Quero ser feliz: o que faço?

Estava assistindo ao noticiário pela televisão. Senti-me triste por uma família, cujo pai, na véspera de natal, recebera uma correspondência que lhe comunicava sua rescisão de trabalho. A reportagem mostrava aquele pai, sentado junto a sua esposa e seus dois filhos, todos com um semblante desesperançado, triste, demonstrando uma sensação de impotência, incerteza e medo. O pai, à beira das lágrimas, tentava explicar que, para ele, por certo, não haveria mais trabalho. O aluguel da casa, como continuaria a pagar? O alimento? O estudo dos filhos? A saúde? O que o futuro reserva para aquelas quatro pessoas? O que reserva para outros milhares, há mais tempo, na mesma situação, sem emprego e sem esperança?

Como podemos ser felizes vivendo em situação de desemprego iminente, que pode tornar-se realidade a qualquer momento? Como as pessoas irão trabalhar com satisfação, tendo em mente que, talvez no dia seguinte, estejam sem salário, sem seguro de saúde, sem nada, exceto um temporário seguro desemprego, cujo próprio nome assusta.

A família, que é a organização mais linda, onde DEUS quer prover felicidade completa e permanente, está sendo desestruturada pela necessidade de lutar pela sobrevivência, numa luta inglória, desumana e sem dignidade.

Vivemos sob tensão. Sendo empresários, podemos a qualquer momento ver a vendas caírem, os custos engolirem os lucros e as dívidas crescerem a um ritmo descontrolado e sem previsão.

Sendo trabalhadores, vivemos sob constante ameaça da perda do emprego e, em muitos casos, sem chance de obter novo emprego. No mundo, há milhões de desempregados, e milhares somam-se a eles a cada novo mês.

Como podemos ser felizes numa situação dessas? Meu amigo, esse sem dúvida não é um ambiente para se ser feliz. Quem o é, por certo, não percebe que poderá ser o próximo, ou não se importa com o que acontece aos seus semelhantes. Nesse mundo, disse JESUS, passaremos por dificuldades (S. João 16:33). Quem pensa o contrário, está fora da realidade. Quem promete bonança, pior ainda, além de estar fora da realidade, está enganando as pessoas (ver Jeremias 6:14 e 8:11).

Mas, se não podemos ser completamente felizes, podemos ao menos ter paz e esperança. Isso é perfeitamente possível. Tendo paz e esperança, tem-se, numa dose suficiente, certa felicidade. E se tivermos certeza de nossa esperança, essa felicidade será uma antecipação da que certamente desfrutaremos no futuro.

Numa outra oportunidade, em visita a uma pessoa doente no hospital, ela relatava sobre o quanto sua vida estava difícil. Tratava-se de um senhor de meia idade que fora para o interior do Brasil a fim de começar vida nova. Ela sabia que os primeiros tempos seriam muito difíceis e trabalhosos. Mas fora conscientemente para lutar por uma vida melhor. Naquele momento, estava sem dinheiro, vivendo em severas restrições, mas aparentava estar feliz. A uma certa altura da conversa, entendi a razão de seu estado de espírito otimista. Ele disse: “como é bom ter certeza de que a situação irá melhorar! E eu sei que irá melhorar.”

Isso diz tudo. Ter certeza de que tudo irá ser melhor faz bem, dá-nos esperança, conforta-nos. Dá-nos forças para continuar lutando, sem desistir. JESUS explicou aos discípulos e aos seus seguidores que haveria dificuldades severas para enfrentar, mas após elas, haveria tão grande recompensa que eles, no momento não poderiam avaliar. Ele disse: “Estas cousas vos tenho dito para que tenhais paz em Mim. No mundo passareis por aflições; mas tende bom ânimo, Eu venci o mundo” (S. João 16:33).

