Ecumenismo: Devem os Cristãos Unir-se aos Católicos?

Desde o alvorecer do novo milênio estamos testemunhando o maior impulso rumo à unidade ecumênica que o mundo já viu. A Igreja Católica Romana está freneticamente construindo pontes para todas as denominações cristãs.

Mediante os dedicados esforços do Papa João Paulo II, o Vaticano está instando todos os professos cristãos a “voltarem para casa”, isto é, Roma. [N.R.: O atual papa, Bento XVI, tem ressaltado a sua intenção de não só prosseguir nos esforços de união dos cristãos que inspiraram seu antecessor, como garante ser esta uma prioridade de seu pontificado].

Diálogos e acordos têm sido iniciados e criados para buscar a unidade mediante crenças comuns. Um exemplo disso é a “Declaração Sobre a Doutrina da Justificação” assinada em 1999 entre luteranos e católicos-romanos. Nessa declaração, Roma emprega palavras equívocas e ambíguas para afirmar a concordância sobre a doutrina da “justificação pela fé somente” enquanto, ao mesmo tempo, conserva o anátema sobre todos quantos crêem nessa doutrina.

Não devemos ser enganados. Roma não alterou sua posição sobre coisas que realmente importam! Em vez disso, continua a tirar vantagem de professos cristãos a que falta o discernimento ou que não se dispõem a lutar por sua fé. A chave para o sucesso desse esforço pela unidade tem sido um compromisso de “amar uns aos outros e tolerar as crenças uns dos outros”.

A proposta para todos os cristãos ignorarem suas diferenças doutrinárias em favor da unidade passa inteiramente por alto o fato de que os católicos-romanos, ortodoxos e muitas igrejas protestantes pregam um falso evangelho que nega a suficiência de Jesus Cristo e Sua obra redentora completada [na cruz].

Esse movimento ecumênico tem propiciado terreno fértil para reedificar a torre de Babel religiosa. Multidões estão sendo influenciadas por evangelhos pervertidos, doutrinas de demônios e falsos mestres. Muitos mais estão sendo persuadidos por evangélicos de grande destaque a unirem-se nessa cruzada.

Não é de admirar que a Igreja Católica Romana tenha sido a força propulsora por detrás desse movimento ecumênico. Desde o fim do Concílio Vaticano II, em 1965, Roma tem estado cortejando os que outrora chamava de “heréticos” passando a chamá-los de “irmãos separados”. Não sendo mais capaz de forçar as pessoas a se submeterem aos seus papas sob ameaça de morte e perseguição, o Vaticano mudou sua estratégia para ganhar o mundo. Apresentando uma nova face de amor e preocupação para com esses “irmãos separados”, a ICR agora lhes oferece a “plenitude da salvação” mediante o retorno à “única igreja”.

Com tantos professos cristãos unindo-se às fileiras ecumênicas, há evidência do espírito do anticristo em operação preparando o terreno para essa religião universal. Impulsionando o movimento estão líderes eclesiásticos que negligenciam advertir suas congregações sobre a grande apostasia e crescente engano durante os últimos dias.

Em lugar de os líderes eclesiásticos odiarem tudo quanto é falso, muitos estão tolerando falsas doutrinas e evangelhos falsificados (Salmo 119: 104, 128). Em lugar de líderes eclesiásticos denunciarem as doutrinas prevalecentes e agentes de comprometimento muitos os estão tolerando.

Tragicamente, muitos púlpitos estão também incrivelmente silenciosos com respeito às numerosas advertências bíblicas contra o estar em jugo com incrédulos. Como sub-pastores do rebanho que lhes foi confiado, os pastores devem advertir suas ovelhas dos perigos da unidade ecumênica. Jesus e Seus discípulos nunca toleraram a unidade sem o fundamento da verdade bíblica. Vez após vez líderes religiosos dedicados, com suas próprias agendas, foram vigorosamente repreendidos:

Jesus não deu as mãos a líderes religiosos que bloqueavam o acesso do reino dos céus aos homens (Mateus 23:13).

Paulo não se uniu aos judaizantes que somente desejavam acrescentar a circuncisão ao evangelho (Gálatas 1).

