Mão na Massa

Para alcançar uma vida de sucesso é preciso ir além da teoria e desenvolver habilidades práticas.

Houve um tempo em que a educação era essencialmente doméstica, realizada pelos pais. Embora o aprendizado escolar fosse mais simples, os filhos desenvolviam atividades práticas, adquirindo conhecimentos de diversas áreas da vida. O contato diário com diversos tipos de conhecimento desenvolvia habilidades para resolver problemas e encontrar soluções para situações difíceis. Mais do que um certificado de qualificação, conquistavam-se as qualidades necessárias à vida.

Hoje, uma condição financeira melhor permite que, em muitas famílias, o primeiro contato com uma atividade profissional seja na universidade. Mas é cada vez mais comum encontrar pessoas que trabalham fora de sua área de formação, por não conseguirem corresponder às necessidades que a profissão exige. Talvez, a razão desse fato seja a carência de habilidades que poderiam ter sido aprendidas em experiências anteriores. “O mundo está cheio de homens e mulheres unilaterais, que ficaram assim porque parte de suas faculdades foi cultivada, ao passo que outras foram diminuídas pela inatividade (Conselhos Sobre Educação, p. 23). Depois de algum tempo no mercado de trabalho, muitos jovens profissionais reconhecem que poderiam ter realizado outras atividades que pudessem prepará-los melhor para o trabalho e para a vida.

“Quão importante é, pois, que todo jovem seja ensinado a trabalhar, a fim de poder estar preparado para qualquer emergência! As riquezas são uma verdadeira maldição, quando seus possuidores deixam que elas sejam um impedimento para os filhos e filhas obterem o conhecimento de algum trabalho útil que os habilite para a vida prática” (Ibid., p. 20).

Superficialidade – As atividades acadêmicas e profissionais exigem que as pessoas estejam sempre online. Isso pode ser positivo, desde que a pessoa não se torne superficial e negligente com outras áreas do intelecto que necessitam de desenvolvimento. Frequentemente, muito tempo é gasto em atividades mal direcionadas, sem finalidade útil e destituídas de valores. Esse tempo poderia ser investido em atividades que proporcionassem o fortalecimento das relações, podendo contribuir para o crescimento pessoal. Muitas vezes, vive-se em uma realidade virtual viciante e distorcida, nociva à mente, à saúde e à família. O mundo necessita de pessoas capazes de discernir o que traz real crescimento intelectual, pessoal e espiritual.

“Vivemos numa época em que quase tudo é superficial. Há pouca estabilidade e firmeza de caráter porque o ensino e a educação das crianças são superficiais desde o berço. […] As crianças devem ser de tal forma exercitadas e educadas que possam esperar tentações e contar com dificuldades e perigos” (Ibid., p. 13, 14).

Equilíbrio – O apóstolo Paulo enfrentou grandes dificuldades em seu trabalho missionário. Foi preciso talento e preparo para tratar com pessoas de personalidades diferentes. Sua experiência de vida colaborou grandemente para a divulgação do evangelho e o estabelecimento da igreja primitiva. Paulo era estudioso, pregador, missionário e fabricante de tendas. Ele tinha não somente um profundo conhecimento teórico, mas também formação prática. Na vida de Paulo, percebe-se harmonia entre teoria e prática.

É fundamental o equilíbrio em tudo que se faz. O sucesso profissional, pessoal e espiritual envolve preparo em diferentes áreas de formação. Os jovens cristãos devem pedir o direcionamento de Deus e permitir que suas habilidades sejam desenvolvidas sabiamente. Os pais precisam incentivar os filhos a trabalhos manuais e práticos e dedicar mais tempo diário para o fortalecimento dos laços familiares.

“O objetivo pelo qual vocês estão adquirindo educação não deve ser perdido de vista, nem por um momento sequer. Esse objetivo deve ser: aperfeiçoar e dirigir suas faculdades de modo a ser tornarem mais úteis e ser uma bênção a outros, até o limite de sua capacidade” (Ibid., p. 31).

Flaverlei A. Silva é editor-assistente de livros didáticos na Casa Publicadora Brasileira.

Sobre Blog Sétimo Dia

“SOLO CHRISTO”, “SOLA GRATIA”, “SOLA FIDE”, “SOLA SCRIPTURA” (salvação somente em Cristo, somente devido à graça de Deus, somente pela instrumentalidade da fé, somente com base na Escritura)
Esse post foi publicado em Educação Escolar, Matérias Revista Adventista e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe seu comentário. Tudo o que pedimos é que se mantenha uma cultura de respeito. Isto significa não fazer ataques pessoais, não usar palavrões, e por favor manter o diálogo sobre o tema postado.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s