Desilusões Dispensacionalistas

Você pode não ter consciência disso, mas a grande maioria dos autores cristãos, radialistas e produtores de televisão que falam sobre “o final dos tempos” tem aceitado um único sistema de interpretação profética chamado “Dispensacionalismo”. se estes próprios professores tem reconhecido este não tão pequeno detalhe, ou não, uma coisa é óbvia: eles costumam colocar o povo judeu no epicentro dos eventos previstos que acontecerão no planeta Terra antes do fim do mundo. Infelizmente, o sistema do Dispensacionalismo tem em si grandes falhas. Não só isso, mas também estão inclusos alguns inesperados elementos anti-judaicos, como você está prestes a observar.

De modo geral, o dispensacionalismo ensina que Deus tem trabalhado em toda a decante história humana em fases distintas, épocas, ou dispensações. Nos tempos do Antigo Testamento, Ele trabalhou através de “Israel” e requeriu que os judeus guardassem “a lei”, ao passo que nestes tempos do Novo Testamento Ele opera através “da igreja” e proclama “a salvação pela graça” – isto é, até que um evento chamado “arrebatamento” leve “a igreja” para o céu.

Então todo o inferno vai cair na terra.
Então, “os sete anos de tribulação” começarão.
Então um Anticristo infame vai ganhar o controle do mundo.
Em seguida, o Anticristo irá arregimentar suas forças contra os judeus.

Este cenário está agora a ser ensinado em todo o mundo, na TV, rádio, livros e artigos, e na Internet, ainda que o não-tão-pequeno detalhe acima mencionado seja simples: esses ensinamentos fazem parte do sistema do dispensacionalismo. É verdade que os próprios dispensacionalistas são principalmente pró-Israel, e que um de seus ensinamentos cardeais é o de que Deus defenderá os judeus no Armagedom. Mas quando nos aprofundamos, nós descobrimos que apenas uma pequena parte deles vai ser protegida. Chocante, dois terços dos israelenses serão abatidos em um segundo Holocausto.

Obviamente, esta não é uma boa notícia para o povo judeu.

A enciclopédia da Internet, Wikipedia, define o dispensacionalismo da seguinte maneira:

Dispensacionalismo é uma tradição evangélica protestante cuja teologia é baseada na hermenêutica bíblica, que vê uma série de sucessivas “dispensações” ou períodos cronológicos na história nos quais Deus se relaciona com os seres humanos de diferentes formas e sob diferentes pactos bíblicos. O sistema do dispensacionalismo está enraizado nos escritos de John Nelson Darby. A teologia do dispensacionalismo consiste de uma perspectiva escatológica distinta dos “tempos finais”, todos os dispensacionalistas defendem o pré-milenismo e o arrebatamento pré-tribulação. Os Dispensacionalistas acreditam que a nação de Israel é distinta da Igreja … “(1)

A Wikipedia é 100% correta ao relatar que o “Dispensacionalismo” vê a “nação de Israel” como “distinta da igreja” e que este sistema profético inclui uma “perspectiva escatológica distinta dos “tempos finais””, geralmente acompanhada da crença em “um arrebatamento Pré-Tribulação “. No entanto, um problema pegajoso raramente mencionado é que (como mencionado acima), a maioria dos dispensacionalistas acreditam também que, após o “arrebatamento”, forças sinistras terão como alvo milhões de judeus não arrebatados durante a tribulação, que a maioria dos judeus sofrerá horrivelmente, e que milhões deles serão aniquilados num banho de sangue como um pesadelo, antes da Segunda Vinda de Cristo. Um Proeminente dispensacionalista chamado John Walvoord francamente confessou que durante a Tribulação, “dois terços dos filhos de Israel na terra perecerão” (2).

Na verdade, esta é uma doutrina dispensacionalista. Tal horrenda previsão a respeito dos judeus poderia ser apropriadamente chamada de “o segredo sujo do Dispensacionalismo”.

Pessoalmente, eu não compraria tal doutrina, e é o objetivo deste artigo desmantelar alguns erros enganosos do Dispensacionalismo.