Enquanto tivermos que aguardar o retorno de JESUS para esta Terra e nos buscar, levar aqueles que Lhe obedecem, teremos de suportar aflições. Disto não estamos livres. Quem diz o contrário, está mentindo. São falsos pregadores prometendo paz quando não há paz (Jeremias 6:14). Mas é-nos dito que conseguiremos vencer essas aflições, se tão somente crermos em DEUS. “Porque guardaste a palavra da minha perseverança, também Eu te guardarei da hora da provação que há de vir sobre o mundo inteiro, para experimentar os que habitam sobre a Terra” (Apocalipse 3:10 – grifo nosso). Aos que confiam em JESUS, nos momentos mais difíceis que tiverem que enfrentar, a mensagem de DEUS através do profeta Isaías é: “…o seu pão lhe será dado, as suas águas serão certas” (Isaías 33:16). Davi disse: “Não serão envergonhados nos dias do mal, nos dias da fome se fartarão.” (Salmo 37:19)

Muitos há que estão pregando facilidades, bonança, muito ganho e muito dinheiro. Isso não corresponde ao cenário profético para esses tempos. No passado, já houve a atuação de falsos profetas, que foram denunciados diretamente por DEUS. Eles são mensageiros de engano, não vêm da parte de DEUS. A partir desses enganos, o povo vive sob uma falsa segurança, conforme nos relata na Palavra de DEUS. “Quando andarem dizendo: Paz e segurança, eis que lhes sobrevirá repentina destruição, como vem a dor do parto à que está para dar à luz; e de nenhum modo escaparão” (II Tessalonicenses 5:3). É precisamente isso que muitos mensageiros, com a Bíblia na mão, estão anunciando. Jeremias também denunciou essas pregadores de enganos: “Porque desde o menor deles até o maior, cada um se dá à ganância, e tanto o profeta como o sacerdote usam de falsidade. Curam superficialmente a ferida do Meu povo, dizendo: Paz, paz; quando não há paz” (Jeremias 6:13 e 14). Mais adiante, referindo-se ao mesmo assunto, Jeremias diz: “Disse-me O SENHOR: Os profetas profetizam mentiras em Meu nome, nunca os enviei, nem lhes dei ordens, nem lhes falei; visão falsa, adivinhações, vaidade e o engano do seu íntimo é o que eles vos profetizam. Portanto assim diz o SENHOR acerca dos profetas que, profetizando em Meu nome, sem que Eu os tenha mandado, dizem que nem espada, nem fome haverá nesta terra: À espada e à fome serão consumidos esses profetas” (Jeremias 14:14 e 15 – grifo nosso). A respeito desses pregadores, O próprio JESUS alertou: “Deixai-os; são guias cegos, guias de cegos. Ora, se um cego guia outro cego, cairão ambos no barranco” (S. Mateus 15:14 – grifo nosso).

A Bíblia alerta para esses nossos dias. Profeticamente sabemos que nos fins dos tempos do pecado, haverá muitas e grandes dificuldades. E assim será. Não podemos nos deixar iludir por falsas pregações, que afirmam o contrário. Também não devemos fazer coro com aqueles que apenas anunciam catástrofes e o fim de tudo. Ao contrário, pela Bíblia, haverá um novo começo, uma nova história para aqueles que desejam voltar a obedecer as leis de DEUS. Então as primeiras coisas terão passado (Apocalipse 21:4).

