Ensinamentos Bíblicos Acerca do Divórcio

DIVORCIO

O propósito original de Deus

O divórcio contraria o propósito original de Deus ao instituir o casamento (Mat. 19:3-8; Mar. 10:2-9), mas a bíblia não é omissa a esse respeito. Visto que o divórcio ocorreu como parte da decaída experiência humana, foi provida uma legislação bíblica para limitar o dano causado por ele (Det. 24:1-4). A bíblia procura coerentemente elevar o casamento e desaconselhar o divórcio, descrevendo as alegrias do amor e da fidelidade conjugal (Prov. 5:18-20); Cantares de Salomão 2:16;4:9 a 5:1, comparando a relação de Deus com o Seu povo ao casamento (Isa. 54:5; Jer. 3:1), enfocando as possibilidades do perdão e da restauração matrimonial (Oséias 3:1-3) e indicando a aversão de Deus ao divórcio e à desdita causada por ele (Mat. 19:4-6; Mat. 10:6-9). Muitas instruções bíblicas confirmam o casamento e procuram corrigir problemas tendentes a debilitar ou destruir o fundamento do matrimônio (Efés. 5:21-33; Hebr. 13:4; I Ped. 3:7).

Casamentos que podem ser destruídos

O matrimônio se baseia em princípios de amor, lealdade, exclusividade, confiança e amparo mantidos por ambos os cônjuges, em obediência a Deus (Gên 2:24; Mat. 19:6; ICor. 13; Efés. 5:21-29; I Tess. 4:1-7). Quando estes princípios são violados, o casamento corre perigo. As escrituras reconhecem que trágicas circunstâncias podem destruir o casamento.

Graça Divina

A graça divina é o único remédio para os males do divórcio. Quando o casamento falha, os ex-cônjuges devem ser encorajados a examinar sua experiência e buscar conhecer a vontade de Deus para sua vida. O Senhor provê conforto para os que foram feridos. Deus também aceita o arrependimento de indivíduos que cometem os pecados mais destrutivos, até mesmo os que acarretam conseqüências irreparáveis (II Sam. 11; 12; Sal. 34:18; 86:5; Joel 2:12 e 13; João 8:2-11; I João 1:9).

Motivos para divórcio

As escrituras admitem que o adultério e/ou a fornicação (Mat. 5:32), bem como o abandono da parte de um cônjuge incrédulo (I Cor. 7:10-15) constituem motivos para divórcio.

Ensinamentos Bíblicos Acerca do Novo Casamento

Não há nas Escrituras nenhum ensinamento direto acerca do novo casamento após o divórcio. Entretanto, nas palavras de Jesus, em Mateus 19:9, encontra-se uma forte indicação da possibilidade do novo casamento da pessoa que permaneceu fiel, embora seu cônjuge tenha sido desleal ao voto matrimonial.

A Atitude da Igreja Adventista do 7º dia quanto ao Divórcio e o Novo Casamento

Reconhecendo os ensinamentos da Bíblia acerca do casamento, a Igreja está ciente de que as relações matrimoniais, em muitos casos, ficam aquém do ideal. O problema do divórcio e do novo casamento só poderá ser observado em seu verdadeiro aspecto quando for encarado à luz do Céu e contra o fundo histórico do Jardim do Éden. O ponto central do santo plano de Deus para o nosso mundo foi a criação de seres feitos à Sua imagem, que se multiplicassem e enchessem a Terra, e vivessem juntos em pureza, harmonia e felicidade. Ele criou Eva do lado de Adão, e deu-a a Adão como sua mulher. Foi assim instituído o casamento – sendo Deus o autor da instituição e Deus o oficiante do primeiro casamento. Depois de o Senhor revelar a Adão que Eva era verdadeiramente osso de seus ossos e carne de sua carne, nunca lhe poderia surgir na mente dúvida alguma de que os dois fossem uma só carne. Nem podia surgir na mente de nenhum dos componentes do santo par, dúvida alguma de que Deus pretendesse que o seu lar tivesse duração eterna.

Este conceito do matrimônio e do lar, a Igreja adota sem reserva, crendo que qualquer degradação deste alto ponto de vista é uma correspondente degradação do ideal celestial. A crença de que o casamento é uma instituição divina tem a sua base nas Escrituras. Nessa conformidade, todo pensamento e argumento no intrincado terreno do divórcio e novas núpcias deve ser constantemente harmonizado com o santo ideal revelado no Éden.

A Igreja crê na lei de Deus; crê, também, na misericórdia perdoadora de Deus. Crê que a vitória e a salvação podem ser tão seguramente encontradas pelos que transgrediram nesse assunto do divórcio e de novo casamento, quanto por parte dos que fracassaram em qualquer das outras santas normas divinas. Nada do que é aqui apresentado tem a intenção de diminuir a misericórdia ou o perdão de Deus. No temor do Senhor, é aqui apresentado o que a Igreja crê serem os princípios e as regras que devem ser aplicados neste assunto do casamento, do divórcio e de novas núpcias.

Conquanto o casamento tenha sido realizado primeiramente por Deus só, reconhece-se que as pessoas vivem agora sob governos civis neste mundo; portanto, o casamento tem dois aspectos: o divino e o civil. O aspecto divino é regulado pelas leis de Deus; o civil, pelas leis do Estado.

Em harmonias com estes princípios, as seguintes declarações enunciam a atitude da Igreja Adventista do 7º dia:

1- Quando Jesus disse: “Não o separe o homem”, estabeleceu uma norma de procedimento para a Igreja, sob a dispensação da graça, que devia sempre transcender todas as legislações civis que ultrapassassem a interpretação divina da lei de Deus que governa a real ação matrimonial. Dá Deus aí, para Seus seguidores, uma regra que devem seguir, quer o estado ou o costume em voga permitam maiores liberdades, quer não. “No sermão do monte, Jesus afirmou claramente que não podia haver dissolução do laço matrimonial, a não ser por infidelidade ao voto conjugal”. – (Mat. 5:32; 19:9).

2- A infidelidade ao voto matrimonial geralmente tem sido considerada como alusão a adultério e/ou fornicação. No entanto a palavra que no Novo Testamento e traduzida por “fornicação” ou “prostituição”, abrange algumas outras irregularidades sexuais. (I Cor. 6:9; Tim. 1:9 e 10; Rom. 1:24-27). Portanto, as perversões sexuais, inclusive o incesto, o abuso sexual de crianças e as práticas homossexuais, são também identificadas como abuso das faculdades sexuais e violação do desígnio divino no casamento. Como tal, são um motivo justo para separação ou divórcio. Se bem que as Escrituras permitam o divórcio pelas razões apresentadas mais acima, assim como pelo abandono da parte de um cônjuge incrédulo (I Cor. 7:10-15), devem ser feitos esforços diligentes, pela igreja e pelas pessoas envolvidas, para efetuar uma reconciliação, instando com os cônjuges para que manifestem, um ao outro, um espírito de perdão e restauração semelhante ao de Cristo. Recomenda-se que a igreja lide amorosa e redentivamente com o casal, a fim de ajudar no processo de reconciliação.

3- No caso de não se conseguir a reconciliação, o cônjuge que permaneceu fiel ao consorte que violou o voto matrimonial tem o direito bíblico de requerer divórcio, bem como tornar a casar-se.

