Felizes para Sempre

Vimos no capítulo anterior, que O Criador nos fez para sermos felizes. E felicidade para sempre. Felicidade temporária não pode ser completa, pois sabe-se que terminará. Tem de ser para sempre para ser total e completa. A felicidade deve perdurar para sempre. Caso não fosse assim, Ele não diria para permanecermos unidos com o nosso cônjuge até que a morte nos separe. DEUS é sábio demais para errar.

O lar, uma das coisas lindas concebidas por DEUS, tem, entre outras, a função de cultivar o amor para a felicidade de seus membros bem como da felicidade em toda a sociedade. O amor é algo tão delicado que precisa ser diariamente cultivado. É que, como nossa vida é um dia após o outro, diariamente necessitamos do amor. O amor não é delicado no sentido da fragilidade, mas no sentido de o necessitarmos o tempo todo. Dessa maneira, a sociedade, mais ampla que o lar, possui uma infinidade de pequenas células onde se deve cultivar o amor. Essa é a razão por que DEUS disse para não haver separação: o que é bom e desejável deve durar para sempre, e DEUS só quer o que é bom. Quando sentimos que é bom, também iremos desejar que não termine. Logo após DEUS ter criado o homem e a mulher, disse DEUS que o Seu trabalho foi muito bom (Génesis 1:21).

Nesse ponto, é preciso apresentar uma peculiaridade interessante do amor. Sem ela, não funciona, e dá tudo errado. O amor requer obediência. Isso mesmo, obediência. Sem obediência, instala-se um princípio de confusão e desentendimento. Nesses casos, cada um faz o que lhe parece melhor, não importando o quanto prejudique alguém outro. Na realidade, é assim que vivemos neste planeta, prejudicando e sendo prejudicados. Mas de qualquer forma e apesar disso, queremos ser felizes. Impossível! Basta olhar ao redor ou ver as manchetes.

O que estamos querendo dizer com obediência? Examinemos a Bíblia sobre esse assunto. “Na mente lhes imprimirei as minhas leis, também no coração lhas inscreverei; Eu serei o seu DEUS, e eles serão o Meu povo” (Jeremias 31:33).

Para entender a Bíblia, devemos fazê-lo de modo diferente do que fazemos para entender as coisas comuns. A Bíblia só pode ser entendida espiritualmente. Não sendo assim, não a entenderemos. Essa é a razão por que muitos acham a Palavra de DEUS uma compilação de histórias para crianças bem educadas. Não conseguem passar além da superfície, não alcançam a verdade mais profunda, que só pode ser compreendida sob ponto de vista do Céu, não da Terra.

O que é obedecer? Do ponto de vista da Terra, aqui entre nós, obedecer é sujeitar-se a alguém superior, que manda em nós, impõe-nos coisas que não queremos fazer. É comum a frase: manda quem pode, obedece que precisa. Obedecer, nesse conceito, é algo humilhante, degradante, que atinge a honra e a dignidade de quem está em situação de desvantagem, que tem menos força e não pode se impor.

Não é assim no Céu. Caso fosse, lá não seria um lugar feliz. Seria como aqui.

Do ponto de vista de DEUS, obedecer é um ato da mais alta liberdade. É um ato voluntário, que parte do próprio ser. É o exercício da vontade, sob o regime da Liberdade de Consciência, onde podemos pensar o que queremos pensar, independente de alguém nos dizer como. Não existe imposição.

Mas nessa situação, não se estabeleceria uma confusão generalizada? Por incrível que possa parecer, essa confusão se estabelece na situação de uso da força para obter obediência, onde obedece que precisa e manda quem pode. Em situações tais, ocorre obediência quando não se pode desobedecer. Havendo oportunidade, há desobediência como um ato de desforra, às vezes até de boicote e vingança. No Céu, onde há plena liberdade para todos, ao contrário, tudo funciona na mais perfeita ordem, e todos podem decidir e fazer o que desejam. Isso é obediência voluntária, que somente se torna possível sob o regime do amor.

A pergunta que se apresenta ao natural nesse momento é: mas como isso funciona? A resposta é simples. Funciona porque a lei do amor está nas mentes e nos corações dos cidadãos (ver Jeremias 31:33 e Zacarias 4:6). No Reino de DEUS, as pessoas agem por princípio na direção do bem, jamais na direção do mal. Quando as leis de DEUS estiverem no coração e na mente, todas as iniciativas serão bem intencionadas. Não haverá sequer necessidade de contar até três, ou de perguntar, estarei prejudicando alguém?

