A Melhor Tradução

Tornai-vos, pois, praticantes da palavra e não somente ouvintes, enganando-vos a vós mesmos. Tiago 1:22.

Algumas pessoas estavam reunidas, procurando saber qual era a melhor tradução da Bíblia. Um jovem, pedindo a palavra, disse: “A melhor tradução da Bíblia é a de minha mãe.” Todos ficaram atônitos, porque a mãe daquele jovem tinha pouca cultura. Mas a perplexidade foi substituída por admiração quando o jovem explicou: “Ela a traduziu por intermédio de sua vida.”

Ler a Bíblia é importante, mas praticar seus ensinos é melhor. Infelizmente, nem todos que andam com a Bíblia na mão, obedecem a seus conselhos. Até mesmo as crianças percebem o abismo que existe entre a teoria e a prática. Certo homem tentava explicar ao filho o que significava ser um cristão. Ao terminar, o pai recebeu uma lição de que nunca mais se esqueceu. O filho perguntou-lhe: “Papai, o senhor já viu algum cristão?”

Quando Jesus esteve na Terra, o povo em geral estava decepcionado com a conduta dos líderes religiosos. A hipocrisia era a ordem do dia. Toda esmola era um palanque de propaganda, pois não era fruto do amor, mas do egoísmo. Os escribas e fariseus preocupavam-se com aspectos periféricos da lei, mas não tinham o espírito da lei. Devolviam o dízimo, até mesmo “da hortelã, do endro e do cominho” (Mat. 23:23), mas não ofereciam a Deus o coração para ser transformado. Esse era o quadro religioso daqueles dias: palavras não seguidas de atos.

Acostumado a ver esse tipo de comportamento, o povo não acreditava que essa rotina de incoerência pudesse ser quebrada. Certo sábado, Jesus estava ensinando na sinagoga de Cafarnaum, quando o povo percebeu a diferença que faltava. Marcos 1:22 diz: “Maravilharam-se da Sua doutrina, porque os ensinava como quem tem autoridade.”

A tradução da Bíblia em atos de amor e misericórdia dispensa o conhecimento de hebraico, grego ou qualquer outra língua. Não dispensa, porém, o poder do Espírito Santo. Toda pessoa submissa ao poder divino é transformada de par em par até ser uma tradução da vontade celestial. Quando Harry Orchard aceitou a Jesus, a sua culpa por crimes hediondos foi cancelada pelo sangue do Cordeiro. Na sua sepultura está escrito: “Harry Orchard, o homem a quem Deus fez de novo.” Um criminoso arrependido tornara-se uma tradução da Bíblia.

Pergunta para Reflexão

Ao nos observarem, as pessas vêem “sepulcros caiados”, ou uma tradução do Evangelho?

Rubens S. Lessa, A Esperança do Terceiro Milênio, pág. 122.

Sobre Blog Sétimo Dia

“SOLO CHRISTO”, “SOLA GRATIA”, “SOLA FIDE”, “SOLA SCRIPTURA” (salvação somente em Cristo, somente devido à graça de Deus, somente pela instrumentalidade da fé, somente com base na Escritura)
Esse post foi publicado em A Esperança do Terceiro Milênio e marcado . Guardar link permanente.

Deixe seu comentário. Tudo o que pedimos é que se mantenha uma cultura de respeito. Isto significa não fazer ataques pessoais, não usar palavrões, e por favor manter o diálogo sobre o tema postado.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s