É Você Supersticioso?

A ansiedade e insegurança caracterizam nosso século. Homens e mulheres vêem-se frente a frente com toda espécie de problemas sociais. Todos nos sentimos esmagados com problemas econômicos, sociais e espirituais. Procurando encontrar a paz no meio de toda esta tensão, o homem, em seu desespero, tem procurado conforto em muitos tipos de superstição.

Recentemente um volante, amplamente distribuído em Nova York, anunciava que por uns poucos dólares seriam solucionados pelo astrólogo e cartomante toda espécie de dificuldades, principalmente problemas relacionados com amor e casamento. Se, na realidade, todas as situações de perplexidade da vida pudessem ser resolvidos por dinheiro, os astrólogos se tornariam multimilionários. Cartomancia e astrologia são profissões muito lucrativas. Os americanos gastam mais de 500 milhões de dólares por ano com elas. É estranho que neste esclarecido século atômico tais superstições sejam ainda praticadas, acrescentando mais um tormento à mente já de si tensa.

Num país um gato preto cruzando a rua seria sinal seguro de maus sucessos para o dia. Quando um espelho se quebrava, muitos criam que durante sete anos a má sorte se seguiria. Há países onde grandes hotéis não possuem o 13º pavimento; depois do 13º vem o 14º. Alguns temem morrer de ataque do coração em quarto n°. 13, ou no pavimento n°. 13. Muitos permanecem no leito na sexta-feira dia 13, como precaução contra qualquer acidente.

Muitos crêem que para ter boa sorte devem conservar uma ferradura sobre a porta de entrada da casa. Uma pessoa revirou um terreno a procura de um trevo de quatro folhas, e quando o achou deu a um amigo seu, dizendo que o pusesse em sua Bíblia, pois dava sorte. Que tem a ver uma folha de trevo com boa ou má sorte? A superstição tem-se tornado causa até de morte súbita.

Conta-se que Fernando IV da Espanha, monarca do Santo Império Romano de 1503-1504, morreu de temor supersticioso, poucos momentos antes de uma execução ordenada, dois condenados continuaram a insistir que eram inocentes. Suplicaram misericórdia, mas o rei obstinadamente negou.

Ao sentirem que toda a esperança estava perdida, amaldiçoaram o rei como vingança momentos antes da execução. Ameaçaram-no de que morreria dentro de trinta dias. O rei ouviu a maldição com um sorriso cínico e deu a ordem de execução. Entretanto, vários dias mais tarde, ele ficou muito doente.

Recuperado da enfermidade, o médico enviou-o a um de seus palácios no campo para repouso e recuperação total. Lembrando-se da maldição, o rei sentiu-se tão angustiado e temeroso que sua enfermidade piorava cada dia. No 13º dia morreu, vítima do temor supersticioso que lhe dominou o coração.

Contradições da Astrologia

Multidões crêem na astrologia. Sua firme convicção é que a posição de certos corpos celestes no dia do seu nascimento lhes influencia toda a existência; conseqüentemente estão sempre prontos a buscar conselho de um astrólogo. A posição de certas estrelas em suas constelações, ao tempo do nascimento de alguém, não tem sobre a pessoa nenhuma influência para o bem ou para o mal, para um casamento feliz ou infeliz, ou para sucesso ou fracasso nos negócios. O que tem influência é a espécie de lar em que nasceu, o ambiente em que cresceu e o tipo de educação e ensinamentos morais que haja recebido. Isto sim é que determinará se será bem ou mal sucedido na vida.

Há diferentes contradições nas predições dos astrólogos, quiromantes e outros desta classe.

Tempos atrás um cavalheiro, desejando pôr a prova as pretensões dos astrólogos, visitou 24 deles na cidade de Nova York, pagando de 20 centavos a dois dólares cada entrevista. O primeiro lhe disse que no próximo ano ele cairia num rio e morreria afogado; o segundo predisse que no ano de 1960 ele faria apreciável contribuição para a ciência nuclear; o terceiro, que ele faria voto de celibato e entraria num convento. O quarto predisse que ele se casaria sucessivamente com onze mulheres de diferentes nacionalidades, cada uma com diferente cor de cabelo; o quinto, que ele divorciaria duas vezes no correr de sua vida. Outro astrólogo predisse que ele se tornaria ator famoso, e outro prognosticou-lhe que o dia 3 de outubro seria seu dia fatal.

Felizmente nenhuma dessas predições se cumpriu. Ao contrário, no seu dia supostamente fatal, teve o seu melhor momento: recebeu um cheque do governo como devolução por excesso de imposto de renda. Cada um dos vinte e quatro astrólogos lhe predissera diferente sorte; não houve dois que dissessem a mesma coisa Se houvesse qualquer coisa autêntica na astrologia, este homem teria recebido exatamente a mesma resposta de todos eles. Isto prova que não há conhecimento científico do nosso futuro na astrologia. Ela não passa de sutil conjetura.