4- O cônjuge que violou o voto matrimonial (Ver parágrafos 1 e 2, mais acima) estará sujeito à disciplina da igreja local. (Ver Manual da Igreja, Capítulo 14, Disciplina Eclesiástica, Págs. 185-200). Se estiver genuinamente arrependido (a), ele (ou ela) poderá ser posto (a) sob censura por um determinado período de tempo, ao invés de ser removido do rol de membros da igreja. O cônjuge que não der provas de pleno e sincero arrependimento, será removido do rol de membros da igreja. No caso de a violação haver causado opróbrio público para a causa de Deus, a igreja, a fim de manter suas altas normas e bom nome, poderá remover o indivíduo do rol de membros, embora haja prova de arrependimento. Qualquer dessas formas de disciplina deverá ser aplicada pela igreja local de tal maneira que procure atingir os dois objetivos da disciplina eclesiástica: corrigir e resgatar. No evangelho de Cristo, o aspecto redentivo da disciplina está sempre ligado à autêntica transformação do pecador numa nova criatura em Jesus Cristo.

5- O cônjuge que violou o voto matrimonial e se tenha divorciado, não tem o direito moral de casar-se com outra pessoa enquanto o cônjuge que permaneceu fiel ao voto matrimonial ainda vive e permanece sem casar-se e casto. Se ele (ou ela) casar-se, se for membro da Igreja, também será removida do rol de membros da Igreja.

6- Reconhece-se que , às vezes, as relações matrimoniais deterioram-se a tal ponto que é melhor o marido e a esposa se separarem. “Aos casados, ordeno, não eu mas o Senhor, que a mulher não se separe do marido (se, porém, ela vier a separar-se, que não se case, ou que se reconcilie com seu marido); e que o marido não se aparte de sua mulher”( I Cor. 7:10 e 11). Em muitos desses casos, a guarda dos filhos, o ajuste dos direito de propriedade, ou mesmo a proteção pessoal, podem tornar necessária uma modificação do status matrimonial. Em casos tais pode ser permissível obter o que em alguns países se chama separação legal. Entretanto, em algumas jurisdições civis, essa separação só pode ser obtida por meio do divórcio. A separação ou o divórcio que resulta de tais fatores como violência física ou em que não está envolvida a “infidelidade ao voto matrimonial” (Ver parágrafos 1 e 2, mais acima), não dá a nenhum dos cônjuges o direito bíblico de tornar a casar-se, a menos que no ínterim a outra parte se tenha casado, haja cometido adultério ou fornicação, ou tenha morrido. Se um membro da igreja que se tenha assim divorciado tornar-se, sem estas razões bíblicas, ele (ou ela), será removido (a) do rol de membros da igreja; e quem se casar com ele (ou ela), se for membro da igreja, será também removido. (ver Manual da Igreja, pág. 195)

7- O cônjuge que tenha violado o voto matrimonial, se tenha divorciado, tenha sido removido do rol de membros da igreja e se tenha casado novamente, ou quem se tenha divorciado por motivos outros que não os apresentados nos parágrafos 1 e 2, e se tenha casado novamente e sido removido da igreja, será considerado inelegível à qualidade de membro da igreja, exceto nos casos previstos a seguir.

8- O contrato matrimonial não só é mais sagrado mas também infinitamente mais complexo do que outros acordos em suas possíveis complicações; por exemplo, o fator dos filhos. Portanto, num pedido de readmissão à qualidade de membros da igreja, as opções acessíveis à pessoa arrependida podem ser severamente limitadas. Antes que a decisão final seja tomada pela igreja local, o pedido de readmissão será submetido pela igreja, por intermédio do pastor ou dirigente distrital, à comissão diretiva da Associação/Missão, para conselhos e recomendações quanto a quaisquer possíveis passos que a pessoa ou as pessoas arrependidas devam dar para conseguir tal readmissão.

9- A readmissão na igreja dos que tenham sido removidos pelos motivos apresentados nos parágrafos precedentes, sê-lo-á normalmente sob a condição de rebatismo. (ver Manual da Igreja, pág. 199).

10- Quando a pessoa que tenha sido removida do rol de membros for por fim readmitida na igreja, segundo estabelece o parágrafo 8, deverá exercer-se todo o cuidado possível para salvaguardar a unidade e a harmonia na igreja, não dando a essa pessoa responsabilidade como líder; especialmente em cargos que exija o rito da ordenação, a menos que o caso seja cuidadosamente considerado com a administração do campo local.

11- Nenhum pastor adventista do sétimo dia tem o direito de oficiar em uma cerimônia de segundas núpcias de pessoa que, sob a estipulação dos parágrafos precedentes, não tenha o direito bíblico de tornar-se a casar-se.

Fonte: Manual da Igreja Adventista do 7º dia – Edição 2005 Rev. e Comentário Bíblico Adventista.

Sobre Blog Sétimo Dia

“SOLO CHRISTO”, “SOLA GRATIA”, “SOLA FIDE”, “SOLA SCRIPTURA” (salvação somente em Cristo, somente devido à graça de Deus, somente pela instrumentalidade da fé, somente com base na Escritura)
Esse post foi publicado em Divórcio, Família e marcado , , . Guardar link permanente.

11 respostas para Ensinamentos Bíblicos Acerca do Divórcio

  1. JOSIEL TEIXEIRA LIMA disse:

    E.G.W. Pode contradizer a si mesma, mas a PALAVRA de DEUS, jamais. Ela nos orienta para que comparemos o que ela diz, com o que a bíblia nos diz. Caso haja contradições, que deixemos de lado seus argumentos e coloquemos a Bíblia acima de TUDO! Se o casamento, como ela mesma diz, é VITALICIO, e a PALAVRA de DEUS assim confirma ( Rom. 7: 2-3), tudo bem, mas quando EG W se contradiz,volvemos nossos olhos para :UM ASSIM DIZ O SENHOR.

  2. JOSIEL TEIXEIRA LIMA disse:

    Shalom, Robson!

    Robson não é com alegria que escrevo este e-mail…
    Infelizmente estive passando por muitos momentos difíceis nesses últimos meses, desviei o meu olhar do AUTOR DA MINHA SALVAÇÃO e estive sendo atraído pelas tentações do nosso grande inimigo. A princípio, foram apenas umas entradas inocentes, em salas de bate-papo, depois em outras salas impróprias…

    Não tenho mais o que falar, pois fiquei sabendo, você já deve estar a par de tudo…Aline me contou nesta madrugada que, já esteve falando com você por duas vezes. Lamento muito pelo que fiz a ela nestes últimos meses, fazendo-a sofrer. Não sei todas as palavras que ela que ela falou, mas não retiro nada do que ela falou a você…

    Na noite que passou, estive estudando com um irmão (ainda não batizado), mas que já estudávamos a Bíblia por algum tempo…Agora ele quer estudar comigo, para ajudar-me passar em concurso e em vestibular…Estávamos lendo um livro de um, autor, o qual ele me dizia “Este autor é muito espiritual”. Depois falamos do que o autor já escreveu e ainda tem escrito para o bem da humanidade…eu comentei que ele (o autor) não perdeu tempo com coisas inúteis…Cheguei, também a comentar com ele que estava perdendo tempo me salas de bate-papo, mas sem entrar em detalhes…Senti-me envergonhado com a vida que estava levando. Voltei pra casa pensando em mudar de vida…voltar ao “Caminho e a Verdade e a VIDA”.

