Tendências hereditárias

Porque Eu sou o Senhor, teu ­Deus, ­Deus zeloso, que visito a iniquidade dos pais nos filhos até à terceira e quarta geração daqueles que Me aborrecem e faço misericórdia até mil gerações daqueles que Me amam e guardam os Meus mandamentos. Êxodo 20:5, 6

Jonathan Edwards viveu de 1703 a 1758 e é considerado um dos maiores teólogos e filósofos americanos do sé­culo 18. O pai era pastor, a mãe, filha de pastor, e a esposa, uma mulher devota. Uma pesquisa revelou que entre os seus 1.394 descendentes conhecidos, havia 13 reitores de universidades, 65 professores universitários, 3 senadores, 30 juízes, 100 advogados, 60 médicos, 75 oficiais do exército e da marinha, 100 pastores e missionários, 60 escritores, um vice-presidente dos Estados Unidos, 80 funcionários públicos, e 295 tinham formação universitária. Em toda grande empresa americana havia um membro dessa família na diretoria. Seus descendentes jamais ­custaram um centavo ao Estado.

Os pesquisadores também decidiram analisar a descendência de Max Jukes, que viveu na mesma época. Jukes era ateu, casou-se com uma mulher descrente, não se interessava nem pelo estudo nem pelo trabalho e viveu uma vida desregrada. Os seus 1.200 descendentes tinham um registro de pobreza, crime, insanidade e imbecilidade.

Desses, 310 morreram na miséria, 440 tiveram um fim trágico por causa de suas maldades, 60 eram ladrões, 130 foram condenados por crimes diversos, mais da metade das mulheres eram prostitutas e 7 eram assassinos. Só 20 aprenderam uma profissão, sendo que dez a aprenderam na prisão.

Aqui está o contraste marcante entre essas duas descendências, demonstrando a verdade bíblica de que tanto os bons como os maus traços de caráter são transmitidos aos filhos, netos, bisnetos e trinetos através das leis da hereditariedade. ­Ellen ­White confirma este fato dizendo: “Más tendências, apetites pervertidos e moral vil, assim como enfermidades físicas e degeneração, são transmitidos como um legado de pai a filho, até a terceira e quarta geração. Esta terrível verdade deveria ter uma força solene para restringir os homens de seguirem uma conduta de pecado” (Patriarcas e Profetas, p. 306).

Entretanto, ninguém precisa se conformar com uma herança maligna, pensando: “Eu nasci torto e vou morrer torto!” Não. Nenhum de nós precisa ser escravo do seu passado. Todos podemos e devemos “vencer toda tendência hereditária e ­cultivada para o mal” (O Desejado de Todas as Nações, p. 671).

Como? Submetendo-nos ao Espírito Santo, o divino “agente de regeneração”.

[Fonte: Meditações Diárias – 2010, p.44]

Sobre Blog Sétimo Dia

“SOLO CHRISTO”, “SOLA GRATIA”, “SOLA FIDE”, “SOLA SCRIPTURA” (salvação somente em Cristo, somente devido à graça de Deus, somente pela instrumentalidade da fé, somente com base na Escritura)
Esse post foi publicado em Meditações Diárias e marcado , . Guardar link permanente.

2 respostas para Tendências hereditárias

  1. W. Frank disse:

    Boa noite!!! Mesmo antes de me tornar adventista, sempre que lia Êxodo 20:5e6 me vinha a mente que parte do verso se referia à carga genética que levamos conosco. Depois de conhecer a doutrina adventista tive a confirmação de que estava certo. Issso nos mostra que o Espírito Santo opera nas mentes de todos que se curvam à estudar as escrituras sagradas. Fiquem com Deus!!!