Enquanto isso, temos a oportunidade de aprender a obedecer. Lembre-se, a obediência é o elegante e digno ato pelo qual funciona todo o governo de DEUS. Ela garante a liberdade. A obediência é nada menos que seguir os princípios de justiça que regem a vida dos seres inteligentes. Obediência é a reprodução do caráter de DEUS em nosso caráter, uma vez que no reino de DEUS se obedece de todo o coração. Obedecer é abrir o coração a DEUS para que Ele ali coloque as suas leis. Isso se dá, na prática, através do estudo da Palavra de DEUS, com oração. O conhecimento ali disponível entrará em nossa mente e influirá com mudanças no modo de pensar, de falar, de agir e até no modo de ser. Então a pessoa terá cada vez mais o caráter de DEUS em sua mente, e será cada vez mais semelhante a DEUS. É sempre bom lembrar que, mesmo nos tornando mais semelhantes ao nosso Criador, permaneceremos ainda sendo criaturas não perfeitas. Quando formos transformados por completo, por ocasião da segunda vinda de ‘JESUS’, então seremos outra vez como Adão e Eva foram quando recém-criados por DEUS, e como foi JESUS quando esteve entre os seres humanos. Teremos as leis de DEUS em nossos corações e em nossas mentes, e poderemos ter uma perfeita comunicação com O Criador, porque “DEUS é amor” (S. João 4:16). Portanto, a obediência é o exercício prático da sabedoria.

Obedecer, significa viver tal como JESUS viveu. Ele nos deu o exemplo, para que soubéssemos qual é o padrão perfeito. JESUS foi o único ser aqui na Terra que realmente obedeceu em plena perfeição, nunca cometeu algum deslize. Ele, o autor da Lei, a teve no coração e a ela obedecia integralmente. Ele veio para obedecer, não para revogar. Ele demonstrou a perfeição.

Por que a obediência tem relação com a felicidade? A obediência é a estratégia principal do funcionamento do reino de DEUS. Há outras estratégias muito importantes. Uma delas é o conhecimento da verdade. Ela é imprescindível para que haja sabedoria. Oseias, profeta do Antigo Testamento diz “O Meu povo está sendo destruído porque lhe falta o conhecimento” (Oseias 4:6 pp).

Qual é o principal conhecimento que devemos ter para sermos salvos? João responde: “E a vida eterna é esta: que Te conheçam a Ti, o único DEUS verdadeiro, e a JESUS CRISTO, a quem enviaste” (S. João 17:3). No conhecimento de DEUS, o essencial é saber como Ele pensa, que princípios segue. Isso se refere ao Seu caráter, ou seja, à Sua Lei.

Outra estratégia que faz parte do Reino de DEUS é a liberdade. Esse é um Reino de total liberdade. Para que haja total liberdade é necessário que cada cidadão dali possua capacidade de seguir as leis a partir de seu próprio coração. Essa é a razão por que DEUS diz: Porei as minhas leis nas suas mentes e nos seus corações (Deuteronómio 11:18). O nosso coração é por natureza corrupto (Jeremias 17:9). DEUS precisa criar em nós um novo coração puro. (Salmos 51:10 e Ezequiel 36:26 a 29)

O que DEUS quer, por esse meio, é restabelecer a ligação entre Ele e nós. Essa ligação, da nossa parte para DEUS chama-se obediência, e da parte de DEUS à nossa direção, chama-se bênçãos. Essas bênçãos, na realidade, são: proteção, orientação pela Sua Palavra, fé, sabedoria, conhecimento, conforto espiritual, esperança, bens materiais (se não forem inconvenientes quanto ao nosso futuro) e muito mais. As bênçãos de DEUS aqui na Terra têm uma lógica: buscam levar à salvação e,. por outro lado, buscam evitar que nos percamos. Não espere que DEUS lhe abençoe naquilo que você deseja e que venha de algum modo a contribuir para a perda de sua vida eterna. Muita riqueza e fama pode ser esse caso.

Pelo pecado rompeu-se a ligação íntima entre o Criador e a criatura. Nessa condição, a criatura, com falta de conhecimento, passa a lutar pela vida fazendo coisas que DEUS pode e quer fazer por ela. Aí o fardo é pesado demais, as coisas não dão certo porque não conhecemos o suficiente os verdadeiros princípios para executar o que quer que seja. Então se torna quase impossível ser feliz.

No livro dos Salmos diz: “Entrega todas as tuas preocupações ao SENHOR. Ele levará o peso dos seus problemas. DEUS nunca deixa o justo tropeçar e cair” (Salmo 55:22 – Bíblia Viva). No mesmo livro, afirma ainda: “quem confia no SENHOR receberá grandes bênçãos já aqui nesta Terra” (Salmo 37:9 – Bíblia Viva).

