

    João 17:22 “Eu lhes tenho transmitido a glória que me tens dado, para que sejam um, como nós o somos;”

    João 17:24 “Pai, a minha vontade é que onde eu estou, estejam também comigo os que me deste, para que vejam a minha glória que me conferiste, porque me amaste antes da fundação do mundo.”

    Veja que os textos acima comprovam que a gloria de Jesus foi conferida a Ele pelo Pai.

    A bíblia também fala de diferentes formas de glória. Paulo dá exemplo disso em sua carta aos Corintios.

    I Cor. 15: 40-41 “Também há corpos celestiais e corpos terrestres; e, sem dúvida, uma é a glória dos celestiais, e outra, a dos terrestres. Uma é a glória do sol, outra, a glória da lua, e outra, a das estrelas; porque até entre estrela e estrela há diferenças de esplendor.”.

    Lucas 9:26 “Porque qualquer que de mim e das minhas palavras se envergonhar, dele se envergonhará o Filho do Homem, quando vier na sua glória e na do Pai e dos santos anjos.”

    Este é um verso bastante interessante, pois diz que o Pai possui glória, o Filho possui glória e os anjos também possuem glória. Isso dito no mesmo verso. Por este verso, poderíamos então deduzir que a gloria dos anjos é igual à glória do Pai também? Ora, é evidente que não. Assim, a glória do Pai não é igual à glória do Filho, que também não é igual a gloria dos anjos, é superior a dos anjos, e certamente diferente da glória do Pai, que é uma glória superior a qualquer outra glória existente, e esta, pertence exclusivamente ao Pai, a Ele só, e a mais ninguém. É por isso Ele não a dá, a ninguém.

    O texto de Isaias é claro. Deus não dará a SUA PRÓPRIA glória a nenhum outro. Jesus não pede a glória do Pai, mas pede a sua própria glória a qual o Pai havia lhe concedido, visto que ele não a possuía em si mesmo, como o Pai.

    Quanto a Pedro, veja nos versos a seguir como e porque Pedro atribuiu glória a Jesus.

    1 Pedro 1:21 “…que, por meio dele, tendes fé em Deus, o qual o ressuscitou dentre os mortos e lhe deu glória, de sorte que a vossa fé e esperança estejam em Deus”.

    1 Pedro 4:11 “Se alguém fala, fale de acordo com os oráculos de Deus; se alguém serve, faça-o na força que Deus supre, para que, em todas as coisas, seja Deus glorificado, por meio de Jesus Cristo, a quem pertence a glória e o domínio pelos séculos dos séculos. Amém!”

    Estes versos acima demonstram com clareza que Pedro sabia que Deus não aceitaria nenhum tipo de glória sem ter a intermediação de Cristo. “Ninguém vem ao Pai se não por mim” disse Jesus.

    Pedro sabia que toda gloria atribuída a Cristo, fora inicialmente conferida a Ele pelo próprio Deus e Pai. Glorificar ou adorar o filho de Deus foi uma ordem dada a todas as criaturas pelo próprio Deus tanto no céu quanto na terra.

    Heb.1:5-6 “Pois a qual dos anjos disse jamais: Tu és meu Filho, eu hoje te gerei? E outra vez: Eu lhe serei Pai, e ele me será Filho? E, novamente, ao introduzir o Primogênito no mundo, diz: E todos os anjos de Deus o adorem”

    Foi por isso que Pedro atribuiu glória a Cristo. Esta foi uma ordem divina e a obediência a toda ordem divina, resulta em honra e glória a Deus. O Pai sempre foi glorificado no Filho e por intermédio do Filho.

    Finalizando a resposta desta segunda pergunta, ficam duas outras perguntas para os trinitarianos, que gostaria de obter uma resposta satisfatória.

    A primeira é: Porque Jesus disse que não aceitava a glória dos homens?

    “Eu não aceito glória que vem dos homens;” João 5: 41.

    A segunda é: Se a glória de Jesus é a mesma que a glória de Deus e este não a dá a nenhum outro, como é que Jesus transmite esta glória para nós simples mortais?

    “Eu lhes tenho transmitido a glória que me tens dado, para que sejam um, como nós o somos;” João 17:22

    Veja que nesta segunda pergunta a presença do Espírito também não é mencionada. A questão ainda é entre o Pai e o Filho. Aqui a glória do Espírito não foi incluída. Porque? Analise você mesmo.

    3. Jeová Se refere a Si mesmo como tendo sido traspassado (Zacarias 12:1 e 10), mas como em Apocalipse 1:7 todos verão a Cristo como Aquele que foi traspassado?

    Resposta: Li e reli o texto e sinceramente ainda estou tentando ver onde é que os versos citados na pergunta acima demonstram que Jeová fala de Si mesmo como se Ele mesmo fosse O transpassado. Onde estes versos dão a entender que Jeová fala de Si mesmo? Vejamos.

    Verso 1. “Sentença pronunciada pelo SENHOR contra Israel. Fala o SENHOR, o que estendeu o céu, fundou a terra e formou o espírito do homem dentro dele”

    No verso acima nota-se nitidamente que é o profeta que esta transmitindo as palavras do próprio Jeová.

    Observe atentamente o verso 10. “E sobre a casa de Davi e sobre os habitantes de Jerusalém derramarei o espírito da graça e de súplicas; olharão para aquele a quem traspassaram; pranteá-lo-ão como quem pranteia por um unigênito e chorarão por ele como se chora amargamente pelo primogênito”. Grifos meus.

    Veja que no verso 10, logo acima, Jeová continua falando por meio do profeta, mas não de si mesmo. Nitidamente percebe-se que Jeová fala de uma outra pessoa, visto que os pronomes pessoais empregados no texto, estão na terceira pessoa do singular. Aqui Jeová fala de seu Filho com toda a clareza.

    Se no verso 10, Jeová falou de Si mesmo como transpassado, os pronomes pessoais deste verso deveriam estar na primeira pessoa do singular. Assim, o verso deveria estar da seguinte forma:

    “E sobre a casa de Davi…; olharão para MIM a quem transpassaram; prantear-me-ão como … e chorarão por MIM como se chora…”.

    Apocalipse 1: 7 “Eis que vem com as nuvens, e todo olho o verá, até quantos o traspassaram. E todas as tribos da terra se lamentarão sobre ele. Certamente. Amém!”

    Aqui também, podemos ver claramente pelo texto e contexto imediato que é o profeta João falando de Jesus, basta ler o contexto imediato anterior.

    Vemos que nada há nos versos apresentados que indique a existência de uma só pessoa falando de si mesma como se fosse uma só pessoa atuando de duas formas ou exercendo dois papéis.

    Veja que o autor das 10 perguntas, ao fazer esta pergunta, mostra a grande confusão que se encontra em sua mente. Pois ele esta insinuando que Jeová ou Deus Pai e Jesus são a mesma pessoa. Desta forma o autor das 10 perguntas esta caindo na doutrina UNICISTA, que acredita e ensina que Jesus, é o próprio Deus e não uma pessoa distinta do Pai. Ou seja, Jesus é ao mesmo tempo ou em situações distintas a manifestação do mesmo Deus, que age em alguns momentos como figura de Pai, em outros como figura de Filho e uma terceira atuação na forma de Espírito.

    Mas, mesmo que o verso de Zacarias estivesse de alguma forma dando a entender que Jeová e Jesus são uma só e a mesma pessoa, isto não daria apoio ao que se ensina a cerca da trindade, muito pelo contrario, só provaria, embora de forma errada, que não existe uma trindade onde três pessoas formam um único Deus.

    Nós até poderíamos entender e aceitar que Jeová estivesse se referindo a Si mesmo como transpassado, mas neste caso, isto jamais poderia ser de forma literal, pois estando Jesus na Cruz, orou ao Pai que estava no céu dizendo: “Deus meu, Deus meu, porque me desamparas-te?” Este verso só poderia ser entendido de forma literal somente se nós viéssemos a crer, que tudo não passou de uma encenação como num teatro, onde Jesus apenas representava dois papeis ao mesmo tempo, mas nada do que estava sentindo foi real e/ou verdadeiro.

    Em ultima analise podemos até admitir que Deus também foi transpassado, mas, numa linguagem figurada, pois a bíblia diz que:

    2 Coríntios 5:19 “…a saber, que Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não imputando aos homens as suas transgressões, e nos confiou a palavra da reconciliação”.

    Ora se Deus estava em Cristo, de certa forma no momento em que Cristo foi transpassado, o Pai também o foi, mas numa linguagem figurada ou simbólica.

    É importante ressaltar o fato, de Jesus ter dito também que Ele e o Pai são UM, (João 10:30) mas, isto não significa que são a mesma pessoa, pois se assim o fosse o verso a seguir teria que significar essencialmente a mesma coisa. Pois foi o próprio Jesus quem disse também:

    “Eu lhes tenho transmitido a glória que me tens dado, para que sejam um, como nós o somos;” João 17:22

    O verso acima mostra com clareza que o UM dito por Jesus não significa IGUALDADE, mas UNIDADE. E unidade não é a mesma coisa que igualdade, pois caso contrário Jesus teria dito: Eu e o Pai somos iguais.

    Finalizando a resposta desta 3º pergunta, fica uma outra pergunta para análise e reflexão dos trinitarianos: Como Jesus pode ser um intermediário ou intercessor entre Deus e o homem, se Ele mesmo é o próprio Deus? (I Tm. 2:5)

    Observe que estamos na terceira pergunta e a pessoa do Espírito Santo ainda não apareceu compondo o Deus triúno. Novamente, a questão esta ligada somente entre o Pai e o Filho. Porque o Espírito não citado como transpassado? Analise você mesmo.

    4. Como podem tanto Jesus como Jeová revelar-Se com a mesma designação, “Eu sou” (Êxodo 3:14; João 8:58; 18:5, 6 e 8)?

    Resposta: Creio que o autor das 10 perguntas esta confundindo alhos com bugalhos.

    Primeiro porque no texto de Êxodo 3: 14, a palavra usada no original é egoieimionhon e em João 8: 58 a palavra é egoeimi, portanto, duas expressões totalmente diferentes e distintas em significado.

    Em Êxodo 3: 14, Deus está simplesmente revelando sua identidade a Moises para que este pudesse dizê-la ao povo. Na verdade Deus esta revelando o nome pelo qual deveria ser conhecido ou identificado naquele momento. Moises havia perguntado a Deus qual era o Seu nome, para que pudesse revelá-lo ao povo. Então Deus lhe disse: “Assim dirás aos filhos de Israel: EU SOU (Egoieiminhon) me enviou a vós outros,”.

    Em João 8: 58, Jesus esta revelando sua idade no tempo. Isto porque os judeus haviam-lhe feito uma pergunta: “Perguntaram-lhe, pois, os judeus: Ainda não tens cinqüenta anos e viste Abraão?”

    “Respondeu-lhes Jesus: Em verdade, em verdade eu vos digo: antes que Abraão existisse, EU SOU”. (Egoeimi)

    Jesus simplesmente disse que ele existia antes mesmo de Abraão ter existido. Mas isso o coloca na mesma condição de igualdade com o Pai? Ora, Lúcifer também existia antes de Abraão e se o mesma pergunta fosse dirigida a ele, certamente sua resposta seria a mesma. Deveríamos considerar Lúcifer igual a Deus se esta resposta fosse dada por ele, mesmo tendo a certeza de que esta era verdadeira? E claro que não. E porque deveríamos crer que pelo fato de Jesus ter dito Eu Sou antes de Abraão, isso o coloca na mesma condição de igualdade com o Pai?

    Uma coisa não tem nada a ver com a outra na comparação que o autor das 10 perguntas tenta fazer. Esta totalmente fora de contexto.

    João 18:5 “Responderam-lhe: A Jesus, o Nazareno. Então, Jesus lhes disse: Sou eu. Ora, Judas, o traidor, estava também com eles.”

    João 18:6 “Quando, pois, Jesus lhes disse: Sou eu, recuaram e caíram por terra.”

    João 18:8 “Então, lhes disse Jesus: Já vos declarei que sou eu; se é a mim, pois, que buscais, deixai ir estes.”

    Nos três versos citados não há o que comentar. Basta se observar que nestes versos Jesus não diz: “EU SOU”. Muito infeliz a comparação dos textos mencionados pelo autor das 10 perguntas capciosas. Não precisa ser nenhum professor da língua portuguesa para entender os que os versos estão informando.

    Esta comparação do Eu Sou do velho testamento com o Eu Sou do novo testamento, induz os menos avisados a cair na armadilha da teologia UNICISTA já comentada na resposta a terceira pergunta do Sr. Azenilton.

    Veja se o Deus EU SOU do velho testamento é o mesmo Deus EU SOU do novo testamento, só pelo fato de Jesus ter dito EU SOU, então ambos são a mesma pessoa e este é o pensamento UNICISTA. Não existe na teologia UNICISTA mais de uma pessoa, contrariando a doutrina trinitariana adventista e católica que afirma existirem três pessoas distintas, porém unas, o que as tornam em um único Deus.

    Se você esta achando confuso tudo isso, não se preocupe. A doutrina trinitariana é assim mesmo, uma grande confusão. Esta doutrina é tão confusa que nem mesmo aqueles que a fundamentaram sabem como explicá-la.
    Estamos na quarta pergunta e a pessoa do Espírito Santo ainda não se fez presente para um apoio ao conceito de um Deus triúno. Mais uma vez estamos apenas diante do Pai e do Filho. Porque? Onde está o EU SOU Espírito Santo? Analise você mesmo.

  6. Eder Clóvis Soares disse:

    II Parte

    5. Jeová é o primeiro e o último (Isaías 41:5; 55:6; 48:12), mas o mesmo qualificativo é atribuído a Jesus: Apocalipse. 1:11-17; 2:8; 22:13. Como pode haver dois primeiros e dois últimos?

    Resposta: Primeiro é necessário fazer uma pequena correção quanto à citação de dois textos. O texto que foi citado é o de Isaías 41: 5, mas na verdade o texto correto é o de Isaías 41:4. O outro texto citado, que deve ser o de Isaías 55:6 (o livro não foi citado), não diz nada relacionado à pergunta. Creio que o autor se enganou ou não teve o cuidado e a preocupação de conferir todas as passagens por ele utilizadas para formular suas perguntas capciosas. Confira abaixo:

    “Quem fez e executou tudo isso? Aquele que desde o princípio tem chamado as gerações à existência, eu, o SENHOR, o primeiro, e com os últimos eu mesmo.” Isaías 41: 4. (Leia o verso em outras versões para entender melhor seu contexto)

    “Buscai o SENHOR enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto.” Isaías 55:6. (Não diz nada sobre “primeiro e ultimo”).

    Feita as devidas correções, gostaria de chamar sua atenção para uma análise cuidadosa sobre esta quinta pergunta. Reflita bem; “Como pode haver dois primeiros e dois últimos?” Observou que esta pergunta capciosa, trás na sua essência uma das muitas provas que podem ser utilizadas contra doutrina de “Babel”, a trindade? Não observou? Analise com um pouco mais de atenção, reflita um pouco mais.

    Como pode haver dois primeiros? Ou, Como pode haver dois últimos? Se estivéssemos falando aqui de uma competição, é evidente que isso não deveria ser possível. Isso dentro da ótica de “uma” competição é claro. Mas, é interessante que mesmo em casos de competições, se esta for, por exemplo, um caso de esporte coletivo, tipo futebol ou vôlei, nós teríamos vários primeiros e até milhares de últimos… eheheh.. me perdoem… eu não resisti…

    Evidentemente não estamos falando de uma competição. O caso é entre O Deus único e verdadeiro e o nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. (João 17:3)

    Observe: Estamos falando de quantas pessoas? Sobre quantas pessoas a bíblia se refere como primeiro e como ultimo? Mais uma vez não estamos falando apenas de duas pessoas? O Pai e o Filho. Cadê o Espírito ou onde ele se encaixa neste contexto? Ele não faz parte também na concepção dos trinitarianos da unicidade de Deus como uma terceira pessoa? Porque o Espírito não é mencionado dentro do contexto desta pergunta? Talvez um trinitariano diga: “Mas é preciso? Isso já esta implícito.” Mas onde é que isso esta implícito? Como é que isto esta implícito? Em qual texto da bíblia?

    É fato. O Espírito não esta presente neste caso, (embora esteja presente em todos os “lugares”) porque não há nem um texto que fale dele como primeiro e ultimo. E mais uma vez, só observamos a bíblia falando de duas pessoas semelhantes, mas não iguais em questão.

    Quem é o primeiro e quem é o ultimo? Creio que o autor das perguntas deve estar se referindo neste caso, a questão existencial. Quem existiu primeiro? E se fosse possível, quem seria o ultimo a deixar de existir? Aqui começa o grande dilema dos trinitarianos. Pois não havendo um primeiro a existir, já que Jesus sempre existiu em igualdade com o Pai, neste caso o Pai não seria de fato um Pai e não haveria então um Filho de verdade. Mas sempre surge alguém com a velha historia. Jesus não se tornou um filho quando nasceu de Maria? Mas se isto fosse verdade, ou seja, se Jesus só se tornou filho a partir de Maria, então João 3: 16 é uma grande mentira. Pois não havia Pai nenhum antes e não havendo Pai, não existiu Filho nenhum antes também, e Deus que não é Pai, pois não gerou nenhum filho, não deu Filho algum pra morrer em lugar do homem, pois o filho também não era filho coisa nenhuma e isso tudo foi uma grande brincadeira ‘das divindades celestiais’ para com os homens. Talvez uma pegadinha celestial.

    Uma coisa é certa. Esta pergunta definitivamente mostra que o autor das 10 perguntas e os defensores da trindade de fato são ou estão tão confusos quanto à própria doutrina que defendem, pois, mais uma vez é mostrado que; Se não pode haver dois primeiros e dois últimos, conforme esta sendo questionado, isto significa que na mente dos trinitarianos, O Jeová do antigo testamento de fato é mesmo que se apresenta como o Jesus do novo testamento, caracterizando em definitivo a crença UNICISTA, que ensina ser o Pai e o Filho de uma mesma essência.

    Creio então que esta pergunta deveria ser respondida em primeiro lugar pelos próprios trinitarianos, pois se não pode haver dois primeiros e dois últimos, como é que eles querem ensinar à existência de três primeiros e três últimos?

    Eis aí uma pergunta muito difícil para um trinitariano responder, caso contrário à mesma nem teria sido formulada. Tentaremos dar uma mãozinha. Veja abaixo os textos citados.

    “Dá-me ouvidos, ó Jacó, e tu, ó Israel, a quem chamei; eu sou o mesmo, sou o primeiro e também o último.” Isaías 48: 12. (Diz o Pai)

    “Tinha na mão direita sete estrelas, e da boca saía-lhe uma afiada espada de dois gumes. O seu rosto brilhava como o sol na sua força. Quando o vi, caí a seus pés como morto. Porém ele pôs sobre mim a mão direita, dizendo: Não temas; eu sou o primeiro e o último e aquele que vive; estive morto, mas eis que estou vivo pelos séculos dos séculos e tenho as chaves da morte e do inferno.” Apocalipse 1: 16-18. (Diz o Filho)

    “Ao anjo da igreja em Esmirna escreve: Estas coisas diz o primeiro e o último, que esteve morto e tornou a viver: Apocalipse” 2: 8. (Diz o Filho)

    “Eu sou o Alfa e o Ômega, o Primeiro e o Último, o Princípio e o Fim.” Apocalipse 22:13. (Diz o Pai)

    Não há duvida de que tanto o Pai quanto o Filho afirmam ser o primeiro e o ultimo. Mas, existe uma grande diferença apontada pela bíblia em relação a esta questão do Pai e o Filho como primeiro e ultimo.

    Que subsídios à bíblia nos dá para que possamos entender a diferença entre as palavras de Deus e as palavras de Jesus? Vejamos:

    Se o sentido da palavra princípio esta ligada à questão existencial do Pai e do Filho no tempo, então a bíblia nos diz o seguinte:

    Isaías 43:10 “Vós sois as minhas testemunhas, diz o SENHOR, o meu servo a quem escolhi; para que o saibais, e me creiais, e entendais que sou eu mesmo, e que antes de mim deus nenhum se formou, e depois de mim nenhum haverá.” (Diz o Pai)

    Esta passagem é muito interessante, pois Deus esta falando de si mesmo usando um pronome pessoal (MIM) e situando-se no tempo (antes de mim… e depois de mim). Para que a comparação feita pelo autor das 10 perguntas possa provar a existência de uma suposta divindade composta da união de três pessoas divinas, Deus deveria ter usado outro pronome pessoal de forma que incluísse pelo menos mais uma pessoa. Neste caso o pronome pessoal no verso, deveria ser o pronome NÓS.

    Assim, o verso ficaria da seguinte forma: “…antes de nós deus nenhum se formou, e depois de nós nenhum haverá.”

    Ciente de que o verso de Isaías 43:10 se refere a Jeová, neste caso o Pai, podemos dizer sem medo de errar, que o Pai esta afirmando que antes dEle, deus nenhum se formou e depois dEle, deus nenhum haverá. Neste caso, ou Deus na pessoa do Pai esta sendo egoísta, por não reconhecer os outros dois, ou de fato, no “tempo” somente Ele, (o Pai) é unicamente Deus. Entendendo que Deus o Pai, é verdadeiramente o único Deus no mais amplo e restrito sentido da palavra, podemos também entender que Ele seja o Princípio e o Fim. É muito importante lembrar também, que, Deus, não esta sujeito ao tempo. Deus é atemporal, ou seja, Ele é o inicio sem principio e o ultimo sem fim.

    Quanto a Jesus, o que diz a bíblia? Vamos começar pelo final da bíblia. Eis a seguir o “Assim diz o Senhor”:

    Apoc. 3:14 “Ao anjo da igreja em Laodicéia escreve: Estas coisas diz o Amém, a testemunha fiel e verdadeira, o princípio da criação de Deus”

    Miquéias 5:2 “E tu, Belém-Efrata, pequena demais para figurar como grupo de milhares de Judá, de ti me sairá o que há de reinar em Israel, e cujas origens são desde os tempos antigos, desde os dias da eternidade.”

    Colossenses 1:15 “Este é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação”

    Esta é a realidade. Jesus é o primeiro porque é o primogênito de Deus. O primeiro e único ser gerado por Deus o Pai.

    1 João 4:9 “Nisto se manifestou o amor de Deus em nós: em haver Deus enviado o seu Filho unigênito ao mundo, para vivermos por meio dele.”

    Jesus é o ultimo, por ser o unigênito, ou seja, ÚNICO gerado, significando que depois dele, nenhum outro foi da mesma forma gerado por Deus o Pai. Assim, Ele é por isso também o último. Porque nenhum outro depois dEle foi gerado por Deus da mesma forma.

    É desta forma que Jesus se autodenomina de o primeiro e o ultimo.

    Se Jesus é exatamente igual a Deus, como pode Ele ter tido uma origem? Mesmo que esta tenha sido como disse o profeta, desde os dias da eternidade? Deus não tem uma origem, Ele é sem principio e é Deus quem dá origem a todas as coisas inclusive ao Filho.

    Esta é a grande diferença que a bíblia apresenta entre Jesus e Deus quanto à questão principio e fim.