Judas recusou cooperar com aqueles que se introduziam sorrateiramente para perverter a graça de Deus (Judas 4).

João não buscou estabelecer unidade com aqueles que “saíram do nosso meio, entretanto não eram dos nossos” (I João 2:19).

Pedro nunca deu as mãos a falsos mestres que haviam abandonado a rota certa e se desviado, seguindo o caminho de Balaão (II Pedro 2:15).

O autor de Hebreus nunca se uniu com aqueles que negligenciavam tão grande salvação (Hebreus 2:3).

À luz dessa “nuvem de testemunhas” que se nos apresenta fica-se a admirar por que alguns evangélicos ignoram as lições das Escrituras, abraçando o falso evangelho do catolicismo romano. Seguramente não ignoram seus numerosos anátemas que condenam os cristãos nascidos de novo!

Certamente não são ignorantes dos muitos requisitos adicionais que Roma adicionou ao evangelho de salvação. Poderiam ser tão facilmente persuadidos pela influência mundial da Igreja Católica, sua incrível riqueza, um bilhão de seguidores e um líder que é tão amado por todo o mundo?

Como Nos Proteger em Meio do Engano Religioso Que Prevalece no Mundo Moderno?

Como devem os cristãos proteger-se em meio ao engano religioso que é tão prevalecente no mundo moderno? A Bíblia nos exorta a provar todo ensino. Somos advertidos a não crer em todo espírito porque muitos falsos profetas estão pelo mundo. É somente pela Palavra de Deus que podemos conhecer o Espírito da Verdade e o espírito do erro (I João 4:1, 6).

Devemos ser como os bereanos, que examinavam as Escrituras diariamente para verificar a veracidade dos ensinos do apóstolo Paulo (Atos 17:11). Se Paulo, que escreveu quase metade do Novo Testamento, foi provado, torna-se patente que todo sacerdote, papa, profeta ou pregador devia ser também examinado à luz da Santa Palavra de Deus.

Então, o que devemos fazer com os falsos mestres dentro da cristandade? Não devemos compartilhar de seus esforços, mas, sim, expor seus falsos ensinos (Efésios 5:6, 11). Com delicadeza devemos corrigir aqueles que estão em erro na esperança de que Deus possa conceder-lhes o arrependimento e conduzi-los à verdade (II Tim. 2:25).

Os que professam “conhecer a Deus, mas os seus atos o negam” devem ser denunciados e silenciados de modo a que outros não sejam enganados (Tito 1:9-16). Os que não ouvirem ao ensino apostólico não são de Deus. Temos ordens de nos separar daqueles que persistem com falsos ensinos (Romanos 16:17; Tito 3:10). Para alguns, isso pode significar encontrar outra Igreja; para outros, pode significar interromper o apoio a ministérios que continuam a comprometer o evangelho.

Ao aumentarem os enganos dos tempos finais e mais e mais pessoas serem levadas à apostasia, devemos combater fervorosamente pela fé uma vez confiada aos santos (Judas 3). Na medida em que maiores contingentes de líderes cristãos buscarem a aprovação dos homens em lugar da de Deus, o caminho da verdade se tornará mais estreito e menos percorrido.

Os que permanecerem fiéis serão perseguidos por se recusarem a comprometer-se (II Timóteo 2:12). Serão acusados de intolerância, falta de amor e mente estreita. Mas sempre devemos ter em mente as advertências dos apóstolos – se não nos separarmos dos falsos mestres podemos desqualificar-nos para o serviço (II Timóteo 2:20), identificando-nos com eles em seu erro (2 João 10, 11), ou arriscar-nos a participar de seu destino (Judas 11-13).

Na medida em que líderes eclesiásticos continuarem a ensinar verdades parciais e tolerarem o erro doutrinário o corpo de Cristo deve tomar providências. Precisamos evitar a repreensão que Paulo fez à igreja dos coríntios. Ele escreveu: “Mas receio que, assim como a serpente enganou a Eva com a sua astúcia, assim também sejam corrompidas as vossas mentes, e se apartem da simplicidade e pureza devidas a Cristo. Se, na verdade, vindo alguém prega outro Jesus que não temos pregado, ou se aceitais espírito diferente que não tendes recebido, ou evangelho diferente que não temos abraçado, a esses de boa mente o tolerais” (II Cor. 11:3-4).