    Depois ele comentou que eu conheço muito da Bíblia e que tenho uma mente privilegiada, e que isso, futuramente ainda iria ser muito útil, mas que deveria preocupar-me também com o meu lado profissional, com o meu futuro…

    Foi só então, depois que saí desse estudo com ele…que pude sentir-me envergonhado do que estava fazendo com minha vida…Pois percebi que por todos os lados o SENHOR estava cercando-me, para socorrer-me…

    Quando você me mandou e aquele e-mail “Help”. Percebi claramente que era eu quem precisava de ajuda…mas não aceitei…pois, voltando a dedicar o meu tempo a estudar e pesquisar a Escritura Sagrada e a escrever como fazia antes, estaria sendo salvo das armadilhas de Satanás e ao mesmo tempo ajudando outras pessoas com matérias para o site: adventistas.com. Além de você, outras pessoas,também escreveram pra mim ( telefonaram-me) pedindo para preparar um estudo sobre a Trindade…e, também, sobre outros assuntos, mas não consegui. Estava hipnotizado pelos laços do maligno…

    Na madrugada, como já falei, Aline ma confidenciou que já havia ligado a você duas vezes e haviam conversado por longo tempo. Então, lembrando-me da conversa que tive com o irmão (e a confiança que ele tem em mim) quando, na noite anterior, estudávamos na UnB…vi que realmente Yahweh e Seu Amado Filho Yeshua e os santos anjos, todos ainda estão dispostos a ajudar-me…( Digo, isto, porque houve momento em que pensei já ter ido longe de mais…falo, baseado no que está escrito em Eclesiastes 8: 1-3 ( um compromisso meu com o meu Rei e Salvador). E eu deixei de observar o mandamento do Rei e de cumprir os votos do meu juramento)…

    Não posso enumerar às vezes que pedi perdão ao nosso Pai celestial…mas os recusei, pois não mudei de atitude. Não sei quantas vezes pedi ajuda a Ele…mas as recusei, quando me foram enviadas, pois estava amando o pecado. Mas nesta madrugada, mas uma vez pedi PERDÃO E FORÇAS para vencer o meu EU e as minhas fraquezas carnais…e Graças ao nosso SENHOR e SALVADOR YESHUA, Aline já me PERDOOU. Creio também que por meio do sangue do Cordeiro, o meu Advogado e Intercessor, o meu Pai celestial também já me PERDOOU.

    É verdade que tenho que pedi PERDÃO, pessoalmente, a muitas pessoas…

    Como diz o Professor Pedro Apolinário:” Já não errou quem reconheceu o seu erro”. Parafraseando Provérbio 28:13, a Escritura Sagrada completa a frase do professor, dizendo: “ E o deixou ( abandonou o erro)”.

    Por isso, quero, por meio deste e-mail, pedir PERDÃO a você e sua família e as demais pessoas envolvidas (àquelas que sabem e àquelas que não sabem do problema que tenho enfrentado).

    Não foi fácil e não está sendo fácil, pois o pecado deixa marcas em alto e/ou baixo relevo. Mas marcas são marcas…estou consciente que daqui pra frente serei olhado com outros olhos…pois quem “ semeia vento colhe tempestade”.( Oséias 8:7). Contudo, ainda confiou no meu SALVADOR que acalma as tempestades da vida e pode fazer nova todas as coisas, principalmente, fazendo um transplante em mim. Tirando o meu coração de pedra e colocando em mim um novo coração, um coração de carne.

    “Yahweh te abençoe e te guarde; Yahweh faça resplandecer o rosto sobre ti e tenha misericórdia de ti; Yahweh sobre ti levante o rosto e te dê a paz”. ( Num. 6:24-26).

    Josiel

    JOSIEL TEIXEIRA LIMA josielteli@hotmail.com
    josielteli@yahoo.com.br
    Sei que diante de DEUS minha VERDADEIRA esposa é ALINE, com a qual me casei diante de DEUS no dia 1 de Outubro de 1997, no civil e religioso. Ela me perdoou, mas mesmo assim quero ficar com a garota da INTERNET.
    Aproveitando o espaço,leiam meus artigos no site do Robson Ramos,(www,adventistas.com) meu companheiro e amigo. Ele tambem confessa o seu pecado de ADULTÉRIO no mesmo site. LEIAM!!!!!

  3. JOSIEL TEIXEIRA LIMA disse:

    APELO A PASTORES E LÍDERES

    MÃOS LIMPAS E CORAÇÕES PUROS.

    Aproximamos-nos do juízo, e aqueles que apresentam a mensagem de advertência ao mundo devem ter mãos limpas e coração puro. Devem manter viva comunhão com Deus. Os pensamentos devem ser puros e santos, a alma sem mácula, devem o corpo, a alma e o espírito ser uma oferta pura e limpa a Deus, ou Ele NÃO a aceitará…. Os jovens, por ofensas de natureza relativamente leves, são tratados com muita severidade. Mas quando homens e mulheres de ampla experiência, que têm sido considerados modelos de piedade, se revelam em seu verdadeiro caráter – não santificados, sem santidade, de pensamentos impuros, de conduta degradante – então é tempo de tais pessoas serem tratadas de maneira decisiva. A maior tolerância que para com eles é exercida, só tem tido, tanto quanto eu tenha conhecimento, a influência de fazer com que considerem sua FORNICAÇÃO e ADULTÉRIO como coisa muito leve, e toda a sua pretensão tem-se demonstrado semelhante ao orvalho da manhã quando sobre ele brilha o sol.

    FALSOS PASTORES DO REBANHO.

    Tão logo são colocados sob a tentação, já revelam seus defeitos morais – que não são “participantes da natureza divina”,e nem escaparam ” da corrupção, que, pela concupiscência, há no mundo” ( II Pedro.1:4), mas são mundanos, sensuais, diabólicos. Neles encontra Satanás algo que ele pode transformar em acentuada iniquidade, e aproveita a oportunidade. O resultado é que os que pretendem ser pastores do rebanho têm mente carnal, conduzindo á licenciosidade e lascívia as ovelhas que estão sob seus cuidados, cuja pureza, modéstia e virtude eles deveriam guardar estritamente.

    COISA MALDITA NO ACAMPAMENTO.

