Deus faz as pessoas pecarem? Êxodo 7:3

Se Deus foi o culpado pelo “endurecimento do coração de faraó”, Ele se tornou o responsável pelo pecado e, portanto, o diabo pode se desculpar para não enfrentar o juízo.

Êxodo 7:3 pode ser entendido com duas informações:

1) Uma bíblica

2) Outra cultural.

A informação bíblica vem de Êxodo 7:13, 8:19, 9:7, 34, 13:15. Esses textos afirmam que faraó se endureceu.

A informação cultural que nos ajuda na interpretação é de que os hebreus, por não fazerem uma separação entre o que Deus fazia (o bem) e não fazia (o mal), apresentavam a Deus como o responsável por tudo o que acontecia no mundo. Era comum eles apresentarem a Deus “fazendo coisas que, na verdade, Ele não impede de acontecerem”.

Unindo as duas informações, podemos concluir que em Êxodo 7:3, quando a Bíblia afirma que “Deus endureceu o coração de faraó”, Moisés usa um idiomatismo hebraico. É simplesmente uma maneira hebraica de dizer que Deus permitiu que faraó se endurecesse.

O endurecimento de Deus nunca é direto, mas, indireto. E isso, não por culpa dEle. Quando o Espírito atua no coração, a pessoa pode aceitar ou ficar mais endurecida ainda. Nesse sentido, indiretamente Deus pode endurecer o coração de alguém. Porém, a culpa não é de Deus, mas, do pecador que se rebela contra a Palavra dEle e se torna ainda mais endurecido.

O desejo de Deus é sempre que o pecador – por mais perverso que seja – se arrependa e tenha a vida eterna:

“Acaso, tenho eu prazer na morte do perverso? — diz o SENHOR Deus; não desejo eu, antes, que ele se converta dos seus caminhos e viva? Porque não tenho prazer na morte de ninguém, diz o SENHOR Deus. Portanto, convertei-vos e vivei.” (Ez 18:23, 32).

[Veja a incoerência do calvinismo: Deus “endurece” alguém e, ao mesmo tempo, pede para a pessoa se converter! Como alguém pode acreditar numa coisa dessas?]

Deus atua no coração, mas, sem forçar (Ap 3:20). Por isso, a Bíblia diz que a salvação é dada “a quem quiser” (Ap 22:17). Isso é possível por que, de acordo com Gênesis 3:15, Deus colocou uma inimizade entre o ser humano e satanás, de modo que, apesar de estarmos totalmente depravados (Rm 3), pela graça de Deus podemos exercer as nossas escolhas (Js 24:15).

Os que creem na predestinação determinista usam Êxodo 7:3 (entre outros textos) e reinterpretam estes versículos supracitados (que são claros) para ensinar que Deus, através de Sua predestinação, exclui alguns da vida eterna.

Através de um breve estudo do texto, contextualizando-o (1) com todas as declarações bíblicas sobre a atitude rebelde de faraó e (2) com os demais textos bíblicos que mostram ser desejo de Deus que cada pecador se converta, não restam dúvidas de que o determinismo é insustentável.

Os filhos de Deus não podem aceitar uma doutrina (predestinação determinista) que denigre o caráter de Deus e é totalmente contrária a todo o plano de salvação que oferece a cada pecador a oportunidade de ser salvo, caso aceite a Jesus Cristo como Salvador e Senhor (Jo 3:16; 3:36; Rm 10:9).

Graças a Deus há muitos calvinistas sinceros que têm abandonado tal heresia e encontrado o verdadeiro significado do evangelho!

Leandro Quadros

Sobre Blog Sétimo Dia

“SOLO CHRISTO”, “SOLA GRATIA”, “SOLA FIDE”, “SOLA SCRIPTURA” (salvação somente em Cristo, somente devido à graça de Deus, somente pela instrumentalidade da fé, somente com base na Escritura)
Esse post foi publicado em Predestinação - Livre Arbítrio e Temas Relacionados e marcado , . Guardar link permanente.

14 respostas para Deus faz as pessoas pecarem? Êxodo 7:3

  1. W. Frank disse:

    Acho que poderemos entender a citação “Deus endureceu o coração de faraó” da seguinte maneira : o faraó estava pecando reinteradas vezes contra o povo de Deus e contra Deus. Quando fazemos isso, estamos aos poucos rejeitando a orientação que o Espírito Santo nos dá, pois Ele nos convence do pecado. Agindo desta forma estamos “entristecendo o Espírito”, como Paulo disse. E quando isso acontece cometemos o pecado contra o E.S., que não tem perdão. Então, o E.S. se retira ficanddo assim a pessoa com o coração endurecido. Bom dia a todos!!!