Primeiro de tudo, a noção de que Deus salvou os judeus do Antigo Testamento por lei, mas agora salva cristãos do Novo Testamento, pela graça, não é apenas sutilmente anti-judaica em si, mas é totalmente anti-bíblica. A Graça começou com a queda de Adão e a primeira entrada do pecado (ver Romanos 5:20), ou a humanidade teria sido exterminada imediatamente. Antes do dilúvio, Noé achou graça aos olhos do Senhor “(Gênesis 6:8). Ao longo da história de xadrez de Israel, seu povo achou graça também. Mesmo antes Deus escreveu os Dez Mandamentos no Monte Sinai, os israelitas saíram do Egito com segurança por causa do sangue dos cordeiros mortos aspergido sobre as portas (ver Êxodo 12), tipificando sua graça messiânica. O sangue quente dos animais mortos aspergido pelos sacerdotes judeus acima dos dez mandamentos dentro do Santuário, no Dia da Expiação também proclamou a salvação pela fé em Jesus Cristo, e não através da lei. Na verdade, antes mesmo de Israel existir como nação, Deus Todo-Poderoso “anunciou primeiro o evangelho a Abraão” (Gálatas 3:8) centrado no Calvário.

Por outro lado, há uma abundância de declarações sobre eles obedecendo a lei no Novo Testamento (leia Romanos 2:25,26, 3:31, 7:12, 8:4; Efésios 6:1-3; Tiago 2:10 -12). A verdade é que Deus tem usado a “lei” para mostrar aos pecadores os seus pecados (tanto judeus como gentios) e para criar uma necessidade da fé e da graça (cf. Romanos 5:19-20, Gálatas 3:24). Assim, não é que a “Lei do Velho Testamento foi Substituída pela graça do Novo Testamento”, mas sim que a “Lei cria a necessidade da Graça” por toda parte. Em Gálatas 3:11, Paulo esclareceu que “nenhum homem é justificado pela lei perante os olhos de Deus”, e ele cita o Antigo Testamento para provar isso. Em última análise, toda a graça está centrada em Jesus Cristo, e se as pessoas viviam na época do Antigo Testamento, quando o Seu sacrifício foi prenunciado pelos cordeiros mortos, ou nos tempos do Novo Testamento, após seu sacrifício ser realizado no Calvário, como o próprio Mestre disse: “Ninguém vem ao Pai senão por mim “(João 14:6, grifos nossos).

“Nenhum homem” significa nenhum, quer judeu ou grego.

Em outras palavras, todo aquele que atinge o céu vai chegar lá apenas por causa de Jesus Cristo e seu sacrifício, isto é, pela Sua graça. Assim, quando dispensacionalistas ensinam que os judeus do Antigo Testamento alcançaram a salvação em qualquer caminho através da lei, ou que lhes foi negado o evangelho, quer eles façam idéia ou não, eles estão ensinando uma sútil e falsa doutrina anti-judaica. A verdade é que Deus amou os judeus do Antigo Testamento, tanto como Ele ama os cristãos do Novo Testamento, e a ambos os grupos sempre lhes foi oferecida a esperança através de um salvador.

E este salvador ama ambos os grupos ainda hoje.

Em segundo lugar, é fictícia a idéia dispensacionalista que faz separação entre Israel e a igreja. No Dia do Pentecostes judaico, 3.000 judeus foram batizados por meio da pregação de Pedro e foram acrescentados a igreja “(Atos 2:41,47). Se você perguntasse a Pedro e aos discípulos se eles eram parte de “Israel” ou da “Igreja”, o que eles diriam? A resposta é óbvia. Eles responderiam os dois! A mais antiga igreja cristãi foi quase inteiramente uma Igreja judaica até os gentios se juntarem as suas fileiras.

Terceiro: o Arrebatamento. O cenário dispensacionalista do fim dos tempos começa com os cristãos sendo “arrebatados” para o encontro de Jesus nos ares o que os dispensacionalistas interpretam como um evento silencioso e secreto ocorrendo sete anos antes do fim. Errado de novo. Uma leitura cuidadosa de 1 Tessalonicenses 4:16 e 17 revela que os verdadeiros crentes serão “arrebatados” (verso 17) quando Jesus literalmente descer do céu em sua segunda vinda com “grande brado”, “á voz do arcanjo” e “ao som da trombeta de Deus”. Não há nada de silêncioso ou secreto nesse evento. Como o artigo da Wikipedia afirmou correctamente, a doutrina do arrebatamento pré-tribulação é realmente “enraizada” nos ensinamentos do teólogo do século 19 “John Nelson Darby”