A razão por que os astrólogos, cartomantes, quiromantes, etc., são hoje algumas das pessoas mais prósperas é que o povo se sente inseguro, assoberbado de preocupações, angústias e ansiedade. Aflitos por encontrar alguma solução para seus problemas pessoais, querem saber o que o futuro lhes reserva.

“Em Cheyenne, Wyoming, o juiz ofereceu a uma cartomante profissional que havia enganado certo número de pessoas com suas falsas predições, a suspensão da sentença se ela adivinhasse a quantos dias de prisão a corte julgadora a condenara. A cartomante, Olga Rambova; hesitou, e então respondeu:

‘Penso que são trinta dias, mas fora condenada a vinte e cinco dias.” A cartomante não sabia. Se ela não podia adivinhar, menos ainda saber, coisa tão simples, como poderia tentar mostrar a seus clientes o futuro destes? A cartomancia não passa de obra astuciosa.

O Sábio Plano de Deus

Deus, em Sua infinita sabedoria, tomou sábia previdência em favor do homem. Não temos que viver senão um dia de cada vez. O dia de hoje é nosso! Deus velou o futuro. Suponhamos que uma pessoa saiba que irá morrer do coração no dia do seu nascimento, aos 40 anos. Não há dúvida que ela seria infeliz todos os dias de sua vida. Tal pessoa viveria como condenado sentenciado à forca, esperando angustiosamente a hora fatal. Por outro lado, como se sentiria uma amante esposa se soubesse que aos 35 anos ficaria viúva? Tal existência se tornaria insuportável.

Prezados amigos, é melhor para nós não sabermos o futuro. Deus deseja que desfrutemos cada dia de nossa vida como ele se nos apresente. Se o homem pusesse sua confiança na guia e graça de Deus, vivendo em harmonia com os Seus Dez Mandamentos, todos os problemas da vida presente e da futura seriam resolvidos.

Anos atrás um pastor visitou o Egito. Contratou um guia árabe para levá-lo à grande pirâmide. Enquanto subiam, o guia lhe contou a história da grande estrutura. Ao chegar em cima, o guia, que também pretendia ser astrólogo, apontou em certa direção e, com o olho no lucro, disse que a pirâmide estava geometricamente situada em relação a certas estrelas, de maneira que ele poderia contar ao seu cliente o futuro deste.

– Sou astrólogo – disse o guia – e tenho disto profundo reconhecimento. Não há outro lugar no mundo onde as predições sejam tão exatas. Se me pagar bem em dólares americanos, poderia predizer-lhe o futuro.

O pastor respondeu: – No que respeita ao passado, meus pecados estão perdoados e esquecidos; quanto ao presente, sinto-me feliz no serviço do meu Mestre; e quanto ao futuro sei que viverei eternamente com Deus em Sua glória. Que melhor sorte poderia predizer-me?

O guia teve de admitir que embora fosse maometano, jamais poderia predizer mais maravilhoso futuro.

A Santa Bíblia – Nosso Melhor Guia

O que o homem necessita hoje é de solução para seus problemas pessoais, de sentimento de segurança e felicidade e coragem pala olhar o futuro com confiança e paz de mente. Tudo isto a Santa Bíblia pode dar. Se o homem aceitar este Santo Livro, dado para levar felicidade à humanidade, ele pode enfrentar a vida com fisionomia alegre, e viver rica e nobremente.

Leiam o que o Senhor Jesus Cristo disse no famoso Sermão do Monte, quanto ao que Ele oferece a cada alma humana:

S. Mat. 6:30-33 : “Pois, se Deus assim veste a erva do campo, que hoje existe e amanhã é lançada no forno, quanto mais a vós, homens de pouca fé? Portanto, não vos inquieteis, dizendo: Que havemos de comer? ou: Que havemos de beber? ou: Com que nos havemos de vestir? (Pois a todas estas coisas os gentios procuram.) Porque vosso Pai celestial sabe que precisais de tudo isso. Mas buscai primeiro o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.”

Uma vez que fomos todos criados à imagem de Deus, havendo sido feitos seres morais, sem dúvida Ele terá mais cuidado de nós do que das flores e ervas do campo, que não conhecem a ansiedade pelo futuro. Se nós tão-somente déssemos a Deus o primeiro lugar em nossa vida, poderíamos estar certos de que todas as nossas necessidades materiais e os desejos do nosso coração seriam supridos.

É a Bíblia Realmente a Palavra Inspirada de Deus?