  2. Rodrigo disse:

    E sobre Romanos 9:17,18 Paulo diz no verso 17 sobre farao e depois faz a analogia com o coracao endurecido de farao. Dando a entender que foi Deus quem endureceu. como explicar isso ? abraco

  3. W. Frank disse:

    Se o E.S. se retira é porque foi entristecido. O que está en questão aqui, em meu ponto de vista, não é QUEM é o causador de tal fato mas OQUE que originou o fato. O pecado quando praticado de forma reinterada e consciente faz com que o E.S. se retire, fechando assim a ‘porta da graça’ para aquela pessoa.

  4. Luis Chacon disse:

    Lí, re-lí o texto, versículos antes e depois, tentei ter o contexto, mas realmente este texto é um dos mais difíceis, a única explicação que me passa é a de que Moisés realmente usa um idiomatismo hebraico. O problema ai nem tanto é isso, o problema que os ateus amam usar esses textos para dizer: “e agora? me explica ai”. Você explica e eles não aceitam. Abraço

  5. Não entendo porque se alguém crer na completa soberania divina tem que ser herege. Também não entendo da necessidade de tantos cristãos de terem que entender o Criador. Será que estas pessoas não leram o livro de Jó? Não leram do incrível diálogo entre um ser criado (que não conseguia ver suas falhas) e do Criador que num tom irritado (falo aqui em linguagem humana porque não creio que Deus realmente se irrite tal qual entendemos) basicamente lhe disse: Quem é você pra questionar meus atos e intenções? Onde você estava quando criei isso e aquilo e mais aquilo… etc.

    Pode uma ameba entender a complexidade que é enviar uma sonda espacial a marte? Assim somos nós quando demostramos a audácia de entender, justificar e explicar porque Deus fez e faz certas coisas. O endurecimento do coração de Faraó é uma delas. A própria experiencia de Jó é outra.

    Quando se trata do nosso caminhar nessa terra a bíblia está muito mais para mapa do que manual de uso.

  6. Rodrigo disse:

    e quando vc fala que e um idiomatismo hebraico e o carinha vem com romanos 9:17,18 ?

  7. Rodrigo: Nesse caso o “carinha” tem o que está escrito enquanto você tem que refutar com mais explicações. Tentar rebater um calvinista quanto a soberania divina é como um guardador de domingo tentar convencer um adventista que Deus mudou o 4o mandamento. Um tem argumentos, fatores históricos e culturais e alguns versículos de relevância forçada. O outro possui simplesmente o que está na bíblia. Não é uma discussão justa.

  8. O problema que muitos cristãos sinceros tem em relação à doutrina da predestinação tem a ver com o fato de tentarem aplicar ao Criador os limites da criatura. A ou B mas não os dois. Ou livre arbítrio ou predestinação mas os dois ao mesmo tempo é algo impossível, até mesmo para Deus. Como o texto acima afirma:

    “Veja a incoerência do calvinismo: Deus ‘endurece’ alguém e, ao mesmo tempo, pede para a pessoa se converter! Como alguém pode acreditar numa coisa dessas?”

    O escritor porem, ao certo não deve ver qualquer “incoerência” nos atributos divinos: um Deus que tem o conhecimento de tudo, portanto onisciente; um Deus que está em todos os lugares, portanto onipresente; um Deus que pode tudo, portanto onipotente.

    Ora, se Deus realmente pode tudo—e não existe a menor dúvida que Ele pode—porque é tão difícil para algumas pessoas aceitarem o que está claramente escrito na bíblia: Deus cria as pessoas com destinos já trassados, ao exemplo de Faraó, Esaú, Jeremias, David, João Batista.. e outros. Mas ao mesmo tempo dá a todos a opção da salvação (João 3:16).

    “Mas algum de vocês me dirá: ‘Então, por que Deus ainda nos culpa? Pois, quem resiste à sua vontade?’ Mas quem é você, ó homem, para questionar a Deus? ‘Acaso aquilo que é formado pode dizer ao que o formou: ‘Por que me fizeste assim?’’ O oleiro não tem direito de fazer do mesmo barro um vaso para fins nobres e outro para uso desonroso?” Rom 9:19-21

  9. Roberto C Lima disse:

    Sou simples: existe a escuridão, existe o frio, existe o mal? Não, não existem! O que existe é a luz, o calor, é o amor. A ausência destes é que os torna, a escuridão, o frio e o mal existentes. Deus é amor. Onde o amor não está, teremos mal. Se Deus se ausentar, e ele pode se ausentar onde não é bem recebido. Deus é autor do amor, Deus é amor.

