Os 7 Mandamentos da Sabedoria

Exposição de Prov. 3.

Vamos estudar “Os 7 Mandamentos da Sabedoria” encontrados no livro dos Provérbios, que é um livro cheio de sabedoria aplicada. Salomão escreveu este livro e aqui coloca as mensagens da sabedoria de Deus. De início, ele apresenta a Deus falando ao homem, dando um grande conselho.

v. 1: “Filho meu, não te esqueças dos Meus ensinos, e o teu coração guarde os Meus mandamentos.” Aqui temos a voz de Deus falando aos Seus filhos. Ele fala à Igreja daqueles tempos, mas fala também à Igreja do nosso tempo. Ele fala a nós hoje, que aqui estamos adorando ao Senhor.

Ele Se dirige a nós como o nosso Pai. É sempre bom lembrarmos que temos um Pai em nosso Deus. Jesus Cristo nos ensinou a orarmos dirigindo-nos a Ele como o nosso Pai. Pai é uma palavra muito bem escolhida, porque nos inspira a um bom relacionamento com Alguém que sempre quer o nosso bem e o nosso melhor.

Qual é o conselho que nós encontramos aqui? Ele nos dá o conselho mais geral, lógico e fácil de memorizar: “Não te esqueças dos Meus ensinos e guarda os Meus mandamentos.” Esta é a melhor maneira de ensinar a alguém: Ele nos fala no negativo e depois no positivo. Para gravarmos uma mensagem, a melhor maneira é considerarmos os dois lados da moeda, o positivo e o negativo.

Alguns ficam só no negativo, e acabam desequilibrando a sua maneira de educar. Os filhos devem entender que o negativo tem o seu lado positivo também. Não devemos falar apenas no negativo. “Filho, não faça isso!” “Filho, não faça aquilo!” Se lermos atentamente a nossa Bíblia, veremos que há sempre um equilíbrio entre os dois lados. E isso faz parte da nossa psicologia humana. Quando nós ouvimos uma ordem: “Faça isso!” e “Não faça aquilo!” nós gravamos mais a mensagem e somos melhor educados na obediência!

Portanto, Deus nos diz: “Filho meu, não te esqueças dos Meus ensinos e guarda na memória os Meus mandamentos.” Na versão antiga, a palavra em destaque é “lei” no lugar de “ensinos. No original a palavra é “torah” que significa “ensino”, instrução, como traduzido na versão Atualizada. No entanto, “Torah” significa todas as leis de Deus, todo o Seu ensino na Bíblia. Ensinos e mandamentos estão em paralelo como sinônimos. O conselho de Deus é no sentido de que não esqueçamos os Seus ensinos e mandamentos, mas guardemos em nossa memória tal conhecimento precioso, a fim de praticá-los em nossa vida.

Mas qual será o benefício? Qual será a nossa recompensa? V. 2: “porque eles aumentarão os teus dias e te acrescentarão anos de vida e paz.” Queremos nós longevidade? Muitos anos de vida e felicidade? Muita paz e conforto? Esta é a promessa de Deus para quem não se esquece dos Seus mandamentos e os guarda: terá muita vida, vida em abundância.

No nosso tempo, as pessoas gastam fortunas imensas para aumentar os seus anos de vida. Muitos gastam em farmácia, em médicos, especialistas da área, a fim de aumentar os seus anos de vida e satisfação. Pois aqui temos a fórmula divina para conseguir tudo isso de graça: lembre-se dos mandamentos e ensinos de Deus!

Todos os ensinos dados em forma de ordem são mandamentos espalhados por toda a Bíblia. Mas aqui temos no próprio capítulo, quais são os 7 mandamentos da sabedoria de Deus.

QUAIS SÃO OS 7 MANDAMENTOS DA SABEDORIA?

1º Mandamento: Seja bondoso, mas também fiel.

v. 3: “Não te desamparem a benignidade e a fidelidade; ata-as ao pescoço; escreve-as na tábua do teu coração”. Estas qualidades são muito freqüentes no livro dos Salmos. Elas são o fundamento do plano de salvação e o fundamento para o bom relacionamento entre Deus e homens, e os homens e mulheres entre si. Este é o 1° mandamento. Esta é a forma poética que significa: Seja bondoso e fiel. Assim como Deus é bom e fiel, do mesmo modo devemos ser bondosos e fiéis.