Durante a Idade Média ninguém teria ousado descrer da importância e inspiração da Santa Bíblia. Nesse tempo ela era apenas ligeiramente suplantada por outros escritos religiosos.

Há um século atrás a Bíblia era considerada o mais notável de todos os livros em todas as nações civilizadas lo mundo. Sendo lida nos lares e obedecidos os seus ensinos na vida de cada um, o povo desfrutava paz, tranqüilidade e confiança. As famílias consideraram os seus ensinos como fundamentais para a felicidade e prosperidade.

Havendo o Racionalismo varrido o mundo, começaram os homens a especular sobre o “porque” das coisas, e procuraram encontrar evidências irrefutáveis para tudo. Este espírito investigativo produziu grandes descobertas e invenções as quais devemos agradecer. Mas quando este mesmo espírito penetrou o campo da religião, levou à dúvida e ao cinismo.

Os escolásticos desejavam prova extrabíblica para toda afirmação da Santa Escritura, a fim de consagrarem sua fé na inspiração deste Livro. Com tal atitude muitos começaram a duvidar das Santas Escrituras. Houve alguns que disseram: “Que há m Bíblia que os homens não poderiam ter escrito?” E citavam homens como Platão, Aristóteles e Maomé como inspirados tanto quanto os escritores da Bíblia.

Arqueologia

Cristo em Seus dias sabia que isto aconteceria. “Digo-vos que, se estes se calarem, as próprias pedras clamarão.” S. Luc. 19:40.

Sim, quando os racionalistas, modernistas e liberais começaram a silenciar o Livro com as assim chamadas provas de erros, então as pedras – o que significa as descobertas arqueológicas – começaram a clamar em altas vozes na defesa das verdades da Bíblia.

Origem da Escrita Alfabética

Em sua tentativa para provar que a Bíblia não era de origem divina, alguns disseram que os cinco primeiros livros do Velho Testamento, chamados “Pentateuco,” não podiam ter sido escritos por Moisés 15 séculos antes de Cristo porque, diziam, nesse tempo o alfabeto não havia sido inventado, estando ainda em uso o sistema de hieróglifos. Sustentavam que o alfabeto não existia até o 12º século antes de Cristo. Mas esta afirmação tem sido contraditada por recentes descobertas arqueológicas.

Os arqueólogos verificaram que no tempo de Moisés havia em uso um alfabeto de 29 letras, chamado proto-hebreu ou protocaldeu. Como prova apresentam o seguinte: Uma mulher que estava por acaso andando um dia no deserto entre Tebas e Mênfis, no ano de 1887, encontrou uma coleção de cerca de 350 tabletes de argila em meio de algumas ruínas. Esses tabletes eram escritos em caracteres cuneiformes. Eram cartas escritas pelos chamados “satélites” do Egito.
Essas cartas revolucionaram o conhecimento que se tinha da situação política da Palestina durante os séculos 14 e 15 A. C. Neles são mencionadas as cidades de Jerusalém, Laquis, Megido e Gezer. Alguns desses tabletes se referem à invasão dos “habiros,” em Canaã. “Habiros” considera-se pelos arqueólogos como sendo os hebreus.

Esta descoberta agitou o mundo da filosofia e da arqueologia, pois provava que a escrita alfabética existia nos séculos XIV a XV antes de Cristo, e confirmava a invasão da Palestina pelos hebreus.

Como a Bíblia predissera, as pedras clamam para defender a possibilidade de haver Moisés sido autor dos cinco livros inspirados, dando maior autenticidade a seus escritos.

Como segunda prova, em 1929 foi descoberta uma biblioteca em Ras-Shamra, um lugar ao nordeste da costa Síria, não muito distante de Alexandria. Esta biblioteca fora fundada cerca do ano 1.500 A. C., pelo rei Ugar, também chamado Nigmed. Os tabletes de argila neste caso eram também escritos em pequenos caracteres cuneiformes, com um alfabeto de 29 letras o mesmo proto-hebreu ou protocaldeu. Eles constituem prova adicional de que Moisés poderia ter sido o autor do Pentateuco.

Os arqueólogos nos têm dado desde então centenas de outras provas com suas escavações no Egito e Palestina e áreas circunjacentes, de que a Palavra de Deus é de fato a verdade.

O próprio nosso Senhor Jesus Cristo, quando na Terra, reconheceu sem sombra de dúvida que Moisés fora um dos escritores do VT, conforme podemos ver no evangelho de S. João, cap. 5, versos 46 e 47.
Por aqui podemos ver que quem professa ser seguidor de Cristo está obrigado a crer na veracidade e inspiração dos escritos do libertador do povo de Deus do Egito, Moisés.