    Os anjos do Céu contemplam isso com VERGONHA, TRISTEZA e AVERSÃO. Como podem os anjos puros do Céu ministrar a essa classe? Como podem eles levar luz do Céu ás assembléias em que tais pastores estão defendendo a Lei de DEUS. mas quebrando essa Lei sempre que se apresenta uma oportunidade favorável, vivendo uma mentira, seguindo uma atitude dissimulada. Atuando em segredo, nutrindo seus pensamentos poluídos e inflamando suas paixões, e então tirando vantagem de homens e mulheres, que são tentados, como eles mesmos, a quebrar todas as barreiras e desonrar seu corpo e a poluir sua alma? Como podem eles fazer tal coisa? Como podem ter diante de si qualquer temor de Deus? Como poderão ter qualquer amor a Deus em sua alma? De que vale sua fé na verdade?
    LIMPEM o acampamento desta corrupção moral, mesmo que atinja os homens mais destacados nas mais elevadas posições. “Deus não se deixa escarnecer ” Gál. 6:7. Há fornicação em nossas fileiras. Sei disso, pois me tem sido mostrado que ela estava fortalecendo e ampliando a sua impureza. Muitos há que nunca saberemos, MAS O QUE É REVELADO TORNA A IGREJA RESPONSÁVEL E CULPADA, a menos que ela exerça decidido esforço para erradicar o mal. LIMPEM O ACAMPAMENTO, POIS EXISTE MALDIÇÃO NO MEIO DELE.
    As palavras de Deus a Josué são: ” Já não serei convosco, se NÃO ELIMINARES do vosso meio a coisa roubada. Dispõe-te, santifica o povo, e dize: SANTIFICAI-VOS para amanhã, porque assim diz o SENHOR DEUS DE ISRAEL: Há coisas condenadas no vosso meio,ó Israel; aos vossos inimigos não podereis resistir, ENQUANTO NÃO ELIMINARDES de vosso meio as coisas condenadas.” Jos. 7:12-13. Essas coisas foram escritas para nosso benefício, “sobre quem os fins dos séculos têm chegado”.
    I Cor. 10:11.

    NENHUMA RAZÃO REAL PARA ESPERANÇA.

    Não tenho verdadeiro motivo de esperança para com aqueles que têm permanecido como pastores do rebanho, e por anos têm sido suportados pelo misericordioso Deus, seguindo-os com reprovações, advertências e súplicas, mas têm escondido seus maus caminhos e neles continuado, desafiando as leis do Deus do Céu pela prática da fornicação. Podemos deixá-los realizar sua salvação com temor e tremor, depois que TUDO se tiver feito para os reformar, mas em caso algum lhes confiem o cuidado da almas. FALSOS PASTORES! Oh, poderá ser os homens que por longo tempo se têm empenhado nessa obra, corrompam seus caminhos diante de DEUS depois de tão grande experiência e luz especial?- Testemunhos Para Ministros, págs. 426-428.

    PASTORES ADÚLTEROS SÃO PIORES QUE BELSAZAR.

    É uma verdade que deve fazer cada um de nós chorar, que os que vivem nestes últimos dias e ” para quem já são chegados os fins dos séculos” (I Cor. 10:11), são muito mais culpados do que Belsazar. E isto é possível de muitas maneiras.
    Quando os homens tomam sobre si mesmos o voto de congregação, para dedicar todas as suas forças ao SAGRADO SERVIÇO DE DEUS; quando ocupam posição de expositores da verdade Bíblica, e receberam a solene incumbência; quando os anjos de DEUS são convidados como testemunhas da solene dedicação do corpo, da alma e do espírito ao serviço de DEUS – então PROFANARÃO esses homens que ministram num sacratíssimo ofício, as faculdades que DEUS lhes deu, usando-as para fins NÃO santificados? Deverão os vasos sagrados, que DEUS quer usar para um trabalho elevado e santo, ser arrastados de sua elevada e controladora esfera para administrar a aviltante CONCUPISCÊNCIA?

    DEFINIÇÃO DE UMA PROSTITUTA.

    Não é essa adoração de ídolo da mais degradante espécie? – os lábios dando louvores e adorando a um pecaminoso ser humano, extravasando expressões de arrebatadora ternura e adulação que só pertencem a DEUS – as faculdades entregues a DEUS em solene consagração, servindo a UMA PROSTITUTA; pois qualquer mulher que permitir os galanteios de qualquer homem QUE NÃO SEJA SEU MARIDO, que der ouvidos aos seus atrevimentos, e cujos ouvidos se agradam do extravasar de palavras pródigas de afeição, de adoração, de carinho, É ADÚLTERA E PROSTITUTA.- Testemunhos para ministros,págs. 434 e 345.

    Exemplo Correto por parte dos Pastores

    Os ministros do evangelho seriam poderosos se pusessem sempre o Senhor diante de si e dedicassem seu tempo ao estudo de Seu admirável caráter. Se fizessem isto, não haveria apostasias, ninguém seria separado da igreja( Associação) por haver, pelas suas práticas licenciosas, desonrando a causa de Deus e exposto Jesus ao vitupério. As faculdades de todo ministro do evangelho devem ser empregadas para ensinar as igrejas que crêem a receber a Cristo pela fé como seu Salvador pessoal, a introduzi-lo em sua própria vida e torná-Lo seu Modelo, para apreder de Jesus,crer em Jesus e exaltar a Jesus. O pastor deve, ele mesmo, demorar-se no caráter de Cristo. Deve ponderar a verdade e meditar sobre o ministérios da redenção, especialmente a obra mediadora de Cristo para este tempo. – Mensagens escolhidas, vol. 3, pág. 187.