A benignidade e a fidelidade são virtudes freqüentemente colocadas juntas, porque estão relacionadas. De nada valeria sermos bondosos, sem fidelidade. Imagine alguém muito bondoso diante de uma pessoa pobre, muito necessitada, passando miséria e fome, que depois de descobrir as suas carências, esse bom homem lhe promete que vai ajudá-la. O pobre se enche de esperança de que agora a sua situação vai mudar. No entanto, passam os dias e o homem bondoso não aparece como prometeu. Isso seria bondade sem fidelidade: ele foi muito bondoso, muito simpático, mas não cumpriu a sua promessa. Não teve fidelidade. A bondade exige que sejamos fiéis para com as pessoas com quem estamos tratando. Se mantivermos a bondade e a fidelidade, seremos verdadeiros e honestos para com todos.

Mas todos os mandamentos de Deus estão mesclados com promessas. Qual é a Sua promessa? V. 4: “e acharás graça e boa compreensão diante de Deus e dos homens.” Aqui está: Nós acharemos graça, ou favor diante de Deus e dos homens. Ou seja, eles vão se agradar de nós. Vamos encontrar simpatia e amor.

2° mandamento: Confie em Deus e não em si mesmo.

v. 5-8. “5 Confia no SENHOR de todo o teu coração e não te estribes no teu próprio entendimento. 6: Reconhece-o em todos os teus caminhos, e Ele endireitará as tuas veredas. 7: Não sejas sábio aos teus próprios olhos; teme ao SENHOR e aparta-te do mal;”

Aqui temos um grande jóia da verdade. A confiança em Deus é a própria base de todas as coisas que devemos fazer. De que modo devemos confiar? De todo o nosso coração. Temos que servir a Deus com inteireza de coração; temos de confiar nEle completamente. Ele não aceita uma confiança pela metade: ou uma pessoa confia em Deus, ou não.

Mas esta é uma lição difícil de praticarmos porque pensamos que somos muito sábios, e começamos a confiar em nós mesmo para a nossa vida, e deixamos de confiar em Deus. Confiamos em nosso entendimento e não reconhecemos a Deus em nossa vida.

Mas como Ele poderia endireitar os nossos caminhos? Se queremos fazer uma viagem, consultemos a Deus e peçamos a Sua direção. Se um jovem quer se casar, por que não entrega o seu desejo a Deus? Muitos tem se dado mal no casamento porque não O colocam nos seus propósitos; pensam que sabem tudo o que é bom para a sua vida. Se alguém quer comprar um terreno, e planeja construir naquele lugar, por que não consultar a Deus? Pode ser que você vá se dar mal, porque muitas coisas podem acontecer e você vir a ser prejudicado.

Portanto, “não sejas sábio aos teus próprios olhos!”
Mas teme ao Senhor, e aparta-te do mal. Se você temer ao Senhor, você vai se apartar do mal, naturalmente. É por isso que a Bíblia está sempre recomendando que tenhamos o temor de Deus diante de nossos olhos. Este é o segredo para confiar em Deus e nos desviarmos do mal. Mas a base deste mandamento é confiar no Senhor.

Qual é a promessa? Qual é a recompensa? V. 8: “será isto saúde para o teu corpo e refrigério, para os teus ossos.” Todos querem saúde para o corpo e para os ossos. Saúde geral, sem reumatismos, sem dor nos ossos. E sem gastos com médicos ou farmácia.

3o Mandamento: Honra ao Senhor com os teus bens.

V. 9: “Honra ao SENHOR com os teus bens e com as primícias de toda a tua renda.”

Nós podemos honrar a Deus com os nossos lábios, cantando louvores a Deus; ou podemos honrá-lO, com o nosso corpo, entregando os nossos talentos; podemos também honrar a Deus em nosso coração, ou saindo para pregar o Evangelho.