Inspiração e Profecia Provadas pelas Descobertas Arqueológicas

Os homens podem escrever história, poesia, filosofia, leis, romance, mas há um tipo de literatura que não podem imitar. O homem não pode profetizar o que irá acontecer no futuro.

Deus desafia o homem, através do seu hagiógrafo Isaías, que em 750 A. C. escreveu:

Isa. 46:9 e 10 : “Lembrai-vos das coisas passadas desde a antigüidade; que eu sou Deus, e não há outro; eu sou Deus, e não há outro semelhante a mim; que anuncio o fim desde o princípio, e desde a antigüidade as coisas que ainda não sucederam; que digo: O meu conselho subsistirá, e farei toda a minha vontade”

Alguns dizem que tantas falsas profecias têm circulado, que perderam a fé em todas as profecias. Este argumento é de pouca consistência. Que se poderia imaginar um homem que recusasse uma nota de 100 reais pelo fato de existirem notas falsas de 100 reais em circulação? Dir-se-ia tratar-se de um tolo, não é verdade? A existência de profecias falsas é um sinal de que há profecias verdadeiras, porque o erro voa nas asas da verdade.

No sexto século A. C., Creso, rei da Lídia, consultou o oráculo de Delfos sobre a conveniência de invadir a Média. O oráculo de Delfos respondeu: “Se atravessares o rio Halis, destruirás um grande império.” Ele atravessou o rio e destruiu um grande império: o seu próprio.

A declaração do oráculo fora ambígua. Ele não dissera qual o império que seria destruído. As profecias de Deus jamais são ambíguas. Elas são claras e definidas. No livro do Apocalipse é prometida uma bênção aos que estudam a profecia:

Apoc. 1:3 : “Bem-aventurado aquele que lê e bem-aventurados os que ouvem as palavras desta profecia e guardam as coisas que nela estão escritas; porque o tempo está próximo.”

(1) Prova de antigas profecias não derivam de antigos testemunhos, mas hoje podemos prová-los por nós mesmos.

(2) Cada novo cumprimento da profecia acrescenta maior validade às profecias. Não há prova adicional num milagre, mas na profecia há contínua evidência.

(3) Quanto mais antiga a data em que a profecia foi dada, mais convincente é seu cumprimento.

A Profecia Sobre Tiro e sua Confirmação pela Arqueologia

Passo a citar alguns fatos. No sexto século A. C., Ezequiel fez uma importante profecia quanto ao antigo e próspero porto comercial de Tiro, na costa mediterrânea:

Ezeq. 26:3, 4, 12 e 14 : “portanto assim diz o Senhor Deus: Eis que eu sou contra ti, ó Tiro, e farei subir contra ti muitas nações, como o mar faz subir as suas ondas. Elas destruirão os muros de Tiro, e derrubarão as suas torres; e eu varrerei o seu solo, e dela farei uma rocha descalvada.” “Também eles roubarão as tuas riquezas e saquearão as tuas mercadorias; derrubarão os teus muros e arrasarão as tuas casas agradáveis; e lançarão no meio das águas as tuas pedras, as tuas madeiras, e o teu solo.” “e farei de ti uma rocha descalvada; viras a ser um enxugadouro das redes, nunca mais serás edificada; pois eu, o Senhor, o falei, diz o Senhor Deus.”

Isto foi cumprido. O primeiro ato da dramática destruição de Tiro foi executado por Nabucodonosor de Babilônia, durante o 6º século A. C., quando ele veio e invadiu a cidade. Não lhe foi esta uma tarefa fácil, pois durante 15 anos sitiou a cidade, antes de poder conquistá-la. Como vingança deixou-a em completa ruína. Tiro tinha sido bela e era venerada por seus habitantes em virtude da presença ali dos tronos de Baal e Astarote. Muitos anos mais tarde os ambiciosos cidadãos reconstituíram a cidade cerca de 1 Km fora da costa, numa ilha. Achavam eles que ela estaria mais garantida para o futuro e desencorajaria os imperialistas ditatoriais de sitiá-la.

Agora, o segundo ato do drama de Tiro! Alexandre o Grande, conquistador mundial, desejou pôr Tiro sob seu domínio. Em 332 A. C. a cidade da ilha era centro de comércio internacional. Alexandre, hábil general, construiu uma estrada da costa para a ilha, usando rochas e outros materiais – tudo que estivesse ao alcance de sua mão, inclusive pedras dos fundamentos da antiga cidade. Ele necessitava de abundante material, de maneira que varreu cada pedaço de pedra, deixando nuas as rochas.

Com esta proeza de Alexandre, a profecia cumpriu-se. Tiro foi destituída. Foi deixada como uma penha descalvada e desolada onde os pescadores estendem suas redes para secar.