Quarto: o mito da tribulação de sete anos. Surpreendentemente, não há nenhum verso em toda a Bíblia que ensina especificamente uma “tribulação de sete anos”.Cheque em qualquer concordância. Simplesmente não existe. Daniel 9:27 é o mais freqüente verso citado para apoiar a “Teoria dos sete anos de tribulação”, mas o próprio versículo não diz nada do tipo. Na verdade, a grande maioria dos antigos comentaristas cristãos – como Matthew Henry, Adam Clarke, Jamieson e Faucett & Brown – colocam Daniel 9:27 durante o tempo em que o próprio Jesus “confirma a nova aliança” fazendo “cessar os sacrifícios e ofertas” pela sua morte na cruz.

Quinto: um final sangrento que abaterá dois terços dos judeus que vivem em Israel. Tal ensino horrendo é baseado quase que inteiramente num único verso – Zacarias 13:8. No entanto, o Novo Testamento coloca o versículo anterior (versículo 7) diretamente no tempo de Cristo (comparar com Mateus 26:31). Não há previsão no livro de Apocalipse sobre a aniquilação de dois terços de todos os judeus que vivem em Israel pelo Anticristo antes da volta visível do Senhor, nem que os israelitas seriam alvo de um massacre.

Em conclusão, devemos prestar maior atenção à advertência do Mestre: “Vede que ninguém vos engane” (Mateus 24:4) – especialmente quando se trata de nossos amigos judeus, e de interpretações da profecia. Nestes dias turbulentos de Delírios dispensacionalistas dizendo que “A Lei” era somente para os judeus do Antigo Testamento e não para os cristãos, a distinção entre Israel e a Igreja, o arrebatamento, os sete anos de tribulação, e um suposto abate de dois terços de todos os israelenses, vamos fazer tudo o que pudermos para compartilhar “o evangelho eterno” (Apocalipse 14:6) com todos, tanto judeus e gentios, antes da Segunda Vinda.

Não se deixe enganar por falsas profecias.Vamos manter a verdade bíblica sólida.

1. http://en.wikipedia.org/wiki/Dispensationalism
2. Israel in Prophecy, by John Walvoord, p. 108. Zondervan (1988).

………………………………………………………………………………….

Artigo de autoria de Steve Wohlberg traduzido diretamente do site White Horse Media. Steve Wohlberg é  autor de 22 livros, participou como convidado de mais de 500 programas de rádio e televisão, tem falado por convite especial dentro do Pentágono e do Senado dos E.U.A., e foi apresentado duas vezes no The History Channel em documentários sobre o livro do Apocalipse. Ele também escreve uma coluna mensal para Wisconsin Christian News.  O Sr. Wohlberg atualmente vive em Priest River, Idaho, com sua esposa Kristin, seu filho Seth, a sua filha Abigail, e seu golden retriever. Os Wohlbergs são membros da igreja adventista de Newport Washington.

Sobre Blog Sétimo Dia

“SOLO CHRISTO”, “SOLA GRATIA”, “SOLA FIDE”, “SOLA SCRIPTURA” (salvação somente em Cristo, somente devido à graça de Deus, somente pela instrumentalidade da fé, somente com base na Escritura)
Esse post foi publicado em Artigos Traduzidos - White Horse Media, dispensacionalismo e marcado , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Desilusões Dispensacionalistas

  1. Adriel Lima disse:

    Preciso de mais materiais sobre a relação entre a doutrina da dispensação e a Lei de Deus. Pelo que entendi os dispensacionalistas querem afirmar que Deus trata a humanidade de diferentes formas de acordo com a época e que portanto os Cristãos após Cristo fazem parte da dispensação da graça, e estão desobrigados da dispensação dos Judeus de guardar os mandamentos.
    Por favor se tiverem mais materiais sobre o assunto, me forneçam. Preciso montar um estudo sólido sobre esse tema. Porque tenho dado estudos biblicos para um amigo da batista nacional. O mesmo ja tinha aceitado a verdade do sábado, mas foi confundido e enganado por um irmão da sua igreja que apresentou a doutrina da dispensação pra ele. Me ajudem nessa! tem uma vida em jogo! rsrsrs… Abraços,

Deixe seu comentário. Tudo o que pedimos é que se mantenha uma cultura de respeito. Isto significa não fazer ataques pessoais, não usar palavrões, e por favor manter o diálogo sobre o tema postado.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s