  2. Galhardo disse:

    Prosperidade financeira ou outra coisa?? “Por isso não deis vossas filhas a seus filhos, e não tomeis suas filhas para vossos filhos, nem procureis jamais a sua paz ou a sua prosperidade; para que sejais fortes e comais o bem da terra, e a deixeis por herança a vossos filhos para sempre.” (Esdras 9.12). Quando na Bíblia fala em prosperidade quase sempre está junto uma maldição, lendo o contexto de Esdras vi q havia uma preocupação dele referente o ajuntamento de povos pagãos e religiosos. “Ora, logo que essas coisas foram terminadas, vieram ter comigo os príncipes, dizendo: O povo de Israel, e os sacerdotes, e os levitas, não se têm separado dos povos destas terras, das abominações dos cananeus, dos heteus, dos perizeus, dos jebuseus, dos amonitas, dos moabitas, dos egípcios e dos amorreus; pois tomaram das suas filhas para si e para seus filhos; de maneira que a raça santa se tem misturado com os povos de outras terras; e até os oficiais e magistrados foram os primeiros nesta transgressão.” (versos 1 e 2). Observe a preocupação dos príncipes quanto há essa união misturada. E depois a indignação de Esdras rasgando as vestes e arrancando cabelos e pelos do corpo, ainda envergonhado perante Deus. (verso 3 e 6). Ele ficou tão revoltado q ficou até a tarde pensando no assunto, e exclamou, pq todos eram entregues e muitas vezes morriam por causas das transgressões. (Verso 5 e 6 e 7). Agora, veja seu lamento e a sua esperança por Deus ter deixado um restante q o relatou sobre esses fatos da miscigenação (consiste na mistura de raças, de povos e de diferentes etnias, ou seja, relações inter-raciais), pagãs. (verso 8). Qual era o problema do povo em si dentro do contexto? Eles (Israel) estavam querendo a prosperidade unindo-se há outros povos e Deus não queria essa união e orientou seus profetas dizendo:” q essas terras eram imundas e abomináveis”. (verso 11-12). “E depois de tudo o que nos tem sucedido por causa das nossas más obras, e da nossa grande culpa, ainda assim tu, ó nosso Deus, nos tens castigado menos do que merecem as nossas iniquidades, e ainda nos deixaste este remanescente; tornaremos, pois, agora a violar os teus mandamentos, e a aparentar-nos com os povos que cometem estas abominações? Não estarias tu indignado contra nós até de todo nos consumires, de modo que não ficasse restante, nem quem escapasse?” (verso 13 e 14). E finalizando ele agradece por Deus ter deixado um REMANESCENTE FIEL para os orientá-lo (verso 15). Bom, mas o q isso tem haver com prosperidade, se o contexto refere-se há união entre famílias sem compromisso com Deus? O capítulo nos serve para analisarmos q a prosperidade q Deus permite ao homem, não é essa q vemos ai (dinheirama). Muitas vezes somos prósperos e não sabemos, temos saúde, temos onde morar temos comidas, temos roupas e sapatos, temos locomoção, temos trabalho e etc. Não conseguimos ver prosperidade nisso tudo. Isso leva-nos a pensar… Somos prósperos por termos os bolsos cheios de dinheiro? Não, não é isso q Deus pensa. Vemos Davi analisar a prosperidade como não sofrer dores, e são robustos de corpo. (salmo 73. 4), e ele (Davi) sentia inveja por isso (verso 3). Além do mais sabia ele q eles era ímpios e assim mesmo conseguia riquezas. (verso 12). Em todos os salmos de Davi analisando com cuidado vemos sempre se referindo a uma prosperidade não financeira, mas em comunhão com Deus. Em salmo 122.1-9, observamos a prosperidade em está livre dos inimigos. “Haja paz dentro de teus muros, e prosperidade dentro dos teus palácios.” (verso 7). Na oração de Ana ela exprime: “O Senhor empobrece e enriquece; abate e também exalta.” (I Samuel 2.7). Poderia alguns dizer: “Olha ai, a confirmação de Ana falando sobre riquezas”, porém não devemos sair fora do contexto referente há sua oração, ela queria ter um filho, e ao conseguir agradece. Quando a Bíblia fala de riquezas ela tenta lembrar sempre ao homem q Deus é originador e governador de tudo q existe no mundo. Salmo confirma isso: “Do Senhor é a terra e a sua plenitude; o mundo e aqueles que nele habitam.” (Salmo 24.1). Temos muito q ainda a aprender. Na história do jovem rico fica claro e conclusivo tudo q tentei relatar:” E Jesus, olhando para ele, o amou e lhe disse: Uma coisa te falta; vai vende tudo quanto tens e dá-o aos pobres, e terás um tesouro no céu; e vem, segue-me. Mas ele, pesaroso desta palavra, retirou-se triste, porque possuía muitos bens. Então Jesus, olhando em redor, disse aos seus discípulos: Quão dificilmente entrarão no reino de Deus os que têm riquezas! “(Marcos 10.21-23). Sabe amigos muitos e muitos e milhares e milhares vão se perderem por causa do maldito dinheiro ou riquezas. Prestei a atenção no contexto a qual o blogger relata. Sei q se trata de descendência; e para não ficar aquela impressão talvez de dinheiro ou riquezas. É q me dispus a escrever isso. Muitos e muitos me condenam e até tentam rebater-me de todas as formas. Cada um sabe o q é melhor para sua vida, porém Jesus condenou amor ao dinheiro e bens. Preste bem atenção nestas palavras de Jesus: “E os discípulos se maravilharam destas suas palavras; mas Jesus, tornando a falar, disse-lhes: Filhos, quão difícil é [para os que confiam nas riquezas] entrar no reino de Deus! É mais fácil um camelo passar pelo fundo de uma agulha, do que entrar um rico no reino de Deus.” (versos 24 e 25). Percebeu? Possuir riquezas, fortunas e muitos bens. Veja como Deus tratava os pobres: “Também não se venderá a terra em perpetuidade, porque a terra é minha; pois vós estais comigo como estrangeiros e peregrinos: Portanto em toda a terra da vossa possessão concedereis que seja remida a terra”.
    Se teu irmão empobrecer e vender uma parte da sua possessão, virá o seu parente mais chegado e remirá o que seu irmão vendeu. E se alguém não tiver remidor, mas ele mesmo tiver enriquecido e achado o que basta para o seu resgate, contará os anos desde a sua venda, e o que ficar do preço da venda restituirá ao homem a quem a vendeu, e tornará à sua possessão.” Percebeu? A TERRA É MINHA DIZ O SENHOR DOS EXÉRCITOS, e acrescentou: Devolverá ao dono anterior(acréscimo meu) em outras palavras ninguém é dono de nada, Deus é q é o dono de tudo. Até mais! Abraço.

Deixe seu comentário. Tudo o que pedimos é que se mantenha uma cultura de respeito. Isto significa não fazer ataques pessoais, não usar palavrões, e por favor manter o diálogo sobre o tema postado.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s