Se vocês pudessem visitar Tiro hoje, vocês veriam alguns pescadores reparando suas redes e secando-as sobre suas rochas.

Se os ateus e agnósticos quisessem desacreditar a Santa Bíblia e desmentir a Deus, bastar-lhes-ia tão-somente organizar uma pequena corporação com capital suficiente para reconstruir uma dúzia de casas no sítio da antiga Tiro. Mas Deus disse no sexto século antes de Cristo que ela jamais seria habitada, E Sua Palavra não falha, mesmo depois de dois milênios.

Profecia Sobre a Grande Cidade de Babilônia

Outra profecia, dada no ano 750 antes de Cristo, por meio do hagiógrafo Isaías, também prova que a Bíblia é inspirada Pelo Espírito Santo e que Deus tem em Sua mão a História:

Isa. 13:19-22 : “E Babilônia, a glória dos reinos, o esplendor e o orgulho dos caldeus, será como Sodoma e Gomorra, quando Deus as transtornou. Nunca mais será habitada, nem nela morará alguém de geração em geração; nem o árabe armará ali a sua tenda; nem tampouco os pastores ali farão deitar os seus rebanhos. Mas as feras do deserto repousarão ali, e as suas casas se encherão de horríveis animais; e ali habitarão as avestruzes, e os sátiros pularão ali. As hienas uivarão nos seus castelos, e os chacais nos seus palácios de prazer; bem perto está o seu tempo, e os seus dias não se prolongarão.”

Esta profecia tem encontrado o seu cumprimento justo em nossos dias. Babilônia foi a mais bela cidade de todos os séculos. Os seus jardins suspensos ultrapassam tudo o que o mundo já conheceu. No ano 539 ela foi invadida pelos Medo-Persas e perdeu um pouco de sua beleza. Mais tarde, quando os gregos atacaram a cidade, ela foi parcialmente destruída.

Mas quando Alexandre o Grande retornou da Índia, procurou reconstruir Babilônia. Entretanto, sua morte repentina e prematura não o permitiu, e a partir de então sua população decresceu progressivamente.

Ao fim do primeiro século de nossa era, Babilônia foi completamente abandonada, e agora é um grande montão de ruínas. Árabes, chamados “beduínos,” vivem em suas vizinhanças, mas não em Babilônia propriamente. Eles vivem em tendas e pastoreiam seus rebanhos através do deserto. Mesmo os árabes que guiam e assistem os arqueólogos recusam-se a permanecer à noite em suas ruínas. Duas horas antes do Sol se pôr, aproximadamente, eles se retiram para voltarem na manhã seguinte ao erguer-se o Sol. Há o boato supersticioso de que se transforma em vampiro e fica possuído de mau espírito, quem ali passe a noite.

Assim esta profecia tem-se cumprido de maneira maravilhosa ante nossos olhos, e a arqueologia testifica do fato. Se os ateus desejam provar que a Santa Bíblia não é inspirada, por que não procuram reconstruir Babilônia? Provas como estas nos convencem de que a Bíblia é divinamente inspirada.

Há nas Sagradas Escrituras mais de mil profecias Algumas delas esclarecem as presentes condições de nosso mundo presente e também o futuro. Também as profecias cumpridas nos dão a infalível prova de que a Bíblia é inspirada pelo Espírito Santo de Deus.

Bíblia Versus Tradição

Há alguns que sinceramente afirmam que a Bíblia não contém toda a verdade, e que a tradição é igualmente fonte inspirada da verdade. Pretendem eles que a tradição é necessária para suplementar as omissões da Santa Bíblia. Dizem mais que a razão é uma terceira fonte de inspiração pela qual novas crenças podem ser acrescidas quando necessário.

Como argumento em favor desta posição dizem que Jesus pregou somente pela palavra. Ele não escreveu nada. Assim, muitas verdades e dogmas só puderam ser transmitidos oralmente pela tradição dos apóstolos aos Pais da Igreja, na fase da igreja primitiva. O texto de S. João 21:25 é usado como base: Mas esta referência se aplica unicamente às coisas que Jesus fez, como por exemplo curar enfermos e operar milagres, e nada tem que ver com doutrina alguma.

Ora, eu creio sinceramente na tradição, e tenho pena dos que não crêem na tradição pura e inalterada. Muitos dos ensinos advindos por tradição são verdadeiros e nos ajudam a compreender melhor certas porções do Sagrado Volume. Por outro lado, na tradição encontramos muita coisa interessante que não é inspirada. Mas a tradição, como bem o sabe todo bom teólogo e historiador, tem sido imperceptivelmente mudada e acréscimos têm sido feitos, em virtude da transmissão oral de geração a geração.