Quando se fala em bênçãos, geralmente se pensa em dinheiro e riquezas. A tal ponto chega isso que, muitas pessoas abençoadas por DEUS, mas pobres, são mal vistas pelos seres humanos. DEUS, quando abençoa, o faz de tal maneira que essas bênçãos não venham a levar as pessoas para a perdição. Muitas coisas boas, assim, não são concedidas por DEUS porque com elas essa pessoa se perderia. Veja que DEUS conhece o fim desde o princípio (Isaías 46:10). Logo, se riqueza nos levar a sermos orgulhosos, arrogantes ou exploradores, não as teremos como bênçãos de DEUS.

Interessante é notar que muitos que não têm nenhum interesse pela salvação obtêm em suas vidas grande riqueza. Pense um pouco sobre qual seria a razão disso? Para pensar melhor, se puder, leia o que se encontra em Salmo 37:1 a 5 e 16. Se quiser, leia o capítulo todo. O que você acha? Vale mais ter abundância por mais ou menos 70 a 80 anos ou tê-la durante toda a eternidade? Quando os dois são incompatíveis, prefiro a segunda opção. É certo que ter muito faz bem para ser feliz. Com isso DEUS concorda. O problema é a nossa natureza, que tende a fazer mau uso da abundância. Aí está todo o problema da riqueza enquanto vivermos no ambiente de orgulho porque pensamos que a adquirimos pelos nossos próprios esforços e capacidade. Não reconhecemos que tudo vem de DEUS, inclusive nosso conhecimento e nossas capacidades. Fazendo assim, substituímos DEUS por nós mesmos e, com isso nos enganamos, vivendo como se não necessitássemos do Criador. É por isso que JESUS disse que é muito difícil um rico entrar no reino dos céus.

A maioria de nós, que não sabe fazer bom uso das riquezas, deve, portanto, aprender a viver com pouco. Mas deve também saber que na Nova Terra terá muito, isso é certo. Terá muito para sempre. É por isso que o cristão vive mais da esperança que da realidade presente. E isso já conta para a sua felicidade no presente: saber que logo terá muito, e não se atrapalhará com isso.

Você já deve estar imaginando: que isso requer muita confiança em DEUS! É verdade, há até uma passagem bíblia a respeito: “Bendito o homem que confia no SENHOR, e cuja esperança é o SENHOR” (Jeremias 17:7). A tradução da Bíblia Viva é muito esclarecedora. Nela lemos: “Mas o homem que confia no SENHOR, que colocou no SENHOR toda a sua esperança, esse sim é muito feliz! A sua vida é cheia de bênçãos.” Isso confirma o que dizíamos anteriormente. Portanto, obedecer é uma questão vital, conforme S. Mateus 7:21 – “Nem todo o que Me diz: SENHOR, SENHOR! entrará no reino dos Céus, mas aquele que faz a vontade de Meu Pai que está nos Céus.”

A obediência é uma atitude de seres livres, essencial para se ser feliz. Para obedecer, é preciso ter conhecimento. Essas são as bases de uma sociedade celeste feliz eternamente. Percebe por que DEUS disse que o casamento deve ser até que a morte os separe? Em nosso planeta é até o fim da vida, nos planetas que não pecaram, é para toda a eternidade. E veja, eles são realmente felizes. E sabem que sempre serão felizes!