Ao crescer em popularidade o movimento ecumênico dentro da igreja, precisamos aceitar o fato de que militar pela pureza doutrinária será uma posição impopular a assumir. Contudo, é de fato o que somos chamados a fazer! Ao assinalarmos falsas doutrinas e práticas seremos bons servos de Cristo Jesus, pois somos nutridos por Sua palavra e sã doutrina (1 Timóteo 4:6). Sustentar a verdade pode, e será, divisivo na Igreja, mas a divisão lhe é às vezes boa. Ocasionalmente é necessário mostrar quais são os aprovados por Deus (I Coríntios 11:19).

Os que se batem pela pureza do evangelho são freqüentemente criticados por criarem caso por coisas que não parecem significativas. Contudo, os militantes pela fé reconhecem que a mentira mais perigosa é aquela que mais de perto parece ser verdade.

Ao contrário disso, os ecumenistas [e eles existem em número considerável em nosso meio] consideram qualquer coisa que tenha aparência de verdade como uma oportunidade para a unidade. Assim, acatam o falso evangelho do catolicismo porque é a mais sutil de todas as contrafações.

Nestes dias de apostasia, o corpo de Cristo precisa ousada e corajosamente proclamar todo o conselho de Deus e denunciar como erro tudo quanto a ele se oponha. Que Deus conceda a todos os Seus servos a graça, poder, discernimento e coragem para serem combatentes pela fé.

Fonte: Prof. Azenilto G. Brito

Nota:

Embora nós devamos ter tolerância com as pessoas e com outras formas de pensar, jamais devemos negociar com a Verdade e os princípios fundamentais da Palavra de Deus. Dentro deste contexto, no que foi exposto acima com maestria, devo ressaltar dois pontos:

1) A Forma Como Jesus e os Apóstolos Agiram: “Jesus e Seus discípulos nunca toleraram a unidade sem o fundamento da verdade bíblica”.

2) O Exame Prévio, Uma Verificação Básica do Mensageiro, Antes de Entregar a Palavra em Nossas Igrejas: “Se Paulo, que escreveu quase metade do Novo Testamento, foi provado, torna-se patente que todo sacerdote, papa, profeta ou pregador devia ser também examinado à luz da Santa Palavra de Deus”.

Em seu último encontro com os presbíteros – anciãos, pastores – da Igreja de Éfeso, o apóstolo Paulo fez algumas advertências solenes a esse respeito que jamais deveriam ser olvidadas: “Eu sei que, depois da minha partida, entre vós penetrarão lobos vorazes, que não pouparão o rebanho. E que, dentre vós mesmos, se levantarão homens falando coisas pervertidas para arrastar os discípulos atrás deles” (Atos 20:29-30).

Não tenha, como líder de Igreja, ancião, diretor de congregação, oficial de Igreja ou “simplesmente”* membro de Igreja, medo ou receio de indagar, averiguar [com educação, cortesia, amor e firmeza] e, se preciso, impedir que estes lobos em peles de ovelhas se dirijam às nossas congregações – disseminando o veneno das suas heresias.

Proceda como os irmãos da Igreja de Éfeso que, seguindo criteriosamente as orientações de Paulo, agiram da maneira certa, vindo a receber o seguinte elogio da Testemunha Fiel, Jesus: “Conheço as tuas obras, tanto o teu labor como a tua perseverança, e que não podes suportar homens maus, e que puseste à prova” [fizeram o teste, exame pessoal quanto às doutrinas...] “os que a si mesmos se declaram apóstolos e não são, e os achaste mentirosos” (Apocalipse 2:2).

* Não existe este negócio de “membro comum” ou “apenas membro de Igreja”; todos aqueles que são cristãos fiéis, que estão engajados no Exército de Jesus, vivendo e atuando em favor da Verdade, são: “raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, a fim de proclamardes as virtudes dAquele que vos chamou das trevas para a Sua maravilhosa luz” (I Pedro 2:9).