    Como alguém pode querer que acreditemos na igualdade de condições entre duas ou mais pessoas, apenas pelo fato de uma pessoa dizer as mesmas palavras que a outra disse? Quer dizer então, usando o exemplo dado na resposta da quarta pergunta; que, por Jesus ter dito que Ele é o principio e o fim, da mesma forma que Jeová também disse, todos nós devemos crer que ambos Jesus e Deus o Pai estão na mesma condição de igualdade? Ou que ambos são a mesma pessoa? Isso é um absurdo!

    Ainda mais! Isso por si só, prova a existência de uma trindade? Coloca Jesus na mesma condição de igualdade com o Pai? E onde fica o Espírito Santo dentro do contexto desta pergunta feita pelo Sr. Azenilto Brito? Se eu começar a dizer que sou o principio e o fim, para todas as pessoas, isso também me colocará na mesma condição de igualdade com Deus? Evidentemente que não. Ora, eu nunca, jamais poderei me comparar com Deus, em nada, absolutamente nada. Mas Jesus é o meu modelo, dado pelo próprio Deus, e é com Ele que eu estou me comparando. Caso contrário Ele não poderia me servir de modelo. Será que deu para entender?

    6. Como explicam que Isaías 6:1:1-10 apresenta a visão do profeta que claramente se refere a Jeová, sentado no Seu alto e sublime trono, mas João 12:36-41 aplica a passagem a Jesus e Paulo informa que quem disse aquelas palavras a Isaías foi o Espírito Santo (Atos 28:25-27)?

    Resposta: A primeira vista, parece que estamos vendo três pessoas envolvidas na mesma situação. Mas numa leitura bem atenta do texto de Isaías, se observa alguns detalhes muito interessantes que fazem a diferença. Observe:

    “No ano da morte do rei Uzias, eu vi o Senhor assentado sobre um alto e sublime trono…” Is. 6:1.

    “Serafins estavam por cima dele… E clamavam uns para os outros, dizendo: Santo, santo, santo é o SENHOR dos Exércitos…” Is 6:2-3.

    “Então, disse eu: ai de mim! Estou perdido! Porque sou homem de lábios impuros, habito no meio de um povo de impuros lábios, e os meus olhos viram o Rei, o SENHOR dos Exércitos!” Is. 6:5.

    “Depois disto, ouvi a voz do Senhor, que dizia…” Is. 6: 8.

    Você notou algo de diferente nestes versos? Veja em sua bíblia como a palavra senhor que esta destacada nos versos acima pela cor azul, esta escrita de forma diferente. Ela esta escrita exatamente como foi destacada por mim exceto pela cor e o sublinhado. Mas nos versos 1 e 8, á palavra Senhor, esta escrita diferentemente da palavra SENHOR nos versos 3 e 5. Porque?

    Porque não são as mesmas palavras que aparecem nos textos na língua dos hebreus. Estas palavras são duas palavras diferentes. Para que possamos entender o relacionamento entre estas três passagens, precisamos compreender algo muito importante a cerca do nome de Deus e a sua tradução para o nosso idioma. (YHWH = SENHOR) (Elohym = Senhor, Anjo ou Deus) “Yehoshua”; “Yéshua” (Jesus? O Eterno Salva) (Emanuel, etc.) Veja os seguintes versos:

    Resposta: Para que possamos entender o relacionamento entre estas três passagens, precisamos compreender algo muito importante a cerca do nome de Deus. (YHWH) “Yehoshua”; “Yéshua” (Jesus? ‘O Eterno Salva’ ) (Emanuel, etc.) Veja os seguintes versos:

    Êxodo 23: 20-21. “Eis que eu envio um Anjo adiante de ti, para que te guarde pelo caminho e te leve ao lugar que tenho preparado. Guarda-te diante dele, e ouve a sua voz, e não te rebeles contra ele, porque não perdoará a vossa transgressão; pois nele está o meu nome.”

    Creio que não há necessidade de provar que o texto esta falando da pessoa de Jesus. Todos nós concordamos que se trata da pessoa de Jesus. O texto é claro ao afirmar que nEle, ou seja, no Anjo da Aliança que é Cristo Jesus, esta o nome de Deus. Como assim? Vou citar meu próprio exemplo para ilustrar.

    Ao nascer meu Pai me registrou com o seguinte nome: Milton Marcos de Figueiredo Filho. Evidente que este é também o nome de meu Pai, exceto pelo “Filho” ao final. Eu tenho o mesmo nome que meu já falecido pai. Porém eu e meu pai, não somos a mesma pessoa porque temos o mesmo nome e nem somos iguais embora eu seja semelhante ao meu pai em muitas coisas. Mas apenas pelo fato de eu ter sido registrado com o mesmo nome de meu pai, isso não me coloca na condição de igualdade com ele. Entende?

    Veja o que Jesus disse sobre o fato de ter recebido o mesmo nome de seu Pai:

    João 17:11 “Já não estou no mundo, mas eles continuam no mundo, ao passo que eu vou para junto de ti. Pai santo, guarda-os em teu nome, que me deste, para que eles sejam um, assim como nós.”

    João 17:12 “Quando eu estava com eles, guardava-os no teu nome, que me deste, e protegi-os, e nenhum deles se perdeu, exceto o filho da perdição, para que se cumprisse a Escritura.”

    Nos versos acima Jesus declarou o que esta registrado em Êxodo 23:20-21. O nome que Ele recebeu é o nome de Seu Pai.

    Compreendendo o exposto acima, vejamos de quem o profeta Isaias esta falando quando teve a visão. A quem o profeta se referiu quando disse “eu vi o Senhor”? Quem era este senhor visto por Isaias e que falou com ele?

    Ora, Isaias jamais, mesmo que em visão, poderia ter visto a Deus o Pai. E porque não?

    João 1:18 “Ninguém jamais viu a Deus; o Deus (outras versões dizem Filho unigênito) unigênito, que está no seio do Pai, é quem o revelou.”

    Colossenses 1:15 “Este é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação;”

    1 Timóteo 1:17 “Assim, ao Rei eterno, imortal, invisível, Deus único, honra e glória pelos séculos dos séculos. Amém!”

    Nem mesmo a Moisés foi dado esse privilégio de ver á Deus e olha que Deus falava com que ele como quem fala a um amigo face a face.

    Êxodo 33:20 “E acrescentou: Não me poderás ver a face, porquanto homem nenhum verá a minha face e viverá.”

    Êxodo 33:23 “Depois, em tirando eu a mão, tu me verás pelas costas; mas a minha face não se verá.”

    Os textos acima nos revelam e nos dão toda a certeza de que Isaías não viu á Deus o Deus Invisível, também denominado de Pai. Ora, se não foi o Pai a quem Isaias afirmou ter visto, estão, quem foi que o profeta viu e falou? Como podemos assegurar que o Jeová mencionado pelo profeta não era o Pai e sim o Filho? Pelos fatos já demonstrados anteriormente, ou seja, o Filho possui o mesmo nome do Pai e porque o Pai jamais foi visto, mas o Filho, esse sim e por diversas vezes, de muitas formas, em muitos lugares e em muitos momentos diferentes do tempo. Não há duvida alguma que foi a Cristo, aquele a quem o profeta viu e com quem falou e não a pessoa do Pai.

    Não se esqueça do exemplo quanto à questão do nome. Embora Cristo tenha recebido o mesmo nome de Seu Pai, isso não o torna igual ou uma mesma pessoa em relação ao Pai.

    Mas e quanto ao Espírito? Ah! Finalmente aqui pela primeira vez aparece a figura do Espírito, mencionado pelo autor das 10 perguntas capciosas.
    Quem é esse espírito mencionado em Atos que falou com o profeta Isaias?

    Vamos deixar que a própria bíblia responda esta pergunta? Vejamos:

    II Cor.3:17. “Ora, o Senhor é o Espírito; e, onde está o Espírito do Senhor, aí há liberdade.”

    II Cor. 4: 5 “Porque não nos pregamos a nós mesmos, mas a Cristo Jesus como Senhor e a nós mesmos como vossos servos, por amor de Jesus.”

    Atos 2:36 “Esteja absolutamente certa, pois, toda a casa de Israel de que a este Jesus, que vós crucificastes, Deus o fez Senhor e Cristo.”

    João 8:36 “Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres.”

    1 Coríntios 8:6 “…todavia, para nós há um só Deus, o Pai, de quem são todas as coisas e para quem existimos; e um só Senhor, Jesus Cristo, pelo qual são todas as coisas, e nós também, por ele.”

    Efésios 4:5 “há um só Senhor, uma só fé, um só batismo”.

    Que O Senhor é O Espírito, é um fato.
    Que Jesus é o único Senhor, isto também é fato. E como para um bom entendedor até um pingo é letra, nós podemos afirmar sem medo de errar, que Jesus Cristo é o Espírito que nos liberta. O mesmo que falou com o profeta Isaías. Sem dúvida alguma foi a Cristo que o profeta Isaías viu, foi com Cristo que falou.

    Mas alguém deve estar pensando neste momento: E Deus, não é Senhor também? A princípio minha resposta é que: Deus é Deus e não Senhor. A palavra Senhor, que é a tradução da palavra ADONAI, quando aplicada a Deus, é apenas pelo fato de que os Judeus, para não profanar o sagrado nome do Eterno, por reverencia e medo de quebra do 3º mandamento, ao pronunciá-lo, em lugar do nome revelado por Deus, (YHWH = YAHWEH, JAVE; JEOVA) diziam e até hoje dizem ADONAI (SENHOR).

    Deus está acima de tudo e de todos. Deus esta acima de todo senhorio.

    Sendo Jesus o único Senhor, pois há um só Senhor e sendo este único Senhor também o Espírito; não tenho dúvidas de que Jesus é o Espírito de liberdade que falou aos profetas em todos os tempos. João diz que Jesus é o verbo, a palavra ou voz de Deus.

    Finalizando, queremos dizer que: O fato de Isaias em visão ter mencionado que viu á Deus, não significa que tenha sido a visão do Pai, O Todo Poderoso, caso contrário à bíblia e Jesus estariam mentindo ao informar que ninguém jamais viu o Deus. Manoá, pai de Sansão e Jacó ambos tiveram encontros e visões dessa natureza e disseram ter visto a Deus, mas nós compreendemos que não fora o Deus Invisível, mas a Cristo.

    Pelo que o autor das perguntas está tentando insinuar, Isaías ouviu e viu um trio celestial. Mas se isso fosse verdade, se era um trio celestial, alguém esta mentindo, pois o profeta segundo o texto, não viu um trio celestial e se viu não relatou. João também deve ter se enganado, pois deveria ter se referido e aplicado o texto ao trio celestial e não somente a Jesus, João desprezou a pessoa do Pai e do Espírito. Por fim, até Paulo também se enganou ou desprezou a pessoa do Pai e do Filho quando aplicou a visão somente a pessoa do Espírito.

    Tanto Isaias, quanto João e Paulo sabiam exatamente de quem estavam falando e por todas as circunstancias a bíblia apresenta, ficou claro de que era a mesma pessoa e a pessoa era Jesus.

    7. Pode Jesus ser adorado não sendo Deus (Mateus 2: 2, 8, 11; 14: 33; 15: 25; 20: 20; 28: 9, 17; Marcos 5: 6; Lucas 24:52; João 9:38) quando Deus mesmo manda os anjos adorá-lo: Hebreus 1:6?

    Resposta: A resposta esta na própria pergunta. “quando Deus mesmo manda os anjos adorá-lo:” Hebreus 1:6?

    Esta é uma resposta bem simples. Deus mesmo mandou e se Deus mandou esta mandado. Não sou eu que vou discutir com Deus. Lúcifer já tentou questionar isso uma vez e acabou se dando mal. Quem quiser que tente, eu prefiro obedecer a Deus. Deus mandou e eu faço, essa é a vontade de Deus.

    A verdadeira adoração consiste numa perfeita obediência à vontade de Deus. Jesus mesmo disse nem todo o que me diz Senhor, Senhor entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de seu Pai que esta nos céus. Em outras palavras, o que Jesus esta dizendo é bem simples. Muitas pessoas pensam estar adorando a Deus quando me vêem como tal e se dirigem a mim como tal, mas se esquecem de que a verdadeira adoração é uma perfeita obediência à vontade de meu Pai.

    Observe os exemplos: Caim achou que adorar a Deus era oferecer á Deus o que ele achava melhor, Saul também. Mas ambos foram rejeitados. E por quê?

    Gênesis 4: 3-6. “Aconteceu que no fim de uns tempos trouxe Caim do fruto da terra uma oferta ao SENHOR. Abel, por sua vez, trouxe das primícias do seu rebanho e da gordura deste. Agradou-se o SENHOR de Abel e de sua oferta; ao passo que de Caim e de sua oferta não se agradou. Irou-se, pois, sobremaneira, Caim, e descaiu-lhe o semblante. Então, lhe disse o SENHOR: Por que andas irado, e por que descaiu o teu semblante? Se procederes bem, não é certo que serás aceito? Se, todavia, procederes mal, eis que o pecado jaz à porta; o seu desejo será contra ti, mas a ti cumpre dominá-lo.”

    1 Samuel 15:22 “Porém Samuel disse: Tem, porventura, o SENHOR tanto prazer em holocaustos e sacrifícios quanto em que se obedeça à sua palavra? Eis que o obedecer é melhor do que o sacrificar, e o atender, melhor do que a gordura de carneiros.”

    Nem Caim e nem Saul obedeceram a Deus. Esta é a razão porque foram rejeitados.

    Romanos 16:27 “ao Deus único e sábio seja dada glória, por meio de Jesus Cristo, pelos séculos dos séculos. Amém!”

    Ainda poderia citar inúmeros textos da bíblia e até várias citações da escritora Ellen White sobre isso, mas creio ser desnecessário. Jesus disse ninguém vem ao Pai se não por mim. As evidências estão por demais claras de que não há outro meio de adoração ao Pai, que não seja por meio de Jesus.

    Deus “deu” ao Filho toda autoridade no céu e na terra, assim toda e qualquer ordem de Cristo é como se fosse uma ordem do próprio Deus.

    Engana-se aquele que pensa que indo a igreja cantar e ajoelhar-se em oração, ou para qualquer outra manifestação de louvor, estará adorando a Deus em espírito e em verdade.

    Ninguém precisa ir para uma igreja para adorar a Deus, como se somente lá fosse o único local onde Deus pudesse ser adorado. O que diz a bíblia quanto a isso?

    João 4:19-24. “Senhor, disse-lhe a mulher, vejo que tu és profeta. Nossos pais adoravam neste monte; vós, entretanto, dizeis que em Jerusalém é o lugar onde se deve adorar. Disse-lhe Jesus: Mulher, podes crer-me que a hora vem, quando nem neste monte, nem em Jerusalém adorareis o Pai. Vós adorais o que não conheceis; nós adoramos o que conhecemos, porque a salvação vem dos judeus. Mas vem a hora e já chegou, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque são estes que o Pai procura para seus adoradores. Deus é espírito; e importa que os seus adoradores o adorem em espírito e em verdade.”

    Finalizando, a resposta da pergunta é: Sim! Jesus pode ser adorado. Deus ordenou e que assim seja. Os trinitarianos é que questionem isso com Deus.

  7. Eder Clóvis Soares disse:

    III Parte

    8. Se Jesus Cristo não é Deus, por que não corrigiu Tomé quando este a Ele se referiu dizendo: “Meu Senhor e meu Deus” (João 20:28)?

    Resposta: Neste caso podemos dizer que a recíproca é bem verdadeira. Observe: Se Jesus era ou é Deus, porque então não corrigiu a Pedro e todos os discípulos quando lhes perguntou:

    “Indo Jesus para os lados de Cesaréia de Filipe, perguntou a seus discípulos: Quem diz o povo ser o Filho do Homem? E eles responderam: Uns dizem: João Batista; outros: Elias; e outros: Jeremias ou algum dos profetas. Mas vós, continuou ele, quem dizeis que eu sou?” Mateus16: 13-15.

    E Pedro respondeu:

    Respondendo Simão Pedro, disse: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo. Então, Jesus lhe afirmou: Bem-aventurado és, Simão Barjonas, porque não foi carne e sangue que to revelaram, mas meu Pai, que está nos céus.”. Mateus 16: 16-17.

    Porque Jesus elogiou a Pedro em lugar de corrigi-lo? Não deveria Jesus ter dito para ele e os demais apóstolos que eles estavam enganados? Quem sabe ter dito: “Olha, eu não sou o que vocês estão pensando…; O que vocês estão imaginando não é bem assim…, Pedro, o que você disse não é bem a realidade. Eu não sou um filho de verdade, eu não sou o filho de Deus literalmente, eu sou o próprio Deus e estou com vocês apenas representando o papel de um filho, será que vocês ainda não entenderam isso?”.

    Porque será que Jesus não lhes corrigiu naquele momento?

    Assim, com que base então, o Sr. Azenilto faz tal afirmação? Quem disse que Jesus não o corrigiu? Onde é que se encontra na bíblia que Jesus não o corrigiu? Somente porque tais palavras de correção não estão registradas na bíblia, podemos afirmar categoricamente que tal fato não ocorreu? Estão todos os detalhes da vida de Jesus relatados na bíblia para que tal afirmação possa ser feita?

    Gostaria de citar uma outra passagem escrita pelo mesmo autor desta carta de João para análise dos sinceros pesquisadores e buscadores da verdade.

    João 21: 25 “Há, porém, ainda muitas outras coisas que Jesus fez. Se todas elas fossem relatadas uma por uma, creio eu que nem no mundo inteiro caberiam os livros que seriam escritos”.

    João foi claro; muitas coisas que Jesus fez (dentre as muitas coisas, a correção pode estar incluída) não estão relatadas. Como saber o que foi dito a Tomé, depois que Jesus tratou do principal problema que havia no coração dele, no caso a incredulidade?

    O problema maior com Tomé, pelo contexto esta mais do que evidente era a sua incredulidade. Jesus em todo seu ministério, sempre se preocupou em cuidar e solucionar a causa dos problemas das pessoas. Jesus não era um homem de paliativos. Outro bom exemplo do que estamos falando foi à conversa de Jesus com Nicodemos.

    Observe: “Havia, entre os fariseus, um homem chamado Nicodemos, um dos principais dos judeus. Este, de noite, foi ter com Jesus e lhe disse: Rabi, sabemos que és Mestre vindo da parte de Deus; porque ninguém pode fazer estes sinais que tu fazes, se Deus não estiver com ele. A isto, respondeu Jesus: Em verdade, em verdade te digo que, se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus.” João 3:1-3.

    O que a resposta de Jesus tem haver com as palavras e afirmações de Nicodemos? É bem provável, que se o restante do dialogo entre Cristo e Nicodemos não tivesse sido registrado, seria muito mais difícil para nós entendermos o porquê, de Jesus ter proferido tais palavras. A princípio suas palavras iniciais a Nicodemos não possuem nenhuma lógica. Isto porque Jesus foi direto ao assunto, sem muitos rodeios, no foco do problema do ser humano, neste caso em questão, a real necessidade de Nicodemos.

    Assim também, pelo contexto do verso citado, temos a certeza de que Jesus foi direto ao centro do problema que estava no coração de Tomé, ou seja, sua incredulidade. Percebe-se que esta foi à preocupação inicial de Jesus no encontro com Tomé. A narrativa termina com as seguintes palavras: “Disse-lhe Jesus: Porque me viste, creste? Bem-aventurados os que não viram e creram. Na verdade, fez Jesus diante dos discípulos muitos outros sinais que não estão escritos neste livro.”

    Assim termina a narrativa, no foco central do problema, que foi a incredulidade do ser humano, no caso a de Tomé; mas o que Jesus fez ou falou depois, não ficou registrado. Talvez um dia todos nós tenhamos a oportunidade de perguntar a Jesus, o que mais ele disse, não só para Tomé, mas para todos os apóstolos naquela ocasião.

    Estamos dizendo isto em tese, visto que, estamos partindo do suposto que Tomé realmente tenha naquele momento, dito estas palavras como forma de enaltecimento a pessoa de Jesus. Mas, e se por acaso esta interpretação estiver equivocada? E se as palavras de Tomé estiverem sendo erradamente interpretadas? De que forma isto poderia estar ocorrendo? Vejamos:

    “…Jesus, pôs-se no meio e disse-lhes: Paz seja convosco! E logo disse a Tomé: Põe aqui o dedo e vê as minhas mãos; chega também a mão e põe-na no meu lado; não sejas incrédulo, mas crente. Respondeu-lhe Tomé: Senhor meu e Deus meu! Disse-lhe Jesus: Porque me viste, creste? Bem-aventurados os que não viram e creram.” João 20:26-29.

    Outra questão a ser considerada é a seguinte: O que será que Tomé quis transmitir ao se expressar com tais palavras? Se é que tais palavras existiram de fato daquela forma. Será que ele estava se referindo realmente a pessoa de Jesus, no sentido de um enaltecimento pessoal? Ou em virtude da grande surpresa, tida naquele momento, Tomé simplesmente faz uma exclamação, como normalmente alguém faria ao se surpreender com algo inusitado? Tipo: “Oh meu Deus!”, ou então, “Minha nossa!”; ou ainda, “Meu Deus, meu Deus!”; e etc.

    É pura pretensão minha ou de quem quer que seja querer afirmar que sim (ele realmente enalteceu a Cristo) ou que não. (ele não se referiu á Cristo).

    Vale destacar também que na época em que foram escritos os textos inspirados que deram origem às várias versões de bíblias como as que temos hoje, não existiam pontuações tais como vírgula ( , ), ponto e virgula, ( ;) exclamação ( ! ) e etc.

    Pode ser que Tomé em sua exclamação estivesse se referindo ao Filho, mas também ao Pai, da seguinte forma:

    “Senhor (o Filho) meu e Deus (o Pai) meu!”.

    Na dúvida, o melhor é sempre ficar ao lado ou com o peso das evidencias.

    Seria prudente tornar uma breve exclamação proferida por um incrédulo, numa verdade absoluta? Claro que não! Ainda mais, quando se sabe que esta suposta verdade vai contra o principal fundamento da fé monoteísta professada pelo autor da exclamação.

    Se Tomé estivesse colocando a Cristo no lugar de Deus, sem duvida estaria quebrando o primeiro mandamento que diz: “Não terás outros deuses diante de MIM.”. Nenhum judeu daquela época se atreveria se quer, a pensar noutro Deus, quanto mais proferir palavras que colocassem em dúvida a fé monoteísta que possuíam.

    Além disso, esta não foi à única exclamação feita por Tomé que nos revela um pouco de sua personalidade instável. Veja a seguir:

    “Então, Tomé, chamado Dídimo, disse aos condiscípulos: Vamos também nós para morrermos com ele”. João 11:16 .

    Qual o significado dessas palavras de Tomé? Verifique o contexto e tente descobrir qual o seu significado.

    Há varias outras razões ou motivos para que Jesus não tenha corrigido Tomé, mas a que foi exposta anteriormente é suficiente para mim e para não tornar o texto mais extenso do que já esta, prefiro deixar que você mesmo as encontre, analisando por conta própria as possibilidades.

    9. Como explicar que Cristo foi ressuscitado pelo Pai (Atos 10:40; 13:30), por Seu próprio poder (João 10: 17, 18) e pelo Espírito Santo (Romanos 8:11)?