Mas aqui Ele está falando especificamente sobre os dízimos e ofertas. Ele nos prova através das nossas posses materiais, a ver se seremos fiéis na devolução daquilo que Lhe pertence. Os dízimos são santos ao Senhor porque são de propriedade exclusiva de Deus. Pertencem a Ele.

E aqui Deus nos diz como devemos entregar os nossos dízimos: “Honra ao Senhor… com as primícias de toda a tua renda.” Primícias significam os primeiros frutos. Deus exige de nós nada menos que o primeiro lugar. Esta é a Sua reivindicação. Não devemos separar aquilo que resta, e se restar; mas quando recebemos nosso salário, a primeira coisa que temos a resolver é o nosso dízimo. Depois, temos de calcular as nossas ofertas, para o avanço da causa do Evangelho. Assim, nós estaremos colocando a Deus em primeiro lugar, e honrando ao Senhor com as primícias de nossas rendas.

Mas Ele ainda nos orienta que os dízimos são “de toda a tua renda”. Ele não aceita apenas uma parte em dízimos. Algumas pessoas dão um dízimo simbólico, e pensam que Deus vai aceitar uma ofertinha como dízimo. Não! O dízimo é 10% de tudo o que ganhamos.

Quanto às ofertas, nós é que calculamos o percentual; Ele nos deixa livres quanto a isso, porque aqui Ele também nos prova. Se podemos dar um bom percentual e damos muito pouco, isso vai ser julgado pelo Seu conselho. Como resultado, em compensação, sofreremos algumas perdas irreparáveis, a fim de aprendermos as lições que Ele tem para nós: lições de fé e confiança.

Mas este mandamento também tem as suas promessas e recompensas: porque Deus é misericordioso, e Ele sabe quão fraca é a nossa fé, especialmente quando se relaciona ao nosso dinheiro, e portanto, para nos encorajar à fidelidade, Ele dá esta maravilhosa promessa: V. 10: “e se encherão fartamente os teus celeiros, e transbordarão de vinho os teus lagares.”

Esta é uma promessa de prosperidade. Se honrarmos ao Senhor com as primícias de toda a nossa renda, teremos cada vez mais das suas abundantes bênçãos. Algumas pessoas estão fazendo a maior apologia contra o dízimo; de fato, eles nada sabem do que significam estas bênçãos de Deus.

Sobre o vinho: “O hebraico tem duas palavras para vinho. Yayin, que significa vinho fermentado, foi usado na passagem condenatória de Pv. 23: 31-35. Tirôsh, usado aqui referindo-se ao produto fresco do lagar, é exatamente o ‘mosto’ ou ‘suco de uva’”. (Com. Moody, Pv. 3:10). A palavra “vinho”, portanto, deve ser entendida como sendo o vinho não fermentado, o puro suco de uva. Nós teremos fartura de comidas e bebidas deliciosas em nossa mesa.

4o Mandamento: Não rejeite a disciplina de Deus.

V. 11-12: “11: Filho meu, não rejeites a disciplina do SENHOR, nem te enfades da Sua repreensão. 12: Porque o SENHOR repreende a quem ama, assim como o pai, ao filho a quem quer bem.”

Algumas pessoas pensam que Deus não nos castiga, não nos repreende, não interfere em nossa vida. Mas a Bíblia diz outra coisa. O Seu castigo é para a disciplina. Disciplina tem o seu lado educativo. Ele muitas vezes nos coloca no fogo da aflição para nos provar, para chamar a nossa atenção para alguma coisa em particular, a fim de nos ensinar algumas lições. Deus pode trazer a adversidade, a tribulação, a privação, e nós podemos estar sendo fustigados por Sua vara da disciplina.

Entretanto, aqui temos a Sua promessa: v. 12: “Porque o SENHOR … ama “. Ele nos dá a certeza do Seu amor. Se estamos sendo disciplinados, isso é para o nosso bem. Somente um Deus de amor sabe o que é melhor para nós. Mesmo passando pela aflição, devemos confiar nesse amor.

5o Mandamento: Guarda a verdadeira sabedoria.