    Saudações em Cristo.
    JOSIEL TEIXEIRA LIMA
    josielteli@hotmail.com

    EU ACREDITO NA Sra. Ellen G. White

  4. JOSIEL TEIXEIRA LIMA disse:

    O CASAMENTO É INDISSOLÚVEL!
    DIZ A BIBLIA
    “Portanto deixará o varão o seu pai e a sua mãe, e apegar-se-á à sua mulher, e serão ambos
    uma carne”. (Gênesis 2: 24).
    CASAMENTO
    A reprodução bíblica supramencionada é o cumprimento do que posteriormente recebeu o
    nome de casamento, relativamente à união de dois seres humanos de diferentes sexos, um
    homem com uma mulher, pelo vínculo da Lei da Inseparabilidade Matrimonial por Deus
    instituída.
    Para que o novo casal constitua a sua própria família e se cumpra isto que assim se lê:
    “E Deus os abençoou, e Deus lhes disse: frutificai e multiplicai-vos, e enchei a terra”
    (Gênesis 1: 28).
    Cuja natural multiplicação é oriunda da união dos que conforme supra já foi mencionada,
    que diz: “e serão ambos uma carne”.
    A CARNE
    A Carne dos dois diferentes sexos, que se unem pelo então chamado casamento, nunca mais
    voltará ao seu primogênito estado de solteiros.
    E isso deve ficar bem claro e profundamente gravado nos corações dos cônjuges de ambos
    os sexos, que não mais serão dois, mas uma só carne.
    Só a morte de um dos dois cônjuges é quem pode desvincular essa união matrimonial por
    Deus instituída.
    INSEPARABILIDADE
    Portanto, ainda que possa ocorrer uma desobediencial separação corporal, isso não deixará
    de ser algo ilícito, por infringir a intocável ordem do Senhor Deus, o Onicriador, que
    estabeleceu a Lei da Inseparabilidade Matrimonial, que diz: “e serão ambos uma carne”.
    Se houver essa separação é uma suposta separação para os que se separam e, contudo,
    mesmo separados corporalmente em plena desobediência à Lei da Inseparabilidade
    Matrimonial e nutrindo aquela imaginável supersticiosa crença de estarem legalmente
    separados, estando ainda vivo o seu legítimo consorte, de quem se divorciou e tendo já
    contraído novas núpcias, através de uma estranha lei não sancionada por Deus, legislada
    pelos homens mortais.
    Cuja lei dos mortais não anula a Lei Matrimonial por Deus instituída, pela qual estão
    vinculados e legitimamente casados os que por ela se uniram, até a morte de um dos
    cônjuges.
    2
    SUPOSTAMENTE SEPARADOS
    Os supostos separados, para todos os efeitos e fins continuam “ajuntados”.
    Pelo fato de não ter o próprio Senhor Deus alterado a Sua primeira e única inalterável,
    irrevogável e imutável Lei da Inseparabilidade Matrimonial.
    Portanto, embora os legítimos esposos estejam corporalmente separados, e já unidos a
    outros estranhos corpos, através de um suposto novo casamento, contudo, perante Deus,
    continuam vinculados ao seu primeiro e único laço matrimonial, como nos esclareceu o
    Senhor Jesus ao dizer: “portanto, o que Deus ajuntou não o separe o homem” (Mateus 19:6).
    DEUS AJUNTOU
    A palavra “o que Deus ajuntou”, não quer dizer que é Deus quem seleciona os casais, para
    os “ajuntarem” matrimonialmente, isso não!
    São eles mesmos – os futuros esposos – quem se escolhem mutuamente para tal finalidade,
    ou seja: para serem “ajuntados por Deus”.
    Porém, através de Sua própria Lei Matrimonial, por Ele instituída, quer sejam religioso ou
    não; é uma lei generalizada para toda a humanidade do universo.
    INDESATÁVEL
    Os cônjuges, de ambos os sexos, membros de qualquer uma das muitas religiões, ou mesmo
    sendo ateu, sem distinção de cor, nacionalidade ou raça, ricos ou pobres, sábios ou
    ignorantes.
    Todos quantos foram “ajuntados por Deus”, indistintamente, estão vinculados pelo
    indesatável laço matrimonial e vivem sob a plenitude da dependência da Lei da
    inseparabilidade matrimonial por Deus instituída, como assim se lê: “e serão ambos uma só
    carne”, e isto, é claro, após a celebração dessa união dos que de dois se tornaram “uma só
    carne”.
    Esses que se tornaram uma só carne, nunca mais voltarão ao seu primitivo estado de
    solteiros, mas cumpre-se o que realmente já está se cumprindo a rigor o que disse o Senhor
    Jesus: “Portanto deixará o homem pai e mãe, e se unirá a sua mulher, e serão dois numa só
    carne” –e acrescentou – assim não são mais dois, mas uma só carne. Portanto o que Deus
    ajuntou não o separe o homem (Mateus 19: 5 -6).
    CÔNJUGES
    Portanto, os cônjuges poderão, indevidamente é claro, se separar como também há quem os
    possa separar corporalmente, porém, não poderão, e nem há quem os possa separar ou
    anular moralmente o compromisso assumido perante Deus pela Lei Matrimonial por Deus
    instituída.
    3
    Essa ilícita e lamentável separação, quando ocorre, infringe frontalmente a moralidade da
    Lei da Inseparabilidade Matrimonial por Deus instituída.
    Cuja separação conjugal não é aprovada por Deus, senão algo condenável em todos os seus
    termos, pelos Preceitos de Deus e pela Doutrina de Jesus Cristo.
    LAÇO
    Não há nenhum poder humano, sobre este globo terrestre, que possa desacatar esse
    indesatável vinculo conjugal, dos que foram vinculados pela Lei da Inseparabilidade
    Matrimonial por Deus instituída.
    Por mais gravíssimo que possa ser por um dos muitos motivos, nem pelos próprios
    cônjuges, através de um comum acordo entre ambos.
    Poderão se separar corporalmente, porém o vínculo invisível da moralidade espiritual é
    indesatável e continuará inalterável até a morte de um dos cônjuges.
    A própria palavra: A Lei da Inseparabilidade Matrimonial, já indica que não é algo
    separável.
    NEM DEUS
    Portanto, cremos – não é exagero dizer – que nem Deus, que é o autor da Lei da
    Inseparabilidade Matrimonial, os torna separar, porque Deus não é o Deus que usa: “Duas
    espécies de peso e duas espécies de medida”. Deus é o Deus que não revoga o que Ele
    mesmo estabelece, para reformar ou corrigir os Seus feitos, porque tudo quanto fez, o fez já
    perfeito.
    E ainda mais: Ele é o Deus em Quem não há mudança, como assim se lê: “Toda a boa
    dádiva e todo o dom perfeito vem do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não há
    mudança nem sombra de variação” (Tiago 1: 17).
    NÃO ACREDITAR
    Por toda a veracidade supramencionada não se pode crer, pois é algo incontestável!
    Seria uma blasfêmia contra o Senhor Nosso Deus, crer ou afirmar para alguém que um dos
    Seus imutáveis e irrevogáveis Preceitos, que Ele instituiu para ser incondicionalmente
    cumprido pelas Suas criaturas, considerar que Deus seja semelhante ao homem, levado por
    um apaixonado sentimentalismo, revogue um de Seus Preceitos para favorecer ou acomodar
    aquele que se tornou vítima do seu consorte que o traiu através do pecaminoso adultério, e
    que Deus, possa transtrocar ou mudar o que Ele próprio estabeleceu para permitir a
    separação do que Ele mesmo “ajuntou”, para serem de dois “uma só carne”, ferindo assim o
    Seu próprio Preceito?!
    Ora, isso só poderá ser imaginado erroneamente por uma falsa mente que pensasse que a
    imutabilidade dos Preceitos de Deus, de acordo com a falsa imaginação humana.
    4
    Deus anula a Sua própria Lei da Inseparabilidade Matrimonial, para favorecer o divórcio
    dos cônjuges, para liberar a vítima do infiel consorte e o próprio adultério, para que voltem
    ao primitivo estado de solteiros.
    Retornando ser “uma só carne” tal como são os que se tornaram de dois em “uma só carne”
    pela virtude do “ajuntamento” da união marital, crendo no retrocesso, na revogação daquela
    operacional obra Divina que uniu dois seres humanos “numa só carne”, que serão
    novamente duas independentes carnes, livres para contraírem novas núpcias.
    Deus jamais fará tal abertura, isso seria um desastre matrimonial, sim, seria permitir
    casamentos e descasamentos, recasamentos e redescasamentos, sem limites.
    Pense bem!
    Pois sem abertura já existem tantos e inacreditáveis abusos, e se houvesse então essa
    abertura?!
    NÃO É ASSIM
    Prezados irmãos leitores, a coisa não é assim não!
    Vejamos bem, este comentário nos mostra a erroncidade da fantástica compreensão humana.
    Porém, quando a realidade das coisas Divinas são outras.
    Pois os que crêem erroneamente, então, por esse errôneo entendimento, oriundo do natural
    sentimentalismo humano, embora se admitindo que os que assim pensam e age que o fazem
    na plenitude da mais elevada ignorância no que diz respeito ao conhecimento da imutável
    irrevogabilidade dos Preceitos de Deus e da Doutrina de Jesus Cristo.
    Sem se darem conta, como autênticos irresponsáveis pelos seus próprios atos que cometem,
    como falsificadores dos ensinamentos bíblicos, contra os intocáveis Mandamentos de Deus
    e da Doutrina de Jesus Cristo.
    Então assim agem, é claro, como crêem que a infabilidade destes Mandamentos sejam
    falíveis, isto toda vez que desobedecem aos ensinamentos de Deus e do Senhor Jesus, para
    fazerem prevalecer os seus próprios pecaminosos desejos, que são frutos de sua natural
    árvore de sentimentalismo carnal – que para eles – falam mais alto do que os próprios
    Preceitos de Deus e da Doutrina de Jesus Cristo.