    Resposta: Não é possível que um “professor” (embora não sei de que..?) seja capaz de formular uma pergunta como esta! Isso só pode ser uma brincadeira. Os textos citados são altamente explicativos.
    “… Deus ungiu a Jesus de Nazaré com o Espírito Santo e com poder, o qual andou por toda parte, fazendo o bem e curando a todos os oprimidos do diabo, porque Deus era com ele; e nós somos testemunhas de tudo o que ele fez na terra dos judeus e em Jerusalém; ao qual também tiraram a vida, pendurando-o no madeiro. A este ressuscitou Deus no terceiro dia e concedeu que fosse manifesto,” Atos 10:38-40.
    “Mas Deus o ressuscitou dentre os mortos;” Atos 13:30.
    Nos versos acima não há sombra de dúvidas. Deus (o Pai) foi quem de fato ressuscitou a Cristo. Bom… O Poder do Pai levantou da tumba o Filho. Não há muito que comentar. Esta absolutamente claro que Jesus não se auto-ressuscitou.
    “Por isso, o Pai me ama, porque eu dou a minha vida para a reassumir. Ninguém a tira de mim; pelo contrário, eu espontaneamente a dou. Tenho autoridade para a entregar e também para reavê-la. Este mandato recebi de meu Pai”. João 10:17-18
    Por favor, irmãos sejam bem sinceros com vocês mesmos e respondam: Onde neste verso esta a afirmação de que Jesus ressuscitou pelo seu próprio poder? Só porque ele disse que tinha autoridade para reaver a vida que ele espontaneamente daria?
    O verso apenas diz que Jesus tinha autoridade para dar e para ter novamente à vida, mas até esta autoridade foi-lhe concedida pelo Pai. Ou seja, em outras palavras o que o verso esta dizendo é que Jesus, não estava sendo obrigado por ninguém a fazer um auto-sacrifício. Ele esta dizendo que espontaneamente podia entregar sua vida e posteriormente ele poderia tê-la de volta, mas pelo poder de seu Pai que como vimos nos versos anteriores, foi quem o ressuscitou. O Pai permitiu que o Filho se entregasse voluntariamente por amor a nós e morresse em nosso lugar, e este ato voluntário de Jesus era um das razões do grande amor do Pai por Ele.
    Não tem absolutamente nada no verso, que afirme ou insinue uma auto-ressurreição da parte de Jesus. Jesus apenas esta dizendo que ele tinha permissão do Pai para dispor de sua vida em favor do homem, e esta permissão, ou autoridade como quiserem classificar, foi dada a Ele pelo Pai. O Pai também permitiu, ou autorizou, ou concedeu a possibilidade do Filho ter de volta a vida que voluntariamente estava disposto a doar ou a perder em favor do homem perdido. O que mostra o grande amor tanto da parte de Deus quanto da parte do Filho por nós pecadores.
    “Se habita em vós o Espírito daquele que ressuscitou a Jesus dentre os mortos, esse mesmo que ressuscitou a Cristo Jesus dentre os mortos vivificará também o vosso corpo mortal, por meio do seu Espírito, que em vós habita” Romanos 8: 11.
    Creio que até uma criança no primário compreenderia que neste texto não existe nenhum Espírito ressuscitando a Jesus. Veja que o texto de forma clara afirma que o Espírito é o Espírito DAQUELE que ressuscitou a Jesus. Na verdade o texto está afirmando que AQUELE que ressuscitou a Jesus, ou seja, o Pai, como nós vimos nos versos anteriores de forma clara, possui um espírito, e esse Espírito habita em nós se nós permitimos.
    Bom… Finalizando… Acredito que esta seja uma das piores heresias embutidas no ensino da doutrina trinitariana, pois deturpa o mais puro sentimento do coração de Deus, alias destrói até mesmo com a reputação do caráter divino. A bíblia ensina que Deus é amor e que este amor foi revelado ao ser humano no grande sacrifício vivo feito pelo Pai que entregou seu unigênito filho para salvar o homem. Quando a doutrina trinitariana fez de Jesus um homem Deus, inviabilizou a revelação deste amor. Qualquer idiota sabe que Deus, o ser supremo de todo universo, é o único que possui imortalidade em si mesmo, (I Tm 6:16.) e uma vez que Jesus é esse único Deus, ou parte desta divindade única, por conseguinte é também um ser imortal e portanto, tudo quanto se passou com Ele, até mesmo sua morte foi uma farsa e não representa um verdadeiro sacrifício. Que me perdoem os trinitarianos, mas vocês estão acabando com a reputação e com o caráter de Deus. Alem disso, ainda estão prestando um bom serviço aos espiritualistas concordando com o ensino de que um homem (Jesus foi um homem) possui um espírito imortal.
    10. Se o Espírito Santo não é uma divina pessoa, por que Se dirige a Si mesmo com um pronome pessoal: Atos 13:2, 4?
    Resposta: Vamos primeiro definir o que é uma pessoa. Você é capaz de definir o que é uma pessoa? Se você esta definindo uma pessoa como você mesmo (a) é, agora imagine três pessoas como você mesmo (a) é, não formar ou ser três deuses, mas apenas um. É difícil? Eu digo pra você que é impossível. Sabe quando isso acontece, ou seja, quando não existe uma explicação lógica pra isso. Os trinitarianos acham que temos que engolir goela abaixo o famoso chavão: Isso é um mistério! Só no céu é que nós vamos entender. Tenha paciência meu irmão! A bíblia me diz que se eu não conhecer a Deus eu não vou poder ir pro céu (João 17:3) então como é que só no céu eu vou saber esse mistério? Agora vamos para analise do texto:
    “Havia na igreja de Antioquia profetas e mestres: Barnabé, Simeão, por sobrenome Níger, Lúcio de Cirene, Manaém, colaço de Herodes, o tetrarca, e Saulo. E, servindo eles ao Senhor e jejuando, disse o Espírito Santo: Separai-me, agora, Barnabé e Saulo para a obra a que os tenho chamado. Então, jejuando, e orando, e impondo sobre eles as mãos, os despediram. Enviados, pois, pelo Espírito Santo, desceram a Selêucia e dali navegaram para Chipre”. Atos 13: 1-4.
    Em primeiro lugar o Espírito Santo não se dirige a si mesmo, mas a igreja que havia na Antioquia. Em segundo lugar ele não fez isso diretamente, mas fez por intermédio de algum profeta que lá estava.
    Gostaria de chamar sua atenção para um pequeno detalhe, porem de grande importância para compreensão deste texto e da resposta para esta pergunta. Eu tomei a liberdade de incluir o primeiro verso para que os irmãos compreendam como foi que o Espírito Santo falou com a igreja passando-lhes orientações para o avanço e crescimento da igreja naquela época.
    “Havia na igreja de Antioquia profetas…”
    “Sim, fizeram o seu coração duro como diamante, para que não ouvissem a lei, nem as palavras que o SENHOR dos Exércitos enviara pelo seu Espírito, mediante os profetas que nos precederam; daí veio a grande ira do SENHOR dos Exércitos. Zacarias.” 7:12.
    “No entanto, os aturaste por muitos anos e testemunhaste contra eles pelo teu Espírito, por intermédio dos teus profetas; porém eles não deram ouvidos; pelo que os entregaste nas mãos dos povos de outras terras”. Neemias 9:30
    O próprio Davi falou, pelo Espírito Santo: Disse o Senhor ao meu Senhor: Assenta-te à minha direita, até que eu ponha os teus inimigos debaixo dos teus pés. Marcos 12:36 ..
    “Irmãos, convinha que se cumprisse a Escritura que o Espírito Santo proferiu anteriormente por boca de Davi…” Atos 1:16
    Se você perguntar a um trinitariano quem é o Espírito Santo, uma de suas respostas certamente será de que ele é o Espírito de Deus.
    Então, o povo se lembrou dos dias antigos, de Moisés, e disse: Onde está aquele que fez subir do mar o pastor do seu rebanho? Onde está o que pôs nele o seu Espírito Santo? Isaías 63:11
    Na verdade quem sempre disse, orientou e conduziu o povo de Deus foram homens (profetas) usados pelo Espírito “De” DEUS, que é o Espírito Santo.
    Interessante é que no verso primeiro nós encontramos que na igreja de Antioquia, havia profetas. Isso nos mostra que embora o texto tenha citado o Espírito Santo como o agente direto da ação, (“…disse o Espírito Santo…”) na verdade, quem disse foi algum dos profetas que havia na igreja naquela ocasião.
    O Espírito de Deus que é o Espírito Santo, falou por boca de Davi. Quem diz as palavras são os profetas, mas quem os inspira a falar é Deus por meio de SEU Espírito que é Santo.
    Quando o ser humano embarcou na canoa de satanás, acreditando na imortalidade da alma, ele o fez porque acreditou num espírito imortal separado do homem, porem dentro do mesmo. Ou seja, o homem é um corpo que possui um Espírito que habita no corpo e que, quando este corpo perece, o espírito permanece ainda vivo de alguma forma. Assim separando o espírito do homem do próprio homem, criou-se uma nova entidade distinta da personalidade humana capaz de viver independente do homem em si mesma.
    É exatamente isto que os trinitarianos afirmam em relação a Deus e SEU Espírito, quando dizem que Deus é uma unidade coeterna de três pessoas divinas, Pai, Filho e Espírito Santo. Para os trinitarianos, Deus possui um espírito que é capaz de subsistir em Deus e fora de Deus como uma nova entidade divina. Uma outra pessoa. Um Deus que vive dentro de outro Deus e ao mesmo tempo é capaz de viver independentemente ou fora do corpo do próprio Deus.
    “Queridos irmãos, sigamos o conselho de Paulo em sua carta aos Corintios: Estas coisas, irmãos, apliquei-as figuradamente a mim mesmo e a Apolo, por vossa causa, para que por nosso exemplo aprendais isto: não ultrapasseis o que está escrito.” I Cor. 4:6.

  8. W. Frank disse:

    Nós da IASD temos o privilégio de saber que no final dos tempos os dois grandes pontos de controvérsia serão a respeito do santo sábado e sobre a mortalidade condicional da alma. Não será a trindade, na qual eu creio, ou sobre qualquer outra doutrina. Só uma pergunta para o irmão Eder. A palavra fala que Deus ressuscitou a Cristo. E o que dizer de Jo 10:17? Não seria esse um indicativo de que Jesus é Deus? Abrtaços.

  9. Enoque A. O. Junior disse:

    Olá irmão Éder,

    Ansiando pelo “reino” de “Deus o Pai”, Paulo descreve o final triunfante da obra de Cristo: “E, então, virá o fim, quando ele entregar o reino ao Deus e Pai, quando houver destruído todo principado, bem como toda potestade e poder. Porque convém que ele reine até que haja posto todos os inimigos debaixo dos pés. O último inimigo a ser destruído é a morte. Porque todas as coisas sujeitou debaixo dos pés. E, quando diz que todas as coisas lhe estão sujeitas, certamente, exclui aquele que tudo lhe subordinou. Quando, porém, todas as coisas lhe estiverem sujeitas, então, o próprio Filho também se sujeitará àquele que todas as coisas lhe sujeitou, para que Deus seja tudo em todos.” (1 Coríntios 15:24-28)

    Os que se opõem aos ensinamento trinitariano que ensina a igualdade entre a natureza divina do Pai e a do Filho citam esta passagem para provar que Cristo possui uma natureza inferior à do Pai. O que dizer de tal interpretação?

    Em primeiro lugar, é óbvio que temos aqui algum tipo de subordinação “funcional” de Cristo ao Pai “no fim”. Cristo estará claramente “sujeito Àquele que todas as coisas Lhe sujeitou, para que Deus seja tudo em todos” (verso 28). A questão-chave, contudo, é se esta passagem ensina que a divindade de Cristo é de alguma forma inferior, ou derivada, quando comparada com a do Pai. Mas a questão aqui abordada não é esta.

    Anteriormente, ressaltamos ser importante diferenciar entre a “natureza” de Cristo e Sua “posição”, ou “função”, durante a encarnação. Poder-se-ia corretamente dizer que aqui Paulo está ensinando uma posição eterna, mas funcional, de subordinação do Filho ao Pai. Essa subordinação provavelmente estará baseada no fato de que Jesus reterá para sempre a Sua humanidade.

    Quanto às razões por que Cristo o fará, podemos apenas especular. A mais provável, contudo, é que nosso encarnado Senhor Deus manterá por toda a eternidade a solidariedade com os seres humanos aos quais veio comprar com o Seu sangue derramado. Assim, Cristo sempre será sujeito ao Pai de maneira muito semelhante à sua subordinação ao Pai durante a Sua peregrinação terrestre. Isso, porém, de modo algum significa que Sua natureza divina seja inferior à do Pai.

    Além disso, este não é o único quadro que temos do eterno governo de Cristo em relação ao reino do Pai. Apocalipse 22:1,3 identifica o trono de Deus como “o trono de Deus e do Cordeiro”. Enquanto Paulo, ao falar da ressurreição em 1 Coríntios 15, pode retratar a Cristo (“o primogênito dentre os mortos” Col. 1:18) como estando em subordinação funcional ao Pai, em Apocalipse 22:1,3 o Pai e o Filho aparecem compartilhando o trono como plenamente co-regentes iguais do reino eterno.
    (A Trindade, pág 123-125, cpb)

    Que o Espírito Santo te guie a verdade Éder, e não esqueça de responder as 10 perguntas feitas pelo post, se é que as respostas existem não é?

    Abraço

  10. Enoque A. O. Junior disse:

    (continuação do texto)

    As duas passagens não se contradizem. É justo que em 1 Coríntios 15 Paulo busque comunicar a solidariedade de Cristo com os seres humanos redimidos e ressuscitados, salvos no reino, ao passo que João, o revelador, deseje mostrar que o Pai e o Filho finalmente triunfarão na Nova Jerusalém, como co-regentes do reino eterno. Assim, enquanto encontramos uma subordinação funcional em 1 Coríntios 15, Apocalipse 22 retrata o pleno compartilhar do governo no reino eterno.

  11. Paulo disse:

    Os Judeus tinham a mesma dificuldade de aceitar essa verdade sobre O Eterno. Revelada progressivamente e por meio do Filho. Por isso rejeitaram “aquele que seria chamado filho do Eterno”, ou melhor, O Eterno. (Fil 2:6).
    AC o titulo dado Ao Eterno se tornou uma variável singular que comportava a existência de mais de uma pessoa em igualdade com Ele (variável).
    Na AA o titulo do eterno recebe sim, as três personalidades, que no NT conhecemos como “O Pai, O Filho e O Espírito”.
    Gen 1:26 “Façamos o homem a nossa semelhança” 3:22 “se tem tornado como um de nós” 11:7 “Desçamos e confundamos” Isa 6:8 “Quem irá por nós”. Vc v alguma redundância?
    Fik facil os debates sobre O Eterno, pois no plano da redenção há respaldo para as duas linhas de raciocínio sobre o titulo do Eterno. O q foi revelado sobre a família eterna é o q há!!! Vc é capaz de entender plenamente o mistério da redenção? Se não parabéns, vc não é eterno!!!
    Didaticamente O Criador, aquele que criou a humanidade (gen 1:26), as coisas visíveis e invisíveis (col 1:16) se revelou assim no plano da redenção. Arrume espaço em sua mente para adequar a Verdade sobre o Eterno, por isso fik com Os Três, que são Um, que são Três!!!

  12. Luis Chacon disse:

    Éder, faltaram os versos 12 e 13 do mesmo capítulo de Corintios, ali, se você perceber, Paulo faz uma suposição, ele não afirma que Jesus não ressuscitou. Se ler do 15 em diante ai sim da esta impressão. Segundo estudiosos da lingua Hebraica, Elohim significa Deuses. e se você ler em João 1:1 “NO princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.”. Faz mais sentido que Jesus seja Deus, não é? Abraço

  13. MASKAVO disse:

    Quando vier o Ajudador, que eu vos enviarei da parte do Pai, o Espírito da verdade, que do Pai procede, esse dará testemunho de mim;

    e também vós dareis testemunho, porque estais comigo desde o princípio. JOAÕ 15:26-27 …………………………………………………………………………………………………………….” Maravilhosamente ESTAS PALAVRAS FORAM CUMPRIDAS. DEPOIS DA DECIDA do Espírito Santo os discípulos sentiram tanto AMOR POR ELE e por aqueles por QUEM ELE MORREU, que corações se comoveram pelas palavras que falaram e pelas orações que fizeram. FALARAM NO PODER DO ESPÍRITO; e sob a influência desse poder, milhares se converteram. Como representantes de Cristo, os apóstolos deviam fazer decidida impressão sobre o mundo. O fato de serem homens humildes não devia diminuir-lhes a influência, antes incrementá-la; pois a mente de seus ouvintes ser levada deles para o SALVADOR QUE, CONQUANTO INVISÍVEL, Estava Ainda Operando Com Eles. O maravilhoso ensino dos apóstolos, suas palavras desânimo e confiança, assegurariam a todos que não era em seu próprio poder que operavam, MAS O PODE DE CRISTO. Humilhando-se a si mesmos declarariam que AQUELE que os judeus haviam crucificado era o PRÍNCIPE DA VIDA, o FILHO DO DEUS VIVO, e que em SEU NOME haviam feito as obras que ELE fizera”….ELLEM WHITE Ato Dos Apóstolos Pág. 22 e 23 …..http://www.ellenwhitebooks.com/ ……………………………………………………………………………………………………………………………………..”CUIDAI pois de vós mesmos e de todo o rebanho sobre o qual o Espírito Santo vos constituiu bispos, para apascentardes a igreja de Deus, que ELE ( ELE quem? O ESPIRITO SANTO) adquiriu com seu PRÓPIO SANGUE.” At. 20:28……………. É Bíblia quem disse caro EZENILTO. Doutor Apostolo Paulo e vossa Serva EGW ao qual o ESPÍRITO SANTO A INSPIROU A ESCREVER…… Se vc estiver certo a adventista é a pior farça que já existiu na terra desde que ouve vida, mas eu sei que essa doutrina é nova e só entrou na igreja em 1980
    Site de Pesquisa nos Livros de Ellen G. White
    http://www.ellenwhitebooks.com
    PREFIRO FICAR COM DEUS CRISTO INFLUENCIADO PELO SEU SANTO ESPIRITO E EGW. “Do mesmo modo também o Espírito nos ajuda na fraqueza; porque não sabemos o que havemos de pedir como convém, mas o Espírito mesmo intercede por nós com gemidos inexprimíveis.” “Quem os condenará? Cristo Jesus é quem morreu, ou antes quem ressurgiu dentre os mortos, o qual está à direita de Deus, e também intercede por nós;” ROM. 8:26 E 34. POR FIM EU DESEJO A TODOS A PROMESSA………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………. E, porque sois filhos, Deus enviou aos nossos corações o Espírito de seu Filho, que clama: Aba, Pai. GÁLATAS 4:6 AMÉM.

  14. Eder Clóvis Soares disse:

    Não tenho como crêr nesta aberração da “trindade” e sinto muito por ver que uma igreja que seguia a verdade até a 1979 se converteu por imposição de seus líderes em 1980 no concílio de Dallas / USA se rendeu ao dogma da trindade e se tornou uma das filhas da grande meretriz

    Segue um link para que os irmãos possam comprovar o que estou dizendo: http://www.arquivoxiasd.com/

    Sinceramente espero que possam enxergar a tempo de não cairem na perdição eterna.

    Eder

  15. Eder Clóvis Soares disse:

    P.S. Caro Enoque as 10 perguntas do prof. Azenilto estão respondidas nos meus post’s.

  16. Eder Clóvis Soares disse:

    Caro W. Frank, D-us é imortal, D-us não morre, e não não foi D-us que ressuscitou a Cristo e se Cristo se ressuscitou a sí próprio a história da redenção é uma farsa, pois nosso redentor não era humano e sim um “deus” se passando por humano e enganando o povo pois ele ser4ia detentor de poder para fingir a morte e suas tentações não nos servem de exemplo para lutarmos contra o pecado e sua “morte” não passou de uma mentira, então ele não usou de boa fé, pois a cruz foi apenas uma ficção.

  17. Eder Clóvis Soares disse:

    Corrigindo o texto:
    Caro W. Frank, D-us é imortal, D-us não morre, e se não foi D-us que ressuscitou a Cristo, e se Cristo se ressuscitou a sí próprio, a história da redenção é uma farsa, pois nosso redentor não era humano e sim um “deus” se passando por humano e enganando o povo, pois ele seria detentor de poder para fingir a morte e suas tentações não nos servem de exemplo para lutarmos contra o pecado, e sua “morte” não passou de uma mentira, então ele não usou de boa fé, pois a cruz foi apenas uma ficção.

  18. Enoque A. O. Junior disse:

    Desculpe Éder, não tinha visto a sua postagem sobre as 10 respostas, muito interessante a sua linha de pensamento, mostra como os anti-trinitarianos se esforçam para não entender a finalidade e natureza de Cristo aqui na terra. Me lembra muito os docetistas, que achavam Jesus ser Deus, mas Ele apenas fingia ser homem. Nota-se bem na sua resposta a pergunta nº5. Notei que o maior problema é a não compreensão total das expressões “Filho de Deus”, “gerado”, entre outras. Muito interessante.

  19. Enoque A. O. Junior disse:

    (pegue a bíblia e leia o texto)

    A epístola aos Hebreus
    Este livro desafiado obviamente tem como público-alvo conversos enraizados no Antigo Testamento e no judaísmo. Encontra-se saturado de citações do Antigo Testamento que assumem que os leitores possuem íntima familiaridade com o templo/santuário judaico e seus serviços.

    O primeiro capítulo tem três marcantes linhas de evidências que poderosamente sugerem que o Jeová do Antigo Testamento incluía em Sua identidade a pessoa de Jesus de Nazaré.

    Um dos principais temas de toda a epístola é demonstrar, a partir do AT, a superioridade de Cristo em relação aos anjos, a Moisés e aos sacerdotes levíticos. Finalmente, o autor demonstrará a superioridade do sacrifício de Cristo, empreendido de uma vez por todas, quando comparado com as numerosas e repetitivas ofertas apresentadas no santuário terrestre. O capítulo 1 trata dos anjos, que constituem o primeiro parâmetro de comparação.

    O argumento básico do autor é o de que os anjos são seres muito importantes, “espíritos ministradores, enviados para servir a favor daqueles que hão de herdar a salvação” (Hb.1:14 RC). Eles, contudo, não podem ser comparados em importância e dignidade ao Filho de Deus. A conclusão é que Jesus é “melhor” que os anjos. Analisemos cuidadosamente os argumentos do autor.

    Nos versos 5 e 6, ele pergunta aos leitores se algum anjo, em qualquer ocasião, foi constituído como objeto de adoração. O Pai, que introduziu “no mundo o primogênito”, alguma vez expressou-Se em relação a qualquer anjo: “E todos os anjos de Deus o adorem”? A resposta óbvia é um retumbante “não”! A clara implicação é que Jesus, o “primogênito” e “gerado” Filho de Deus, recebe adoração dos “anjos de Deus”.

    O que isso sugere a respeito de Jesus? A inevitável conclusão parece ser a de que o “Filho” (Jesus Cristo) é Deus, uma vez que apenas Deus, no monoteísta Antigo Testamento, é digno de adoração por parte dos seres criados (veja Êxo. 20:2-4; confira Apo. 19:9,10 e 22:8,9). As implicações dos versos 5 e 6, entretanto, tornam-se ainda mais explícitas nos versos seguintes.