IASDemFoco

About these ads

Sobre Blog Sétimo Dia

“SOLO CHRISTO”, “SOLA GRATIA”, “SOLA FIDE”, “SOLA SCRIPTURA” (salvação somente em Cristo, somente devido à graça de Deus, somente pela instrumentalidade da fé, somente com base na Escritura)
Esse post foi publicado em Catolicismo, Ecumenismo e marcado , . Guardar link permanente.

9 respostas para Ecumenismo: Devem os Cristãos Unir-se aos Católicos?

  1. Augusto César Leite Franca disse:

    Não concordo com a forma como o escriba coloca a questão do ecumenismo, porquanto parto do princípio contido na fórmula “ut omnes unum sint”, que prega a união de todos aqueles que professam a fé cristã, ainda que o raciocínio se revista de uma roupagem aparentemente utópica, aspirando o ideal de que todos sejam um só rebanho e um só pastor. A utopia, na verdade, depende da interpretação que se queira dar ao pensamento aqui expresso, e assume a dimensão da verdade na medida em que o rebanho deve ser constituído de todos os homens de boa vontade, além de norteados pelo ensinamento de Cristo. Já o pastoreio único não implica a personificação do condutor, a submissão a um determinado lider, a obediência e crença a um determinado dogma. O único pastor é todo aquele que compõe o organismo doutrinário, único em sua essência, ainda que diverso em sua manifestação ostensiva. O que realmente importa é extrair do geral o que é essencial, dando real valor àquilo proposto pelo supremo e eterno Mestre.

  2. Leidson Rodrigues disse:

    eu concordo plenamente com o que foi dito ai em relação ao Ecumenismo, pois é parte da profecia biblica a união das igrejas, não só igrejas em si, mas a união das igrejas á besta apocalíptica, o Augusto César Leite França ai não entende que o ideal de um só rebanho e um só pastor se refere diretamente a JESUS CRISTO e não a um homem que se diz que é deus na terra, nos devemos ser um só rebanho sim devemos ter um só pastor sim, mas vem outra coisa todos nois cristãos temos sim um só pastor que é jesus mas há pessoas designadas que ouvem o chamado de DEUS para auxiliar como instrutor das verdades de JESUS para que indique o caminho certo a seguir, que são os inumeros pastores que lideram as igrejas por ai a fora, tem que se ver isso, temos um só pastor que é JESUS e e temos total claresa disso quando o aceitamos verdadeiramente em nossas vidas, e seremos sim um só rebanho quando JESUS voltar e nos levar pra perto dele no céu para a cidade santa a nova Jerusalém!

    Resumindo: ECUMENISMO – união das igrejas em uma só com a besta do apocalípse; e
    IDEAL DE UM SÓ PASTOR E UM SÓ REBANHO: é aceitando a JESUS como o único pastor que irá unir o seu rebanho e leválos para perto DELE no céu em SUA 2° vinda.

  3. Luis Chacon disse:

    “ut omnes unum sint”, irmão, que bacana isso!! Onde tá na Bíblia tudo isso, que eu não achei? Abraço.

  4. Luis Chacon disse:

    Entendo que falta pouco, mas acredito que ainda precise aconcer…: “”E exerce todo o poder da primeira besta na sua presença, e faz que a terra e os que nela habitam adorem a primeira besta, cuja chaga mortal fora curada.” (Apocalipse 13 : 12) Falta uma besta dar poder à outra para que a adorem.
    Por casualidade hoje no avião passou o enterro do JPII, se não me engano estavam lá 4 ex-presidentes americanos, teoricamente “protestantes”, o principe Charles, que é, sei lá, anglicano, e otros de outros paises e outras religiões. Alguém pode dizer: “ah, mas ele era um chefe de Estado”ok, quantos chefes de Estado, morreram e não foi nem o presidente dos USA? Nem o principe Charles. “ah, ma o Papa tem sua importância”, não tenho a menor dúvida disso, sem ele não se cumpre a profecia. Há uma foto na internet do ex-presidente George W. Bush dando de presente ao JPII uma imagem de um santo, não sei qual era. Como que um protestante dá de presente uma imagem para adoração? Veja, as cartas estão marcadas, que vai acontecer é fato, é profético, não vai escapar de acontecer, só não sabemos quando, mas isso… o que importa, medir tempo para esses acontecimentos? Eu não, mas vai ser triste dizer para algumas pessoas; “eu tinha te avisado, mas você não quis escutar”. Abraço

