Em Manuscript Releases, vol. 14, págs. 23 e 24, estaria Ellen White sugerindo que Cristo e o Espírito Santo são a mesma pessoa?

No livro Manuscript Releases, vol. 14, págs. 23 e 24, aparece a seguinte declaração de Ellen G. White: “Limitado pela humanidade, Cristo não podia estar pessoalmente em toda parte; portanto, era para benefício deles que Ele os deixasse, fosse para o Seu Pai, e enviasse o Espírito Santo para ser o Seu sucessor na Terra. O Espírito Santo é Ele próprio despojado da personalidade humana e independente dela. Ele representaria a Si mesmo como presente em todos os lugares pelo Seu Espírito Santo, como o Onipresente. ‘Mas o Consolador, o Espírito Santo, a quem o Pai enviará em Meu nome, esse (embora invisível para vós) vos ensinará todas as coisas e vos fará lembrar de tudo o que vos tenho dito’ [João 14:26]. ‘Mas Eu vos digo a verdade: convém-vos que Eu vá, porque, se Eu não for, o Consolador não virá para vós outros; se, porém, Eu for, Eu vo-lo enviarei’ [João 16:7].”

Para entendermos essa declaração é indispensável que interpretemos corretamente a segunda e a terceira sentenças, que, no original em inglês, aparecem da seguinte forma: “The Holy Spirit is Himself divested of the personality of humanity and independent thereof. He would represent Himself as present in all places by His Holy Spirit, as the Omnipresent.” Isoladas do seu contexto, essas sentenças acabam se tornando ambíguas. Conseqüentemente, o pronome reflexivo “Himself”, que aparece na expressão “the Holy Spirit is Himself”, poderia ser interpretado como se referindo ao Espírito Santo ou a Cristo. Se optarmos pela primeira alternativa, então teremos que entender a sentença da seguinte forma: O próprio Espírito Santo é despojado da personalidade humana e independente dela. Mas, nesse caso, os pronomes “He”, “Himself” e “His” da sentença seguinte teriam que ser interpretados como também se referindo ao Espírito Santo, o que nos obrigaria a entender a sentença como segue: O Espírito Santo representaria a Si mesmo como presente em todos os lugares pelo Seu Espírito Santo, como o Onipresente. Mas tal interpretação é destituída de sentido e, portanto, inaceitável.

A despeito de qualquer ambigüidade, o contexto confirma que em ambas as sentenças os pronomes “He”, “His” e “Himself” se referem a Cristo e não ao Espírito Santo. Assim sendo, as sentenças podem ser entendidas da seguinte forma: O Espírito Santo é Cristo despojado da personalidade humana e independente dela. Cristo representaria a Si mesmo como presente em todos os lugares pelo Seu Espírito Santo, como o Onipresente.” Essa interpretação é confirmada por uma declaração paralela encontrada em O Desejado de Todas as Nações, pág. 669, na qual é dito que “o Espírito Santo é o representante de Cristo, mas despojado da personalidade humana, e dela independente”.

Alguns pretendem que, ao afirmar que o Espírito Santo é Cristo, Ellen White estaria afirmando que o Espírito Santo é uma mera energia despersonalizada que emana de Cristo. Mas tal interpretação não é corroborada pelo contexto em que aparecem as referidas expressões. Ao asseverar que o Espírito Santo é Cristo “despojado da personalidade humana e independente dela”, Ellen White sugere uma clara distinção entre a natureza divina do Espírito Santo e a natureza divino-humana de Cristo. Além disso, as declarações de que o Espírito Santo seria enviado pelo Pai em nome de Cristo (João 14:26) e pelo próprio Cristo (João 16:7), citadas no mesmo parágrafo, confirmam que o Espírito Santo é distinto, tanto do Pai como do Filho. Para ser enviado por ambos, o Espírito Santo precisa ter uma personalidade distinta de ambos, pois ninguém se autoenvia.

Ao sugerir que o Espírito Santo é Cristo, Ellen White empregou uma força de expressão semelhante à que Cristo usou ao dizer “Eu e o Pai somos um” (João 10:30). Essas expressões enfatizam a unidade essencial entre o Espírito Santo e Cristo, e entre Cristo e o Pai, respectivamente, sem com isso negar a distinção de personalidade de cada um deles. Para serem consistentes, os que interpretam literalmente essas declarações deveriam interpretar da mesma forma também a expressão “Eu sou a videira verdadeira” (João 15:1) e várias outras semelhantes. Portanto, ao dizer que o Espírito Santo é Cristo, Ellen White sugere que a presença do Espírito Santo no mundo, como representante de Cristo, não representaria qualquer perda para os discípulos. Por mais que alguns busquem endosso para suas teorias antitrinitarianas na declaração de Manuscript Releases, tais tentativas jamais conseguirão ofuscar os claros ensinos bíblicos e de Ellen White a respeito da Divindade como formada por três Pessoas distintas – Pai, Filho e Espírito Santo.

Texto de autoria do Dr. Dr. Alberto Timm publicado na Revista do Ancião (julho – setembro de 2005).