    Em Hebreus 1:7 e 8, o autor prossegue dizendo que, enquanto Deus fez os anjos para serem “Seus ministros, labareda de fogo” (verso 7), diz “acerca do Filho: ‘O Teu trono, ó Deus, é para todo o sempre” (verso 8). Aqui o autor de Hebreus inquestionavelmente faz uso do Salmo 45:6 para falar de Jesus Cristo, o Filho de Deus. Na verdade, esta é a primeira de sete aplicações neotestamentárias diretas do termo grego para “Deus” (Theos) a Jesus. As outras ocorrem em João 1:1 e 18; Romanos 9:5; Tito 2:13 e 2Pedro 1:1 (Hatton, págs. 42 e43).

    Tais pensamentos devem ter ocorrido como uma estonteante revelação dos crentes judeus primitivos – de que poderiam dirigir-se a Jesus como Deus! Ainda assim, não existe a mais leve indicação no Novo Testamento de que qualquer cristão (judeu ou gentio converso) alguma vez haja protestado contra esta chocante conclusão.

    Uma vez mais, vamos ser absolutamente claros quanto ao que ocorre aqui. Os autores do Novo Testamento estão se referindo a Jesus como “Deus” e interpretando o Antigo Testamento através da aplicação a Jesus de um salmo originalmente dirigido ao Deus do Antigo Testamento. E não existe qualquer equívoco no aspecto gramatical de Hebreus 1:8 – a expressão “ó Deus” acha-se claramente no caso grego de discurso direto (caso vocativo). Ou seja, os autores estão explicitamente chamando o Filho de Deus pelo título “Deus“. O argumento, entretanto, ganha peso ainda maior.

    Volvamos agora nossa atenção aos versos 10 a 12. Observe cuidadosamente que o autor bíblico prossegue exaltando o Filho acima do já privilegiado status dos anjos. Ele o faz ao aplicar passagens do Antigo Testamento ao Filho, textos que claramente louvam o status divino do Filho. O próximo texto do Antigo Testamento usado na aplicação ao Filho é o Salmo 102: 25-27. A parte citada começa assim: “No princípio, Senhor, lançaste os fundamentos da Terra, e os Céus são obras das tuas mãos” (Heb. 1:10).

    O que faremos com a aplicação que os autores bíblicos fazem do Salmo 102? A primeira coisa a destacar é que nesta passagem o autor está novamente dizendo, como já o havia feito em Hebreus 1:2, que Jesus é o Senhor Criador que fez os Céus e a Terra. Isso, por si só, constitui certamente um poderoso apoio à plena divindade do Filho. Porém, a evidência torna-se ainda mais marcante quando nos dirigimos ao Salmo 102 e examinamos o primeiro versículo desse capítulo. Ali descobrimos que o salmo, em sua inteireza, é uma prece dirigida ao “Senhor”.

    Pense sobre isso por um momento. Este Senhor é ninguém menos que o Deus Jeová do Antigo Testamento. Sempre que você perceber o termo “Senhor” em letras maiúsculas numa versão bíblica moderna, pode ter certeza de que se trata da tradução da mais sagrada palavra hebraica para “Deus” – o tetragrama, que é a transliteração do hebraico JHVH ou YHWH. Além disso, os eruditos bíblicos normalmente traduzem o termo como “Senhor” ou “Jeová”. Pois bem, o que faremos com essa informação?

    O aspecto maravilhoso, nesse contexto, é que o autor da Epístola aos Hebreus está utilizando uma oração do Antigo Testamento dirigida ao Senhor (Jeová ou Deus Yahweh) e a aplica a ninguém menos que Jesus Cristo! A questão parece ser um tanto direta – o autor desta epístola extremamente judaica está sugerindo fortemente que o Deus Jeová do Antigo Testamento é ninguém menos que o Jesus do Novo Testamento.

    Evidências bíblicas como a que encontramos em Hebreus 1 provêem uma pronta resposta que os cristãos freqüentemente oferecem às zelosas testemunhas de Jeová quando por elas abordados: “Posso confessar com toda a franqueza que também sou uma `testemunha de Jeová`, uma vez que testemunho por e para Jesus, que é o `Senhor` Jeová na mente dos escritores no Novo Testamento”.
    (A Trindade, págs. 28-31, CPB)
    “O propósito é que não sejamos mais como crianças, levados de um lado para outro pelas ondas, nem jogados para cá e para lá por todo vento de doutrina e pela astúcia e esperteza de homens que induzem ao erro.” (Efésios 4:14)

    Fique com Deus Pai, Filho e Espírito Santo.

  20. Luis Chacon disse:

    Eder, acho que entendi o que você quer

  21. Luis Chacon disse:

    Eder, acho que entendi o que você quer, parece que seu negóciuo não que entendamos algum ponto da Trindade que você entende, mas sim tentar “desmascarar”a Igreja adventista hehe. Você não disse qual é a sua religião, pelo modo como escreve parece Judeu, mas não estou seguro, caso seja católico, veja o video abaixo, acho que este sim desmascara muita coisa em que a ICAR está fundamentada. A última vez que mostrei este video aqui o rapaz que queria debater com todo mundo nunca mais apareceu, mas antes me ofendeu e disse uma série de coisas, tenho certeza que isso não vai suceder com você. Abração

  22. Michael Silva disse:

    Faço a seguinte pergunta o que é ganhamos ou estamos a perder com este ataque a divindade de Jesus e do espírito santo?

    “As coisas encobertas pertencem ao Senhor nosso Deus,
    mas as reveladas nos pertencem a nós e a nossos filhos para sempre,
    para que observemos todas as palavras desta lei.” Deuteronômio 29:29

    Quando se trata de entrar no terreno da divindade deveríamos ter muito cuidado nas nossas conclusões e análise.
    Moisés ao entrar na presença se Deus foi convidado a tirar os seu sapatos pois o terreno que estava a pisar era sagrado.
    Deus é santo e acredito sinceramente que vamos levar a eternidade para compreendermos toda a sua beleza.

    E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança;
    domine ele sobre os peixes do mar, sobre as aves do céu, sobre os animais domésticos,
    e sobre toda a terra, e sobre todo réptil que se arrasta sobre a terra.
    Criou, pois, Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou. Genesis 1:28,29

    Jesus não pode ser Deus para umas coisas e já não ser para outra.

    Jesus pode perdoar pecados coisa que só Deus pode fazer:

    “E os escribas e os fariseus começaram a arrazoar, dizendo: Quem é este que diz blasfêmias? Quem pode perdoar pecados, senão só Deus?” Lucas 5:21

    “Os judeus responderam, dizendo-lhe: Não te apedrejamos por alguma obra boa, mas pela blasfêmia; porque, sendo tu homem, te fazes Deus a ti mesmo.” João 10:33

    Quando Jesus vier com toda a sua gloria e eu estiver na sua presença,
    é com grande gozo que vou tirar a minha coroa e depositar aos pés de Jesus e o adorar por ele me perdoar os meus pecados e me salvar.
    Ora se ele não é Deus então não deveria aceitar adoração ou ser adorado nem mesmo perdoar pecados. E se isso for verdade é vã a nossa fé em Jesus.

    “Ouve, Israel, o SENHOR nosso Deus é o único SENHOR.” Deuteronômio 6:4

    “e, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo,
    tornando-se obediente até a morte, e morte de cruz.
    Pelo que também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu o nome que é sobre todo nome;
    para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra, e toda língua confesse que Jesus Cristo é Senhor, para glória de Deus Pai.” Filipenses 2:8-11

    (Eu vou adorar ao meu senhor Jesus)

    Os judeus consideravam que o facto de Jesus assumir uma prerrogativa que pertence a Deus era blasfema. Penso não ser um exagero concluir que o contrario também é blasfema.
    Ou seja , Deus afirmar algo a seu respeito e nós rejeitarmos isso. Quando a igreja no passado assumiu o papel de Deus no perdoar pecados o profeta Daniel fala deste poder como tendo uma boca que proferia blasfémia.

    Ao ler está declaração mais cuidado ainda temos de ter em relação ao espirito santo.

    “Em verdade vos digo: Todos os pecados serão perdoados aos filhos dos homens,
    bem como todas as blasfêmias que proferirem;
    mas aquele que blasfemar contra o Espírito Santo,
    nunca mais terá perdão, mas será réu de pecado eterno.” Marcos 3:28-29

    Recordo o contexto desta palavra do senhor Jesus. Jesus expulsava os demónios quando alguns afirmavam que ele expulsava em nome de Satanás. Depois disso Jesus fez esta solene afirmação.

    Para mim o que me interessa é; qual é a função do Espirito santo na minha vida, e onde é que a sua rejeição me poderá levar.

    “Mas, quando vier aquele Espírito de verdade, ele vos guiará em toda a verdade; porque não falará de si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido, e vos anunciará o que há de vir.” João 16:13

    “Mas, quando vier o Consolador, que eu da parte do Pai vos hei de enviar, aquele Espírito de verdade, que procede do Pai, ele testificará de mim.” João 15:26

    “E, quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, e da justiça e do juízo. Do pecado, porque não crêem em mim; Da justiça, porque vou para meu Pai, e não me vereis mais; E do juízo, porque já o príncipe deste mundo está julgado.” João 16:8-11

    Não é Jesus que me vai convencer do meu pecado nem o Pai, mas é o Espirito santo. Essa discussão faz com que muitos acabem por rejeitar aqueles que estão envolvidos na nossa salvação.
    Deveríamos estar a orar pela intercessão de Jesus por nos e para que o Espirito santo nos ajude a produzir os frutos nas nossa vida.

    Conclusão:
    Não precisamos de recorrer ao grego ou aramaico para fazer ver os nosso pontos de vista, vamos ao que é essencial e olhar para a bíblia como um todo.
    Neste tempo tão perto da eternidade, que precisamos de Jesus e do Espirito santo para nos ajudar nas nossas fraquezas “perdemos” tempo a discutir uma matéria tão sagrada como é o nosso Deus ao ponto de esquecermos o essencial. O Pai, o Filho e o Espirito participam na nossa salvação.

    Como o devido respeito pelas opniões de cada filho de Deus, satanas nos últimos tempos vai usar todo o seu poder e inteligência para nos desviar a atenção do essencial, e o objectivo final dele é nos afastar Daqueles que tem participação directa na nossa salvação e transformação.
    Novamente faço a seguinte pergunta: o que é ganhamos ou estamos a perder com este ataque a divindade de Jesus e do espírito santo?
    “As coisas encobertas pertencem ao Senhor nosso Deus,
    mas as reveladas nos pertencem a nós e a nossos filhos para sempre,
    para que observemos todas as palavras desta lei.” Deuteronômio 29:29

  23. Eder Clóvis Soares disse:

    Jamais questionei a divindade de Cristo, mas sim sua deidade, assim jamais questionei a aturação do “espírito de Deus” atuando na humanidade e não o “deus espírito” autando, como e forma pessoal que os trinitários teimam em dizer.

    Fico também impressionado como os triniat´rio tem que manobrar para poder justificar o injustificável e sem base bíblica, pq no próprio livro “A Trindade” os autores assumem que não existe báse bíblica para isto, no entanto minha argumentação é apenas baseada nas escrituras como afirma o prof. Azenilto (Sola Scriptura) nada de livro sem base e copiado do catecismo da ICAR.

    Como passei anteriormente, de uma analisada nos arquivos do site http://www.arquivoxiasd.com/ e confirme o quanto esta igreja que conheci na minha infância e juventude mudou para pior.

    Que D-us te abençoe e te ilumine.

    Eder

  24. Eder Clóvis Soares disse:

    Não sou católico e nem adventista

  25. Luis Chacon disse:

    Michael, a intenção do Eder definitivamente não é discutir o Espírito Santo, mas sim atacar a IASD, ele passou um site onde nào fala do Espírito Santo mas fala da IASD, ma de maneira muito tosca.
    Leio vários blogs Adventistas e quando há um documento da ICAR que a denuncia, o documento e postado na integra, muitas vezes com o imprimatum, o site coloca o cabeçalho de um jornal de 18 e tralala, e depois um pedaço de um suposto jornal, e ele quer nos fazer entender que o jornal Adventista, que fala contra o Espírito Santo, por exemplo. É algo amadoresco e tosco. e não entro em sites católicos para atacá-los, fico na minha, leio, tento aprender com os irmãos que sabem mais que eu (que em geral é o que acontece) e pronto, mas o intuito desse Eder é ataque à IASD e não falar do Espírito Santo, se ele não crê, ótimo, parabéns, bom proveito de sua ideologia, fica com Deus, mas não queira atacar, por ataque é obra do diabo. Abraço

  26. Eder Clóvis Soares disse:

    Me parece que estou sendo mal interpretado, porém quero deixar claro que não estou aqui para atacar a IASD nem sua membresia e muito menos a ICAR e sua forma de crer, porém quero apenas alertar quanto as mudanças que se deram na IASD e seus membros sofreram uma “lavagem doutrinária” no decorrer destes mais de 30 anos para terem como doutrinia pétrea a “trindade” e dizerem que sempre a IASD foi trinitária.

    Para que não me entendam mal, segue abaixo um artigom um pouco extenso, porém com textos bíblicos e de livros publicados pela IASD para mostrar aos queridos irmãos que estão sendo manobrados pela instituição.

    Espero sinceramente que o “espírito de Deus e de Seu filho ilumine a todos que lerem.

    O ESPÍRITO SANTO É UMA PESSOA (?)

    Sem a interrogação, foi o título do sermão ouvido na Igreja no Sábado último, pela manhã.

    Esta é uma análise dos pontos ouvidos ali, explicados pela Bíblia e pelo Espírito de Profecia. Obviamente que não serão todos os pontos, o que tornaria esta muito extensa.
    O objetivo desta não é polemizar, mas abrir os olhos dos sinceros quanto aos sutis sofismas e pedir que Deus possa ajudar ao pastor, autor do sermão, a não se entregar a esse espírito que com certeza, não é o Espírito de Deus.

    Suas declarações estarão sombreadas, assim.

    Gênesis 1:1 No princípio, criou Deus os céus e a terra.
    A palavra DEUS é PLURAL. Logo, tem que ser TRÊS.

    Faça um teste quanto aos seus conhecimentos bíblicos. Responda rapidamente, sem pensar muito: QUEM MATOU CAIM?
    Se você ainda já não foi apanhado em uma armadilha quase simplória dessas antes e respondeu ABEL, dá para entender a força sofista do argumento acima: UM é singular. DOIS é singular. Só TRÊS em diante é plural. Percebeu isso?
    Como isso não é a Verdade e bastam DOIS para formar PLURAL, vamos ao Espírito de Profecia:

    [1890-PP] Patriarchs and Prophets {1/34/2a} | Patriarcas e Profetas {1/34/2a}
    O Pai operou por Seu Filho na criação de todos os seres celestiais. “NEle foram criadas todas as coisas, … sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades: tudo foi criado por Ele e para Ele.” Col. 1:16.

    [1888-GC88] The Great Controversy {29/493/1c} | O Grande Conflito {29/493/1c}
    Por Cristo, o Pai efetuou a criação de todos os seres celestiais. “NEle foram criadas todas as coisas que há nos céus … sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades” (Col. 1:16); e tanto para com Cristo, como para com o Pai, todo o Céu mantinha lealdade.

    [1864-3SG] Spiritual Gifts, Vol. 3 {2/36/1a}
    Antes da queda de Satanás, o Pai consultou seu Filho com respeito à formação do homem. Eles pretenderam fazer este mundo, e criar animais e coisas vivas nele, e fazer o homem à imagem de Deus, para reinar como um monarca governante sobre toda coisa viva que Deus deveria criar.

    [1874.02.24-RH] Review and Herald {3a}
    Deus, em deliberação com seu Filho, formou o plano de criar o homem à própria imagem deles.

    [1877-2Red] The Redemption Series N. 2 – Redemption; or the Temptation of Christ –in– The Wilderness {6/1a} | No Deserto Da Tentação {2/12/1a}
    Deus, em conselho com seu Filho, estabeleceu o plano de criar o homem à Sua própria imagem.

    [1864-3SG] Spiritual Gifts, Vol. 3 {2/36/1b}
    Quando Satanás entendeu o propósito de Deus, ele ficou invejoso de Cristo, e ciumento porque o Pai não o tinha consultado com respeito à criação do homem. Satanás era da ordem mais alta dos anjos; mas Cristo estava acima de tudo. Ele era o comandante de todo o Céu. Ele fez conhecida à família angelical os altos comandos de seu Pai. A inveja e o ciúme de Satanás aumentaram.

    [1870-1SP] The Spirit of Prophecy, Vol. 1 {1/17/2} | História da Redenção {1/13/2}
    O grande Criador convocou os exércitos celestiais para, na presença de todos os anjos, conferir honra especial a Seu Filho. … Especialmente devia Seu Filho trabalhar em união com Ele na projetada criação da Terra e de cada ser vivente que devia existir sobre ela. O Filho levaria a cabo Sua vontade e Seus propósitos, mas nada faria por Si mesmo. A vontade do Pai seria realizada nEle.

    [1870-1SP] The Spirit of Prophecy, Vol. 1 {2/24/1a} | História da Redenção {2/20/1a}
    Pai e Filho empenharam-Se na grandiosa, poderosa obra que tinham planejado – a criação do mundo.

    [1898-DA] O Desejado de Todas as Nações {1/20/1}
    No princípio, Deus Se manifestava em todas as obras da criação. Foi Cristo que estendeu os céus, e lançou os fundamentos da Terra. Foi Sua mão que suspendeu os mundos no espaço e deu forma às flores do campo. “Ele converteu o mar em terra firme.” Sal. 66:6. “Seu é o mar, pois Ele o fez.” Sal. 95:5. Foi Ele quem encheu a Terra de beleza, e de cânticos o ar. E sobre todas as coisas na terra, no ar e no firmamento, escreveu a mensagem do amor do Pai.

    [1890-PP] Patriarchs and Prophets {2/44/1} | Patriarcas e Profetas {2/44/1}
    “Pela palavra do Senhor foram feitos os céus, e todo o exército deles pelo espírito da Sua boca.” Sal. 33:6 e 9. “Porque falou, e tudo se fez; mandou, e logo tudo apareceu.” “Lançou os fundamentos da Terra, para que não vacile em tempo algum.” Sal. 104:5.

    [1870-1SP] The Spirit of Prophecy, Vol. 1 {2/24/2a} | História da Redenção {2/20/2a}
    Depois que a Terra foi criada, com sua vida animal, o Pai e o Filho levaram a cabo Seu propósito, planejado antes da queda de Satanás, de fazer o homem à Sua própria imagem. Eles tinham operado juntos na criação da Terra e de cada ser vivente sobre ela. E agora, disse Deus a Seu Filho: “Façamos o homem à Nossa imagem.” Gên. 1:26.

    No sermão foi dito que por ser PLURAL eram TRÊS. Os escritos demonstram PLURAL de DOIS. Tire suas próprias conclusões com quem está a Verdade.

    A palavra TRINDADE não está na Bíblia NEM NO ESPÍRITO DE PROFECIA. Na Bíblia também não estão o milênio, Adventistas do Sétimo Dia. Vamos rejeitar essas Verdades?
    Voltaremos a tocar nesse ponto, mais adiante.

    Os cristãos que não crêem na trindade são as Testemunhas de Jeová. Você é TJ ou ASD? Os ASD que assim crêem, que fazem aqui? Porque não vão para lá? Deveriam congregar-se com eles.
    Depois da excomunhão, o “gentil” convite para retirar-se da Igreja. E a ordem divina para “resgatar” os irmãos excomungados?

    Aliás, descobri que todo sincero é Testemunha de Jeová; quem não o é deveria estar no mundo, entre os perdidos:

    Isaías 43:10 Vós sois as minhas testemunhas, diz Jeová, o meu servo a quem escolhi; para que o saibais, e me creiais, e entendais que sou eu mesmo, e que antes de mim deus nenhum se formou, e depois de mim nenhum haverá.

    Negar a trindade é coisa da nossa mente finita, que não pode compreender um assunto tão… infinito!
    Algumas mentes parecem menos finitas que outras, uma vez que não a negam. Pobres dos Pioneiros. Mas isso veremos adiante.

    A trindade existe: Pai, Filho e Espírito Santo, três pessoas có-eternas, … Assim diz a Palavra de Deus.

    Gênesis 1:2 A terra, porém, estava sem forma e vazia; havia trevas sobre a face do abismo, e o Espírito de Deus pairava por sobre as águas

    Vamos ao Espírito de Profecia, usando somente um dos textos que já disponibilizamos nas Lições da Esc. Sabatina:

    Conselhos Aos Pais, Professores E Estudantes {77/530/2a}
    Só com o auxílio daquele Espírito que, no princípio “Se movia sobre a face das águas” (Gên. 1:2); daquela Palavra pela qual “todas as coisas foram feitas” (João 1:3); daquela “Luz verdadeira, que alumia a todo homem que vem ao mundo” (João 1:9), pode ser devidamente interpretado o testemunho da ciência. Só por essa guia as mais profundas verdades da mesma ciência podem ser discernidas.
    As três citações fazem referência a uma só pessoa (ponto-e-vírgula em lugar de “e”); essa pessoa é Cristo! Harmoniza com os textos anteriormente citados: Cristo é o agente da Criação.

    O Espírito Santo dá vida às coisas que Deus cria.
    Salmos 104: 30 Envias o teu Espírito, eles são criados, e, assim, renovas a face da terra.
    Jó 33:4 O Espírito de Deus me fez, e o sopro do Todo-Poderoso me dá vida.
    De acordo com o SDABC (Comentário Bíblico Adventista), temos:

    Quanto a Salmos 104:30:
    Heb. rúaj (ver com. Sal. 31: 5).
    Sal. 31: 5
    Espíritu.
    Heb. rúaj, el principio animador de la vida, la energía que procede de Dios y anima el cuerpo. La Biblia enseña que en el momento de la muerte el espíritu vuelve a Dios (ver Ecl. 12: 7; Hech. 7 :59). Pero en ese estado no hay conciencia (Sal. 146: 4).

    Quanto a Jó 33:4:
    El espíritu de Dios.
    La energía divina lo creó y le dio aliento (Gén. 2: 7).
    Alguma coisa a ver com o Espírito Santo Pessoa?

    E o Espírito de Profecia, acerca de Salmos 104:30:

    Educação, 132:1
    Deus é espírito; não obstante é Ele um ser pessoal, visto que o homem foi feito à Sua imagem. Como Ser pessoal, Deus Se revelou em Seu Filho. Jesus, o resplendor da glória do Pai, e “expressa imagem da Sua pessoa” (Heb. 1:3), encontrou-Se na Terra sob a forma de homem. Como Salvador pessoal veio Ele ao mundo. Como Salvador pessoal ascendeu aos Céus. Como Salvador pessoal intercede nas cortes celestiais. Diante do trono de Deus ministra a nosso favor “Um como o Filho do homem”. Dan. 7:13.

    Conselhos Sobre Saúde, 222:2a
    A Divindade moveu-se de compaixão pela raça, e o Pai, o Filho e o Espírito Santo deram-Se a Si mesmos ao estabelecerem o plano da redenção.
    Maravilhosa Graça MM 1974, 188:1a
    A Divindade moveu-se de compaixão pela raça, e o Pai, o Filho e o Espírito Santo deram-Se a Si mesmos ao estabelecerem o plano da redenção. Conselhos Sobre Saúde, pág. 222.