    PODER LEGAL
    Para os que são legitimamente casados, pela irrevogável Lei Matrimonial por Deus
    instituída, não há pretexto de nenhuma natureza, por mais grave e forte que possa ser, para
    que com isso se queira justificar, ou mesmo que autorize quem quer que seja, a se separar,
    ou ainda que alguém como um intruso intermediário, possa separar os cônjuges.
    E nem mesmo quem tenha sido por Deus autorizado a anular a Sua Lei da Inseparabilidade
    Matrimonial, por ser uma intocável Lei por Deus instituída.
    5
    Cuja única e intocável Lei da Inseparabilidade Matrimonial é imutável e irrevogável.
    Nem propriamente o pecaminoso adultério a pode anular.
    E por que não dizer que nem o próprio Senhor Deus revogará essa Lei Matrimonial?!
    Porque Deus jamais anulará o que Ele mesmo instituiu.
    Pois tudo quanto fez, desde o principio do mundo, o fez perfeito.
    Deus não pode negar-se a si mesmo, Deus é o Deus de Justiça e o Fiel cumpridor da Sua
    Palavra e de Suas promessas; todos os feitos de Deus são irrevogáveis.
    MESCLAR
    Neste delicadíssimo assunto, vejamos bem! Não vamos negligenciar e querer mesclar a
    intocável irrevogabilidade da Lei matrimonial por Deus instituída, com as leis dos homens,
    que são legisladas ao sabor de seus próprios gostos e com a sabedoria humana.
    Cuja sabedoria lhes permite preterir a única imutável e irrevogável Lei da Inseparável União
    Marital por Deus instituída, para estabelecerem as suas próprias leis, que são leis dos
    homens mortais, leis mutáveis e substituíveis por outras a contento da humanidade, lei que
    lhes permite casarem e descasarem e se recasarem e redescasarem sem limites quantitativos
    de casamentos e de divórcios.
    Nessa verdadeira e desenfreada afronta, ao infringirem desrespeitosamente a Lei da
    Inseparabilidade Matrimonial por Deus instituída, o Onicriador e perpétuo Regedor de todo
    o Universo.
    CRISTÃOS
    Os verdadeiros cristãos devem não somente ser crentes de nome, mas muito especialmente
    se firmarem na fé e na obediência incondicional aos Preceitos de Deus e da Doutrina de
    Jesus Cristo.
    E não esqueceram do que o Senhor Jesus Cristo ensinou, que o homem só pode repudiar a
    sua mulher pro um único motivo, cujo motivo é quando essa mulher, com quem ele vive não
    é a sua legitima esposa, senão a sua amásia.
    Essa conjuncional vivência, neste específico caso em tela, chama-se prostituição.
    A prostituição não é e não significa fornicação e nem adultério, senão que duas pessoas de
    diferentes sexos se unem para viverem juntas e se relacionarem sexualmente, sem que sejam
    casadas legitimamente e passam a viver uma dissimulativa vida marital – uma vida
    prostituitiva.
    6
    DISSE JESUS
    Eis aqui o ensinamento do Senhor Jesus Cristo, tal como Ele ordenou, dizendo:
    “Eu vos digo, porém, que qualquer que repudiar sua mulher, não sendo por causa de
    prostituição, e casar com outra, comete adultério; e o que casar com a repudiada também
    comete adultério” (Mateus 19:9).
    ATENÇÃO
    Coloquemos atenção, sim, atentemos com diligência para as palavras que foram ditas pelo
    Senhor Jesus Cristo.
    Ele não disse “qualquer que repudiar sua esposa, não sendo por causa de prostituição”,
    porque o homem, que vive com a sua esposa, não tem condições de viver com ela em estado
    de prostituição, mas sim, vive na plenitude da legalidade matrimonial.
    Porém, o homem que vive com aquela que se denomina sua mulher e, não sendo
    legitimamente casado com ela, ela realmente é sua mulher, porque não lhe cabe dispensar
    outro trato, senão o de sua mulher.
    Todavia, ela não é a sua esposa legítima, isto é lamentável.
    Porém, outra coisa ela não é, senão apenas a sua amante, e vive com ela, em estado de
    prostituição – uma união ilícita e não aprovada por Deus.
    OS DOIS SERES
    Esses dois seres humanos, de diferentes sexos, que pecaminosamente se unem, formando
    um só corpo prostituível, não só podem, de pleno acordo entre as partes ou por uma só das
    partes, se separar, mas sim, devem se separar, quando há qualquer impedimento, que pelo
    qual não podem contrair o seu legal casamento.
    Pois isso não lhes causaria qualquer problema, pelo contrário, a separação ou o casamento
    os libertaria do grande problema criado por eles através da prostituição.
    – A solução do problema é: Se não podem se casar, separem-se!
    COMO MUITOS PENSAM
    De outra sorte, não seria algo como muitos pensam, que a palavra “mulher”, proferida pelo
    Senhor Jesus, foi aplicada como sendo unicamente para identificar uma mulher, que é
    legítima esposa de seu também legítimo esposo.
    Como se o Senhor Jesus tivesse dito, repito o que supra já foi dito: “qualquer que repudiar
    sua esposa, não sendo por causa de prostituição, e casar com outra, comete adultério”, isto
    não tem nexo.
    Ora, qual seria então o pecado de ambos que poderia exigir a separação dos cônjuges?
    7
    Visto não viverem na prostituição, senão na plenitude da lícita sexualidade matrimonial?!
    Essa pureza da lícita sexualidade, oriunda da união matrimonial, não se relaciona com a
    fornicação e nada tem que ver coma prostituição e muito menos ainda com o pecado de
    adultério.
    SUA MULHER
    Pergunta: Qual foi o objetivo do Senhor Jesus, ao ter aplicado a palavra “mulher”, como se
    fosse uma flecha lançada do arco para atingir o alvo visado?
    Resposta: A palavra “mulher” teve dois objetivos.
    O Senhor Jesus com essa única palavra, esclareceu dois grandes problemas
    contemporâneos, que hoje mais do que nunca, em pleno fim do século XX, se repete com
    maior intensidade.
    Disse o Senhor Jesus; “Qualquer que repudiar sua mulher”.
    – Primeiro objetivo – Se esta “mulher” é a legítima esposa do homem que vive com ela,
    então sob nenhum pretexto a poderá repudiar, seja qual for a gravidade de fato!
    – Segundo objetivo – Se esta mesma “mulher”, com a qual ele vive não é sua legítima
    esposa, mas sim, a sua amante, e com a qual vive pecaminosamente, na ilícita vida
    prostitutiva, então, neste específico caso, deve repudiá-la sem sombra de sentimentalismo
    carnal, ou então, se não houver nenhum impedimento, que se casem legalmente, para viver
    com dignidade perante os olhos de Deus e da sociedade de civilização cristã.
    Nestes termos encerra a Doutrina de Cristo, o assunto deste comentário no que concerne ao
    pecado da vida prostituitiva, com o seguinte único honroso escape: se não podem se casar
    legalmente, então, devem se separar definitivamente. Amém!
    OUTRAS CITAÇÕES BÍBLICAS
    Eis aqui a reprodução de algumas passagens bíblicas sobre a pecaminosa prostituição, como
    abaixo vem dispostas:
    “Mas escrever-lhes que se abstenham das contaminações dos ídolos, da prostituição, do que
    é sufocado e do sangue” (Atos 15: 20).
    “Todavia, quanto aos que crêem dos gentios, já nós havemos escrito, e achado por bem, que
    nada disto observem; mas que só se guardem do que se sacrifica aos ídolos, e do sangue, e
    do sufocado e da prostituição”. (Atos 21: 25).
    “Mas a prostituição, e toda a impureza ou avareza, nem ainda se nomeie entre vós, como
    convém a santos” (Efésios 5: 3).
    8
    “Venerado seja entre todos os matrimonio e o leito sem mácula; porém aos que se dão a
    prostituição e aos adúlteros Deus os julgará” (Hebreus 13:4).
    Notemos bem, a própria Bíblia separa os pecadores de dois tipos de pecados bem distintos;
    “aos que se dão a prostituição e aos adúlteros.”.
    Mostrando-nos assim que a prostituição não é adultério, pois são dois pecados distintos,
    “aos que se dão a prostituição e aos adúlteros”.
    AGRADECIMENTO
    Por tudo quanto o Senhor Nosso Deus já nos tem esclarecido, expressemo-Lhes o nosso
    sumo e sincero agradecimento, por Jesus Cristo o Nosso Amado e Bendito Salvador.
    AOS LEITORES
    Prezados irmãos leitores, vocês por certo, já teriam notado até de sobejo que este último
    comentário, como os demais que anteriormente foram escrito, são muito semelhantes com
    relação ao mesmo assunto aqui abordado, com os seus variáveis, porém naturais temas que
    se fizerem necessários, para que, aos poucos, por um comentário após o outro, o Senhor
    Nosso Deus nos esclarecesse com a Sua Luz a realidade do que até então nos era
    obscurecido.
    Para nos dar o integral conhecimento, não só do pecado isolado dominativo, como por
    exemplo: Prostituição e nada mais.
    Tínhamos realmente o conhecimento, apenas do nome do pecado, mas não a maneira pela
    qual é praticada a prostituição.
    Porém, Deus nos trouxe à luz a individualidade e a sua própria característica, ou seja, o
    distinto pecado prostituicional.
    Este longo comentário tem por único objetivo, nos instruir doutrinariamente sobre este
    assunto em tela, nos termos dos Preceitos de Deus e da Doutrina de Jesus Cristo.
    Portanto, que esta semelhança, deste mesmo assunto, nos supracitados comentários, além
    desta delongada exposição não sirva de enfado para os mui amados irmãos leitores.
    Amém!
    Deus queira nos abençoar em Jesus Cristo, o Nosso Bendito e Amado Salvador.