  5. Leidson Rodrigues disse:

    realmente Luis Chacon não adianta medir tempo pois nem os anjos e nem o filho sabe, só o PAI celeste que sabe o dia e a hora, tbm será muito triste se é que vamos ter a oportunidade de dizer as pessoas que não nos escultaram ” eu te avisei, mas vcs não quiseram escultar”, pois a um fato profétio chamado de ” Aperseguição ao remanescente fiel ” por isso acho difícil falar-mos isso as pesoas que não nos escultaram pois estaremos todos fugindo por conta da perseguição, o que nos cabe é orar para que DEUS toque o coração dessas pessoas e que elas ouçam a palavra de salvação que DEUS nos deixou para que não pereçamos mas tenhamos a vida eterna em CRISTO JESUS amém!

  6. Larissa disse:

    Ao Adm uma pergunta: os católicos não são cristãos?

  7. Leidson Rodrigues disse:

    Larissa, não sou o ADM mas vou responder sua pergunta por mim mesmo porque achei essa pergunta interessante, enfim a definição de católico ser cristão se dá apenas a alguns de seus fiéis, ou seja aqueles que estão sendo ensinados errados, que estão sendo eganados pelo inimigo, os que estão lá mas não connhece as verdades da palavra de DEUS, lembrado que não são todos os fiéis da igreja católica que podem ser chamados de cristãos, por isso que eu disse á apenas alguns de seus fiéis, porém aqueles que conhece as verdades da palavra de DEUS mas permanecem no erro achando que estão certos, a esses sim se dá a definição de católico que não é cristão, por conta disso e muitas outras coisas que os católicos não são cristãos verdadeiros, o cristão verdadeiro que segue as verdades da palavra de DEUS ele anda na contra-mão do mundo se vc observar direitinho a igreja católica ela anda de mãos dadas com as coisas do mundo, prazeres errônios que já tem um fim determinado, por isso que se diz que católicos não são cristãos pois eles destorcem toda verdade biblica, a igreja católica faz o que o inimigo vem fazendo desde a fundação do mundo, em outras palavras satanás está introduzido no meio deles, destorcendo toda a palavra de DEUS, fazendo assim o certo parecer errado e o errado parecer o certo. mas há sim verdadeiros cristãos dentro da igreja católica os nosso irmãos que ainda não conhece a verdade da palavra de DEUS, mas que em nome de JESUS conheceram quando houer o derramamento do ESPIRITO SANTO e esse verdadeiros cristãos sairão dela seguindo o verdadeiro caminho de CRISTO, cumprindo-se assim o que diz apocalipse 18:4 ” Sai dela, povo meu, para que não sejas participante dos sete pecados, e para que não incorras nas suas pragas. Bom creio eu que o ADM vai falar quase o mesmo a você com outras palavras, a verdadeira definião é essa: os católicos são os falsos cristãos.

  8. Darci Cauduro disse:

    Oi irmão em Cristo, Luís Chascon! Então você não sabe onde está na Bíblia “ut omnes unem sint ?” Não sabe porque não entende latim ou porque não leu com atenção a Bíblia? Aliás, bastaria ter lido os evangelhos para encontrar em João, capítulo 17, versículos 11 e 20!

  9. Darci Cauduro,

    Vc sabe latim? PARABÉNS! Quantos católicos como você sabem latim a ponto de entenderem completamente uma missa rezada em latim? Ou sabem como você encontrar na Bíblia uma passagem em latim ??? rs Será que eles também não lêem a Bíblia com atenção como vc insinuou que o irmão Chacom não lê?

Deixe seu comentário. Tudo o que pedimos é que se mantenha uma cultura de respeito. Isto significa não fazer ataques pessoais, não usar palavrões, e por favor manter o diálogo sobre o tema postado.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s