    DOIS textos para dar força à declaração! Mas quando se observa a fonte do segundo texto, vemos que trata-se de APENAS UM texto.
    Em nossa defesa dissemos PUBLICAMENTE que esse texto é um dos textos ADULTERADOS do EP. O que você faria se tivesse ouvido isso e fosse pregar usando esse texto? Pesquisaria acerca da adulteração ou continuaria usando como se nada tivesse ocorrido? Se sim, posso confiar na sua sinceridade, ou você estaria com o objetivo de enganar? Pois o texto adulterado estava, adulterado ficou, e adulterado foi usado.

    Outros textos para ajudar na compreensão do anterior (não adulterado):

    [1898-DA] The Desire of Ages {1/22/2} | O Desejado de Todas as Nações {1/22/2}
    O plano de nossa redenção não foi um pensamento posterior, formulado depois da queda de Adão. Foi a revelação “do mistério que desde tempos eternos esteve oculto”. Rom. 16:25. Foi um desdobramento dos princípios que têm sido, desde os séculos da eternidade, o fundamento do trono de Deus. Desde o princípio, Deus e Cristo sabiam da apostasia de Satanás, e da queda do homem mediante o poder enganador do apóstata. Deus não ordenou a existência do pecado. Previu-a, porém, e tomou providências para enfrentar a terrível emergência. Tão grande era Seu amor pelo mundo, que concertou entregar Seu Filho unigênito “para que todo aquele que nEle crê não pereça, mas tenha a vida eterna”. João 3:16.

    [1890-PP] Patriarchs and Prophets {4/64/2} | Patriarcas e Profetas {4/64/2}
    O plano pelo qual poderia unicamente conseguir-se a salvação do homem, abrangia o Céu todo em seu infinito sacrifício. Os anjos não puderam regozijar-se ao desvendar-lhes Cristo o plano da redenção; pois viram que a salvação do homem deveria custar a indizível mágoa de seu amado Comandante.

    [1890-PP] Patriarchs and Prophets {4/64/3b} | Patriarcas e Profetas {4/64/3b}
    Contudo, deveriam os anjos ter uma parte a desempenhar no plano da redenção. Cristo havia de fazer-Se “um pouco menor do que os anjos, por causa da paixão da morte”. Heb. 2:9. Tomando Ele sobre Si a natureza humana, Sua força não seria igual à deles, e deveriam eles ministrar-Lhe, fortalecê-Lo em Seus sofrimentos, e mitigar-Lhos. Deveriam também ser espíritos ministradores, enviados para ministrarem a favor daqueles que seriam herdeiros da salvação. Heb. 1:14. Eles guardariam os súditos da graça, do poder dos anjos maus, e das trevas arremessadas constantemente em redor deles por Satanás.

    Existem outros textos esclarecedores. Favor consultar as Lições enviadas.

    A trindade na Bíblia. 1 Pedro 1:2; João 20:28
    Ver Comentários nas apostilas e Lições.

    O Espírito Santo:
    Atos 5:3 e 4 Então, disse Pedro: Ananias, por que encheu Satanás teu coração, para que mentisses ao Espírito Santo, reservando parte do valor do campo? Conservando-o, porventura, não seria teu? E, vendido, não estaria em teu poder? Como, pois, assentaste no coração este desígnio? Não mentiste aos homens, mas a Deus.
    Já que estamos falando do livro de Atos, que tal irmos até 20:28?
    Atos 20:28 Atendei por vós e por todo o rebanho sobre o qual o Espírito Santo vos constituiu bispos, para pastoreardes a igreja de Deus, a qual ele comprou com o seu próprio sangue.

    João 14:16; João 14:26; Atos 7: 55 e 56
    Ver Comentários nas apostilas e Lições.

    2 Coríntios 13:13 Essa bênção só um sacerdote poderia fazer. Se você fosse a uma comunidade judaica…
    Os judeus eram trinitarianos? Então aceitaram a Jesus Cristo como o Messias?

    Mt 28:19; MM 1983, 142; Ev. 316, 317; 2TS, 396
    Ver Comentários nas apostilas e Lições.

    Jo. 16:7 – EGW afirma que somente pelo Espírito Santo podemos vencer a Satanás.
    Ver Comentários nas apostilas e Lições.

    Cristo Triunfante – MM 2002
    Cristo enviou Seu representante, a terceira pessoa da Trindade, o Espírito Santo. Nada podia superar esse Dom. …
    Com a palavra, o próprio pastor, citando uma declaração sua no início do sermão:
    A palavra TRINDADE não está na Bíblia NEM NO ESPÍRITO DE PROFECIA.
    Ele tem razão: não se encontra no original, EM INGLÊS. Já em português…

    Vários textos dando ao Espírito Santo características de UMA PESSOA: ensina, faz lembrar, intercede, etc.
    Ver Comentários nas apostilas e Lições.

    Jesus Cristo dirige a igreja. Ele permitiria que sua igreja ensinasse por 160 anos uma mentira? …
    A continuação do comentário é originada em Estudo nº 01 – Personalidade e divindade do ESPÍRITO SANTO, Semana de 25/03/2006 a 1º/04/2006, comentário auxiliar elaborado pelo prof. Sikberto Renaldo Marks. Vamos lê-lo na íntegra:

    Imagine a IASD tendo que corrigir uma de suas doutrinas fundamentais nesses dias finais (no caso, seriam duas doutrinas, a segunda, da Trindade, e a quinta, pela qual cremos no ESPÍRITO SANTO como membro da Trindade). Se isso tivesse que ocorrer, qual seria a credibilidade da IASD, para pregar ao mundo a iminente vinda do salvador? Qual seria a credibilidade da doutrina do sábado, por exemplo? Diriam todos os de babilônia: eles se enganaram em duas doutrinas, podem estar enganados em outras! O Senhor da obra jamais deixaria a situação chegar a esse ponto!

    Sim, há algo mais a considerar. Quem dirige a IASD não são homens. Estes na verdade são dirigidos. Acima de todos os dirigentes está o Senhor, aquele que morreu na cruz e ressuscitou, Ele é que zela por sua igreja. Se tal correção tivesse que ser realizada, Ele teria feito isso lá no início do período da sétima igreja, quando ela estava se formando, não agora, no final, pela segunda razão antes apresentada. Ou seja, DEUS não é tão pequeno assim para cometer um erro tão flagrante e ingênuo, não acha?

    Fantástico!
    Contradisse o Manual da Igreja, tornando a IASD dogmática. E são argumentos MENT… tire suas próprias conclusões com o que veremos. Os argumento são:
     A IASD nasceu pregando essa doutrina e o fez por todos esses 160 anos.
     Se alguma MUDANÇA tivesse que ser realizada, teria sido feita lá no início, quando a IASD estava se formando, não agora, no final.

    O próprio pastor me passou um artigo com 4 páginas, chamado Desenvolvimento da Compreensão Adventista da Doutrina da Trindade, mostrando que houve uma mudança. Como pôde ignorá-lo? O próprio título do artigo já mostra isso. E essa mudança ocorreu nos nossos dias!

    Vejamos algumas declarações dos PIONEIROS da IASD quanto ao assunto (extraídos da defesa do irmão Adilson de Souza e de outros materiais):

    OS PIONEIROS E A DOUTRINA DA TRINDADE

    Vejamos o que os nossos pioneiros escreveram sobre a doutrina da trindade:

    • JAMES (TIAGO) WHITE – Esposo de Ellen White
    “Como erros fundamentais, nós poderíamos classificar com este falso Sábado outros erros que os protestantes trouxeram da igreja católica, como o batismo por aspersão, a trindade, a consciência dos mortos e tormento eterno. O grupo que abraçou estes erros fundamentais, fez isto ignorantemente, sem dúvida; mas poderá a igreja de Cristo levar junto de si estes erros até as cenas do julgamento que hão de vir sobre mundo? Nós não acreditamos. (Tiago White, Review and Herald , 12 de setembro de 1854)
    Pobre Pastor White. O que não diria hoje?

    “A grande falta da Reforma foi que os reformadores pararam de reformar. Se tivessem levado avante, não teriam deixado nenhum vestígio do papado atrás, tal como a natural imortalidade, batismo por aspersão, a trindade, a guarda do domingo, e a igreja agora estaria livre de erros escriturísticos.” – James White, Advent Reviw, 07 de fevereiro de 1856.

    “Eu estava certo, quando disse que a doutrina da Trindade degrada a expiação, trazendo o sacrifício, o sangue pelo qual fomos comprados, para baixo num padrão de comprometimento.” – James White, Advent Reviw, 10 de NOVEMBRO de 1863.

    • J.N. ANDREWS
    “A doutrina da Trindade foi estabelecida na igreja pelo concílio de Nicéia 325 AD. Essa doutrina destrói a personalidade de Deus e seu Filho Jesus Cristo, nosso Senhor. A forma infame como foi imposta à igreja, aparece nas páginas da história eclesiástica, que causa aos que acreditam na doutrina corar de vergonha.” – J. N. Andrews, Advent Review, 06 de março de 1855.
    Incrível, mas o ESPÍRITO e os MÉTODOS são os mesmos!! Está você corando de vergonha?

    • J.N. LOUGBOROUGH
    “Esta doutrina da Trindade foi trazida para a igreja no mesmo tempo em que a adoração de imagens, e a guarda do domingo e não é mais do que a doutrina dos persas remodelada.” – J.N. Lougborough, Advent Review, 05 de novembro de 1861.

    • R. F. COTTRELL
    “Sustentar a doutrina da Trindade, não é mais que uma evidência da intoxicação pelo vinho que todas as nações beberam. O fato dessa ser uma das principais doutrinas, senão a principal, pela qual o bispo de Roma foi exaltado ao papado, não recomenda muito em seu favor.” – R. F. Conttrell, Advent Review, 06 de julho de 1869.
    Sim, é a PRINCIPAL doutrina Católica!
    Vá à seguinte página: http://www.psleo.com.br/catecismo04.htm
    e leia a seguinte declaração do Catecismo Católico:
    O mistério da Trindade é a doutrina central da fé católica. Sobre ele estão baseados todos os outros ensinamentos da Igreja. No Novo Testamento há freqüente menção do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Uma leitura atenta destas passagens escriturísticas leva-nos a uma inconfundível conclusão: cada uma destas Pessoas é apresentada como tendo qualidades que só a Deus podem pertencer. Mas se há apenas um só Deus, como pode ser isso?
    A Igreja estudou este mistério com grande solicitude e, depois de quatro séculos de investigações, decidiu expressar a doutrina deste modo: Na unidade da divindade há três Pessoas – o Pai, o Filho e o Espírito Santo – realmente distintas uma da outra. Assim, nas palavras do Credo de Atanásio: “O Pai é Deus, o Filho é Deus, e o Espírito Santo é Deus, e no entanto não são três deuses, mas um só Deus”.

    Agora vá à seguinte página: http://www.unasp.br/diario/campus349_280905.htm
    e leia a seguinte declaração do pastor e professor Alberto Ronald Timm:
    Segundo o pastor, dentre as muitas doutrinas adventistas, a da “Trindade” é a principal, pois, “Deus é o centro de toda verdade.”
    A doutrina da “Trindade” é a segunda, das 28 crenças da Igreja Adventista do Sétimo Dia. Nela, está expresso que “há um só Deus: Pai, Filho e Espírito Santo; uma unidade de três Pessoas coeternas.” Além disso ela defende que “Deus é imortal, onipotente, onisciente, acima de tudo e sempre presente…digno de culto e adoração e serviço por parte de toda a criação.”
    Pasmem! É agora também a PRINCIPAL doutrina ASD!!! Será por isso que estamos vendo um surgimento do papado em nossa Igreja? Líderes que se colocam no lugar de Deus, esforçando-se para dominar nossas consciências, tirando-nos O MAIS SAGRADO DIREITO DO HOMEM (título do capítulo 16 do Grande Conflito), o direito à liberdade de pensar e seguir a Deus segundo os ditames da própria consciência? Observem que o espírito (demoníaco) é o mesmo!

    • WILLIE (GUILHERME) WHITE – Filho de Ellen White
    “As declarações e os argumentos de alguns dos nossos ministros em seu esforço para provar que o Espírito Santo era um indivíduo como é Deus, o Pai e Cristo, o eterno Filho, têm me deixado perplexo e algumas vezes eles me tem entristecido” – James White, Carta ao Pastor H. W. Carr, 30 de Abril de 1935.

    O Professor de História na Universidade Adventista de Andrews, George Knight fala na Revista Ancião de janeiro de 1994 e no livro Em Busca de Identidade a respeito das mudanças que ocorreram no adventismo.
    “Muitos dentre os fundadores do adventismo não se uniriam à Igreja hoje, se eles tivessem que subscrever as crenças fundamentais da denominação. Mais especialmente, muitos deles não concordariam com a crença nº. 2, a qual trata da doutrina da Trindade.

    Ah, irmãos! Afirmar que a IASD pregou por 160 anos essa doutrina sem variação… .

    Somente este verso seria suficiente (Mateus 28:20)
    Uma das bases da teologia ASD, ensinado no teológico, é JAMAIS FUNDAMENTAR UMA DOUTRINA SOBRE UM ÚNICO VERSÍCULO.

    Para os perseguidos:
    O Grande Conflito, pág. 615
    Quando a decisão irrevogável do santuário houver sido pronunciada, e para sempre tiver sido fixado o destino do mundo, os habitantes da Terra não o saberão. As formas da religião continuarão a ser mantidas por um povo do qual finalmente o Espírito de Deus Se terá retirados; o zelo satânico com que o príncipe do mal os inspirará para o cumprimento de seus maldosos desígnios, terá a semelhança do zelo para com Deus.
    Isso está sendo semeado hoje, no espírito demoníaco que se observa nas perseguições e excomunhões ASD. Cuidado, irmão Saulo. Transforme-se logo em Paulo… .

    Testimonies, vol. 5, pág. 136 e 137
    “Logo o povo de Deus será provado por ardentes provas, e a grande proporção dos que agora parecem genuínos e verdadeiros demonstrar-se-á metal vil. Em vez de se fortalecerem e serem confirmados pela oposição, ameaças e abusos, tomarão covardemente o lado dos oponentes. … Permanecer em defesa da verdade e justiça quando a maioria nos abandona, ferir as batalhas do Senhor quando são poucos os campeões – essa será nossa prova. Naquele tempo devemos tirar calor da frieza dos outros, coragem de sua covardia, e lealdade de sua traição. … A prova certamente virá.”
    Não é a MAIORIA. Ela pode até dizer AMÉM diante de declarações sofismáticas e bem elaboradas aos moldes dos discursos hitlerianos, mas esses AMÉNS não ratificam a “verdade”; muito menos convertem o erro em Verdade.
    É a MINORIA, irmão!!!

  27. Rodrigo disse:

    Eder Clóvis Soares

    Nunca vi alguem defender esse ponto de vista. Me despertou uma grande curiosidade.
    Gostaria de ter contato com vc (via e-mail de preferencia) para conseguir tirar duvidas sobre esse assunto.

    Saiba de antemao que sou uma pessoa leiga (ok.. nao tao leigo) e estou em busca de verdades

    Abraco

  28. Enoque A. O. Junior disse:

    Todo bom adventista está careca de saber que a opinião dos pioneiros da igreja no começo era um pouco dúbia, por se tratarem de pessoas de várias denominações vindo do grande desapontamento, até mesmo carne de porco eles comiam. Realmente a maioria dos líderes não eram a favor da trindade ( maioria dos líderes e não dos membros), muitos nem acreditavam na plena divindade de Cristo. Mas com o tempo e muito estudo, uma revelação progressiva foi tomando conta da igreja. Principalmente depois da publicação da 1ª edição do livro “Desejado de Todas as Nações” de Ellen G. White em 1888, até então a igreja não tinha uma posição oficial sobre este assunto. Ellen White não é a “papisa” dos ASD, não existe nenhuma doutrina baseada em Ellen White e sim na bíblia, mas suas revelações apenas consolidaram o intenso estudo nos quais nossos pioneiros passaram até consolidar a doutrina.

    Algumas citações…

    Jesus declarou: “Eu sou a ressurreição e a vida.” João 11:25. Em Cristo há vida original, não emprestada, não derivada. “Quem tem o Filho tem a vida.” I João 5:12. A divindade de Cristo é a certeza de vida eterna para o crente. O Desejado de Todas as Nações, pág. 530.

    Os eternos dignitários celestes – Deus, Cristo e o Espírito Santo – munindo-os [aos discípulos] de energia sobre-humana, … avançariam com eles para a obra e convenceriam o mundo do pecado. Manuscrito 145, 1901.

    Precisamos reconhecer que o Espírito Santo, que é tanto uma pessoa como o próprio Deus, está andando por esses terrenos. Manuscrito 66, 1899.

    O Espírito Santo é uma pessoa, pois dá testemunho com o nosso espírito de que somos filhos de Deus. Uma vez dado esse testemunho, traz consigo mesmo sua própria evidência. Em tais ocasiões acreditamos e estamos certos de que somos filhos de Deus. O Espírito Santo tem personalidade, do contrário não poderia testificar ao nosso espírito e com nosso espírito que somos filhos de Deus. Deve ser também uma pessoa divina, do contrário não poderia perscrutar os segredos que jazem ocultos na mente de Deus. “Por que qual dos homens sabe as coisas do homem, senão o espírito do homem, que nele está? assim também ninguém sabe as coisas de Deus, senão o Espírito de Deus.” I Cor. 2:11. Manuscrito 20, 1906.

    Desde a eternidade, esteve Cristo unido ao Pai, e quando assumiu a natureza humana, era ainda um com Deus. É Ele o elo que une a Deus a humanidade. “Visto como os filhos participam da carne e do sangue, também Ele participou das mesmas coisas.” Heb. 2:14. Mensagens Escolhidas Vol. Pág 228

    O príncipe da potestade do mal só pode ser mantido em sujeição pelo poder de Deus na terceira pessoa da Trindade, o Espírito Santo. Special Testimonies, Série A, nº 10, pág. 37.

    Cumpre-nos cooperar com os três poderes mais altos no Céu – o Pai, o Filho e o Espírito Santo – e esses poderes atuarão por nosso intermédio, fazendo-nos coobreiros de Deus. Special Testimonies, Série B, nº 7, pág. 51.

    Cristo é o Filho de Deus, preexistente, existente por Si mesmo. … Falando de Sua preexistência, Cristo conduz a mente através de séculos incontáveis. Afirma-nos que nunca houve tempo em que Ele não estivesse em íntima comunhão com o eterno Deus. Aquele cuja voz os judeus estavam então ouvindo estivera com Deus como Alguém que vivera sempre com Ele. Signs of the Times, 29 de agosto de 1900.

    Ele (Jesus) era igual a Deus, infinito e onipotente. … É o Filho eterno, existente por Si mesmo. Manuscrito 101, 1897.

    Agradeço a Deus, por sempre estar guiando o seu povo…

    Fique com Deus

  29. Paulo MP disse:

    Eder Clóvis Soares, cuidade com essa direção que vc toma contra a Pessoa do Espírito Santo. (Mat 12:31-32).

    O Espírito Santo, como alguns pretendem, não é uma força ou um poder impessoal. Assim como O Pai e O filho Ele é um Ser Divino uma Pessoa

    ——————————– Na Bíblia

    O Espírito Santo também é Deus:
    Atos 5:3,4; Mat 12:31-32

    Possui os mesmo atributos divinos:
    Onipotente I Cor 12:11; Onipresente João 14:16; Sal 139:7-10; Onisciente I Cor 2:10-11; Criador Jó 33:4; Sal 104:30; Rom 8:11.

    A Pessoal do Espírito Santo esteve presente em todo o ministério de Cristo Jesus:
    Nacimento Luc 1:35; Batismo Mat 3:16-17; Ressurreição Rom 8:11

    A bíblia confirma a Personalidades do Espírito Santo, pois Ele:
    contende gen 6:3, ensina luc 12:12, convence joão 16:8; dirige os assuntos da igreja atos 13:2; auxilia e entende rom 8:26, inspira II ped 1:21, santifica I ped 1:2. Essas atividades são exclusivas de seres inteligentes, neste caso um Ser Divino.

    Concedeu Habilidades no Antigo Testamento
    Num 24:2; Jui 6:34; I Sam 10:6; Joel 2:28.

    ——————————– Nos Testemunhos

    Deus revelou a irmã EGW, já no final de sua vida no ano de 1905, uma verdade que concretizou e mudou a mente de muitos pioneiros que não compreendiam a Pessoa do Espírito Santo:

    Mesmo Deus revelando os testemunhos sobre o assunto, houve rejeição inocente por algum tempo, mais a final reconhecemos e aceitamos progressivamente a verdade sobre o assunto, revelados sem preconceitos pela bíblia e pelos testemunhos dados aos remanescentes, que hoje mantemos e defendemos como um “Assim Diz o Senhor”.

    Evangelismo, pág. 615:

    […] Há três pessoas (personalidades) vivas pertencentes à trindade (divindade) celeste; em nome destes três grandes poderes – o Pai, o Filho e o Espírito Santo […] e esses poderes cooperarão com os súditos obedientes do Céu em seus esforços para viver a nova vida em Cristo. Special Testimonies, Série B, Nº 7, págs. 62 e 63.

    Muitos hoje (IEST Adventistas Históricos e ADML …), que pretendem “remover a verdade sobre a Pessoa do Espírito Santo”, acusam a igreja de Deus (IASD) de “Heresia” pelo fato de acreditarmos na “Pessoa do Espírito Santo”.

    Esse grupo, que já se encontra “visível e invisível” nos bancos de algumas igrejas, tem levado alguns a experimentarem a “triste vida daqueles que entristecem o Espírito Santo”. (Mat 12:31-32).

    Assim como Cristo deu sua chance para aqueles que estavam entrando por esse caminho sem volta, “blasfemando contra o Espírito Santo”, Deus nestes últimos dias, por meio de mensagens proféticas adverte essa igreja com as seguintes palavras da irmã EGW:

    Mensagens Escolhidas Vol I, pág. 204

    “[…] O Senhor, porém, correu a cortina mostrando-me o resultado que se seguiria. As teorias espiritualistas acerca da personalidade de Deus, levadas a sua conclusão lógica, derribam toda a ordem cristã. {…]”.

    “O inimigo das almas tem procurado introduzir a suposição de que uma grande reforma devia efetuar-se entre os adventistas do sétimo dia, e que essa reforma consistiria em renunciar às doutrinas que se erguem como pilares de nossa fé, […]. Estabelecer-se-ia uma nova organização. Escrever-se-iam livros de ordem diferente. Introduzir-se-ia um sistema de filosofia intelectual” (Separatistas).

    Muitos desses pretendem “reformar a igreja”, e, não tendo sucesso dizem que devem sair para não serem culpados das heresias e adulterações existentes na organização. Eles se esquecem que Deus também revelou que “nos últimos dias muitos se apostatariam da fé” por isso sairiam de nossas igrejas. Isso é prova de que eles são o “problema” e não nós, pois, quem sairia seria os apostatados e não os sinceros.
    (Evangelismo Pág. 363 e Mensagens Escolhidas Vol 3 pag. 425)

    Uma coisa é certa: Os adventistas do sétimo dia que se colocam sob o estandarte de Satanás abandonarão primeiro sua fé nas advertências e repreensões contidas nos Testemunhos do Espírito de Deus. (Mensagens Escolhidas, vol. 3, pág. 84).