Todo ensino da tradição que estiver em harmonia com os ensinamentos das Santas Escrituras devem ser aceitos; todo dogma de tradição que contradiga o ensino das Escrituras deve ser rejeitado, não se considerando como inspirado, porque a Santa Bíblia declara: “Toda a Palavra de Deus é pura.” Outra versão diz : “Toda a Palavra de Deus é provada no fogo.” Prov. 30:5. O texto declara enfaticamente que a Palavra de Deus é “pura,” “provada no fogo.” Assim é evidente que qualquer tradição que não seja contrária às Santas Escrituras deve ser aceita como vontade de Deus. O Espírito Santo inspirou os escritores da Bíblia, e Deus não Se contradiz nem mente!

No último livro da Bíblia, o maravilhoso Apocalipse, encontramos a seguinte afirmação:

Apoc. 22:18 e 19 : “Eu testifico a todo aquele que ouvir as palavras da profecia deste livro: Se alguém lhes acrescentar alguma coisa, Deus lhe acrescentará as pragas que estão escritas neste livro; e se alguém tirar qualquer coisa das palavras do livro desta profecia, Deus lhe tirará a sua parte da árvore da vida, e da cidade santa, que estão descritas neste livro.”

A mesma verdade é exposta em Provérbios: “Nada acrescentes às suas Palavras, para que não te repreenda e sejas achado mentiroso.” Prov. 30:6.

Estas duas declarações escriturísticas inspiradas revelam o fato de que a Santa Bíblia contém tudo o que é necessário para nossa salvação e gozo na vida. Aquele que alterar a verdade contida na Bíblia terá de considerar seriamente as seguintes advertências dadas por Jesus Cristo:

S. Mat. 15:3 e 9 : “Ele, porém, respondendo, disse-lhes: E vós, por que transgredis o mandamento de Deus por causa da vossa tradição?” “Mas em vão me adoram, ensinando doutrinas que são preceitos de homem.”

São Paulo escreve enfaticamente: “Para que em nós aprendais a não ir além do que está escrito.” I Cor. 4:6. Está subentendido nesta passagem que há homens que desejam impor doutrinas que não estão escritas nas Santas Escrituras, e que tais ensinos devem ser rejeitados pelos fiéis seguidores da fé de Cristo. Portanto, quem professa ser seguidor de Cristo, o Filho da bendita virgem Maria, e dos ensinos dos santos apóstolos, jamais deverá aceitar a tradição que contradiga a Bíblia.

Quanto Vale o Conhecimento Bíblico

Cerca do ano 1.000 antes de Cristo, um dos Salmos apropriadamente descreveu o valor da sabedoria dos Santos Escritos:

Sal. 119:99 : “Tenho mais entendimento do que todos os meus mestres, porque os teus testemunhos são a minha meditação.”

A pessoa que medita nesses testemunhos, as Santas Escrituras, sabe mais que os sábios homens de ciência, não obstante todo o conhecimento que tenham adquirido.

Seguras Promessas de Deus

Tomem nota destas seguras promessas de Deus, que valem milhões de vezes mais que todas as superstições e predições de astrólogos ou quiromantes:

Sal. 37:3-5 : “Confia no Senhor e faze o bem; assim habitarás na terra, e te alimentarás em segurança. Deleita-te também no Senhor, e ele te concederá o que deseja o teu coração. Entrega o teu caminho ao Senhor; confia nele, e ele tudo fará.”

Aqui está uma promessa que deve ser prezada mais que ouro e prata. Sim, uma jovem pode perfeitamente orar pedindo que Deus lhe dê o que deseja o seu coração: um bom esposo e um lar feliz. O jovem pode pedir guia para encontrar uma boa esposa com quem desfrutará a vida. Deus responderá a cada desejo que for para o nosso bem. É maravilhoso ter tão amante Deus, que Se interessa pelo nosso bem-estar!

Imaginem uma viúva privada do seu marido. Foi deixada com uma porção de filhos pequenos. Para quem se voltará em busca de consolo e auxílio? Eis aqui o que diz a Escritura:

Sal. 68:5 : “Pai de órfãos e juiz de viúvas é Deus na sua santa morada.”

Sim, Ele toma especial cuidado de viúvas e órfãos. Ele não os deixará sozinhos.

Uma pessoa poderá estar desempregada. Necessita de trabalho para sustentar sua família. Mas pode contar com esta maravilhosa promessa de ajuda em tempo de necessidade:

Sal. 37:25 e 28 : “Fui moço, e agora sou velho; mas nunca vi desamparado o justo, nem a sua descendência a mendigar o pão.” “Pois o Senhor ama a justiça e não desampara os seus santos. Eles serão preservados para sempre, mas a descendência dos ímpios será exterminada.”