Isso, de certa forma, em alguns casos, acontece também aqui na Terra. No coração, isto é, na mente, podemos ter leis, tanto boas quanto más. Toda lei possui princípios que compõem a sua essência. Qualquer lei, quando se diz estar no coração, significa que o ser assimilou os seus princípios, e os segue com absoluta fidelidade. Quando isso acontece, a pessoa torna-se autêntica, isto é, tem um caráter bem definido. Torna-se uma pessoa poderosa intelectualmente. Ela pode agir por iniciativa própria, sem ser vigiada, e agirá pelo bem de seu semelhante, da natureza e de si mesma. Ela gosta de agir assim, porque ama os seus semelhantes, ama a Deus, ama a si mesma e a natureza.

Entre nós, seres humanos, há muitas pessoas poderosas, tanto para praticar o bem quanto para praticar o mal. As pessoas poderosas para praticar o mal assimilaram para o íntimo de seus corações princípios de maldade, e os seguem ‘fielmente’. Chegam ao ponto de nem sequer perceber que agem de modo inconveniente, para si e para o próximo. E tornam-se poderosas nessas ações. São, na realidade, autênticas no que fazem. Vivem assim porque estão “obscurecidos de entendimento, alheios à vida de DEUS por causa da ignorância em que vivem, pela dureza dos seus corações” (Efésios 4:18). Aliás, foi por causa da dureza dos corações das pessoas que, no tempo de Moisés, ele permitiu o divórcio. Mas no princípio não foi assim, o divórcio não era necessário (ver S. Mateus 19:3 a 9). Na expressão popular, vivemos mal porque ‘somos cabeçudos’, não queremos saber de mudar para melhor.

Por sua vez, também conhecemos pessoas que agem poderosamente para o bem dos outros. Essas também assimilaram princípios em seus corações. Princípios para o bem, e agem poderosamente, realizando grande benefício a outros. Também são autênticas no que fazem, têm identidade definida.

As pessoas que descrevemos como tendo princípios bons no coração, na realidade obedecem a DEUS, obedecem aos princípios que Ele estabeleceu, que se encontram dentro delas, em suas mentes e em seus corações. Sem dúvida, mesmo assim, essas pessoas têm falhas, e erram. Como todas as pessoas desta Terra, não são perfeitas. Apesar disso, realizam grande benefício para a humanidade. Imagine, você, se elas fossem perfeitas, nunca cometendo falha. Assim serão aqueles que forem levados para o lugar perfeito que DEUS está preparando aos que Lhe obedecem de todo o coração e de todo o seu entendimento. Obedecem no sentimento e na razão. Você gostaria de viver num lugar assim? Para poder realizar esse sonho, é que a Bíblia foi escrita!

E a obediência, onde entra nessa história? Num reino de liberdade total, as pessoas obedecem às leis que estão em suas mentes. Isso as torna autênticas e confiáveis, pois elas têm uma identidade definida. Elas agem por princípio, não por imposição. As pessoas são boas por natureza, não por força de ameaça, ou por que querem evitar multas. Ninguém pode ser bom por força de lei externa aliada à força do tipo policial, por exemplo. Muito menos podemos ser felizes num contexto assim.

No mundo atual, o pouco de ordem que conseguimos obter é a custa do exercício de força bruta, através de multas, sanções, prisões e, em caso extremo, morte. Isso, do ponto de vista de DEUS, em Sua inteligência infinita, é um loucura (ver I Coríntios 3:19). Não é esse o caminho para encontrar a paz e a felicidade. Não lhe parece estranho o nosso hábito de garantir a paz através de um fantástico arsenal de armas mortíferas? Realmente, é muito contraditório. E ineficaz também. Gera efeito contrário ao desejado: mais lutas e menos paz. Alguém pode ser feliz num contexto assim? Podemos cultivar o amor autêntico em tal situação? O que você acha?

A obediência, do ponto de vista do Céu, é a conformidade com a consciência. Uma consciência fundamentada por código de lei universal, que contenha princípios em vigor em todas as coisas. São iguais para todo o Universo. Nesse caso, onde quer que você esteja, estará agindo corretamente. Assim, desaparecem as fronteiras, pois a lei é a mesma em todos os lugares. Ela é simples e prática; todos a podem entender. Ela é boa, desejada por todos (ver Romanos 7:12 a 14 e 22).

Pelos princípios de DEUS, se todos obedecerem livremente a uma mesma lei, haverá harmonia. Todos se respeitarão por uma questão de princípio, não por que necessitam de algum favor de alguém outro. Não há troca de favores, há desejo de servir uns aos outros. Isso funciona de fato! Para tanto, é preciso entender muito melhor a Lei de DEUS. Ela é uma lei perfeita, porque DEUS é perfeito. Essa lei funciona sempre que for colocada em prática, dando-nos certeza de resultados positivos, nunca resultando em problemas. Isso é verdade, a própria Bíblia o diz. “No coração tem ele a lei do seu DEUS; os seus passos nuca vacilarão” (Salmos 37:31).