    O derradeiro engano de Satanás será anular o testemunho do Espírito de Deus. “Não havendo profecia, o povo se corrompe” [no inglês, “o povo perece”]. Prov. 29:18. Satanás operará habilmente de várias maneiras e por diferentes instrumentalidades, para perturbar a confiança do povo remanescente de Deus no verdadeiro testemunho.
    (Mensagens Escolhidas, vol. 1, pág. 48).

    O inimigo tem envidado seus magistrais esforços para abalar a fé de nosso próprio povo nos Testemunhos. … Isto é exatamente como Satanás tencionava que fosse, e os que têm preparado o caminho para o povo não dar atenção às advertências e repreensões dos Testemunhos do Espírito de Deus verão surgir uma torrente de erros de toda a espécie.
    (Mensagens Escolhidas, vol. 3, pág. 83).

    O plano de Satanás é enfraquecer a fé do povo de Deus nos Testemunhos. Em seguida vem o ceticismo no tocante aos pontos vitais de nossa fé, as colunas de nossa posição, depois as dúvidas acerca das Escrituras Sagradas, e então a caminhada descendente para a perdição. Quando os Testemunhos, nos quais se acreditava anteriormente, são postos em dúvida e rejeitados, Satanás sabe que as pessoas enganadas não pararão aí; e ele redobra os seus esforços até lançá-las em rebelião aberta, que se torne irremediável e termine em destruição.
    (Testimonies, vol. 4, pág. 211).

    Muitos amigos e irmãos, tem declinado nesta direção, e infelizmente o espirito que os acompanha não é o Espirito de Deus. O orgulho e rebelião desses, dificulta Aquele que eles mesmo estão lutando contra, O Espírito Santo!!!

    Seus Amigos, os ASD!!!
    Viva A Verdade!!! Verdade progressiva! To em Paz!!! Fiquem com o Eterno!!!

  30. Eder Clóvis Soares disse:

    Bom dia Rodrigo e todos do grupo,

    Para quem desejar manter contato por e-mail o endereço é edercloviss@gmail.com

    Para o Paulo só posso dizer que não me preocupo com a “pessoa” do espirito santo” pq não é um ser pessoal, porem é o “espírito de Deus e de Jesus”m e não estou ofendendo o Pai e o Filho.

    Eder

  31. Eder Clóvis Soares disse:

    Caro Enoque, a escola que frequenta tem te ensinado bem direitinho… de que os pioneiros eram dúbios em seus pensamentos, assim incutem em suas mentes esta mentira. O problema dos membros atuais da IASD é que não leem mais, apenas ouvem o que pastores cegos ensinam. Infelizmente é a mais pura verdade…

  32. Enoque A. O. Junior disse:

    “Por isso, vistam toda a armadura de Deus, para que possam resistir no dia mau e permanecer inabaláveis, depois de terem feito tudo. Assim, mantenham-se firmes, cingindo-se com o cinto da verdade, vestindo a couraça da justiça e tendo os pés calçados com a prontidão do evangelho da paz. Além disso, usem o escudo da fé, com o qual vocês poderão apagar todas as setas inflamadas do Maligno. Usem o capacete da salvação e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus. Orem no Espírito em todas as ocasiões, com toda oração e súplica; tendo isso em mente, estejam atentos e perseverem na oração por todos os santos.” (Efésios 6:13-18)

    Contra fatos não há argumentos!, não me julgue Éder, você não me conhece, não sabe se eu leio muito ou pouco, não sabe meu caráter e nem meu coração. Estarei orando por você…É de Deus que você precisa, só isso. Fique em paz irmão.

  33. Eder Clóvis Soares disse:

    Boa tarde Enoque,

    Inicialmente quem foi pr-e-julgado aqui neste debate foi minha pessoa pelo Sr. Luis Chacon que escreveu.que.a… “intenção do Eder definitivamente não é discutir o Espírito Santo, mas sim atacar a IASD, ele passou um site onde nào fala do Espírito Santo mas fala da IASD, ma de maneira muito tosca.”… mas não é verdade.

    Com relação à tua pessoa eu não te julguei, apenas queiz dizer que hoje a membresia da IASD não lê e prefere apenas ouvir, pois se fossem como os bereanos e pesquizasemm com certeza a situação doutrinária da IASD seria diferente. Ainda com relação ao assunto dos pioneiros, me impressionou tua posição em afirmar que na época dos pioneiros a IASD ainda não tinha uma posição definida sobre a “trindade”… porém só para clarear as informações este tópico da “trindade” só começou a ser imposto na IASD após a morte da Sr. White em 1915, e se você pesquisar nos Yaer Book’s da IASD verá que só após a morte da Sra. White é que foiram publicados nas doutrinas da igreja a doutrina da trindade não oficialmente, inclusive tendo que ser suprimida posteriormente em outras publicações por não ter sido votado nas convenções da IASD, sendo que esta doutrina só foi oficialmente APROVADA, e sem o conhecimento de quem participou do concílio em 1980 (aprovado em porteira fechada), agora Enoque eu te pergunto, porque a IASD (direção da IASD) só compreendeu esta doutrina depois da morte da Sra. White e só foi aprovada 65 anos após sua morte? Porque que no concílio de Dallas em 1980 esta doutrina foi aprovada sem o conhecimento dos participante??? Você não acha que é no mínimo estranha esta posição???

    Desejo a todos um feliz sábado e que o espírito de Deus possa dar discernimento aos sinceros de coração.

  34. Eder Clóvis Soares disse:

    Contradiga quem puder e tiver são juízo e raciocínio em ordem!

    “DURMA COM UMA “ZOADA” DESSA E ACORDE CEDO”

    MATEUS 28:19
    O que disse JOSEPH RATZINGER, o atual Papa Bento XVI em seu livro “Introdução ao Cristianismo”, no ano de 1968, às páginas 82/83, sobre o assunto em pauta Mateus 28:19?

    Leiamos na íntegra:
    “A forma básica da nossa profissão de fé Trinitariana (Mateus 28:19), tomou forma durante os séculos segundo e terceiro em conexão com a cerimônia de batismo. Medida em que seu lugar de origem está em causa, seu texto (Mateus 28:19), veio da cidade de Roma. O batismo da Trindade e o texto de Mateus 28:19, portanto não se originou a partir da igreja original, que começou em Jerusalém, por volta do ano 33. Era um pouco como a evidência demonstra, uma invenção posterior do catolicismo romano, completamente inventada. Muito poucos sabem sobre esses fatos históricos”.
    Introdução ao Catolicismo por Joseph Ratzinger. Página 82/83

    Creio que dispensa qualquer outro comentário adicional…

    Desejo a todos uma ótima semana

    Eder

  35. Eder Clóvis Soares disse:

    O SENHOR, O ESPÍRITO

    II CORÍNTIOS 2 E 3
    – Sugiro que leiam os dois capítulos de uma vez, pois o cap. 4 completa a argumentação construída pelo apóstolo Paulo no cap. 3.
    “2 Vós sois a nossa carta, escrita em nosso coração, conhecida e lida por todos os homens, 3 estando já manifestos como carta de Cristo, produzida pelo nosso ministério, escrita não com tinta, mas pelo Espírito do Deus vivente, não em tábuas de pedra, mas em tábuas de carne, isto é, nos corações. 4 E é por intermédio de Cristo que temos tal confiança em Deus; 5 não que, por nós mesmos, sejamos capazes de pensar alguma coisa, como se partisse de nós; pelo contrário, a nossa suficiência vem de Deus, 6 ¶ o qual nos habilitou para sermos ministros de uma nova aliança, não da letra, mas do espírito; porque a letra mata, mas o espírito vivifica. 7 E, se o ministério da morte, gravado com letras em pedras, se revestiu de glória, a ponto de os filhos de Israel não poderem fitar a face de Moisés, por causa da glória do seu rosto, ainda que desvanecente, 8 como não será de maior glória O MINISTÉRIO DO ESPÍRITO! 9 Porque, se o ministério da condenação foi glória, em muito maior proporção será glorioso o ministério da justiça. 10 Porquanto, na verdade, o que, outrora, foi glorificado, neste respeito, já não resplandece, diante da atual sobreexcelente glória. 11 Porque, se o que se desvanecia teve sua glória, muito mais glória tem o que é permanente. 12 ¶ Tendo, pois, tal esperança, servimo-nos de muita ousadia no falar. 13 E não somos como Moisés, que punha véu sobre a face, para que os filhos de Israel não atentassem na terminação do que se desvanecia. 14 Mas os sentidos deles se embotaram. Pois até ao dia de hoje, quando fazem a leitura da antiga aliança, o mesmo véu permanece, não lhes sendo revelado que, EM CRISTO, é removido. 15 Mas até hoje, quando é lido Moisés, o véu está posto sobre o coração deles. 16 Quando, porém, algum deles se converte AO SENHOR, o véu lhe é retirado. 17 Ora, O SENHOR É O ESPÍRITO; e, onde está o Espírito do Senhor, aí há liberdade. 18 E todos nós, com o rosto desvendado, contemplando, como por espelho, a glória do Senhor, somos transformados, de glória em glória, na sua própria imagem, como pelo SENHOR, O ESPÍRITO.” (2 Coríntios 3:2-18 RA)

    “2 pelo contrário, rejeitamos as coisas que, por vergonhosas, se ocultam, não andando com astúcia, nem adulterando a palavra de Deus; antes, nos recomendamos à consciência de todo homem, na presença de Deus, pela manifestação da verdade. 3 Mas, se o nosso evangelho ainda está encoberto, é para os que se perdem que está encoberto, 4 nos quais o deus deste século cegou o entendimento dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, o qual é a imagem de Deus. 5 Porque não nos pregamos a nós mesmos, mas A CRISTO JESUS COMO SENHOR e a nós mesmos como vossos servos, por amor de Jesus. 6 Porque Deus, que disse: Das trevas resplandecerá a luz, ele mesmo resplandeceu em nosso coração, para iluminação do conhecimento da glória de Deus, na face de Cristo.” (2 Coríntios 4:2-6 RA)

    – Quem é esse Senhor que é o Espírito? Vamos ver. Esses dois capítulos se completam. No cap. 3, Paulo está falando do véu que obscurece o entendimento dos judeus e os impede de compreender e aceitar o evangelho de Cristo, que é de muito maior glória que a antiga aliança. No cap. 4, ele fala de forma mais abrangente, dirigindo-se a todos: o evangelho está encoberto aos que se perdem (v.3), no qual o véu é o “deus deste século” (v.4).
    (Cap. 3) A antiga aliança de Deus com o povo de Israel perdeu a sua glória porque ficou só na letra, não atingiu o espírito, o coração deles, para se converterem ao Senhor. Por isso Deus teve que fazer uma nova aliança: “uma nova aliança, não da letra, mas do espírito; porque a letra mata, mas o espírito vivifica.” Uma aliança na qual a lei de Deus não se limitasse a ser exibida nas tábuas de pedra onde Ele as escreveu, ou nos rolos de pergaminhos, onde foi reescrita com tinta, mas uma aliança em que seu povo tivesse a Sua lei, Sua vontade toda dentro dos corações, escrita pelo Seu Santo Espírito: “escrita não com tinta, mas pelo Espírito do Deus vivente, não em tábuas de pedra, mas em tábuas de carne, isto é, nos corações.”
    – Neste ponto, o apóstolo Paulo certamente está fazendo uma referência a Ezeq. 36:26-27: “26 Dar-vos-ei coração novo e porei dentro de vós espírito novo; tirarei de vós o coração de pedra e vos darei coração de carne. 27 Porei dentro de vós o meu Espírito e farei que andeis nos meus estatutos, guardeis os meus juízos e os observeis.” (Ezequiel 36:26-27 RA) e a Jer. 31:33: “ Porque esta é a aliança que firmarei com a casa de Israel, depois daqueles dias, diz o SENHOR: Na mente, lhes imprimirei as minhas leis, também no coração lhas inscreverei; eu serei o seu Deus, e eles serão o meu povo.” (Jeremias 31:33 RA)

    – E se aquela aliança que resultou em morte para eles (ministério da morte) por causa da sua incredulidade teve a sua glória, maior glória tem o ministério do Espírito. Quem é esse “Espírito”? Vamos ver: o ministério dEle é chamado de ministério da justiça (v.9), possui sobreexcelente glória (v.10), é permanente (v.11), é em tudo superior ao ministério da antiga aliança. Contudo, apesar de toda essa superioridade, esse ministério é rejeitado pelos filhos de Israel; estes não conseguem ver a grandeza desse ministério e permanecem com um véu que os impede de enxergá-la. Eles não percebem que é só Cristo que remove esse véu (v.14), mas quando um deles se converte ao Senhor, o véu é removido. Quem é esse Senhor? É o mesmo que remove o véu – CRISTO (v.16), e esse mesmo SENHOR que remove o véu, que é CRISTO, é O ESPÍRITO que liberta da escuridão e falta de visão espirituais produzidas pelo véu da incredulidade (v. 17), daí porque o Seu ministério é chamado de “ministério do Espírito”. E é contemplando a Sua glória que somos transformados na Sua imagem (v.18).

    – Vamos nos deter um pouco mais no v. 18 do cap.3.
    – A tradução literal do original grego diz: “E nós, todos com rosto desvendado, a glória do Senhor contemplando (ou refletindo), na mesma imagem somos transformados de glória em glória, como do Senhor, o Espírito.”

    – A Bíblia de Jerusalém tem uma tradução melhor (v. 14-18):
    “Mas os seus espíritos se tornaram obscurecidos. Sim; até hoje, quando lêem o Antigo Testamento, este mesmo véu permanece. Não é retirado, porque é em Cristo que ele desaparece. Sim; até hoje, todas as vezes que lêem Moisés, um véu está sobre o seu coração. É somente pela conversão ao Senhor que o véu cai. Pois o Senhor é o Espírito, e onde se acha o Espírito do Senhor aí há liberdade. E nós todos que, com a face descoberta, refletimos como num espelho a glória do Senhor, somos transfigurados nessa mesma imagem, cada vez mais resplandecente, pela ação do Senhor, que é Espírito.”
    A BJ faz o seguinte comentário: “A ‘glória do Senhor’ é a de Jesus Cristo, pois ‘a glória de Deus resplandece na face de Cristo’. (4:6).” Este texto é elucidativo: “ pelo contrário, alegrai-vos na medida em que sois co-participantes dos sofrimentos de Cristo, para que também, na revelação de sua glória, vos alegreis exultando. Se, pelo nome de Cristo, sois injuriados, bem-aventurados sois, porque sobre vós repousa o Espírito da glória e de Deus.” (1 Pedro 4:13-14 RA)

    – Os primeiros versos do cap. 4 ela traduz deste modo:
    “Por isto, já que por misericórdia fomos revestidos de tal ministério, não perdemos a coragem. Dissemos ‘não’ aos procedimentos secretos e vergonhosos; procedemos sem astúcia e não falsificamos a palavra de Deus. muito ao contrário, pela manifestação da verdade recomendamo-nos à consciência de cada homem diante de Deus. por conseguinte, se o nosso evangelho permanece velado, está velado para aqueles que se perdem, para os incrédulos, dos quais o deus deste mundo obscureceu a inteligência, a fim de que não vejam brilhar a luz do evangelho da glória de Cristo, que é a imagem de Deus. não pregamos a nós mesmos, mas a Cristo Jesus, Senhor. Quanto a nós mesmos, apresentamo-nos como vossos servos por causa de Jesus. Porquanto Deus, que disse: Do meio das trevas brilhe a luz!, foi Ele mesmo quem reluziu em nossos corações, para fazer brilhar o conhecimento da glória de Deus, que resplandece na face de Cristo.” II Cor. 4:1-6.

    – Vejamos o CBA:
    En la faz.
    La misma gloria que se había reflejado en el rostro de Moisés, más recientemente se había visto en el rostro de Cristo (ver com. Mat. 17: 2; Luc. 2: 48; Juan 1: 14; 2 Ped. 1: 17-18). Cristo es la revelación completa de la gloria de su Padre, la encarnación de toda la excelencia divina. Todas las otras revelaciones han sido parciales e imperfectas. Los hombres pueden ver la luz de Dios en toda su plenitud, pureza y perfección en el rostro de Jesucristo.
    Pablo reconocía la gloria de Dios en la creación y en la ley, pero ahora percibía la perfecta exhibición de la gloria divina en la faz y en la persona de Jesucristo. Esto fue lo que ganó su corazón e hizo que siempre estuviera consagrado a Dios. Sólo en Jesucristo y mediante él puede el hombre llegar a ser participante de la naturaleza divina, y de ese modo de la gloria divina.

    Tradução:
    Na face
    A mesma glória que havia refletido no rosto de Moisés, mais recentemente havia sido vista no rosto de Cristo (ver com. Mat. 17: 2; Luc. 2: 48; Juan 1: 14; 2 Ped. 1: 17-18). Cristo é a revelação completa da glória de Seu Pai, a encarnação de toda a excelência divina. Todas as outras revelações forma parciais e imperfeitas. Os homens podem ver a luz de Deus em toda sua plenitude, pureza e perfeição no rosto de Jesus Cristo.
    Paulo reconhecia a glória de Deus na criação e em Sua lei, mas agora percebia a perfeita exibição da glória divina na face e na pessoa de Jesus Cristo. Foi este fato que ganhou seu coração e fez com que sempre estivesse consagrado a Deus. Somente em Jesus e mediante Ele pode o homem chegar a ser participante da natureza divina, e desse modo da glória divina.

    – Vemos, portanto, que Jesus é o centro destes capítulos: Ele é quem remove o véu, Ele é a imagem de Deus, Ele é quem resplandece a glória de Deus na Sua face, Ele é o ministro de uma aliança superior (Ministério do Espírito), Ele é o Espírito, e é por contemplá-Lo que somos transformados ‘nessa mesma imagem’ (3:18). É dessa forma que a lei de Deus (a transcrição de Seu caráter) é gravada em nossos corações, não com tinta, mas por esse mesmo Espírito, que é o nosso Deus vivente.
    – Conclusão: a Bíblia também chama a Cristo de “o Espírito”.

    – Dessa forma, Heb. 9:14 repete essa expressão: “ muito mais o sangue de Cristo, que, pelo Espírito eterno, a si mesmo se ofereceu sem mácula a Deus, purificará a nossa consciência de obras mortas, para servirmos ao Deus vivo!” (Hebreus 9:14 RA)

    – Veja o que o Comentário Bíblico Adventista diz sobre este texto:

    Mediante o Espírito eterno
    “O artigo não se encontra no texto grego, o qual sugere, ainda que não prove, que não se está falando do Espírito Santo, mas senão da natureza divina de Cristo, que é eterna. Enquanto ainda estava em Seu estado eterno, anterior a Sua vida terrena, Cristo Se ofereceu para dar Sua vida pelos seres humanos (Apoc. 13:8).”

    A tradução literal grega assim discorre: “… Cristo, o qual, por Espírito Eterno, …”. A preposição “pelo” resulta da junção de por + o, onde “por” é preposição, e “o” é artigo e o comentário diz que o artigo não se encontra no texto original. Desta forma, por essa tradução, a frase poderia subentender o verbo “ser”: “por (ser) Espírito Eterno”

    O próprio SDABC diz que esse texto deve ter mais a ver com a pré-existência de Cristo do que com o Espírito Santo-3ª Pessoa. No livro de Hebreus a tônica de Paulo é a excelência do Ministério Sacerdotal de Cristo no Santuário Celeste.

    Chegamos então aos CAPÍTULOS 2 e 3 DE APOCALISE (seria interessante ler os dois capítulos de uma só vez por inteiro. Aqui colocaremos só algumas partes.

    “1 ¶ A o anjo da igreja em Éfeso escreve: Estas coisas diz AQUELE que conserva na mão direita as sete estrelas e que anda no meio dos sete candeeiros de ouro: 2 Conheço as tuas obras,… 4 Tenho, porém, contra ti que abandonaste o teu primeiro amor. … e, se não, venho a ti e moverei do seu lugar o teu candeeiro, caso não te arrependas. …. 7 Quem tem ouvidos, ouça o que O ESPÍRITO diz às igrejas: Ao vencedor, dar-lhe-ei que se alimente da árvore da vida que se encontra no paraíso de Deus.
    – Vemos aqui que o Espírito que está falando é O mesmo que tem as sete estrelas, que de acordo com o cap. 1º, é Jesus.

    – A carta à igreja de Esmirna demonstra este fato com mais clareza:
    8 ¶ Ao anjo da igreja em Esmirna escreve: Estas coisas diz o primeiro e o último, QUE ESTEVE MORTO E TORNOU A VIVER: 9 Conheço a tua tribulação, …. Sê fiel até à morte, e dar-te-ei a coroa da vida. 11 Quem tem ouvidos, ouça o que O ESPÍRITO diz às igrejas: O vencedor de nenhum modo sofrerá dano da segunda morte.
    12 ¶ Ao anjo da igreja em Pérgamo escreve: Estas coisas diz aquele que tem a espada afiada de dois gumes: 13 Conheço o lugar em que habitas, … 16 Portanto, arrepende-te; e, se não, venho a ti sem demora e contra eles pelejarei com a espada da minha boca. 17 Quem tem ouvidos, ouça o que O ESPÍRITO diz às igrejas: Ao vencedor, dar-lhe-ei do maná escondido, bem como lhe darei uma pedrinha branca, e sobre essa pedrinha escrito um nome novo, o qual ninguém conhece, exceto aquele que o recebe.
    18 ¶ Ao anjo da igreja em Tiatira escreve: Estas coisas diz O FILHO DE DEUS, que tem os olhos como chama de fogo e os pés semelhantes ao bronze polido: 19 Conheço as tuas obras, … 25 tão-somente conservai o que tendes, até que eu venha. 26 Ao vencedor, que guardar até ao fim as minhas obras, eu lhe darei autoridade sobre as nações, … 28 assim como também eu recebi de meu Pai, dar-lhe-ei ainda a estrela da manhã. 29 Quem tem ouvidos, ouça o que O ESPÍRITO diz às igrejas.” (Apocalipse 2:1-29 RA)
    – E assim por diante. Jesus é o Espírito que fala às igrejas.