Sobre Blog Sétimo Dia

“SOLO CHRISTO”, “SOLA GRATIA”, “SOLA FIDE”, “SOLA SCRIPTURA” (salvação somente em Cristo, somente devido à graça de Deus, somente pela instrumentalidade da fé, somente com base na Escritura)
Esse post foi publicado em Artigos Revista do Ancião, Espírito Santo, Perguntas e Respostas Bíblicas, Trindade e marcado , , , . Guardar link permanente.

4 respostas para Em Manuscript Releases, vol. 14, págs. 23 e 24, estaria Ellen White sugerindo que Cristo e o Espírito Santo são a mesma pessoa?

  1. F-A-N-T-Á-S-T-I-C-O ..tão ‘simples’ mas tão ‘complexo’!?

  2. Fernando disse:

    Meus Amados irmãos, se me permitem o espaço, irei colocar a minha humilde opinião. Deus é Santo, logo o seu Espírito é Santo…Jesus é Santo, logo o seu Espírito é Santo. Logo, o Espírito Santo que é enviado por ambos, significa a ONIPRESENÇA DE AMBOS, e não um terceiro Ser. Por isso é que muitas vezes Ele tem AÇÕES QUE O TRADUZEM COMO UMA PESSOA, E NÃO UMA ENERGIA. Transformar o Espírito Santo numa 3ª pessoa é um erro, não é bíblico. Se fosse uma 3ªpessoa independente , certamente Deus nos teria revelado. Vejamos o que a irmã White fala sobre a natureza do Espírito Santo:

    “Não é essencial que sejamos capazes de definir exatamente o que seja o Espírito Santo. Cristo nos diz que o Espírito é o Consolador, o “Espírito de verdade, que procede do Pai”. João 15:26. Declara-se positivamente, a respeito do Espírito Santo, que, em Sua obra de guiar os homens em toda a verdade “não falará de Si mesmo”. João 16:13.

    A NATUREZA do Espírito Santo É UM MISTÉRIO. Os homens não a podem explicar, porque o Senhor não lho revelou. Com FANTASIOSOS PONTOS DE VISTA, podem-se reunir passagens da Escritura e dar-lhes um significado humano; mas a aceitação desses pontos de vista não fortalecerá a igreja. Com relação a tais mistérios – demasiado profundos para o entendimento humano – o silêncio é ouro.” Atos dos Apóstolos pg. 52.

    Portanto, meus irmãos, dizer que o Espírito Santo é uma 3ªpessoa independente, assim como são Deus e Jesus ( pois Eles são UM em propósito, objetivos, natureza ), não irá fortalecer a igreja, pelo contrário. Grato.

  3. irmão leitor disse:

    Esse artigo tanto confirma a doutrina que cremos quanto nos ensina critérios para interpretação de texto. E um deles é o seguinte: identificado um princípio, ande nele, não sai dele.

  4. Fernando disse:

    “ Não é aos homens que devemos exaltar e adorar, é a Deus, o único Deus verdadeiro e vivo, a quem são devidos nosso culto e reverência. … Unicamente o Pai e o Filho devem ser exaltados.” Ellen White,Filhos e Filhas de Deus, 21 de fevereiro de 1956, pág. 58
    “ Aqueles que procuram remover os velhos marcos, não estão retendo firmemente; eles não estão se lembrando de como receberam e ouviram. Os que tentam introduzir teorias que removeriam os pilares de nossa fé quanto ao santuário ou quanto à personalidade de Deus ou de Cristo , estão agindo como cegos. Estão procurando introduzir incertezas e deixar o povo de Deus à mercê das ondas, sem uma âncora.” Manuscript Release 760, Págs. 9 e 10.
    Em 1903, Ellen White escreveu que “nenhum alfinete deveria ser mudado no que o Espírito Santo lhes revelou nos últimos 50 anos”(Review and Herald, May 5. 1905). Isto era uma previsão de que no futuro, alguma coisa sairia muito errada na igreja. Setenta e sete anos mais tarde, em 1980, as previsões de Ellen White se cumpriram, a igreja mudara a sua mais fundamental doutrina!
    Irmãos, encerro aqui qualquer comentário de minha parte. Agradeço o espaço que gentilmente me foi cedido. Esta discussão não é nova, mas bem antiga, e poderíamos ficar aqui durante meses falando sobre isto. Sugiro que os irmãos que estiverem lendo este comentário, investiguem este assunto (assim como todas as outras doutrinas tb são importantes) e não se acomodem com aquilo que lhe foi passado como ” VERDADE BÍBLICA” pela nossa querida igreja da IASD. Não fiquem com medo de serem chamados de “hereges” por examinarem as escrituras, pois é assim que Cristo nos disse : “Examinais as Escrituras, porque vós cuidais ter nelas a vida eterna, e são elas que de mim testificam;” (Jo 5:39).
    Faço minhas as palavras do “irmão leitor” : “identificado um princípio, ande nele, não saia dele”.

Deixe seu comentário. Tudo o que pedimos é que se mantenha uma cultura de respeito. Isto significa não fazer ataques pessoais, não usar palavrões, e por favor manter o diálogo sobre o tema postado.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s