O problema não está no casamento, está na nossa desobediência. Nós não amamos, nós odiamos, e assim queremos ser felizes para sempre. Puro engano. Queremos que tudo dê certo, mas sem querer mudar a condição que Tito descreveu: “Pois nós também, outrora, éramos néscios, desobedientes, desgarrados, escravos de toda sorte de paixões e prazeres, vivendo em malícia e inveja, odiosos e odiando-nos uns aos outros” (Tito 3:3 – grifo nosso). Não disse DEUS que devíamos nos amar uns aos outros para sermos felizes? Mas o ser humano quer ser feliz ao contrário da vontade de DEUS, odiando-se uns aos outros. Isso é impossível! Perceba, o ódio é fruto da desobediência. Logo vem a mentira, o engano, a inveja, e tudo o mais que já sabemos, e por fim, vem a morte. Essa é sempre a última e a pior de todas as consequências da desobediência. Pode-se ser feliz numa situação dessas? De qualquer forma, muitos insistem nesse caminho, durante a vida toda e morrem se saber o que é ser feliz, e como seria fácil ter felicidade.

Obedecendo, podemos conhecer a DEUS, e esse é o melhor conhecimento, o principal. Ele é essencial para que possamos amar de verdade e ser felizes de verdade. “Porque só Me revelarei àqueles que Me amam e Me obedecem. O Pai também os amará, e Nós haveremos de vir e morar com eles” (S. João 14:23 – Bíblia Viva, grifo nosso). Muito esclarecedor, não acha? Essa é a razão do resumo da Lei de DEUS, pronunciada pelo próprio SENHOR. “Amarás, pois, O SENHOR teu DEUS de todo o coração, de toda a tua alma, de todo o teu entendimento e de toda a tua força. O segundo (mandamento) é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Não há outro mandamento maior do que estes” (S. Marcos 12:29 e 30 – grifo nosso). Não lhe parece que o ser humano está um tanto desviado desses dois mandamentos? Mesmo assim, quer que DEUS o abençoe…

Amar a DEUS e ao próximo nos liga intimamente ao Criador e ao nosso próximo. Dessa forma, estaremos sempre desejando servir, não desejando tirar. Nossa motivação será em dar em vez de obter; beneficiar, em vez de querer benefício; ajudar, em vez de exigir ajuda; favorecer, em vez de querer ser favorecido; solicitar, em vez de ordenar. Nossas inclinações de pensamento serão voltados para os outros, e nisso se encontra o segredo da felicidade. Não esqueça dessa frase nunca mais: para ser feliz, é preciso desejar intimamente servir, não querer ser servido.

Professor Sikberto Renaldo Marks, Mega Advento, capítulo 19.

Sobre Blog Sétimo Dia

“SOLO CHRISTO”, “SOLA GRATIA”, “SOLA FIDE”, “SOLA SCRIPTURA” (salvação somente em Cristo, somente devido à graça de Deus, somente pela instrumentalidade da fé, somente com base na Escritura)
Esse post foi publicado em Cristianismo Prático, Felicidade, Prof. Sikberto Renaldo Marks, Sermões e marcado , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Quero ser feliz: o que faço?

  1. Luis Chacon disse:

    Ainda não lí tudo, mas me lembrei de algo. No fim do ano passado o presidente da empresa (que é muuuiiitttooo grande) iria dar sua mensagem no loby de entrada do edificil. Muito bem, descemos, todos ali amontoados esperando as palavras do “chefe”. Pois bem, ele falou, falou falou, falou de mudanças, crescimentos, vendas, lucros, etc etc, e em nenhum momento agradeceu à Deus… Eu esperava por isso, não é possível que ele não agredeceria à Deus…, pois não agradeceu, e isso de certa forma me decepcionou um pouco. Aprendi que em tudo dou graças a Deus, seja lá o que for, e no entando o presidnte da empresa não deu, ai eu pergunto: vocês acham que as empresas estão pensando se alguém vai ficar se comer ou pagar o aluguél? Não se lembram nem do Criador, dAquele que tudo nos dá, como poderiam se preocupar com o próximo, que é realmente bem próximo? Abraço

Deixe seu comentário. Tudo o que pedimos é que se mantenha uma cultura de respeito. Isto significa não fazer ataques pessoais, não usar palavrões, e por favor manter o diálogo sobre o tema postado.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s