  5. JOSIEL TEIXEIRA LIMA disse:

    ”O amigo quer o nosso bem, mesmo quando nos fere; mas, quando um inimigo abraçar você, tome cuidado!” (Provérbios 27:6)
    Se amigo apoia o nosso pecado, ele não é nosso amigo! No momento de desespero precisamos de verdadeiros amigos. Posso ficar feliz com o apoio em determinado momento, mas depois vejo que ele é um falso amigo, por ter me apoiado quando eu estava contra a lei de DEUS.
    Meus “AMIGOS” do Gama…vocês são os inimigos que me abraçam!
    EU SEI QUE ESTOU VIVENDO EM PECADO, NÃO PRECISAM ME ABRAÇAR

  6. Jaime T. Viana disse:

    http://www.igrejaemjuizdefora.com.br/download/divorcio_nunca_mais.doc

    Josiel T. Lima, espero que apos ter saido da IASD por não acreditar na TRINDADE, desista do seu ADULTÉRIO.
    Movimento Leigo é como uma chaga maligna. Cuidado com o grupo do GAMA-DF, eles não são amigos.

  7. Seventh Day disse:

    Caro Jaime T.Viana,

    Por acaso esqueceste do que dizem as sagradas letras quanto a não julgar seu semelhante? Esqueceu-se de quando acusavam uma mulher de adultério querendo apedrejá-la Jesus começou a escrever os pecados de seus acusadores no chão? E que não restou um sequer para acusá-la, pois todos somos pecadores? Porque então você se abroga o direito de expor o nome de um irmão ao vitupério?

    Amigo leia mais as sagradas escrituras…Publiquei aqui sua acusação, mas Deixo claro que se o Espírito do Senhor tocar seu coração, e você quiser que nós apaguemos o seu comentário, o faremos com gosto.

    Mas, sobretudo, tendo ardente amor uns para os outros, porque o amor cobrirá a multidão de pecados.” – 1Pedro 4:8

    “Nós sabemos que passamos da morte para a vida, porque amamos os irmãos. Quem não ama a seu irmão permanece na morte. Qualquer que odeia seu irmão é homicida. E vós sabeis que nenhum homicida tem permanente nele a vida eterna.” – 1João 3?14,15

    “Se alguém diz: Eu amo a Deus, e odeia seu irmão, é mentiroso. Pois quem não ama a seu irmão, ao qual viu, como pode amar a Deus a quem não viu? E d’Ele temos este mandamento? que quem amar a Deus, ame também a seu irmão.” – 1João 4:20,21

    “Porque também nós noutro tempo … vivíamos em malícia e inveja, odioso, odiando nos uns aos outros. Mas quando apareceu a benignidade e o amor de Deus, Ele nos salvou.” – Tito 3:3-5

    “Sede pois, misericordiosos, como também vosso Pai é misericordioso. Não julgueis, e não sereis julgados; não condeneis, e não sereis condenados; perdoai, e vos perdoarão.” – Lucas 6:36,37

    “Suportando-vos uns aos outros, e perdoando-vos uns aos outros, se algum tiver queixa contra outro; assim como Cristo vos perdoou, assim fazei vós também.” – Colossenses 3:13

    “Não desprezarás a teu irmão no teu coração; não te vingarás nem guardarás rancor contra os filhos do teu povo; mas amarás o teu próximo como a ti mesmo.” – Levítico 19:17-18

    “Ouvistes que foi dito: Amarás o teu próximo, e odiarás o teu inimigo. Eu, porém, vos digo: “Amai a vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam, e orai pelos que vos perseguem, para que sejais filhos do vosso Pai que está nos céus; porque faz com que o Seu sol se levante sobre maus e bons, e a chuva desça sobre justos e injustos. Pois, se amardes apenas os que vos amam, que recompensa tereis? Não fazem os cobradores de impostos o mesmo?” – Mateus 5:43-47

    A Bíblia nos diz para amarmos o nosso próximo (ou vizinhos), e também os nossos inimigos, provavelmente porque muitas vezes se trata da mesma pessoa!

    Precisamos amar a Deus de modo a amarmos o nosso próximo, porque apenas o Seu Amor dentro de nós pode ajudar-nos a fazer o que é humanamente impossível: amar pessoas das quais normalmente não gostamos!

    Deus o abençoe !

  8. Peterson disse:

    O ensino adventista contraria frontalmente as palavras do Novo Testamento que permitem o divórcio em caso de fornicação, mas excluem completamente a possibilidade de segunda união em qualquer caso. Qualquer um que volte a se casar seja culpado ou não da fornicação comete adultériop segundo o ensinamento de Jesus e do apóstolo Paulo. A IASD erra feio ao interpretar a Bíblia incorretamente e a desconhecer completamente o verdadeiro ensino cristão a espeito do matrimônio.