V. 21: “Filho meu, não se apartem estas coisas dos teus olhos; guarda a verdadeira sabedoria e o bom siso”.

Aqui temos a exaltação da sabedoria. De fato, o livro de Provérbios foi escrito para que nós achássemos a sabedoria. E, por extensão, a Bíblia toda foi escrita para que nós achássemos a sabedoria. Portanto, se quisermos conhecer a sabedoria, precisamos estudar a Bíblia e os ensinos de Deus.

Há muita negligência no estudo da Bíblia. Deixamos de estudá-la, para fazer muitas outras coisas que muitas vezes se demonstram sem importância. Trocamos a Bíblia por muitos programas que não edificam a nossa alma e saímos decepcionados e nem sabemos por quê! Perdemos muitas bênçãos de Deus porque deixamos a Sua Palavra de lado! Como seríamos sábios, se buscássemos mais esta sabedoria na Bíblia!

Há uma grande diferença entre a sabedoria falsa e a verdadeira. Há muita sabedoria falsa em nosso mundo. A televisão e todos os meios de comunicação propagam a sabedoria do nosso século. A verdadeira sabedoria está concentrada no Livro de Deus. Mas muitas vezes nós desconhecemos esse tipo de conhecimento maravilhoso que está à nossa disposição facilmente. Basta nós reservarmos um tempo a cada dia, a fim de nos abeberarmos desta fonte cristalina de sabedoria.

Este assunto é tão importante, é tão vital que nós encontramos as maiores promessas para aqueles que buscam, guardam e praticam a sabedoria. Veja comigo nos versos 22-26: “22 porque serão vida para a tua alma e adorno ao teu pescoço. 23: Então, andarás seguro no teu caminho, e não tropeçará o teu pé. 24: Quando te deitares, não temerás; deitar-te-ás, e o teu sono será suave. 25: Não temerás o pavor repentino, nem a arremetida dos perversos, quando vier. 26: Porque o SENHOR será a tua segurança e guardará os teus pés de serem presos.”

(1) Longevidade (2) Beleza (3) Segurança (4) Tranquilidade (5) Destemor (6) Coragem (7) Liberdade. Estas são as 7 recompensas para quem busca e se apropria da verdadeira sabedoria, dada graciosamente por Deus, que é a Fonte de todo o conhecimento.

6o Mandamento: Faça o bem e não pratique o mal.

Vs. 27-30: “27 Não te furtes a fazer o bem a quem de direito, estando na tua mão o poder de fazê-lo. 28: Não digas ao teu próximo: Vai e volta amanhã; então, to darei, se o tens agora contigo. 29: Não maquines o mal contra o teu próximo, pois habita junto de ti confiadamente. 30: Jamais pleiteies com alguém sem razão, se te não houver feito mal”.

Aqui temos uma ordem para fazermos o bem de modo geral e específico. Por que a palavra “a quem de direito”? O que significa isso? Isso se refere ao pronto pagamento das dívidas, porque isso é o que requer a justiça, o direito. Pague os salários e os pague a tempo, isto é, trate o trabalhador com honestidade e justiça.

Logo temos no v. 28, um conceito de generosidade para fazer o bem. Se alguém vem à sua casa pedindo alguma coisa emprestada para atender a uma urgente necessidade, não diga: “Olha, vem amanhã! Amanhã, eu te darei!”, se você tem naquele momento! Você estaria sendo mentiroso, enganador, dando a entender que você não possui aquilo que você de fato tem.

Os vs. 29-30 nos advertem contra ataques não provocados. Algumas pessoas provocam, sem terem sido provocadas. Elas maquinam o mal contra o seu próximo, que está muito confiante e seguro, sem saber que fala com o inimigo gratuito que o ataca, de repente, ou pelas costas ou na sua ausência, e fere a sua reputação.

7o Mandamento: Não tenha inveja do homem violento.

(v. 31): “Não tenhas inveja do homem violento, nem sigas nenhum de seus caminhos.”