Pode haver um ancião ou anciã, desesperados da vida por causa de desapontadoras circunstâncias. Eles encontrarão auxílio na Palavra de Deus. Aqui está a promessa de Deus a eles:

Sal. 34:6 e 7 : “Clamou este pobre, e o Senhor o ouviu, e o livrou de todas as suas angústias. O anjo do Senhor acampa-se ao redor dos que o temem, e os livra.”

Há alguém sofrendo de ansiedade, temor e insegurança? Considere a certeza, segurança e auxílio que nosso Pai Celestial pôs à disposição dessa alma turbada. Não é isto melhor do que o que as cartomantes oferecem?

Isa. 41:10 : “não temas, porque eu sou contigo; não te assombres, porque eu sou teu Deus; eu te fortaleço, e te ajudo, e te sustento com a destra da minha justiça.”

Pode haver alguém a quem os inimigos perseguem. Se tal pessoa crê nas Santas Escrituras e obedece a seus conselhos, é feita a seguinte promessa:

Heb. 13:5 e 6 : “Seja a vossa vida isenta de ganância, contentando-vos com o que tendes; porque ele mesmo disse: Não te deixarei, nem te desampararei. De modo que com plena confiança digamos: O Senhor é quem me ajuda, não temerei; que me fará o homem?”

Assim, meus amigos, fora com superstições tais como astrologia e quiromancia, que tão-somente nos tira o gozo da vida, não passando de desperdício de dinheiro. Que as Escrituras se tornem sua mais cara posse na vida! Ela suprirá vossas necessidades diárias.

A Bíblia, Único Guia Seguro para a Vida

Num hospital militar de Berlim, nos últimos dias da Segunda Guerra Mundial, havia uma seção cheia de feridos sem esperança. À meia-noite de um certo dia, a enfermeira de serviço saiu correndo para outro setor do hospital, a fim de chamar o médico interno. Ela necessitava de sua ajuda para um doente que estava agonizando. Ao chegarem à sala dos enfermos viram com surpresa o enfermo de pé, em atitude militar, tendo na mão estendida uma Bíblia.

Ele exclamou com as derradeiras forças aos outros enfermos: “Seja como for, é verdade tudo que está escrito neste livro!” Então caiu sobre o leito e cerrou os olhos para sempre. É maravilhoso morrer com tão abençoada certeza.

Mas em contraste, um incrédulo uma vez disse:

– Há uma coisa que me tira todo o gozo de viver.
– Que é? – perguntou-lhe um amigo.
Ele aduziu:
– Temo que as Santas Escrituras contenham a verdade a que o homem tem de obedecer.

Em vez de lhe prover conforto, o Livro de Deus o condenava. Uma pessoa assim vive contra suas convicções quando a consciência esclarecida lhe diz que Deus tem um propósito para ela explanado na Santa Bíblia.

O Poder das Sagradas Escrituras

Este santo Volume também oferece consolo, esperança e poder ao pecador mais vil e destituído de esperança. Quando uma pessoa lê e relê certas porções das Santas Escrituras, ela se convence de que “Cristo Jesus veio ao mundo para salvar os pecadores” e restaurar a paz de espírito e confiança.

Certo capitão de navio, homem ímpio, foi acometido de uma enfermidade fatal no meio do oceano. Chamou então o médico de bordo. Este lhe disse:

– Capitão, o senhor não viverá mais de 24 horas.
O capitão ficou aterrado. Não estava preparado para morrer.
Imediatamente mandou chamar o imediato, um homem de nome Guilherme.

– Guilherme, disse ele – o médico declarou que eu não tenho mais de 24 horas de vida. Gostaria que tomasse uma Bíblia e lesse alguma coisa para mim. Preciso de ajuda; por favor, ore por mim.

O imediato respondeu:
– Capitão, o senhor em todos estes anos nunca me deu uma ordem que eu não pudesse executar, mas agora o senhor me dá uma ordem que me é impossível cumprir. Não tenho uma Bíblia e não sei orar.