  9. Dump de Memória disse:

    No site diz que “Ver Manual da Igreja,”

    Onde consigo fazer o download do manual da igreja adventista, em portuguès do brasil ?

  10. Olá, pesquisando no google só existe links para download do manual em português de Portugal.

  11. Josiel Teixeira Lima disse:

    Casamento, divórcio, adultério e outros ensinamentos

    Casamento é uma aliança espiritual realizado entre duas pessoas de sexo oposto, presenciado, testemunhado por DEUS e registrado no Céu. Não é um mero contrato, um documento, um pedaço de papel.

    Divórcio é um instrumento civil, criado por autoridades humanas que não temiam à Palavra de DEUS.

    Adultério é uma relação sexual ilícita de uma pessoa casada, com outra pessoa, que não seja o seu cônjuge. É um pecado sexual que contamina a aliança matrimonial, mas não a desfaz. O adultério principia-se quando uma pessoa casada passa a desejar sexualmente outra pessoa, fora do casamento.

    O divórcio (instrumento civil) não desfaz um casamento cristão (aliança espiritual). “O casamento que DEUS uniu e testemunhou não separe o homem” (Mateus 19:6). Portanto, quem está divorciado, longe do cônjuge, permanece casado (a) com ele (a), segundo a Palavra de DEUS, até a morte. Sim, segundo a Bíblia Sagrada, só a morte de um dos cônjuges desfaz a aliança espiritual, porque a união sexual entre ambos tornou-se impossível de realizar (Romanos 7:2-3 e 1 Cor. 7:39). Só existem três estados civis considerados por DEUS: solteiro, casado ou viúvo. Se você já está divorciado (a) e até o seu cônjuge já se casou no Civil com uma nova pessoa, saiba que o seu casamento não foi desfeito para DEUS, que seu cônjuge está escravo do adultério (ele (a) e quem estiver com ele (a)). Comporte-se como uma pessoa casada. Tenha essa fé. Aplique-a ao seu coração, ainda que a sociedade taxe isso como loucura. Mas não aceite nem esmoreça com aquilo que o diabo fez ou faz. Maior é O que está em você do que quem está no mundo.

    Segundo casamento civil de uma pessoa divorciada, para DEUS, é adultério. Esse novo documento civil, para a Bíblia Sagrada, não desfaz o primeiro casamento, mas torna o cônjuge adúltero com a nova pessoa. Nenhum Juiz de Direito recebeu de DEUS a autoridade para apagar o pecado de adultério de ninguém. Nem Juiz de Direito nem liderança religiosa alguma. Só o Sangue Precioso de JESUS CRISTO apaga e anula os pecados de um pecador, desde que este se arrependa e abandone-os (“Aquele que encobre as suas transgressões nunca prosperará, mas o que confessa e deixa alcançará misericórdia”. Provérbios 28:13). Porém, quem não se arrepende, não renuncia, quem morre na prática do adultério, morre sentenciado ao inferno, segundo escreveu o apóstolo Paulo em 1 Coríntios 6:9-10.

    Há pessoas que adulteram, arrependem-se e voltam à presença de DEUS. Há outras, no entanto, que vivem presas ao pecado do adultério, deleitando-se no prazer carnal ilícito, amargando a distância do Espírito Santo. Um cristão pode até cair, adulterar, mas não pode ficar prostrado, caído, escravo do pecado, pois em JESUS todo cristão foi liberto de qualquer pecado. “Se o Filho do Homem vos libertar, verdadeiramente sereis livres” (João 8:36).

    Se uma pessoa é casada licitamente aos olhos de DEUS com outra (primeiro casamento de ambos) e esta adultera, repudia e passa a se relacionar sexualmente com uma terceira pessoa, a pessoa repudiada deve perdoar, limpar o coração, compreender que isso é uma obra do maligno, que o casamento não foi desfeito pelo adultério, que o cônjuge está oprimido pelo diabo, que a repudiada (o) não pode se envolver sexualmente com uma nova pessoa (pois estaria também se tornando adúltera), mas antes deve orar, jejuar pelo cônjuge e esperar pela ação do Espírito Santo. Se o cônjuge opresso morrer, a pessoa repudiada estará livre por DEUS para se casar com uma pessoa cristã, se assim desejar. Mas só na morte.

    Uma pessoa repudiada deve receber apoio, perfeita orientação, por parte de sua autoridade espiritual. Dizer a uma pessoa repudiada que o marido (ou esposa) dela não tem mais jeito, que ela deve arrumar outra pessoa é levá-la a caminhos de morte. DEUS não tem uma nova pessoa para você. Isso é profecia do diabo. DEUS te manda amar, suportar, perdoar, orar, jejuar e, sobretudo, esperar.

    Um repudiado pelo cônjuge não deixou de fazer parte do corpo de CRISTO. Quem abandonou esse Corpo foi o adúltero (porque no Corpo de CRISTO não há lugar para adúlteros). Quando uma pessoa que viveu em adultério é liberta pelo Espírito Santo, o SENHOR DEUS devolve o mesmo lugar que essa pessoa ocupava antes de se tornar escravo do pecado. Ou, por acaso, DEUS diria a uma pessoa verdadeiramente arrependida: “Eu te perdoo, mas não te devolvo mais o seu lugar no Corpo do meu Filho JESUS?”. Será que DEUS daria um documento de divórcio, condenando-o ao inferno, a uma pessoa que adulterou e que permanece vivendo? Não é JESUS a esperança de redenção dessa pessoa e da restauração familiar? Por isso quem diz que perdoou e não deseja a restituição é porque não perdoou verdadeiramente e ainda não está na presença de DEUS. É preciso perdoar o outro, desejar a restauração. Quem não perdoa verdadeiramente, jamais receberá o perdão de DEUS (Mateus 6:14-15, Marcos 11:25-26).

    Busque substituir a sua vontade humana pela vontade de DEUS, aprendendo a renunciar, a suportar a cruz. Só assim, teremos esperança de sermos herdeiros da glória de DEUS. Não se esquecendo de que JESUS afirmou que nem todos receberiam estes ensinamentos, mas só a quem fosse concedido (Mateus 19:11). Glória a DEUS! Você foi um escolhido (a) por DEUS para receber essa Verdade!

    FERNANDO CÉSAR – Escritor, autor dos livros “Não Mude de religião: mude de vida!”, “Pódio da Graça”; “Antes que a Luz do Sol escureça” e da coleção “Destrua o divórcio antes que ele destrua seu casamento”, “Destrua o adultério antes que ele destrua seu casamento”, “Destrua a insubmissão antes que ela destrua seu casamento”. Também é pastor e líder do Ministério Restaurando Famílias para Cristo.

    Clique aqui para Responder ou Encaminhar
    GOL – Promoção Passagem
    Anúncios – Qual o motivo deste anúncio?
    Voe Gol pagando o Menor Preço O Melhor Preço Garantido Aqui!
    Decolar.com/Gol
    44% utilizados
    Usando 4.579 MB de seus 10.245 MB
    ©2012 Google – Termos e Privacidade
    Última atividade da conta: 50 minutos atrás
    Detalhes

Deixe seu comentário. Tudo o que pedimos é que se mantenha uma cultura de respeito. Isto significa não fazer ataques pessoais, não usar palavrões, e por favor manter o diálogo sobre o tema postado.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s