Vivemos em um mundo violento. Os pais estão matando os filhos; os filhos estão matando os pais. Os namorados estão matando as namoradas Os policiais estão abusando de sua autoridade e matando civis, inocentes. Esposos estão atirando mulher e filhos janela abaixo. E por aí vai a nossa civilização em um tempo que já foi chamado o “século das luzes”.

O que diz o 7º mandamento deste capítulo? “Não tenhas inveja do homem violento”.

A inveja é um mal em si de qualquer modo: inveja do homem de sucesso, inveja do namorado, inveja da profissão, da sabedoria, ou do salário de outros – tudo isso é um mal, porque disse a Palavra de Deus que “a inveja é a podridão dos ossos”. Mas a inveja do homem violento é muito pior do que todo o tipo de inveja, porque o invejoso pode se tornar igual àquilo que ele inveja.

Mas não é preciso ir muito longe. Basta assistir a certos filmes ou programas violentos, que o caráter vai se formando e os hábitos vão se amoldando, até que as pessoas vão desejando ser iguais aos que são violentos em suas atitudes. Basta viver em um ambiente violento para ser violento. Ao contemplar e admirar as pessoas violentas, muitos chegam a ter inveja deles, de sua força, de sua coragem, de seu destemor, e ignoram os males resultantes disso.

Mas, no próximo verso (32), há uma razão e uma promessa, porque as ordens divinas estão mescladas de razões e promessas, para que sejamos encorajados a usar a razão e ser fortalecidos pelas recompensas, a fim de praticarmos o amor pelo nosso semelhante.

A razão é que Deus abomina o perverso. Ele despreza o perverso porque o perverso O despreza. Deus abomina sua perversidade. Ele odeia a violência e os métodos do perverso para ganhar riquezas.

A promessa é que Ele nos tratará com intimidade. Esta será uma intimidade familiar e confidencial. Ele certamente nos revelará os Seus segredos e a Sua sabedoria.

CONCLUSÃO

A seguir, nos vs. 33-35, temos 3 antíteses. O que é que Deus faz com os que se afastam da Sua sabedoria?

1- Ele amaldiçoa os perversos, mas abençoa a morada dos justos.

2- Ele escarnece dos escarnecedores, mas dá graça aos humildes.

3- Ele envergonha os ímpios, mas honra os sábios.

Mas, falando em sábios, devemos terminar com a grande promessa dentro do mais belo parágrafo, dentro destes 7 mandamentos divinos:

v. 13-14: “13: Feliz o homem que acha sabedoria, e o homem que adquire conhecimento, 14: porque melhor é o lucro que ela dá do que o da prata, e melhor a sua renda do que o ouro mais fino. 15: Mais preciosa é do que pérolas, e tudo o que podes desejar não é comparável a ela. “.

Quer ser melhor do que um homem rico? Mais feliz ainda? Então, busca a sabedoria. Não deixe para depois, “porque melhor é o lucro que ela dá” do que o ouro e a prata.

Estes são os 7 mandamentos da sabedoria. Agora, você já tem mais recursos para agir com entendimento e sabedoria. Vamos ler mais a Palavra de Deus e encontrar esta sabedoria. Vamos praticar o que aprendemos hoje. E, certamente, a bênção de Deus será nossa!

Pr. Roberto Biagini

Sobre Blog Sétimo Dia

“SOLO CHRISTO”, “SOLA GRATIA”, “SOLA FIDE”, “SOLA SCRIPTURA” (salvação somente em Cristo, somente devido à graça de Deus, somente pela instrumentalidade da fé, somente com base na Escritura)
Esse post foi publicado em Cristianismo Prático, Pr. Roberto Biagini, Sabedoria, Sermões e marcado , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Os 7 Mandamentos da Sabedoria

  1. Ana Claudia disse:

    Muito lindo esse texto, escrito com muita sabedoria divina, esse site é uma benção em minha vida, e que seja tambem na vida de muitos!
    Leitores, vamos ser fiel a Deus porque Ele é conosco!

Deixe seu comentário. Tudo o que pedimos é que se mantenha uma cultura de respeito. Isto significa não fazer ataques pessoais, não usar palavrões, e por favor manter o diálogo sobre o tema postado.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s