Então o capitão disse:
– Pode retirar-se. Envia-me o segundo piloto.
O imediato saiu e foi chamar Tomás. E vieram juntos ao capitão. Este dirigiu-se ao segundo piloto:
– Tomás, o fio de minha vida está prestes a ser cortado. Gostaria que tomasse uma Bíblia e lesse um pouco para mim, e orasse comigo. Eu estou morrendo.
E Tomás respondeu:
– Capitão, tenho sempre executado suas ordens, mas esta não posso; não tenho Bíblia e não sei orar. Minha mãe ensinou-me quando eu era menino, mas eu esqueci. Porém tenho visto uma Bíblia nas mãos do ajudante de cozinheiro chamado William Platt.
– Chame-o imediatamente – disse o capitão.
Tomás foi à cozinha onde o rapaz estava trabalhando, e disse:
– William, tome sua Bíblia e subamos à cabina do capitão.
William tomou a Bíblia e dirigiu-se à cabina do capitão.
O comandante lhe disse:
– Quero que leia alguma coisa sobre a misericórdia de Deus para com um pecador como eu.

De início o jovem não sabia o que ler. Lembrou-se então de um capítulo que sua mãe lia muitas vezes, o 53 de Isaías, que tão maravilhosamente retrata o amor de Jesus pelos pecadores. Assim ele começou a ler. E chegou ao versículo 5, onde diz, falando de Jesus:

“Ele foi ferido pelas nossas transgressões, e moído pelas nossas iniqüidades: o castigo que nos traz a paz estava sobre Ele, e pelas Suas pisaduras fomos sarados.” O capitão disse:
– Isto é o que eu precisava ouvir. Pode ler outra vez?
E o jovem leu as mesmas palavras de novo. Encorajado pela resposta do capitão, ele disse:
– Capitão, o senhor gostaria que eu lesse este verso como minha mãe ensinou-me a lê-lo ?
– Claro leia o verso exatamente como sua mãe lhe ensinou. Então William tomou o verso, e em lugar da palavra “nossas” ele pôs o seu próprio nome no texto. Lenta e reverentemente, leu: “Ele foi ferido pelas transgressões de William Platt e moído pelas iniqüidades de William Platt; o castigo que traz a paz a William Platt estava sobre Ele, e pelas Suas pisaduras William Platt foi sarado.”

Nesta altura o capitão estava meio erguido na cama. Então ele disso ao rapaz:

– Filho, leia outra vez, e ponha o nome do capitão aí. E o jovem reverentemente leu: “Ele foi ferido pelas transgressões do capitão João Clout e moído pelas iniqüidades do capitão João Clout; o castigo que traz a paz a João Clout estava sobre Ele, e pelas Suas pisaduras João Clout foi sarado.”

O capitão caiu sobre o travesseiro e repetiu palavra por palavra este belo texto, pondo o seu próprio nome no devido lugar. Finalmente a luz do Céu inundou Sua alma entenebrecida. Ele aceitou Aquele que salva perfeitamente.

“Se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas passaram, eis que tudo se fez novo.” Este é o único Livro que, no meio de vicissitudes e provas da vida comuns a todos nós, pode oferecer verdadeira instrução, conforto, coragem e esperança para as horas negras da vida.

Conclusão

Meus amigos, que este Santo Livro seja por todos aceito.

A ciência e a arqueologia testificam do fato de que a Bíblia é a verdadeira Palavra de Deus. O conteúdo do Livro nos dá suficientes provas de que os profetas e apóstolos foram inspirados por Deus. A profecia aponta também infalivelmente para o fato de que Deus está dirigindo todas as coisas e que a Bíblia é na verdade a Palavra do Céu.
Recebam no coração esta maravilhosa promessa: “Lâmpada para os meus pés é a Tua Palavra, e luz para o meu caminho,” Sal. 119:105. Ela lhes servirá como verdadeira filosofia de vida!

Não diveríamos ler pelo menos uma pequena porção da Bíblia cada dia? Ao mesmo tempo que ela revela a enormidade de nossos pecados e julga nossas obras, produz paz em nosso coração e lares. Ela nos abençoará com a satisfação de uma vida bem vivida e nos levará ao nosso lar celestial. Não podemos perder esta vida futura.

Predito no Livro de Deus, este Lar ultrapassa tudo que astrólogos, cartomantes, quiromantes e outros possam predizer para nosso futuro. Ele será nossa eterna habitação. Viremos as costas então a toda enganosa revelação humana e aceitemos as Santas Escrituras como a única e verdadeira fonte de divino conselho para nosso conforto, esperança e guia na vida.

Pr. Walter Schubert
Anúncios

Sobre Blog Sétimo Dia

“SOLO CHRISTO”, “SOLA GRATIA”, “SOLA FIDE”, “SOLA SCRIPTURA” (salvação somente em Cristo, somente devido à graça de Deus, somente pela instrumentalidade da fé, somente com base na Escritura)
Esse post foi publicado em Pr. Walter Schubert, Sermões, Superstição e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe seu comentário. Tudo o que pedimos é que se mantenha uma cultura de respeito. Isto significa não fazer ataques pessoais, não usar palavrões, e por favor manter o diálogo sobre o tema postado.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s