As pessoas num ambiente assim, são felizes. Obedecem porque querem obedecer, não porque precisam obedecer. São livres. É diferente do que conhecemos. “Agrada-me fazer a Tua vontade, ó meu DEUS; dentro de meu coração está a Tua lei”(Salmos 40:8).

A felicidade não pode ser encontrada senão obedecendo livremente à lei mais importante do universo, que rege todas as coisas. Essa é a lei do amor. Isso precisamos aprender muito bem, pois sem o devido entendimento, não saberemos como praticar essa lei livremente. E veja, ela somente pode ser praticada livremente; nunca por imposição. Imposição não é admitida no ambiente perfeito do céu. Aqui estamos falando de um reino de liberdade. Esta liberdade depende da lei da liberdade estar no coração das pessoas. “Falai de tal maneira, e de tal maneira procedei, como aqueles que hão de ser julgados pela lei da liberdade” (Tiago 2:12).

Sem dúvida, o reino dos céus é um reino de liberdade. “…onde está o Espírito do SENHOR aí há liberdade” (II Coríntios 3:17).Aqueles que amam, como DEUS ama, são “livres para servir” e “livres para amar” (Salmo 110:3 e S. João 14:31).

Essas são as mais agradáveis características do amor. Podemos ser livres e felizes través do amor, que na realidade é a lei de DEUS para todo o Universo, menos para este nosso planeta que deliberadamente a rejeitou, durante este período em que rege aqui a desobediência. A liberdade completa existe quando as pessoas sabem como proceder para que todos sejam verdadeiramente livres.

Neste mundo, não sabemos, não conhecemos, não fazemos ideia do que seja um lugar onde só o amor é obedecido como princípio do coração. Há um lugar onde todas as pessoas seguem livremente os bons princípios dessa lei universal. Onde todos os cidadãos se amam, são perfeitamente felizes e não conhecem tristeza. Tal lugar existe. “As coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu, e não subiram ao coração do homem, são as que DEUS preparou para os que O amam” (I Coríntios 2:9). Pela Bíblia, sabemos que apenas o nosso planeta foi atingido pelas consequências da desobediência a uma lei tão boa, perfeita e eterna. Num regime assim, realmente, podemos ser felizes para sempre. Quando DEUS planejou o casamento, a família e sua união para sempre, o fez nesse contexto, sob o regime do amor.

Bem sabemos que atualmente não nos encontramos nessas condições perfeitas. Mas podemos, desde já, usufruir, ao menos em parte, a felicidade encontrada sob o amor. É preciso aprender o que é o amor e desaprender o costume de utilizarmos os métodos baseados no ódio. Ao longo desse livro, entenderemos isso melhor.

É verdade, é perfeitamente possível sermos felizes para sempre. Isso não é um sonho, é realidade. Pode ser uma experiência real a qualquer pessoa já no presente. “Para DEUS tudo é possível” (S. Marcos 10:27). A Bíblia contém a resposta que revela o caminho para a mais perfeita paz e felicidade. E como tudo o que DEUS faz é fácil de entender, todos podem saber como obter essa felicidade completa.

Medite na seguintes passagens da Palavra de DEUS, extraídas da versão Bíblia Viva. “Já fui moço; agora sou velho, nunca vi o justo ser abandonado pelo SENHOR. Nunca vi a família do homem que ama ao SENHOR passar fome e necessidade. Pelo contrário; ele é bondoso, ajuda os outros, e sua família é uma bênção.” “Confie no SENHOR (é ter fé) e procure fazer o bem (é agir de acordo com a fé); viva tranqüilamente em seu lugar o ponha a verdade (a Bíblia) em prática. Faça do SENHOR a sua grande alegria. (isto é, seja feliz) Deixe nas mãos do SENHOR tudo o que você for fazer. Confia nÊle de todo o coração e Ele fará o que for necessário” (Salmos 37:25 e 26; 37:3 a 5).

Professor Sikberto Renaldo Marks, Mega Advento, capítulo 3.

Sobre Blog Sétimo Dia

“SOLO CHRISTO”, “SOLA GRATIA”, “SOLA FIDE”, “SOLA SCRIPTURA” (salvação somente em Cristo, somente devido à graça de Deus, somente pela instrumentalidade da fé, somente com base na Escritura)
Esse post foi publicado em Amor, Prof. Sikberto Renaldo Marks, Sermões e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe seu comentário. Tudo o que pedimos é que se mantenha uma cultura de respeito. Isto significa não fazer ataques pessoais, não usar palavrões, e por favor manter o diálogo sobre o tema postado.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s