    – Veja este outro texto:
    – Pois assim está escrito: O primeiro homem, Adão, foi feito alma vivente. O último Adão, porém, é espírito vivificante. (1 Coríntios 15:45 RA)

    – E é assim que o apóstolo Paulo nestes textos em Romanos ora fala do Espírito do Pai, ora do Filho:

    4 a fim de que o preceito da lei se cumprisse em nós, que não andamos segundo a carne, mas segundo o Espírito. 5 Porque os que se inclinam para a carne cogitam das coisas da carne; mas os que se inclinam para o Espírito, das coisas do Espírito. 6 Porque o pendor da carne dá para a morte, mas o do Espírito, para a vida e paz. 7 Por isso, o pendor da carne é inimizade contra Deus, pois não está sujeito à lei de Deus, nem mesmo pode estar. 8 Portanto, os que estão na carne não podem agradar a Deus. 9 Vós, porém, não estais na carne, mas no Espírito, se, de fato, o Espírito de Deus habita em vós. E, se alguém não tem o Espírito de Cristo, esse tal não é dele. 10 ¶ Se, porém, Cristo está em vós, o corpo, na verdade, está morto por causa do pecado, mas o espírito é vida, por causa da justiça. 11 Se habita em vós o Espírito daquele que ressuscitou a Jesus dentre os mortos, esse mesmo que ressuscitou a Cristo Jesus dentre os mortos vivificará também o vosso corpo mortal, por meio do seu Espírito, que em vós habita. … 13 Porque, se viverdes segundo a carne, caminhais para a morte; mas, se, pelo Espírito, mortificardes os feitos do corpo, certamente, vivereis. 14 Pois todos os que são guiados pelo Espírito de Deus são filhos de Deus. 15 Porque não recebestes o espírito de escravidão, para viverdes, outra vez, atemorizados, mas recebestes o espírito de adoção, baseados no qual clamamos: Aba, Pai. 16 O próprio Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus. 17 ¶ Ora, se somos filhos, somos também herdeiros, herdeiros de Deus e co-herdeiros com Cristo; se com ele sofremos, também com ele seremos glorificados. (Romanos 8:4-11, 13-17 RA)

    – Esse Espírito que testifica com o nosso espírito é Jesus, de acordo com:
    ““4 vindo, porém, a plenitude do tempo, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei, 5 para resgatar os que estavam sob a lei, a fim de que recebêssemos a adoção de filhos. E, porque vós sois filhos, enviou Deus ao nosso coração o Espírito de seu Filho, que clama: Aba, Pai! 7 De sorte que já não és escravo, porém filho; e, sendo filho, também herdeiro por Deus.” (Gálatas 4:4-7 RA).
    – É Jesus que chama a Deus de Pai, em Seu ministério em nosso favor.
    – Vemos aí a obra de intercessão que Ele realiza, daí que o Espírito do texto a seguir também é Jesus:
    26 ¶ Também o Espírito, semelhantemente, nos assiste em nossa fraqueza; porque não sabemos orar como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós sobremaneira, com gemidos inexprimíveis. 27 E aquele que sonda os corações sabe qual é a mente do Espírito, porque segundo a vontade de Deus é que ele intercede pelos santos. (Romanos 8:26-27 RA)

    14 ¶ Por esta causa, me ponho de joelhos diante do Pai, 15 de quem toma o nome toda família, tanto no céu como sobre a terra, 16 para que, segundo a riqueza da sua glória, vos conceda que sejais fortalecidos com poder, mediante o seu Espírito no homem interior; 17 e, assim, habite Cristo no vosso coração, pela fé, estando vós arraigados e alicerçados em amor, 18 a fim de poderdes compreender, com todos os santos, qual é a largura, e o comprimento, e a altura, e a profundidade 19 e conhecer o amor de Cristo, que excede todo entendimento, para que sejais tomados de toda a plenitude de Deus. (Efésios 3:14-19 RA)
    “Cristo, porém, como Filho, em sua casa; a qual casa somos nós, se guardarmos firme, até ao fim, a ousadia e a exultação da esperança.” (Hebreus 3:6 RA)

    – E agora vou repetir o texto do qual já fiz uma pergunta inicialmente:
    “mas, como está escrito: Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coração humano o que Deus tem preparado para aqueles que o amam. 10 Mas Deus no-lo revelou pelo Espírito; porque o Espírito a todas as coisas perscruta, até mesmo as profundezas de Deus. 11 Porque qual dos homens sabe as coisas do homem, senão o seu próprio espírito, que nele está? Assim, também as coisas de Deus, ninguém as conhece, senão o Espírito de Deus. 12 Ora, nós não temos recebido o espírito do mundo, e sim o Espírito que vem de Deus, para que conheçamos o que por Deus nos foi dado gratuitamente. 13 Disto também falamos, não em palavras ensinadas pela sabedoria humana, mas ensinadas pelo Espírito, conferindo coisas espirituais com espirituais. 14 Ora, o homem natural não aceita as coisas do Espírito de Deus, porque lhe são loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente. 15 Porém o homem espiritual julga todas as coisas, mas ele mesmo não é julgado por ninguém. 16 Pois quem conheceu a mente do Senhor, que o possa instruir? Nós, porém, temos a mente de Cristo.” (1 Coríntios 2:9-16 RA)
    – Mente de Cristo, Mente do Espírito, Espírito de Deus. A revelação máxima de Deus é por intermédio de Cristo. Estes textos podem estar falando do próprio Espírito de Deus ou de Jesus, o Espírito Eterno, por quem Deus Se revelou a nós.

    “Mas aquele que se une ao Senhor é um espírito com ele.” (1 Coríntios 6:17 RA)
    “para o que também vos chamou mediante o nosso evangelho, para alcançardes a glória de nosso Senhor Jesus Cristo.” (2 Ts 2:14 RA)
    – Lembrem-se de que Jesus reflete a glória do Pai.

    “Porque nos temos tornado participantes de Cristo, se, de fato, guardarmos firme, até ao fim, a confiança que, desde o princípio, tivemos.” (Hebreus 3:14 RA)
    “É impossível, pois, que aqueles que uma vez foram iluminados, e provaram o dom celestial, e se tornaram participantes do Espírito Santo, e provaram a boa palavra de Deus e os poderes do mundo vindouro, “ e caíram, sim, é impossível outra vez renová-los para arrependimento, visto que, de novo, estão crucificando para si mesmos o Filho de Deus e expondo-o à ignomínia.” (Hebreus 6:4-6 RA)

    – O cap. 12 de Coríntios diz que Deus opera tudo em todos(seria interessante ler todo o capítulo)::
    6 E há diversidade nas realizações, mas o mesmo Deus é quem opera tudo em todos. … 11 Mas um só e o mesmo Espírito realiza todas estas coisas, distribuindo-as, como lhe apraz, a cada um, individualmente… 28 A uns estabeleceu Deus na igreja, primeiramente, apóstolos; em segundo lugar, profetas; em terceiro lugar, mestres;…

    “ Aquele, pois, que vos concede o Espírito e que opera milagres entre vós, porventura, o faz pelas obras da lei ou pela pregação da fé?” (Gálatas 3:5 RA)
    – O que concede o Espírito é o mesmo que opera.
    – Atos 2:33, BJ: “Portanto, exaltado pela direita de Deus, Ele recebeu do Pai o Espírito Santo prometido e o derramou, e é isto o que vedes e ouvis.”

    – No livro de Efésios vemos quem é esse Espírito que concede os dons:
    “7 e a graça foi concedida a cada um de nós segundo a proporção do dom de Cristo. 8 Por isso, diz: Quando ele subiu às alturas, levou cativo o cativeiro e concedeu dons aos homens. 9 Ora, que quer dizer subiu, senão que também havia descido às regiões inferiores da terra? 10 Aquele que desceu é também o mesmo que subiu acima de todos os céus, para encher todas as coisas. 11 E ele mesmo concedeu uns para apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas e outros para pastores e mestres, 12 com vistas ao aperfeiçoamento dos santos para o desempenho do seu serviço, para a edificação do corpo de Cristo, 13 Até que todos cheguemos à unidade da fé e do pleno conhecimento do Filho de Deus, à perfeita varonilidade, à medida da estatura da plenitude de Cristo, 14 para que não mais sejamos como meninos, agitados de um lado para outro e levados ao redor por todo vento de doutrina, pela artimanha dos homens, pela astúcia com que induzem ao erro. 15 Mas, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo, 16 de quem todo o corpo, bem ajustado e consolidado pelo auxílio de toda junta, segundo a justa cooperação de cada parte, efetua o seu próprio aumento para a edificação de si mesmo em amor.” (Efésios 4:7-16 RA)

    Vemos aqui principalmente os textos em que a palavra “Espírito” está se referindo a Cristo.

  36. Eder Clóvis Soares disse:

    Para que possam entender o texto está todo traduzido logo abaixo de cada trecho ou parágrafo.

    Boa leitura,,

    Eder

    ======================================================

    THE CODE OF OUR LORD
    THE MOST SACRED EMPEROR JUSTINIAN.
    O CÓDIGO DE NOSSO SENHOR E MAIS SAGRADO IMPERADOR – JUSTINIANO
    SECOND EDITION.
    SEGUNDA EDIÇÃO
    BOOK 1.
    LIVRO 1
    ________________________________________
    TITLE 1.
    TÍTULO 1
    CONCERNING THE MOST EXALTED TRINITY AND THE
    CONCERNENTE À MAIS EXALTADA TRINDADE E
    CATHOLIC FAITH AND PROVIDING THAT NO ONE
    A FÉ CATÓLICA, E PROVANDO QUE NINGUÉM
    SHALL DARE TO PUBLICLY OPPOSE THEM.
    DEVERÁ SE AVENTURAR A SE OPOR PUBLICAMENTE A ELES.
    1. The Emperors Gratian, Valentinian, and Theodosius to the people of the City of Constantinople.
    1. Os imperadores Gratian, Valentinian, and Theodosius para o povo da cidade de Constantinopla
    We desire that all peoples subject to Our benign Empire shall live under the same religion that the Divine Peter, the Apostle, gave to the Romans, and which the said religion declares was introduced by himself, and which it is well known that the Pontiff Damascus, and Peter, Bishop of Alexandria, a man of apostolic sanctity, embraced; that is to say, in accordance with the rules of apostolic discipline and the evangelical doctrine, we should believe that the Father, Son, and Holy Spirit constitute a single Deity, endowed with equal majesty, and united in the Holy Trinity.
    Nós desejamos que todos os povos sujeitos ao nosso benigno império vivam sob a profissão da mesma religião que o Divino Pedro, o Apóstolo, deu aos Romanos, e ao que esta dita religião declara ter sido introduzida por ele mesmo, e que, como é bem sabido, o Pontífice Damascus, e Pedro, Bispo de Alexandria, um homem de santidade apostólica, abraçaram; que está, por assim dizer, em harmonia com as regras da disciplina apostólica e a doutrina evangélica, nós deveríamos crer que o Pai, Filho e Espírito Santo constituem-se uma única Deidade, dotada com igual majestade, e unida na Santa Trindade.
    (1) We order all those who follow this law to assume the name of Catholic Christians, and considering others as demented and insane, We order that they shall bear the infamy of heresy; and when the Divine vengeance which they merit has been appeased, they shall afterwards be punished in accordance with Our resentment, which we have acquired from the judgment of Heaven.
    (1) Nós ordenamos que todos os que seguem esta lei assumam o nome de Cristãos Católicos, e considerem os outros como dementes e insanos, Nós ordenamos que eles carreguem a infâmia da heresia; e quando a vingança Divina a qual eles merecem tiver sido apaziguada, eles serão então punidos de acordo com Nossa indignação, a qual adquirimos a partir do julgamento do Céu.
    Dated at Thessalonica, on the third of the Kalends of March, during the Consulate of Gratian, Consul for the fifth time, and Theodosius.
    Datada em Tessalônica, no dia terceiro de Março do calendário, durante o Conseloh de Gratin, Cônsul pela quinta vez, e Theodosius.
    2. The Same Emperors to Eutropius, Praetorian Prefect.
    2. Os mesmos imperadores para Eutropius, Prefeito Pretorial
    Let no place be afforded to heretics for the conduct of their ceremonies, and let no occasion be offered for them to display the insanity of their obstinate minds. Let all persons know that if any privilege has been fraudulently obtained by means of any rescript whatsoever, by persons of this kind, it will not be valid. Let all bodies of heretics be prevented from holding unlawful assemblies, and let the name of the only and the greatest God be celebrated everywhere, and let the observance of the Nicene Creed, recently transmitted to Our ancestors, and firmly established by the testimony and practice of Divine Religion, always remain secure.
    Não permita que seja cedido nenhum lugar para os heréticos realizarem suas cerimônias, e não permita que seja oferecida nenhuma ocasião para mostrar a insanidade de suas mentes obstinadas. Que todas as pessoas saibam que se qualquer privilégio tem sido fraudulentamente obtido por meio de qualquer decreto, de qualquer forma, por pessoas desta natureza, não seja válido. Que todos os grupos de heréticos sejam impedidos de realizarem cerimônias ilegais, e permita que somente o grande Deus seja celebrado em todos os lugares, e façam com que a observância do credo de Nicéia, recentemente transmitido aos Nossos ancestrais, e firmemente estabelecido pelo testemunho e prática da religião Divina, seja sempre assegurada.
    (1) Moreover, he who is an adherent of the Nicene Faith, and a true believer in the Catholic religion, should be understood to be one [pg. 10] who believes that Almighty God and Christ, the son of God, are one person, God of God, Light of Light; and let no one, by rejection, dishonor the Holy Spirit, whom we expect, and have received from the Supreme Parent of all things, in whom the sentiment of a pure and undefiled faith flourishes, as well as the belief in the undivided substance of a Holy Trinity, which true believers indicate by the Greek word These things, indeed do not require further proof, and should be respected.
    (1) Além do mais, aquele que é aderente à Fé de Nicéia, e verdadeiro crente na religião Católica, deve se entender ser o que crê que o Deus Todo poderoso e Cristo, e filho de Deus, são uma pessoa, Deus de Deus, Luz de luz; e que ninguém, por rejeição, desonre o Espírito Santo, o qual nós esperamos, e tem recebido do Supremo Pai de todas as coisas, no qual aflora o sentimento de uma fé pura e imaculada; bem como a crença na substância da Santa Trindade, a qual os verdadeiros crentes indicam pela palavra grega Estas coisas, de fato não requerem prova posterior, e devem ser respeitadas.
    (2) Let those who do not accept those doctrines cease to apply the name of true religion to their fraudulent belief; and let them be branded with their open crimes, and, having been removed from the threshhold of all churches, be utterly excluded from them, as We forbid all heretics to hold unlawful assemblies within cities. If, however, any seditious outbreak should be attempted, We order them to be driven outside the the walls of the City, with relentless violence, and We direct that all Catholic Churches, throughout the entire world, shall be placed under the control of the orthodox bishops who have embraced the Nicene Creed.
    Given at Constantinople, on the fourth of the ides of January, under the Consulate of Flavius Eucharius and Flavius Syagrius.
    (2) Que aqueles que não aceitam estas doutrinas deixem de aplicar o nome de verdadeira religião para sua crença fraudulenta; e que sejam taxados com seus crimes abertos, e, tendo sido removidos da comunhão de todas as igrejas, serem sumariamente excluídos delas, como Nós proibimos todos os hereges fazerem assembléias ilegais dentro das cidades. Se, entretanto, qualquer for esboçada qualquer insurreição sediciosa, Nós ordenamos que eles sejam conduzidos para fora dos muros da cidade, com implacável violência, e Nós ordenamos que todas as Igrejas Católicas, através de todo o mundo, sejam colocadas sob o controle dos bispos ortodoxos que abraçaram o credo de Nicéia.
    3. The Emperor Martian to Palladius, Praetorian Prefect.
    3. O Imperador Martian para Palladius, Prefeito Pretorial
    No one, whether he belongs to the clergy, the army, or to any other condition of men, shall, with a view to causing a tumult and giving occasion to treachery, attempt to discuss the Christian religion publicly in the presence of an assembled and listening crowd; for he commits an injury against the most reverend Synod who publicly contradicts what has once been decided and properly established; as those matters relative to the Christian faith have been settled by the priests who met at Chalcedony by Our order, and are known to be in conformity with the apostolic explanations and conclusions of the three hundred and eight Holy Fathers assembled in Nicea, and the hundred and fifty who met in this Imperial City; for the violators of this law shall not go unpunished, because they not only oppose the true faith, but they also profane its venerated mysteries by engaging in contests of this kind with Jews and Pagans. Therefore, if any person who has ventured to publicly discuss religious matters is a member of the clergy, he shall be removed from his order; if he is a member of the army, he shall be degraded; and any others who are guilty of this offence, who are freemen, shall be banished from this most Sacred City, and shall be subjected to the punishment prescribed by law according to the power of the court; and if they are slaves, they shall undergo severest penalty.
    Given at Constantinople, on the eighth of the Ides of February, under the consulship of Patricius.
    Ninguém, seja pertencente ao clero, exército, ou qualquer outra classe de homens, deverá, com o objetivo de causar um tumulto e dar ocasião para traição, tente discutir a religião Cristã publicamente na presença de uma multidão congregada e ouvinte; pois ele comete uma injúria contra o mais reverendo Sínodo que publicamente contradiz o que uma vez foi decidido e propriamente estabelecido; como estes assuntos relativos à fé Cristã têm sido estabelecidos pelos sacerdotes que se reuniram na Calcedônia por Nossa ordem, e é sabido estarem em conformidade com as explanações e conclusões apostólicas dos trezentos e oito Pais Santos congregados em Nicéia, e os cento e cinqüenta que se reuniram nesta Cidade Imperial; para que os violadores desta lei não fiquem impunes, porque eles não somente se opõem à verdadeira fé, mas também profanam seus venerados mistérios por envolverem-se em contendas desta natureza com Judeus e Pagãos. Portanto, se qualquer pessoa que se tenha aventurado publicamente discutir assuntos religiosos é membro do clero, ele deve ser removido de sua ordem; se é um membro do exército, deve ser rebaixado; e quaisquer outros que são culpados desta ofensa, que são homens livre, devem ser banidos desta Sacratíssima Cidade, e deve ser sujeito à punição prescrita por lei de acordo com o poder da corte; e se são escravos, devem suportar a pena mais severa.
    4. John, Bishop of the City of Rome, to his most Illustrious and Merciful Son Justinian.
    4. João, Bispo da Cidade de Roma, para o mais Ilustre e Misericordioso Filho Justiniano
    Among the conspicuous reasons for praising your wisdom and gentleness, Most Christian of Emperors, and one which radiates light [pg. 11]as a star, is the fact that through love of the Faith, and actuated by zeal for charity, you, learned in ecclesiastical discipline, have preserved reverence for the See of Rome, and have subjected all things to its authority, and have given it unity. The following precept was communicated to its founder, that is to say, the first of the Apostles, by the mouth of the Lord, namely: “Feed my lambs.”
    Entre as óbvias razões para louvar sua sabedoria e gentileza, o Maior Cristão dos Imperadores, que irradia luz como uma estrela, está o fato de que através do amor da Fé, e movido pelo zelo da caridade, você, tendo aprendido na disciplina eclesiástica, tem preservado a reverência pela Sé de Roma, e tem sujeito todas as coisas à sua autoridade, e tem dado a ela unidade. O preceito a seguir foi comunicado por seu fundador, ou seja, o primeiro dos Apóstolos, pela boca do Senhor, comissionado: “Alimenta minhas ovelhas”.
    This See is indeed the head of all churches, as the rules of the Fathers and the decrees of the Emperors assert, and the words of your most reverend piety testify. It is therefore claimed that what the Scriptures state, namely, “By Me Kings reign, and the Powers dispense justice;” will be accomplished in you. For there is nothing which shines with a more brilliant lustre than genuine faith when displayed by a prince, since there is nothing which prevents destruction as true religion does, for as both of them have reference to the Author of Life and Light, they disperse darkness and prevent apostasy. Wherefore, Most Glorious of Princes, the Divine Power is implored by the prayers of all to preserve your piety in this ardor for the Faith, in this devotion of your mind, and in this zeal for true religion, without failure, during your entire existence. For we believe that this is for the benefit of the Holy Churches, as it was written, “The king rules with his lips,” and again, “The heart of the King is in the hand of God, and it will incline to whatever side God wishes”; that is to say, that He may confirm your empire, and maintain your kingdoms for the peace of the Church and the unity of religion; guard their authority, and preserve him in that sublime tranquillity which is so grateful to him; and no small change is granted by the Divine Power through whose agency a divided church is not afflicted by any griefs or subject to any reproaches. For it is written, “A just king, who is upon his throne, has no reason to apprehend any misfortune.”
    Esta Sé é de fato a cabeça de todas as igrejas, como o regimento dos Pais e os decretos do Imperador asseveram, e as palavras de vossa mais reverendada piedade testificam. É portanto declarado que o que as Escrituras afirmam, denominando, “Por Mim os Reis reinam, e os Potentados executam justiça;” será cumprido em você. Porque não há nada que brilhe com mais brilhante brilho do que a fé genuína quando mostrada por um príncipe, uma vez que não há nada que evite a destruição como a genuína religião o faz, pois como ambos tem referência no Autor da Vida e da Luz, eles dispersam as trevas e previnem a apostasia. Por isso, Mais Glorioso dos Príncipes, o Poder Divino é implorado pelas orações de todos que preservam sua piedade neste ardor pela Fé, nesta devoção de sua mente, e neste zelo pela verdadeira religião, sem falha, durante toda sua existência. Pois nós cremos que isto é para o benefício das Santas Igrejas, como está escrito, “O rei governa com seus lábios”, e novamente, “O coração do Rei é a mão de Deus, e ele se inclinará para qualquer lado que Deus deseje”; quer dizer, que Ele irá confirmar Seu império, e manter seus reinos pela paz da Igreja e unidade da religião; guardar sua autoridade, e preserva-lo naquela sublime tranqüilidade a qual é tão grata a ele; e nenhuma pequena mudança é assegurada pelo Divino Poder através de cuja ação uma igreja dividida não é afligida por nenhum pranto ou sujeita a qualquer reprovação. Pois está escrito, “Um rei justo, que está sobre seu trono, não tem motivo para temer qualquer infortúnio.”
    We have received with all due respect the evidences of your serenity, through Hypatius and Demetrius, most holy men, my brothers and fellow-bishops, from whose statements we have learned that you have promulgated an Edict addressed to your faithful people, and dictated by your love of the Faith, for the purpose of overthrowing the designs of heretics, which is in accordance with the evangelical tenets, and which we have confirmed by our authority with the consent of our brethren and fellow bishops, for the reason that it is in conformity with the apostolic doctrine.
    Nós temos recebido com todo o devido respeito as evidências de sua serenidade, através de Hypatius e Demetrius, homens dos mais santos, meus irmãos e bispos, de cujas afirmações nós temos sabido que você tem promulgado um Edito endereçado ao seu povo fiel, e ditado por seu amor à Fé, para o propósito de subverter o desígnio dos hereges, o qual está em acordo com as doutrinas evangélicas, e o qual nós temos confirmado por nossa autoridade com o consentimento de nossos irmãos e bispos fiéis, pelo fato de que está em conformidade com a doutrina apostólica.
    The following is the text of the letter of the Emperor Justinian, Victorious, Pious, Happy, Renowned, Triumphant, always Augustus, to John, Patriarch, and most Holy Archbishop of the fair City of Rome:
    O seguinte é o texto da carta do Imperador Justiniano, Vitorioso, Pio, Feliz, Renomado, Triunfante, sempre Augusto, para João, Patriarca, e Santíssimo Arcebispo da bela Cidade de Rome:
    With honor to the Apostolic See, and to your Holiness, which is, and always has been remembered in Our prayers, both now and formerly, and honoring your happiness, as is proper in the case of one who is considered as a father, We hasten to bring to the knowledge of Your Holiness everything relating to the condition of the Church, as We have always had the greatest desire to preserve the unity of your Apostolic See, and the condition of the Holy Churches of God, as they [pg. 12] exist at the present time, that they may remain without disturbance or opposition. Therefore, We have exerted Ourselves to unite all the priests of the East and subject them to the See of Your Holiness, and hence the questions which have at present arisen, although they are manifest and free from doubt, and according to the doctrines of your Apostolic See, are constantly firmly observed and preached by all priests, We have still considered it necessary that they should be brought to the attention of Your Holiness. For we do not suffer anything which has reference to the state of the Church, even though what causes difficulty may be clear and free from doubt, to be discussed without being brought to the notice of Your Holiness, because you are the head of all the Holy Churches, for We shall exert Ourselves in every way (as has already been stated), to increase the honor and authority of your See.
    Com honra à Sé Apostólica, e para vossa Santidade, a qual é, e sempre tem sido lembrada em Nossas orações, agora e anteriormente, e honrando sua felicidade, como é próprio no caso de um que é considerado como pai, Nós apressamos o trazer para o conhecimento de Vossa Santidade tudo relativamente aa condição da Igreja, como Nós temos sempre tido o grande desejo de preservar a unidade da Sé Apostólica, e a condição das Santas Igrejas de Deus, como existem no tempo presente, para que elas possam permanecer sem distúrbio ou oposição. Portanto, Nós temos, Nós mesmos, nos aplicado para unir todos os sacerdotes do Leste e sujeita-los à Sé de Vossa Santidade, e desde então as questões que tem se levantado no presente, embora estejam claras e livres de dúvida, e em concordância com as doutrinas da Sé Apostólica, são continuamente observadas com firmeza e pregadas pelos sacerdotes, Nós, temos ainda considerado necessário de que elas devessem ser trazidas a atenção de Vossa Santidade. Pois não permitimos qualquer coisa que tenha referência com o estado da Igreja, mesmo embora o que cause dificuldade possa estar claro e livre de dúvida, para ser discutido sem ser trazido ao conhecimento de Vossa Santidade, porque és a cabeça de todas as Santas Igrejas, por isso Nós iremos aplicar-Nos de todas as formas (como já tem aqui sido afirmado), para aumentar a honra e autoridade de vossa Sé.
    ________________________________________
    [pg. 125]
    One Hundred and Thirty-First New Constitution.
    The Emperor Justinian to Peter, Most Glorious Imperial Praetorian Prefect.
    PREFACE.
    We enact the present law with reference to ecclesiastical rules and privileges and other subjects in which holy churches and religious establishments are intrusted.
    Chapter I.
    Concerning Four Holy Councils.
    Therefore We order that the sacred, ecclesiastical rules which were adopted and confirmed by the four Holy Councils, that is to say, that of the three hundred and eighteen bishops held at Nicea, that of the one hundred and fifty bishops held at Constantinople, the first one of Ephesus, where Nestorius was condemned, and the one assembled at Chalcedon, where Eutyches and Nestorius were anathematized, shall be considered as laws. We accept the dogmas of these four Councils as sacred writings, and observe their rules as legally effective.
    Chapter II.
    Concerning The Precedence of Partriarchs.
    Hence, in accordance with the provisions of these Councils, We order that the Most Holy Pope of ancient Rome shall hold the first rank of all the Pontiffs, but the Most Blessed Archbishop of Constantinople, or New Rome, shall occupy the second place after the Holy Apostolic See of ancient Rome, which shall take precedence over all other sees.
    ________________________________________
    Source: Corpus Juris Civilis (The Civil Law, the Code of Justinian), by S.P. Scott, A.M., published by the Central Trust Company, Cincinnati, copyright 1932, Volume 12 [of 17], pages 9-12, 125.
    ________________________________________

    http://www.aloha.net/~mikesch/

  37. Eder Clóvis Soares disse:

    Jesus, O Filho Literal de Deus

    “As Escrituras indicam claramente a relação entre Deus e Cristo, e elas trazem uma visão tão clara da personalidade e individualidade de cada um”. Testimonies for the Church Volume 8, Page 268.