  10. Rodrigo disse:

    Markus:
    Sobre o primeiro comentario concordo com vc em tudo ^^

    No segundo comentario.. Nao sei se entendi bem hehe
    “Deus cria as pessoas com destinos já trassados”, discordo e concordo afinal estamos predestinados a salvacao pela cruz. Mas nao creio que Deus destinou e/ou predestinou o meu emprego, minha casa, minhas escolhas. Creio que estas coisas sao de total responsabilidade minha (claro que Deus ajuda mais ainda assim foram minhas escolhas)

    “Mas ao mesmo tempo dá a todos a opção da salvação”. Complicado aconselhar isso se ja temos os nossos destinos tracados. ou seja ele ja sabe quem esta salvo ou nao. Entao para que viver ? sofrer nesse mundo se o meu fim ja esta certo ?

    Quero aproveitar.. alguem tem um estudo bom ai sobre molenismo e arminismo ?

    Abraco

  11. Rodrigo: Deus é criador soberano. Existe algum limite dentro desta soberania? Não. Existe algo que Deus não saiba, algo que Deus não viu, algo que Deus não presenciou, não viveu, não experimentou, não sentiu? Se a resposta for sim para qualquer uma dessas perguntas então Deus deixa de possuir total soberania porque nesse caso existe algo que possui existência fora da existência divina. Em outras palavras, algo que não necessita de Deus para existir.

    O nosso grande problema é que somos seres extremamente limitados. Limitados nas duas esferas de existência: física e espiritual. Essa limitação faz com que insistamos em aplicar nossos conceitos e experiencias a Deus, um ser—o único ser—cuja palavra limite não faz o menor sentido.

    Voltando ao assunto do post. Quando dizemos que Deus não pode endurecer o coração de alguém e ao mesmo tempo oferecer a essa mesma pessoa uma saída para o destino já trassado por Ele mesmo, oque estamos fazendo é impondo nossos limites a Deus.

    Lembra quando Deus AFIRMOU aos ninivitas que dentro de 40 dias a cidade seria destruída? Será que Deus só estava brincando? Deus mentiu? Será que Deus não sabia como o povo iria reagir frente ao destino trassado por Ele e resolveu usar a tática do medo? Porque Deus decretou o destino da cidade mas ao mesmo tempo mandou um profeta alertar o povo? Uma contradição: determina a destruição mas não mata ninguém, para o aperreio de Jonas.

    O fato é que quando vemos contradição no que o Criador faz, nesse caso entre livre arbítrio e predestinação, estamos raciocinando como seres limitados que somos. Tudo bem, não entendemos, pronto. Não tem como explicar. Assim como não tem como explicar muitas coisas que Deus fez e faz: Satanás, pecado, dilúvio, maná, andar sobre água, Lázaro… salvação.

    Mas não é isso mesmo o que chamamos de fé? Não vemos, não entendemos esse Deus mas mesmo assim O aceitamos. E não só aceitamos como moldamos toda nossa vida ao redor desse Ser invisível. Incrível não? E porque você acha que tomamos essa decisão? Somos mais inteligentes? Mais espertos? Mais cultos? Paulo tem a resposta: …isso não depende do desejo ou do esforço humano, mas da misericórdia de Deus. Deus tem misericórdia de quem ele quer, e endurece a quem ele quer. Rom 9:16,18

  12. Rodrigo disse:

    Tem como provar que existe um idiomatismo hebraico ?

  13. irmão leitor disse:

    A maneira como compreendemos a Deus irá afetar nossa visão a respeito de todas as demais doutrinas; portanto, não levemos nossas ideias para a Bíblia, mas deixemos a Bíblia como um todo responder as questões que porventura achamos difíceis.

    “Na linguagem bíblica, muitos atos são atribuídos a Deus, não com a ideia de que Deus os executa, mas de que em Sua onipotência e onisciência, não os impede” (COMENTÁRIO BÍBLICO ADVENTISTA – Vol. 4. Pág. 647).

    Essa norma é aceita pela Comissão de Métodos de Estudo da Bíblia, da Associação Geral, que reafirma: “A cultura hebraica atribuía responsabilidade a um indivíduo por atos que ele não cometeu, mas permitiu que ocorressem. Portanto, os escritores inspirados da Bíblia apresentam a Deus como tendo executado ativamente o que em nosso pensamento ocidental diríamos que Ele permitiu ou não evitou que ocorressem” (Impresso na Adventist Review em 22.01.1987, págs. 18-20. Aqui, extraído do livro Compreendendo as Escrituras – uma Abordagem Adventista, de Georg W. Reid, Editora Unaspress, Engenheiro Coelho-SP, 1ª edição, 2007, Apêndice A – Métodos de Estudo da Bíblia, Pág. 335).

  14. Rodrigo disse:

    Se alguem duvidar de que existe um idiomatismo hebraico ai ? como eu consigo provar o mesmo que existe ? tem algum material da cultura hebraica que diz isso ? Abraco

Deixe seu comentário. Tudo o que pedimos é que se mantenha uma cultura de respeito. Isto significa não fazer ataques pessoais, não usar palavrões, e por favor manter o diálogo sobre o tema postado.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s