    “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o Seu Filho Unigênito para que todo aquele que nEle crer, não pereça, mas tenha a vida eterna.” João 3:16.

    “Quem subiu ao céu e desceu? Quem encerrou os ventos nos seus punhos? Quem amarrou as águas na sua roupa? Quem estabeleceu as extremidades da terra? Qual é o seu nome, e qual é o nome de seu filho, se é que o sabes?” Provérbios 30:4.

    “O Senhor me possuía no início de sua obra, antes de suas obras mais antigas. Desde a eternidade fui estabelecida, desde o princípio, antes do começo da terra. Antes de haver abismos, eu nasci, e antes ainda de haver fontes carregadas de águas. Antes que os montes fossem firmados, antes de Haver outeiros, eu nasci”. Provérbios 8:22-25.

    “A Ele Deus exaltou com a sua destra para ser Príncipe e Salvador, para dar arrependimento a Israel, e perdão para os pecados. Uma oferta completa tinha sido feita; porque” Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito…”. Não um Filho pela criação, como eram os anjos, nem um filho por adoção, como o pecador perdoado, mas um Filho nascido à imagem e expressão da pessoa do Pai, e em todo o brilho de sua majestade e glória, um igual a Deus em autoridade, dignidade, e divina perfeição. NEle habitava toda a completa Divindade fisicamente”.
    The Signs of the Times – 05-30-95

    “O eterno pai, Aquele que é imutável, deu seu único filho, nascido dEle, retirado do seu seio, aquele que foi feito a expressa imagem de sua pessoa e enviado a terra para revelar o quanto Ele amou a raça humana. Advent Review and Sabbath Herald – 07-09-95

    “Deus é o Pai de Cristo, Cristo é o filho de Deus. Para Cristo foi dada uma posição exaltada. Ele tinha sido feito igual com o Pai. Todos os conselhos de Deus são abertos para o Filho”.
    Testimonies for the Church Volume 8, Page 268.

    “Antes que a fundação do mundo fosse estabelecida, O único nascido de Deus ofereceu-se para tornar-se o redentor da raça humana, Adão iria pecar… na sua encarnação Ele ganhou de uma nova forma o titulo de filho de Deus, Disse o anjo a Maria” Descerá sobre ti o Espírito Santo, e a virtude do Altíssimo te cobrirá com a sua sombra; pelo que também o Santo, que de ti há de nascer, será chamado Filho de Deus “. (Lucas 1:35). Enquanto filho de um ser humano, Ele tornou-se O filho de Deus em uma nova maneira. Assim Ele esteve em nosso mundo – O filho de Deus, ainda que ligado pelo nascimento à raça humana”.
    Selected Messages Volume 1, Page 226 and 227.

    O Consolador é o próprio Jesus Cristo despido da personalidade humana.

    “E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, a fim de que esteja para sempre convosco, o Espírito da verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê, nem o conhece, vós o conheceis, porque ele habita convosco e estará em vós. Não vos deixarei, órfãos, voltarei para vós outros”.
    João 14:16-18.

    “Todavia, digo-vos a verdade, convém-vos que eu vá; pois se eu não for, o Consolador não virá a vós; mas, se eu for, vo-lo enviarei.” João 16: 7

    “Ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado. E eis que estou convosco todos os dias até a consumação do século”. Mateus 28:20.

    Impedido pela humanidade, Cristo não poderia estar em todos os lugares pessoalmente, então foi para vantagem deles (os discípulos) que Ele deveria deixá-los, ir para o Pai, ”e enviar o Espírito Santo para ser o Seu sucessor na terra. O Espírito Santo é Ele mesmo”, despido da personalidade da humanidade e independente dela. Ele Se representaria como estando presente em todos os lugares pelo Seu Espírito, como o Onipresente. “Mas o Consolador, o Espírito Santo, a quem o Pai enviará em meu nome [embora não seja visto por vós], [*ESSA FRASE FOI ADICIONADA POR ELLEN WHITE] esse vos ensinará todas as coisas e vos fará lembrar de tudo o que vos tenho dito” [João 14:26]. “Mas eu vos digo a verdade; convém-vos que eu vá, porque, se eu não for, o Consolador não virá para vós outros; se, porém, eu for, eu vo-lo enviarei” [João 16:7].
    Manuscript Releases Volume Fourteen, Page 23 and 24.

    “O Espírito Santo é o representante de Cristo, mas despojado da personalidade humana, e dela independente. Limitado pela humanidade, Cristo não poderia estar em toda parte em pessoa. Era, portanto, do interesse deles que fosse para o Pai, e enviasse o Espírito como Seu sucessor na Terra. Ninguém poderia ter então vantagem devido a sua situação ou seu contato pessoal com Cristo. Pelo Espírito, o Salvador seria acessível a todos. Nesse sentido, estaria mais perto deles do que se não subisse ao alto.”
    O Desejado de Todas as Nações, pág. 669.

    “Quando Ele ressurgisse do sepulcro, a tristeza deles se converteria em alegria. Depois de Sua ascensão devia estar pessoalmente ausente; mas por meio do Consolador, achar-Se-ia ainda com eles, e não deviam passar o tempo em lamentações. Isso era o que Satanás queria. Desejava que dessem ao mundo a impressão de haver sido iludidos e decepcionados; mas deviam, pela fé, contemplar o santuário em cima, onde Jesus estava ministrando em favor deles; deviam abrir o coração ao Espírito Santo, Seu representante, e regozijar-se na luz de Sua presença.”
    O Desejado de Todas as Nações, pág. 277.

    “Jesus está esperando para soprar o fôlego em todos seus discípulos, e lhes dá a inspiração do seu santificado espírito, e transfundir a sua influência vital para o seu povo. Ele os faz entender que eles não podem servir a dois mestres daqui por diante. As suas vidas não podem ser divididas. Cristo vive dentro de seus agentes humanos, e trabalha através de suas faculdades, e age pelas capacidades que eles tem. Às suas vontades devem ser submetidas à vontade de Cristo, eles têm de agir com o espírito de Cristo, não devem ser mais eles quem vive, mas Cristo é quem deve viver neles. Jesus está buscando impressionar neles o pensamento que dando ”o seu Espírito Santo” Ele está dando a eles a glória que o Pai lhe deu, para que Ele e o seu povo possam ser um em Deus. Nosso modo e vontade devem estar em submissão à vontade de Deus, enquanto sabendo que ele é santo, justo, e bom”. The Signs of the Times – 10-03-92

    “Aquele que consagra a alma, corpo, e espírito a Deus, constantemente estará recebendo um novo dom de poder físico e mental. Os suprimentos inesgotáveis do céu estão ao comando deles. Cristo lhes dá o sopro do ”seu próprio espírito”, vida de sua própria vida. O Espírito Santo põem as suas energias mais altas para trabalhar no coração e na mente. A graça de Deus aumenta e multiplica as faculdades deles, e toda perfeição da natureza divina vem para ajuda-los no trabalho de salvar almas”.
    Desire of The Ages – Page 827

    “Cristo declarou que, depois de sua ascensão, Ele enviaria para sua igreja como presente de seu coroamento, o Consolador, que ia tomar seu lugar. Este Consolador é o Espírito Santo a alma da sua vida, a eficácia de sua igreja, a luz e vida do mundo. Com o seu Espírito, Cristo envia uma influência reconciliadora e poder para retirar o pecado”
    This Day with God – Page 257

    “E havendo dito isto, assoprou sobre eles e disse-lhes: Recebei o Espírito Santo. Aqueles a quem perdoardes os pecados lhes são perdoados; e aqueles a quem retiverdes lhes são retidos.” João 20:22 e 23. O Espírito Santo não Se manifestara ainda plenamente; pois Cristo ainda não fora glorificado. A mais abundante comunicação do Espírito não se verificou senão depois da ascensão de Cristo. Enquanto não houvesse sido recebido, os discípulos não podiam cumprir a missão de pregar o evangelho ao mundo. Mas o Espírito foi agora dado para um fim especial. Antes de os discípulos poderem cumprir seus deveres oficiais em relação com a igreja, ”Cristo soprou sobre eles Seu Espírito”. Estava-lhes confiando um santíssimo legado, e desejava impressioná-los com o fato de que, sem o Espírito Santo, não se podia realizar esta obra.
    ”O Espírito Santo é o sopro da vida espiritual na alma.” ”A comunicação do Espírito é a transmissão da vida de Cristo. Reveste o que O recebe com os atributos de Cristo.” Unicamente os que são assim ensinados por Deus, os que possuem a operação interior do Espírito, e em cuja vida se manifesta a vida de Cristo, devem-se colocar como homens representativos, para servir em favor da igreja.
    O Desejado de Todas as Nações Pág. 805 – Capítulo “Paz seja Convosco”

    O Espirito é o mais alto dos Dons de Deus, e poder

    “Regozijava-Se Ele pelas abundantes medidas que providenciara para auxílio de Sua igreja. O Espírito Santo era o mais alto dos dons que Ele podia solicitar do Pai para exaltação de Seu povo. Ia ser dado como agente de regeneração, sem o qual o sacrifício de Cristo de nenhum proveito teria sido. O poder do mal se estivera fortalecendo por séculos, e alarmante era a submissão dos homens a esse cativeiro satânico…
    Por Ele torna-se o crente participante da natureza divina. Cristo deu Seu Espírito como um poder divino para vencer toda tendência hereditária e cultivada para o mal, e gravar Seu próprio caráter em Sua igreja.”
    O Desejado de Todas as Nações, pág. 671.

    “Cristo prometeu o dom do Espírito Santo a Sua igreja”, e essa promessa nos pertence, da mesma maneira que aos primeiros discípulos… Não podemos usar o Espírito Santo. Ele é que deve servir-Se de nós. Mediante o Espírito opera Deus em Seu povo “tanto o querer como o efetuar, segundo a Sua boa vontade”. Filip. 2:13. Mas muitos não se submeterão a isto. Querem-se dirigir a si mesmos. É por isso que não recebem “o celeste dom”. Unicamente aos que esperam humildemente em Deus, que estão atentos à Sua guia e graça, é concedido o Espírito. “O poder de Deus aguarda que O peçam e O recebam.”
    O Desejado de Todas as Nações, pág. 672.

    “Estes discípulos se prepararam para a obra. Antes do dia de Pentecoste se reuniram e tiraram dentre eles todas as desinteligências. Estavam de um mesmo sentimento. ”Acreditavam na promessa de Cristo, de que a bênção seria dada”, e oravam com fé. Não pediam a bênção apenas para si; estavam preocupados com a responsabilidade quanto à salvação de almas. O evangelho devia ser levado até aos confins da Terra, e eles reclamavam ”a doação do poder” que Cristo prometera. Foi então que o Espírito Santo foi derramado, e milhares se converteram num dia.”
    O Desejado de Todas as Nações Pág. 827 – Capítulo “Ensinai a Todas as Nações”

    O Espirito Santo no Batismo de Jesus

    “Ao sair da água, Jesus Se inclinou em oração à margem do rio. Nova e importante fase abria-se diante dEle. Entrava agora, em mais amplo círculo, no conflito de Sua vida. Conquanto fosse o Príncipe da Paz, Sua vida devia ser como o desembainhar de uma espada. O reino que viera estabelecer, era oposto daquilo que os judeus desejavam…”
    O Desejado de Todas as Nações Pág. 111 – Capítulo “O Batismo”

    “Nunca dantes os anjos ouviram tal oração. Anseiam trazer a Seu amado Capitão uma mensagem de certeza e conforto. Mas não; “o próprio Pai responderá à petição do Filho. Diretamente do trono são enviados os raios de Sua glória. Abrem-se os céus, e sobre a cabeça do Salvador desce a forma de uma pomba da mais pura luz – fiel emblema dEle, o Manso e Humilde.”
    Dentre a multidão à beira do Jordão, poucos, além do Batista, divisaram essa visão celeste. Entretanto, a solenidade da divina presença repousou sobre a assembléia. O povo ficou silencioso, a contemplar a Cristo. Seu vulto achava-se banhado pela luz que circunda sem cessar o trono de Deus. Seu rosto erguido estava glorificado como nunca dantes tinham visto um rosto de homem. Dos céus abertos, ouviu-se uma voz, dizendo: “Este é o Meu Filho amado, em quem Me comprazo”. Mat. 3:17.”
    O Desejado de Todas as Nações Pág. 112 – Capítulo “O Batismo”

    O Espirito Santo Verdadeiro e o Falso

    “Vi um trono, e assentados nele estavam o Pai e o Filho. Contemplei o semblante de Jesus e admirei Sua adorável pessoa. Não pude contemplar a pessoa do Pai, pois uma nuvem de gloriosa luz O cobria. Perguntei a Jesus se Seu Pai tinha a mesma aparência que Ele. Jesus disse que sim, mas eu não poderia contemplá-Lo, pois disse: “Se uma vez contemplares a glória de Sua pessoa, deixarás de existir.” Perante o trono vi o povo do advento – a igreja e o mundo. “Vi dois grupos, um curvado perante o trono, profundamente interessado, enquanto outro permanecia indiferente e descuidado. Os que estavam dobrados perante o trono ofereciam suas orações e olhavam para Jesus; então Jesus olhava para Seu Pai, e parecia estar pleiteando com Ele.” “Pág. 55

    “”Uma luz ia do Pai para o Filho e do Filho para o grupo em oração.” Vi então uma luz excessivamente brilhante que vinha do Pai para o Filho e do Filho ela se irradiava sobre o povo perante o trono. Mas poucos recebiam esta grande luz. Muitos saíam de sob ela e imediatamente resistiam-na; outros eram descuidados e não estimavam a luz, e esta se afastava deles. Alguns apreciavam-na, e iam e se curvavam com o pequeno grupo em oração. Todo este grupo recebia a luz e se regozijava com ela, e seu semblante brilhava com glória.”
    Vi o Pai erguer-Se do trono e num flamejante carro entrar no santo dos santos para dentro do véu, e assentar-Se. Então Jesus Se levantou do trono e a maior parte dos que estavam curvados ergueram-se com Ele. Não vi um raio de luz sequer passar de Jesus para a multidão descuidada depois que Ele Se levantou, e eles foram deixados em completas trevas. Os que se levantaram quando Jesus o fez, conservavam os olhos fixos nEle ao deixar Ele o trono e levá-los para fora a uma pequena distância. Então Ele ergueu o Seu braço direito, e ouvimo-Lo dizer com Sua amorável voz: “Esperai aqui; vou a Meu Pai para receber o reino; guardai os vossos vestidos sem mancha, e em breve voltarei das bodas e vos receberei para Mim mesmo.” Então um carro de nuvens, com rodas como flama de fogo, circundado por anjos, veio para onde estava Jesus. Ele entrou no carro e foi levado para o santíssimo, onde o Pai Se assentava. Então contemplei a Jesus, o grande Sumo Sacerdote, de pé perante o Pai. Na extremidade inferior de Suas vestes havia uma campainha e uma romã, uma campainha e uma romã. Os que se levantaram com Jesus enviavam sua fé a Ele no santíssimo, e oravam: “Meu Pai, dá-nos o Teu Espírito.” ”Então Jesus assoprava sobre eles o Espírito Santo.” Neste sopro havia luz, poder e muito amor, alegria e paz.”

    “Voltei-me para ver o grupo que estava ainda curvado perante o trono; eles não sabiam que Jesus o havia deixado. Satanás parecia estar junto ao trono, procurando conduzir a obra de Deus. Vi-os erguer os olhos para o trono e orar: “Pai, dá-nos o Teu Espírito.” Satanás inspirava-lhes uma influência má; ”nela havia luz e muito poder, mas não suave amor, alegria e paz”. O objetivo de Satanás era mantê-los enganados e atrair de novo e enganar os filhos de Deus.
    Primeiros Escritos Pág. 54-56 – Capitulo “Fim dos 2300 Dias”

  38. Eder Clóvis Soares disse:

    http://www.facebook.com/groups/117816711687575/
    Neal C. Wilson: Apoyando la Trinidad tal como su hijo y actual presidente de la CIASD.

    El esfuerzo por defender la doctrina de la trinidad llegó más tarde, cuando los primeros casos comenzaron a aparecer en la resistencia conservadora. Más tarde, aunque muchos se han dado cuenta del error, se vieron obligados por las circunstancias a su defensa.

    A partir de 1980, por orden de la División de América del Sur, empezó a disciplinar a todos los miembros que se declaraban en contra de la doctrina de la Trinidad, por lo que sólo promueven reuniones de origen para estudiar el tema. Decenas de adventistas fueron expulsados de la iglesia en el sur de Bahía y Fortaleza. Recientemente, docenas de adventistas han sido expulsados en Brasilia, Nueva York, Sao Paulo y otras ciudades de Brasil.

    Miembros de la Iglesia se cortan sin derecho a defenderse, y los pastores violan el derecho constitucional de los ciudadanos a celebrar reuniones, sin sufrir ningún tipo de coacción.

    En los Estados Unidos, la política hacia los oponentes de la doctrina de la Trinidad es bastante suave y tolerante, porque ningún ministro se atrevería a hacer frente a las leyes de los “derechos civiles”, a menudo pasados por alto en Brasil.

    Y lo más desconcertante de todo esto, es el hecho de que vemos que varios miembros están siendo retirados de la comunidad de iglesias adventistas porque creen exactamente como el establecimiento de aquellos que fundaron y establecieron.

    Por ejemplo, Uriah Smith, dijo:

    “Pero con respecto a la del Espíritu, la Biblia usa expresiones que no pueden conciliarse con la idea de que una persona es igual al Padre y al Hijo. A diferencia demuestra que es una influencia divina de ambos, el medio por el que están representados y que se manifiesta el poder en todo el universo, cuando no se presente personalmente”.

    Uriah Smith, “En la cuestión Presidente,” Review and Herald, LXVII (28/10/1890) 664.

    En la actualidad, si un miembro dice que esto se llevará a cabo, tendrán sus puestos retirado, su nombre será llevado a la junta de la iglesia, y no retractarse, finalmente será removida de la membresía en la iglesia (por lo general sin ningún tipo de derecho de defensa ante la iglesia).

  39. Júlio César disse:

    pelo que pude ver dos comentarios resumindo tudo Deus enviou alguém semelhante a ELE mas totalmente inferior a ELE (desculpe a redundancia) pra mim salvar ou melhor nos salvar é isso mesmo? não agravando a todos comi dizia minha mãe.

  40. REGIANE disse:

    olá Bom Dia !!
    e a paz De Jesus Cristo!
    esta questão de trindade realmente é complicado!
    o nome Trindade” é pagã , veio lá da igreja de roma , não podemos chamar Deus de tal coisa .
    tudo herdado do paganismo devemos considerar ,anátema!!
    agora , não devemos fechar os olhos p/ a verdade. as escrituras é clara em afirmar que
    Deus e Jesus são pessoas distintas .Jesus declara que ninguém sabe o dia que irá voltar, nem os anjos , nem o FILHO. somente Deus.
    por que Jesus não sabe?
    por que Jesus orava ao PAI?
    por que o titulo filho de Deus ?
    por que Jesus é o mediador entre Deus e os homens?
    por que temos que pedir em nome de Jesus p/ chegar ao pai?
    e tantas e tantas outras perguntas……….que passaria o dia todo!!!
    a questão é , não devemos mexer e brincar com a santidade e divindade de DEUS .
    ele está acima de tudo isso, sonda nossas mentes, está aqui, ali , afora , pode ser varias pessoas .ele tem poder para isso.basta querer.!!
    vamos adorar a Deus , amar a sua palavra e vivenciar seus preceitos e ensinamentos.
    shalom!!!
    Jesus vive!!!!

  41. Flavio Bispo da Silva disse:

    tambem nao sou trinitariano , e achei interessante as respostas dadas pelo sr eder clovis , é uma analise das escrituras , ele segui bem a regra , deixar que as escrituras se interpretem por si . essa doutrina só tem trazido divergencia entre os professos cristaos , veja o cenario protestante com suas milhares de igrejas(seitas) , e fiquie abismado de saber que os primeiros adventista nao criam na trindade logo na era de egw que era profetisa , e agora seus lideres dizem quese deve crer na trindade isso é um absurdo

Deixe seu comentário. Tudo o que pedimos é que se mantenha uma cultura de respeito. Isto significa não fazer ataques pessoais, não usar palavrões, e por favor manter o diálogo sobre o tema postado.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s